Setor Militar Urbano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

SMU

Nossa Brasília - Pôr do sol (18098956631).jpg
Localização
Unidade federativa DF
Município Brasília
História
Criado em 1969 a 1973
Administração
Bairros limítrofes
Características geográficas
Área total 113 mil m2
População total 2,500 hab.
Fonte: http://www.pmb.eb.mil.br/index.php/component/content/article?id=84/
Vista de uma rua do setor militar urbano

O Setor Militar Urbano é um setor da região administrativa de Brasília, no Distrito Federal.[1] É o local onde se situam os quartéis do Exército Brasileiro.[1]

Uma das mais importantes construções do SMU é o Quartel General do Exército (QGEx), onde se situa, dentre outras unidades, o Gabinete do Comandante do Exército. O Quartel-General do Exército (QGEx), situado em Brasília DF, é o edifício-sede do Comando do Exército Brasileiro. Nele estão instalados diversos órgãos administrativo e operacionais da instituição. Localizado no Setor Militar Urbano (SMU), seu conjunto arquitetônico abrange 113 mil m2 de área construída, sob a forma trapezoidal, e possui quase 6km de corredores. O projeto é de autoria do arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer ; sua construção foi em 1969 e concluída em 1973.

O Obelisco e a Concha Acústica, que juntos formam a espada de Duque de Caxias. Ao fundo está o Quartel General do Exército.[2]

O setor é formado por uma vila com 635 casas, que foram destinadas a famílias de militares, além de dois blocos de dois pavimentos com oito apartamentos cada, só para oficiais solteiros.[1] O metro quadrado do setor é um dos mais valorizados da capital brasileira, muito em função da elevada qualidade de vida e do padrão de seus imóveis.[1] Sua população é de aproximadamente 2500 pessoas.[1] O SMU abriga, entra outros, os seguintes quartéis: Comando Militar do Planalto, 11° Região Militar, 1°Regimento de Cavalaria de Guarda, 11° Grupo de Artilharia Antiaérea, 16° Batalhão Logístico, 3° Esquadrão de Cavalaria Mecanizada, 32° Grupo de Artilharia de Campanha, Batalhão da Guarda Presidêncial, Batalhão de polícia do Exército de Brasília, 11° Deposito de Suprimento, 2° Companhia do depósito de Suprimento, Centro integrado de Telemática do Exército, 7° Centro de Telemática da Área, Estabelecimento General Gustavo Cordeiro de Farias, Comissão Regional de Obras/11, Hospital Militar de Área de Brasília, Prefeitura Militar de Brasília e B Adm QGEx.

O Setor Militar Urbano fica entre os bairros Sudoeste e Noroeste. As casas do setor não são geminadas, diferente ao que ocorre com as casas da Asa Sul, Asa Norte e Cuzeiro Velho, o que traz privacidade aos residentes. Para ocupar um dos imóveis do SMU, o militar pagar por volta de R$300,00 ao ano descontados em folha de pagamento.[3]

Assim como a unidade de vizinhança que engloba as superquadras 107, 108, 307 e 308 Sul o SMU também preserva o ideal de convivência idealizado por Lúcio Costa para Brasília.[4] O SMU tem quatro praças com  um coreto ao centro cada uma e muitos bancos em volta e têm o nome de uma personalidade brasileira: Cora Coralina, Ayrton Senna, Rubem Braga e Tom Jobim. Soldados da polícia do Exército fazem rondas rotineiramente nos espaços públicos. O setor não e uma área de segurança nacional. Todas as vias, praças e quadras do setor são públicos. Portanto a circulação de qualquer pessoa pelo local é livre, sendo restrito o acesso nos quartéis. A liberdade é vigiada e pessoas estranhas as o local estão sujeitas à abordagem da Polícia do Exército.[5]

As quadras residenciais indicam a patente dos moradores das casas: Quadra Residencial dos Oficiais (QRO), Quadra Residencial de Sargentos (QRS), Quadra Residencial de Generais (QRG). Conhecida como fazendinha pelos militares, devido ao enorme espaço verde de sua localização e pelos poucos habitantes e também às muitas árvores frutíferas e animais presentes no local, a QRG fica é cercada por grades e tem guaritas. O local tem catorze casas de 210 metros cada, sete delas para generais e família e sete para oficiais assistentes, todos coronéis.[6]

Clube Do Exército

O local conta com o Hospital Militar de Área de Brasília (HMAB), que atende militares e seus dependentes. As duas escolas do SMU são: a Soldadinho de Chumbo, particular, que oferece creche e pré-escola e a Escola Classe do Setor Militar Urbano que oferece o ensino fundamental e é pública. O clube dos oficiais do Exército aceita sócios civis desde que indicados por um militar e conta com tudo o que é comum a estruturas do tipo. Já o Clube Pandiá é para os Subtenentes e Sargentos do Exército. O SMU também conta com dois hotéis de Trânsito, HTO e HTS.[7]

Teatro Calmon

O SMU conta com dois teatros, o Teatro Pedro Calmon com capacidade para 1.220 pessoas, um palco de 230 metros e uma exposição permanente sobre a história do Exército, e a partir de 2010 o Teatro Poupex, localizado na instituição de mesmo nome, a POUPEX (Instituição de Poupança e Empréstimo. O teatro tem capacidade para 649 pessoas.[8]

SMU - Brasília, DF, Brazil - panoramio (12).jpg

O Oratório do Soldado lembra um templo católico mas serve a todas as religiões. De acordo com a celebração e a orientação religiosa, imagens e crucifixos são colocados e retirados do salão principal. O Oratório do Soldado é aberto a toda a população de Brasília.[9]

Ao fundo, à esquerda, atrás do Monumento ao Duque de Caxias está o QGE, no centro o Teatro Calmon e à direita aparecem os cristais da Praça Cívica do QGE (com o lago à frente) e que faz o lugar ser mais conhecido como Praça dos Cristais.

A Praça Cívica do Quartel-General do Exército é a mais visitada do SMU. Popularmente conhecida como Praça dos Cristais conta com projeto do paisagista Burle Marx e faz parte do conjunto de nove jardins do paisagista tombado como patrimônio imaterial de Brasília: os Jardins de Burle Marx.[10]

Em frente à Praça dos Cristais encontra-se a Praça Duque de Caxias ou Palanque Monumental, assinada por Oscar Niemeyer. Na Praça há um obelisco e uma concha que simbolizam, respectivamente, a espada e o copo da espada de Duque de Caxias, o patrono do Exército brasileiro. Os desfiles de 7 de setembro aconteceram no local por muito tempo até serem transferidos para a Esplanada dos Ministérios.[11]

Concha Acústica do Monumento ao Duque de Caxias.
Obelisco e Concha Acústica formam o desenho da "Espada" de Duque de Caxias.[12]

Na entrada principal do Quartel General do Exército fica o Salão Guararapes que foi inaugurado como um espaço cultural em 1997. No local está o Tapete Guararapes, no qual foi reproduzida a pintura a óleo Batalha dos Guararapes de Victor Meireles. A Primeira Batalha dos Guararapes marca a criação do Exército Brasileiro.[13] [14][15]

Referências

  1. a b c d e Correio Braziliense. «Nem só de quartéis e homens armados é feito o Setor Militar Urbano». Arquivado do original em 25 de agosto de 2014 
  2. «Obra / Arquitetura | Niemeyer». www.niemeyer.org.br. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  3. Alves', 'Renato (20 de novembro de 208). «Nem só de quartéis e homens armados é feito o Setor Militar Urbano». Acervo. Consultado em 9 de setembro de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. DF, Jamila TavaresDo G1 (12 de dezembro de 2011). «Superquadras e Setor Militar mantêm ideal de moradia dos anos 60». Distrito Federal. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  5. Alves', 'Renato (20 de novembro de 208). «Com enorme espaço verde, a quadra dos generais é a mais nobre do SMU». Acervo. Consultado em 9 de setembro de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. Alves', 'Renato (20 de novembro de 208). «Com enorme espaço verde, a quadra dos generais é a mais nobre do SMU». Acervo. Consultado em 9 de setembro de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  7. «PMB». www.pmb.eb.mil.br. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  8. Geral, Arquivo. «Teatro Poupex é inaugurado nesta quinta-feira, com capacidade para 649 pessoas». Jornal de Brasília. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  9. «Comando Militar do Planalto - Oratório do Soldado». www.cmp.eb.mil.br. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  10. Alves', 'Renato (20 de novembro de 208). «Com enorme espaço verde, a quadra dos generais é a mais nobre do SMU». Acervo. Consultado em 9 de setembro de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  11. «Obra / Arquitetura | Niemeyer». www.niemeyer.org.br. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  12. «Marca Brasilia - Quartel General do Exército». Consultado em 10 de setembro de 2020 
  13. Cultural, Instituto Itaú. «Batalha dos Guararapes». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  14. «Request Rejected». www.eb.mil.br. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  15. «Salão Guararapes». www.sgex.eb.mil.br. Consultado em 9 de setembro de 2020