Sete Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sete Brasil
Razão social Sete Brasil Participações S.A.
Gênero Investimentos
Fundação 2010
Sede Rio de Janeiro
Pessoas-chave Luiz Eduardo Carneiro (presidente)[1]
Renato Sanches Rodrigues (diretor de operações)
Acionistas Petrobras, BTG Pactual, Bradesco e Santander e fundos de pensão
Website oficial www.setebr.com

Sete Brasil é uma empresa brasileira de investimentos criada em 2010 e especializada em gestão de portfólio de ativos voltados para a exploração na camada pré-sal.[2]

Formada por um grupo de investidores que reúne fundos de pensão, bancos, fundos e empresas de investimento nacionais e internacionais e a Petrobras, em pouco tempo de existência tornou-se a maior empresa do mundo no mercado de sondas de águas ultraprofundas por número de sondas, além de ser hoje o maior competidor global no setor.[3]

Em 2011 e 2012, a empresa ganhou duas licitações da Petrobras para a construção de 28 sondas de última geração que serão afretados à estatal. Ao todo, ela tem hoje 29 sondas do tipo navios-sonda e semisubmersíveis, atualmente em construção em cinco estaleiros no país.[4] Em fevereiro de 2013 foi anunciado um aporte financeiro de até R$ 2,5 bilhões na empresa, feito pelo Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS),[5] por meio da aquisição de debêntures da empresa e de cotas do FIP Sondas, um de seus controladores.

Em 2016, o controlador da Sete Brasil reconheceu um prejuízo de 5,6 bilhões de reais no investimento feito na companhia criada para gerenciar as sondas do pré-sal, representando uma desvalorização de 65% no fundo em 15 meses, segundo dados registrados na Comissão de Valores Mobiliários. Dentro do FIP Sondas estão os fundos de pensão Previ, Funcef, Petros e Valia, os bancos BTG Pactual, Bradesco e Santander, o FI-FGTS e a própria Petrobras.[6]

Atuação[editar | editar código-fonte]

A Sete Brasil é responsável na gestão de todo o processo relativo às sondas, desde a contratação dos estaleiros que construirão os ativos, passando pela fiscalização e acompanhamento das obras e reporte à Petrobras e a seus acionistas do processo como um todo.

Com as garantias financeiras e investimentos, aliados a parcerias estratégicas com grandes estaleiros e empresas operadoras, ela trabalha para mitigar os riscos de uma atividade nova no Brasil e fundamental para o crescimento do país. As sondas, após entregues, serão operadas por sete empresas, sócias em cada um dos equipamentos.

As sondas estão sendo construídas em território brasileiro, de acordo com a lei do conteúdo local,[7] da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A primeira sonda está prevista para entrar em operação em 2015 e a última em 2020. Todo esse processo irá gerar cerca de 100 mil empregos diretos e indiretos no País.[8]

Stakeholders[editar | editar código-fonte]

A Sete Brasil tem hoje os seguintes estaleiros e operadores em sua carteira de stakeholders:[carece de fontes?]

Estaleiros:

Operadores:

Operação Lava Jato[editar | editar código-fonte]

Os procuradores da força-tarefa do Ministério Público Federal, ao examinar os contratos da Sete com estaleiros como o OSX, identificaram o funcionamento do esquema de forma orgânica. O lobista Zwi Skornick, da Petrobras, operava para o estaleiro Keepel Fels e combinava preços com os demais representantes. Zwi foi preso pela Polícia Federal no mesmo dia que o publicitário do PT João Santana e sua mulher, Mônica Moura. A ligação dos três foi descoberta pela Lava Jato meses antes, graças a um bilhete de Mônica encontrado com Zwi, com instruções sobre como depositar recursos em suas contas bancárias no exterior.[9]

Recuperação Judicial[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2016, entrou em recuperação judicial com endividamento de 19,3 bilhões de dólares. A companhia não conseguiu resolver um impasse com a Chubb, a seguradora-líder da proteção aos 16 navios-sonda que estão em construção. Cada sonda é avaliada entre US$ 800 milhões e US$ 900 milhões.[10]

Sustentabilidade[editar | editar código-fonte]

Emblem-scales.svg
A neutralidade deste(a) artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.

A empresa busca atuar de forma efetiva na diretriz social do tripé da sustentabilidade, com projetos e ideias com foco na educação e no desenvolvimento. Um deles é o "Projeto Conexão", criado em Ipojuca (PE) e estendido a Maragojipe (BA) [11] Seu principal objetivo é atuar na capacitação e geração de emprego e renda em comunidades onde alguns dos parceiros da empresa estão instalados.

O projeto atende a duas frentes: capacitar jovens dos 18 aos 24 anos para atuar no comércio, serviços e turismo e dar consultoria a cooperativas que precisam se profissionalizar, apresentando noções de gestão, contabilidade e marketing. Para isso, participam voluntários, a ONG Conexão, as prefeituras - que cedem os espaços das aulas - e empresas, que empregam os jovens do projeto. Outro objetivo é incentivar um crescimento mais ordenado da economia da região, impulsionado pela atividade petrolífera e naval.

Em Maragojipe, o projeto está sendo muito bem aceito pelos jovens envolvidos no processo de capacitação e empresários locais, que empregam a mão de obra local antes carente de cursos profissionalizantes. Na cidade baiana, onde vivem 45 mil pessoas, já são acolhidas 70 pessoas no banco de talentos, das quais 50 contratadas ou em processo de contratação.

Ações culturais[editar | editar código-fonte]

Outra importante iniciativa é o “Sete Brasil Apresenta”, que está levando uma série de sete shows com grandes nomes da MPB ao Teatro Tom Jobim, no Rio de Janeiro. O projeto oferece um show por mês, até outubro de 2013, sempre às quintas-feiras. Nomes como Edu Lobo e Zé Miguel Wisnik já se apresentaram no palco do Tom Jobim. E outros artistas renomados, como João Donato, Leila Pinheiro e João Bosco farão shows no local em breve.[carece de fontes?]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]