Serra Talhada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Serra Talhada
  Município do Brasil  
Serra Talhada,Pernambuco - Brasil.jpg
Símbolos
Bandeira de Serra Talhada
Bandeira
Brasão de armas de Serra Talhada
Brasão de armas
Hino
Gentílico serratalhadense
Localização
Localização de Serra Talhada em Pernambuco
Localização de Serra Talhada em Pernambuco
Serra Talhada está localizado em: Brasil
Serra Talhada
Localização de Serra Talhada no Brasil
Mapa de Serra Talhada
Coordenadas 7° 59' 09" S 38° 17' 45" O
País Brasil
Unidade federativa Pernambuco
Municípios limítrofes São José do Belmonte, Mirandiba e Carnaubeira da Penha (leste), Floresta (sul), Santa Cruz da Baixa Verde, Calumbi e Betânia (oeste) e com o Estado da Paraíba (norte).
Distância até a capital 415 km
História
Fundação c. 1790 (231–232 anos)
Emancipação 6 de maio de 1851 (171 anos)
Administração
Distritos
Prefeito(a) Márcia Conrado de Lorena e Sá[1] (PT, 2021 – 2024)
Vereadores 17
Características geográficas
Área total [2] 2 980,006 km²
População total (estimativa IBGE/2021[3]) 87 467 hab.
Densidade 29,4 hab./km²
Clima semiárido (BSh)
Altitude 444 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,661 médio
PIB (IBGE/2014[5]) R$ 1 247 287 mil
PIB per capita (IBGE/2014[5]) R$ 14 899,75
Sítio www.serratalhada.pe.gov.br (Prefeitura)

Serra Talhada é um município brasileiro do estado de Pernambuco. É conhecido como a capital do xaxado e fica a 415 km da capital pernambucana, Recife. A cidade é a segunda cidade mais importante do Sertão de Pernambuco e o principal município da Mesorregião do Sertão Pernambucano; polo em saúde, educação e comércio. É a terra Natal de Virgulino Ferreira da Silva (Lampião). Sua população, conforme estimativas do IBGE de 2021, era de 87 467 habitantes.[3]

Os times de futebol da cidade são o Serrano Futebol Clube, Ferroviário Esporte Clube, também destacando o extinto Comercial Esporte Clube e o principal, o Serra Talhada Futebol Clube.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome "Serra Talhada" deriva do nome de uma serra presente no município, cujo formato dá a ideia de que foi cortada a prumo. Originalmente, deu nome à fazenda de criação do português Agostinho Nunes de Magalhães e, muito tempo depois, ao município nela originado.

História[editar | editar código-fonte]

Igreja de Nossa Senhora da Penha
Praça Barão do Pajeú

O povoamento do Sertão Pernambucano ocorreu de forma gradual desde o início do século XVII, com a chegada de portugueses sem dinheiro para instalar engenhos de açúcar em busca de terras devolutas e senhores de engenho vindos dos litorais de Pernambuco e da Bahia. Estes homens passaram a praticar a pecuária por esta região, povoando-a gradualmente seguindo o curso dos rios e também sendo rendeiros de fazenda do latifúndio da Casa da Torre.

No século XVIII, a pecuária alcança o vale do Rio Pajeú, habitada pelos indígenas cariris. Foi neste contexto que chegou, em meados dos setecentos, o português Agostinho Nunes de Magalhães, que arrendou quatro fazendas na região da Casa da Ponte e cujos primeiros tributos foram pagos em abril de 1757. Uma destas propriedades rurais era a "Fazenda Serra Talhada", situada no sopé da serra de mesmo nome. Agostinho teve, com uma índia cariri, os filhos Joaquim, Pedro, Damião, Manoel e Filadelfa.

A fazenda Serra Talhada estava situada no ponto de encontro entre importantes rotas que levavam aos currais e feiras de gado do Ceará, Paraíba e Bahia e neste lugar passou a acontecer a Feira Livre de Serra Talhada, realizada pela primeira vez em 10 de fevereiro de 1778, uma segunda-feira, e vem ocorrendo desde então em todas as segundas, até hoje. Foi aí que surge a vocação mercantilista do município.

Por volta de 1789 a 1790, é construída, próxima à feira, uma capela em louvor a Nossa Senhora da Penha, pelos escravos de Filadelfa Nunes de Magalhães (filha de Agostinho), a mandante da construção. Ao seu redor, forma-se um povoado de vaqueiros, feirantes e tropeiros.

A Lei Provincial n° 52, de 18 de abril de 1838, eleva o povoado à categoria de Freguesia de Vila Bela, subordinada à Vila de Flores.

Em 1848, estoura na Província de Pernambuco a Revolução Praieira. Na vila de Flores, este movimento opôs liberais e conservadores em relação à posse do Juiz de Paz e vereadores, gerando, em 18 de novembro, um conflito entre ambas as partes, o qual durou 48 horas, com a rendição dos liberais.

Vila Bela apoiou os conservadores e se beneficiou com isso, pois a Lei Provincial nº 280, de 6 de maio de 1851, desmembra de Flores a Freguesia de Vila Bela e a eleva à categoria de vila. A partir dessa data, passa a ter autonomia própria e uma Câmara municipal, cujo primeiro presidente foi Manoel Pereira da Silva, Comendador da Imperial Ordem da Rosa e neto do fidalgo da Casa da Torre José Carlos Rodrigues e de sua esposa Ana Joana Pereira da Cunha, fundadores das históricas Fazendas Sabonete, Carnaúba e patriarcas da poderosa família Pereira, senhores e barões de toda a ribeira do Pajeú.

Em 1893, toma posse o primeiro intendente de Vila Bela, Andrelino Pereira da Silva, o Barão do Pajeú. Em 1909, Vila Bela é elevada à categoria de município.

Em 15 de junho de 1939, o então Governador de Pernambuco, o serratalhadense Agamenon Magalhães, altera o município de Vila Bela para "Serra Talhada".

Lampião - o Rei do Cangaço

A história da cidade é uma das mais ricas de todo o estado de Pernambuco. Seus filhos participaram ativamente da história de Pernambuco e do Brasil, como Agamenon Magalhães. Também é conhecida pelos seus artistas e intelectuais, destacando-se como referência no cenário cultural do estado. É onde nasceu o polêmico Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, também conhecido "Rei do Cangaço".

A cidade começa a se destacar também no cenário turístico, explorando, além de sua beleza plástica, a figura do seu filho mais ilustre, Lampião, principalmente na dança criada pelo seu bando: o xaxado. Atualmente, o município, conhecido como “Capital do Xaxado”, tem sido referência neste assunto em todo o país, conseguindo reunir em museu toda a história da saga do cangaceiro, transformando-se em verdadeiro museu a céu aberto.[6][7]

A casa do Rei do Cangaço[editar | editar código-fonte]

Se a figura do Lampião e José Bastor Campos representa a Rota do Cangaço e do Lampião, Serra Talhada não pode ficar de fora do roteiro.

Localizada a 415 km da capital, a terra de Virgulino Ferreira da Silva é cortada pela BR-232. É lá que estão guardados vários pertences do Rei do Cangaço: as armas, roupas de couro. É onde se pode assistir a uma apresentação de xaxado, cujo nome foi dado devido ao som do ruído que as sandálias dos cangaceiros faziam ao arrastarem sobre o solo durante as comemorações celebradas nos momentos de glória do grupo de "Lampião".

A imponente Serra Talhada marca a paisagem da cidade, onde está o cruzeiro da cidade, que proporciona belas vistas como a do mirante do Talhado do Urubu. O centro do município tem a Igreja de Nossa Senhora da Penha, com seus belos vitrais, e o casario do entorno.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Serra Talhada está localizada em latitude 07º59'31" Sul, longitude 38º17'54" Oeste, na Mesorregião do Sertão Pernambucano, Microrregião do Pajeú, a uma altitude de 429 metros e a 415 quilômetros de Recife, capital estadual, no trajeto da principal rodovia ligando a capital ao interior, e é um polo econômico da região.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Serra Talhada é uma cidade com potencialidades turísticas. Atualmente, se encontra no mapa do turismo brasileiro na categoria "B'", compondo a rota Cangaço e Lampião. Alguns atrativos podem ser visitados, como o Museu do Cangaço, a Casa da Cultura e Museu da Cidade, o Parque Estadual Mata da Pimenteira, a casa onde nasceu o Rei do Cangaço, Virgolino Ferreira, mais conhecido como Lampião, localizada no Sítio Passagem das Pedras com suas estruturas adequadas, oferecem aos visitantes tranquilidade e segurança. Com uma rede hoteleira de qualidade, a cidade tem hoje, equipamentos com apartamentos adaptados que podem receber hóspedes portadores de deficiência com conforto. Os restaurantes e bares da cidade, possuem ótima gastronomia e pode-se encontrar uma variedade de pratos regionais. Por possuir uma serra que pode ser vista logo ao se aproximar da cidade, os amantes do turismo de aventura, podem contratar condutores especializados em trilhas, rapéis e escaladas. No centro de Serra Talhada, o visitante pode conhecer atrativos que contam a História da cidade desde o século XVII até os dias atuais.

Distritos[editar | editar código-fonte]

Compõem o município nove distritos: Serra Talhada (sede), Bernardo Vieira, Caiçarinha da Penha, Logradouro, Luanda, Logradouro, Pajeú, Santa Rita, Tauapiranga e Varzinha.[8]

Bairros[editar | editar código-fonte]

Vista da cidade de Serra talhada
Vista parcial da cidade, com a Serra Talhada ao fundo
  • Bairro Nossa Senhora da Penha (Centro)
  • Bairro Nossa Senhora da Conceição (Alto da Conceição)
  • Bairro IPSEP (Nossa Senhora da Conceição, mas, conhecido como novo IPSEP)
  • Bairro Santos Dumont (AABB)
  • Bairro Várzea
  • Bairro São Cristóvão
  • Bairro Bom Jesus
  • Bairro CAGEP
  • Bairro José Tomé de Souza Ramos (Mutirão)
  • Bairro José Rufino Alves (Caxixola)
  • Bairro Tancredo Neves (COHAB)
  • Bairro São Sebastião (Borborema)
  • Bairro Cachoeira (Vila DNOCS)
  • Bairro Malhada
A Serra Talhada se destaca no horizonte em meio à Depressão Sertaneja. Registrada por Ana Maris em 28/04/2017
Bairro de Serra Talhada
  • Bairro Baixa Renda
  • Bairro Universitário
  • Bairro Vila Bela
  • Bairro Nossa Senhora de Fátima (Bomba)
  • Bairro Vanete Almeida
  • Bairro Jardim das Oliveiras
  • Loteamento Quitandinha
  • Loteamento Residencial Morada da Serra
  • Loteamento Jardim Estrela
  • Loteamento Jardim Planalto
  • Loteamento Bela Vista

Limites[editar | editar código-fonte]

  • Norte: Estado da Paraíba.
  • Sul: Floresta
  • Leste: Santa Cruz da Baixa Verde, Calumbi e Betânia
  • Oeste: São José do Belmonte, Mirandiba e Carnaubeira da Penha

Transportes[editar | editar código-fonte]

A cidade possui um aeródromo regional, o Aeroporto Santa Magalhães, com expectativa de iniciar a operação de voos regulares para Recife a partir de fevereiro de 2019.[9]

Clima[editar | editar código-fonte]

  • Tipo de clima: Semiárido
  • Precipitação pluviométrica: 686 mm/ano
  • Temperatura média anual: 25 °C
  • Meses chuvosos: janeiro a abril

Conforme dados da estação meteorológica automática do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) no município, em operação desde 9 de julho de 2008, a menor temperatura registrada em Serra Talhada foi de 14,8 °C em 18 de julho de 2017, superando o recorde anterior de 15 °C em 20 de julho de 2010, e a maior chegou aos 40 °C em 9 de outubro de 2013.[10] Em 24 horas o maior acumulado de precipitação atingiu 125 milímetros (mm) em 9 de abril de 2010.[11] A maior rajada de vento atingiu 23,9 m/s (86 km/h) em 4 de maio de 2011. O menor índice de umidade relativa do ar (URA) foi apenas 9% em 16 de outubro de 2020.[10]

Dados climatológicos para Serra Talhada
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 37,2 37,5 38 36,2 35,1 35,2 33,8 35,3 37,9 40 38,6 38,2 40
Temperatura máxima média (°C) 34,1 33,2 32,6 32,1 31,1 30,3 30,3 31,8 33,4 34,8 35,2 35 32,8
Temperatura média compensada (°C) 26,4 25,8 25,4 25,1 24,3 23,4 23,1 23,7 25,1 26,3 26,7 26,7 25,2
Temperatura mínima média (°C) 21,2 20,8 20,7 20,5 19,8 18,9 18,2 18,4 19,5 19,4 20 20,4 19,2
Temperatura mínima recorde (°C) 18,2 18,8 18 18,9 16,6 15,9 14,8 15,5 16,1 18,1 18,5 18,3 14,8
Precipitação (mm) 82 112 165 124 49 29 21 5 8 12 22 54 686
Fonte: Climate-data.org (precipitação)[12] e Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP) (médias de temperatura)[13][14][15]
Fonte 2: Instituto Nacional de Meteorologia (recordes de temperatura: 09/07/2008-presente)[10]
Dados climatológicos para Serra Talhada (Caiçara)
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 33,6 32,5 31,9 31,5 30,5 29,8 29,8 31,4 33,0 34,4 34,6 34,4 32,3
Temperatura média compensada (°C) 25,7 25,0 24,5 24,3 23,6 22,7 22,4 23,0 24,5 25,6 26,0 25,9 24,4
Temperatura mínima média (°C) 20,7 20,2 20,1 20,0 19,2 18,4 17,8 18,0 19,1 20,1 20,6 20,8 19,6
Precipitação (mm) 106,5 170,2 243,4 156,0 79,0 53,9 87,1 19,2 12,1 12,8 33,4 73,6 820,0
Fonte: Departamento de Ciências Atmosféricas.[16][17][18][19]

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município de Serra Talhada, está inserido na unidade geoambiental da Depressão Sertaneja que representa a paisagem típica do semiárido nordestino, caracterizada por uma superfície de pediplanação bastante monótona, relevo predominantemente suave-ondulado, cortada por vales estreitos, com vertentes dissecadas. Elevações residuais, cristas e/ou outeiros pontuam a linha do horizonte. Esses relevos isolados testemunham os ciclos intensos de erosão que atingiram grande parte do sertão nordestino.

Vegetação e solo[editar | editar código-fonte]

A vegetação é basicamente composta por Caatinga Hiperxerófila com trechos de Floresta Caducifólia. Com respeitos aos solos, nos Patamares Compridos e Baixas Vertentes do relevo suave ondulado ocorrem os Planossolos, mal drenados, fertilidade natural média e problemas de sais. Topos e Altas Vertentes, os solos Brunos não Cálcicos, rasos e fertilidade natural alta; Topos e Altas Vertentes do relevo ondulado ocorrem os Podzólicos, drenados e fertilidade natural média e as Elevações Residuais com os solos Litólicos, rasos, pedregosos e fertilidade natural média.

Economia[editar | editar código-fonte]

Pontos comerciais na cidade
Frinex -Serra Talhada

A cidade de Serra Talhada é a mais próspera do Sertão do Pajeú e polo econômico dessa microrregião pernambucana. A importante infraestrutura urbana de Serra Talhada a coloca numa posição privilegiada, sendo um centro em pleno desenvolvimento na área de comércio, lazer e cultura. Segundo dados do IBGE relativos à 2014, o Produto Interno Bruto (PIB) de Serra Talhada foi de R$ 1 247 288 mil, o que correspondia ao 18° maior PIB de Pernambuco e o segundo maior PIB do Sertão de Pernambuco, ficando atrás apenas de Petrolina.[20] Ainda de acordo com os dados do IBGE relativos à 2014, o PIB per capita de Serra Talhada foi de 14.900,10.

Shopping Serra Talhada

Rádio e TV[editar | editar código-fonte]

Canais de TV Analógica e Digital:[editar | editar código-fonte]

Canal Emissora Recursos
5 TV Tribuna PE (Band) Sem Sinal
7 TV Jornal Interior (SBT) Sem Sinal
10 TV Pernambuco (Cultura/TV Brasil) Sem Sinal
12 TV Asa Branca (Globo)
23 TV Verdade Sem Sinal
25 (4.1) TV Jornal Interior (SBT) Em implantação
27 TV Aparecida (Rede)
29 TV Guararapes (RecordTV) Sem Sinal
31 (31.1) TV Serra (Prefeitura de Serra Talhada) Sem Sinal
36 TV Sul Bahia (RIT)

Canais de TV Digital em implantação pelo Digitaliza Brasil[21]:[editar | editar código-fonte]

Digital Virtual Emissora
40 2.1 TV Brasil
2.2 TV Brasil 2
2.3 Canal Educação
2.4 Canal Saúde
15 8.1 TV Asa Branca (Globo)
48 9.1 TV Guararapes (RecordTV)
16 10.1 TV Câmara
10.2 TV Alepe
10.3 TV Escola
10.4 TV Senado
10.5 Rádio Câmara TV
46 12.1 TV Pernambuco (Cultura/TV Brasil)
49 14.1 Rede Super
18 16.1 Rede Vida
16.2 Rede Vida Educação
16.3 Rede Vida Educação
20 20.1 Rede Brasil
43 21.1 Band (Rede)
26 23.1 TV Verdade
29 27.1 TV Aparecida
24 32.1 Rede 21
22 34.1 Boa Vontade TV
39 36.1 TV Sul Bahia (RIT)
38 38.1 Rede Século 21
38.2 Rede Século 21 Educa
32 40.1 TV A Crítica

Canais de Rádio:[editar | editar código-fonte]

Freq. Rádio Recursos
87.9 Serra FM Serra Talhada Classe: Comunitária
92.9 Cultura FM Serra Talhada Classe: B1
93.5 Líder FM Serra Talhada Classe: B1
94.3 Vila Bela FM Classe: C
99.7 RBC Rádio Classe: B1
105.9 Nova Gospel FM Serra Talhada Classe: C

Esportes[editar | editar código-fonte]

No futebol, os clubes de maior destaque são o Serra Talhada Futebol Clube, fundado em 25 de fevereiro de 2011, e o Serrano Futebol Clube, fundado em 1 de outubro de 1983, o primeiro chegou a lograr um título no Campeonato Pernambucano - Série A2 de 2011, e o segundo chegou a conquistar um quarto lugar no Campeonato Pernambucano de Futebol - Série A1 de 2005, melhor posição até então de um clube da cidade de Serra Talhada na elite do futebol pernambucano. Dentre os clubes de Serra Talhada o Serrano Futebol Clube é o que tem o maior número de participações na elite do futebol pernambucano. Outros clubes que tiveram destaque no Campeonato Pernambucano de Futebol foi o Comercial Esporte Clube fundado em 13 de março de 1973 e extinto em 1982, e também o Ferroviário Esporte Clube, fundado em 1 de setembro de 1979, detém um título do Campeonato Pernambucano - Série A2 de 1997, e está licenciado das competições profissionais desde 2005.

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

Ano Prefeito
1892/1895 Andrelino Pereira da Silva (Barão do Pajeú)
1895/1898 Manoel Pereira da Silva Jacobina
1898/1901 Antônio Andrelino Pereira da Silva
1901/1904 Francisco Vieira Lima
1904/1907 José Pereira da Silva e Sá
1908/1910 José Alves da Silveira Lima
1910 Adolfo Corte
1912 Manoel Emiliano de Morais Barros
1912/1913 Andrelino Barbosa Nogueira
1913 Manoel Emiliano de Morais Barros
1913/1916 Adolfo Corte
1916/1920 Dr. Mário Alves Pereira de Lyra
1920/1925 Francisco Alves da Fonseca Barros
1925/1928 João Alves de Barros
1928/1930 Francisco Alves de Carvalho Barros
1930 Antonio Romão de Farias
1930 Methódio de Godoy Lima
1930/1936 Manoel Joaquim Policarpo Lima
1936/1939 Antonio Romão de Farias
1939/1940 José Aureliano de Acioli
1940/1944 José Bené de Carvalho
1944/1945 Waldemar Soares de Menezes
1945 Dr. Aníbal Wanderley Cavalcanti
1945 Cel. José de Alencar de Carvalho Pires
1945/1946 Luiz Conrado de Lorena e Sá
1946/1951 Cornélio Aurélio Soares de Lima
1951/1955 Moacyr Godoy Diniz
1955/1958 Luiz Conrado de Lorena e Sá
1959 Antonio Andrade Policarpo
1959/1964 Hildo Pereira de Menezes
1964/1969 Luiz Conrado de Lorena e Sá
1969/1973 Nildo Pereira de Menezes
1973/1977 Sebastião Andrada de Oliveira
1977/1983 Hildo Pereira de Menezes
1983/1988 Sebastião Andrada de Oliveira
1989/1993 José Ferdinando Feitosa
1993/1997 Augusto César Elehimas de Carvalho
1997/2001 Sebastião Andrada de Oliveira
2001/2005 Genivaldo Pereira Leite
2005/2012 Carlos Evandro Pereira de Menezes
2013/2020 Luciano Duque de Godoy Sousa
2020/hoje Márcia Conrado De Lorena E Sá

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Prefeita e vereadores de Serra Talhada tomam posse Portal G1 - acessado em 2 de janeiro de 2021
  2. «Serra Talhada IBGE». IBGE. Consultado em 8 de maio de 2017 
  3. a b «Estimativa populacional 2021 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2021. Consultado em 28 de agosto de 2021 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 9 de setembro de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2014». IBGE. Consultado em 20 de janeiro de 2017 
  6. OLÍMPIO, Mário (21 de novembro de 2003). «Histórico de Serra Talhada». serratalhada.net. Consultado em 31 de dezembro de 2021 
  7. LORENA, Luiz (5 de novembro de 2004). «Perfil histórico-religioso de Serra Talhada-PE». Consultado em 31 de dezembro de 2021 
  8. «Serra Talhada». IBGE Cidades. Consultado em 21 de abril de 2022 
  9. «Serra Talhada terá quatro voos da Azul para Recife na semana» 
  10. a b c Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). «Estação: SERRA TALHADA (A350)». Consultado em 16 de julho de 2020 
  11. INMET. «Gráficos diários de estações automáticas». Consultado em 16 de julho de 2020 
  12. «CLIMA SERRA TALHADA (BRASIL)». Consultado em 30 de julho de 2015 
  13. Laboratório de Meteorologia de Pernambuco (LAMEPE). «CLIMATOLOGIA DAS TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR PARA O ESTADO DE PERNAMBUCO». Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP). Consultado em 16 de julho de 2020. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2009 
  14. LAMEPE. «CLIMATOLOGIA DAS TEMPERATURAS MÉDIAS DO AR PARA O ESTADO DE PERNAMBUCO». ITEP. Consultado em 16 de julho de 2020. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2009 
  15. LAMEPE. «CLIMATOLOGIA DAS TEMPERATURAS MÍNIMAS DO AR PARA O ESTADO DE PERNAMBUCO». ITEP. Consultado em 16 de julho de 2020. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2009 
  16. «TEMPERATURA COMPENSADA MENSAL E ANUAL DA PERNAMBUCO». Departamento de Ciências Atmosféricas. Consultado em 11 de junho de 2014. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  17. «TEMPERATURA MÍNIMA MENSAL E ANUAL DA PERNAMBUCO». Departamento de Ciências Atmosféricas. Consultado em 11 de junho de 2014. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  18. «PRECIPITACAO MENSAL». Departamento de Ciências Atmosféricas. 1911–1990. Consultado em 11 de junho de 2014. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  19. «TEMPERATURA MAXIMA MENSAL E ANUAL DA PERNAMBUCO». Departamento de Ciências Atmosféricas. 1911–1980. Consultado em 11 de junho de 2014. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  20. «Cópia arquivada». Consultado em 14 de janeiro de 2017. Arquivado do original em 14 de junho de 2017 
  21. «Programa Digitaliza Brasil». Ministério das Comunicações. Consultado em 14 de outubro de 2022