Sexo e Repressão na Sociedade Selvagem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Sexo e Repressão na Sociedade Selvagem é um livro do Antropólogo Bronislaw Malinowski, no qual, além de fazer comparações entre o relacionamento sexual dos seres humanos e o dos animais[1], ele questiona algumas ideias da psicanálise propostas por Freud como universais, entre as quais o Complexo de Édipo[2].

À partir da observação da sexualidade entre os Trobriandeses, Malinowski delimita o Complexo de Édipo à Sociedade Patriarcal da Europa da virada do Século XIX para o século XX, da qual Freud fazia parte[3], visto que entre os ilhéus das Ilhas Tobriand não observou tal ocorrência, o que para ele indicava que os complexos era uma ocorrência cultural específica de cada cultura.

Entre os psicanalístas que descordaram das conclusões de Malinowski apresentadas no livro, estavam Ernst Jones e Jacques Lacan.

Referências

  1. MALINOSWSKI, Bronlslaw. Sexo e Repressão na Sociedade Selvagem, Ed. Vozes, 1973
  2. MARCHON, Paulo, A Universalidade do Complexo de Édipo, 2003 - http://www.gepfor.org.br/wp-content/uploads/2012/07/artigo6-A-UNIVERSALIDADE-DO-COMPLEXO-DE-%C3%89DIPO.pdf, visitado em 20 de maio de 2013
  3. LOBATO, Josefina Pimenta, A questão da universalidade do Complexo de Édipo, 1999 - http://www.psicologia.pt/artigos/imprimir.php?codigo=A0182, visitado em 15 de maio de 2013


Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.