Serra de Tormantos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Serra de Tormantos
Vista de Garganta la Olla, uma vila da Serra de Tormantos
Localização
Coordenadas 40° 06' 56" N 5° 48' 40" O
Localização Norte da província de Cáceres, a este-nordeste de Plasencia
País(es) Flag of Spain.svg Espanha
Características
Altitude máxima 2 290 m
Cumes mais altos Cuerda de los Infiernillos (2 281 m)
Cerro del Estecillo (2 290 m)
Notas Faz parte do Sistema Central
Serra de Tormantos está localizado em: Espanha
Serra de Tormantos
Localização da Serra de Tormantos em Espanha

A Serra de Tormantos é uma continuação da Serra de Gredos, no extremo ocidental da parte espanhola do Sistema Central ibérico. Situa-se no norte da província de Cáceres, na comunidade autónoma da Estremadura e confina com as comarcas de La Vera e Vale do Jerte.[nt 1]

Situação geográfica[editar | editar código-fonte]

A serra encontra-se a norte da luxuriante comarca de La Vera, tendo a sul o rio Tiétar e as dehesas[a] cacerenhas, e a norte o Vale do Jerte. Esta situação faz com que a serra resguarde dos ventos frios do norte grande parte da comarca de La Vera, proporcionando a esta zona um clima mediterrânico com invernos e verões relativamente suaves.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Parte da sua face norte faz parte da Reserva Natural Garganta de los Infiernos. Os cumes mais altos são a Cuerda de los Infiernillos (2 281 m) e o Cerro del Estecillo (2 290 m), que rodeiam a garganta da serra, antigo vale glaciar do Quaternário. A reserva conta com inúmeras ribeiras, quedas de água, cascatas e piscinas naturais, ou seja, lagoas escavadas pela erosão circular da água corrente. Muitas destas lagoas são chamadas de marmitas de gigante pela sua forma cilíndrica e a água turbulenta fazerem lembrar panelas gigantes.

Os elevados índices de humidade contribuem para a existência de uma vegetação de grande valor ecológico, com ecossistemas de bosque caducifólio, mata ribeirinha, piorno serrano[b] (Cytisus purgans) e pastagens alpinas.

A fauna autóctone é muito abundante, sobretudo na reserva natural, onde habitam várias espécies em perigo de extinção.

Breve apontamento histórico[editar | editar código-fonte]

A Serra de Tormantos foi o pior escolho pelo qual passou o imperador Carlos V quando se dirigia para o seu retiro no Mosteiro de Yuste. Terminar a última etapa desta viagem envolveu passar no cimo da Serra de Tormantos através da garganta dos Infernos e o cume de El Collado de las Yeguas, entre Tornavacas y Jarandilla de la Vera. Tendo em conta que Carlos V era transportado numa liteira e eram poucos os seus acompanhantes, a travessia revelou-se uma autêntica odisseia. Atualmente organizam-se excursões a pé pela senda utilizada pelo imperador e ainda hoje é evidente o esforço despendido pelos habitantes da região no auxílio ao seu rei, talhando pedras para abrir caminho, construindo pontes e fazendo brotar fontes onde não as havia.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Nota de tradução: dehesas no original.[nt 1] As dehesas são montados (bosques de azinheira e sobreiro) usados como pastagens sazonais, nomeadamente para gado transumante. Ver «Dehesa» na Wikipédia em espanhol.
[b] ^ Termo não traduzido do original.[nt 1]
  1. a b c A maior parte do texto foi inicialmente baseado no artigo artigo «Sierra de Tormantos» na Wikipédia em espanhol (acessado nesta versão).


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.