Serviço de Inteligência Estrangeiro (Rússia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Serviço de Inteligência Estrangeiro

Emblem of the Foreign Intelligence Service of Russia.svg
Logotipo da agência
SVR Emblem.svg
Selo da agência
Organização
Missão Serviço de inteligência externo
Dependência Rússia
Chefia Serguei Narychkin, diretor
Localização
Sede Yasenevo, em Moscou, na  Rússia
Histórico
Antecessor Primeiro Diretório Principal do Comitê de Segurança do Estado
Criação dezembro de 1991
Sítio na internet
www.svr.gov.ru

O Serviço de Inteligência Estrangeiro (em russo: Служба Внешней Разведки, СВР РФ, transl. Sluzhba Vneshney Razvedki, SVR RF) é a agência externa primária de inteligência da Rússia. Dedica -se principalmente a assuntos civis, ao passo que a espionagem militar externa é responsabilidade do Diretório Principal de Inteligência.[1]

SVR foi um dos dois serviços secretos que sucedeu a KGB em dezembro de 1991. O SVR tem sua sede no distrito de Yasenevo, em Moscou.

Ao contrário do Serviço Federal de Segurança Russo (FSB), o SVR é encarregado de atividades de inteligência e espionagem fora da Federação Russa. Ele trabalha em conjunto com a Diretoria Principal de Inteligência Russa. O SVR também está autorizado a negociar acordos de cooperação antiterrorista e compartilhamento de inteligência com agências de inteligência estrangeiras e fornece análise e divulgação de inteligência ao presidente russo.

Qualquer informação relativa a identidades específicas de funcionários (oficiais) do SVR é legalmente classificada como segredo de estado; desde setembro de 2018, o mesmo se aplica ao pessoal que não faz parte da equipe, ou seja, informantes e agentes recrutados.[2]

História[editar | editar código-fonte]

SVR RF é o sucessor oficial de operações estrangeiras de muitas agências de inteligência estrangeiras anteriores da era soviética, desde o 'departamento estrangeiro' original da Cheka sob Vladimir Lenin, ao OGPU e NKVD da era stalinista, seguido pelo Primeiro Diretório Principal do KGB.

O chefe da Cheka, Felix Dzerzhinsky, criou o Departamento de Relações Exteriores (Inostranny Otdel - INO) para melhorar a coleta, bem como a disseminação de inteligência estrangeira. Em 6 de fevereiro de 1922, o Departamento de Relações Exteriores da Cheka tornou-se parte de uma organização renomeada, Diretoria Política do Estado, ou GPU. O Departamento de Relações Exteriores foi encarregado das atividades de inteligência no exterior, incluindo a coleta de informações importantes de países estrangeiros e a liquidação de desertores, emigrados e outros diversos "inimigos do povo". Em 1922, após a criação da Diretoria Política do Estado (GPU) e sua fusão com o Comissariado do Povo para Assuntos Internos da RSFSR, a inteligência estrangeira foi conduzida pelo Departamento de Relações Exteriores da GPU e, entre dezembro de 1923 e julho de 1934, pelo Ministério das Relações Exteriores de Administração Política Conjunta do Estado ou OGPU. Em julho de 1934, a OGPU foi reincorporada ao NKVD. Em 1954, o NKVD por sua vez tornou-se o KGB, que em 1991 tornou-se SVR e FSB.

Em 1996, o SVR RF lançou um CD-ROM intitulado Russian Foreign Intelligence: VChK – KGB – SVR, que afirma fornecer "uma visão profissional sobre a história e o desenvolvimento de um dos serviços secretos mais poderosos do mundo", onde todos os serviços são apresentados como uma organização em evolução. [3]

O ex-Diretor do SVR RF Sergei Lebedev afirmou “não houve nenhum lugar no planeta onde um oficial da KGB não tivesse estado”. Durante a celebração do 80º aniversário, Vladimir Putin foi à sede do SVR para se encontrar com outros ex-chefes da antiga KGB / atual SVR Leonid Shebarshin, Yevgeny Primakov e Vyacheslav Trubnikov, bem como outros agentes, incluindo o agente duplo britânico e ex-espião soviético George Blake.[4]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.