Serra de Arga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Serra de Arga é um conjunto conjunto montanhoso de Portugal Continental, que culmina a 824 metros de altitude (Alto do Espinheiro, Montaria - Viana do Castelo). Situa-se no Alto Minho. É de origem granítica, com fragmentos de xisto. Administrativamente, está dividida pelos concelhos de Caminha, Ponte de Lima e Viana do Castelo.

Foto do parque eólico instalado na Serra de Arga.

Tal como a maioria das montanhas e serras do Norte de Portugal, a Serra de Arga tem origem em afloramentos graníticos, sendo que todas as rochas existentes na área são derivadas directa ou indirectamente desta rocha magmática plutónica.

A serra proporciona uma paisagem que nos possibilita ver o mar, o Rio Lima e o Rio Minho, as vilas portuguesas de Ponte de Lima e Caminha, a cidade de Viana do Castelo, assim como povoações espanholas da Galiza. Nesta serra nasce o Rio Âncora.

A romaria de S. João de Arga, em 29 de Agosto, celebrada numa capela do lado norte da serra, é das mais características e vividas do Alto Minho, com um forte poder de atracção das populações em redor. Por esse lugar passa o caminho usado desde tempos imemoriais que, ao atravessar a Serra d'Arga nos faz reviver todas as histórias e lendas que a ela se referem. É um caminho longo e que atravessa uma zona muito agreste.

A romaria da Senhora do Minho, que se celebra num santuário da parte sudeste, perto do seu ponto mais alto, é realizada sempre no primeiro domingo de Julho, exceto quando este dia coincide com o domingo da festa de Santa Luzia. Nesses anos a Romaria da Senhora do Minho é adiada por uma semana.

Segundos alguns dizeres sem fundamento, a Serra da Arga deveria o seu nome à eventual presença dos Argonautas neste local, num passados remoto. Bem mais provável é ser um topónimo de raiz céltica, relacionado com a palavra "alva" (Coutinho, 1997).

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

Cabrito à Serra d´Arga, sarapatel, arroz de sarrabulho, arroz doce, chouriço, presunto, broa de milho e mel.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • COUTINHO, Artur (1982 - 2ª edição). Cancioneiro da Serra d'Arga (Viana do Castelo: Edição do Autor). 191pp.
  • COUTINHO, Artur (1997). Mosaicos da Serra d'Arga (Viana do Castelo: Edição da Paróquia de N.ª S.ª de Fátima). 270pp.
  • MELLO, Pedro H. (1998). Povo que lavas no rio (Porto: Brasília Editora). 138pp.
  • VIANA, António Manuel Couto (2002). Lendas do Vale do Lima (Ponte de Lima: Edição da VALIMA). 82pp.
  • CEREJEIRA, Domingos (2003). Memórias da Serra d'Arga (Caminha: Jornal Digital CAMINH@2000). 100pp.
  • COUTINHO, Artur (2007). Cancioneiro da Serra d'Arga (Viana do Castelo: Edição do Autor - 4ª edição). 253pp.
  • OLIVEIRA, Emanuel e RITA, Pedro (2011). Serra d'Arga - Montanha Santa (Caminha: Edição da Câmara Municipal de Caminha). 52pp.
  • PRIMAVERA, P., CUNHA, A., ÁLVARES, F. (2015). Testemunhos da relação entre o lobo e as comunidades rurais na Serra de Arga (Viana do Castelo: Revista Estudos Regionais). pp. 151–165.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Rede Natura 2000 - Sítio "Serra de Arga"

Serra de Arga (Blogue)

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.