Sexo seguro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Preservativo

Sexo seguro (derivado do inglês: Safer Sex que traduzido à letra significaria Sexo mais seguro) também chamado de sexo protegido, é um conjunto de práticas que têm como função reduzir o risco de infecção durante a relação sexual, de modo que impede o desenvolvimento de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). Dentre as mais conhecidas temos:

  • herpes genital;
  • Cancro mole (cancroide)
  • HPV
  • Doença Inflamatória Pélvica (DIP)
  • Donovanose
  • Gonorreia e infecção por Clamídia
  • Linfogranuloma venéreo (LGV)
  • Sífilis
  • Infecção pelo HTLV
  • Tricomoníase

Dessa maneira, o sexo não-seguro seria a relação sexual sem o uso de qualquer contracepção de barreira ou outras medidas para prevenção de ISTs.

Métodos[editar | editar código-fonte]

É considerado seguro o sexo praticado com o uso de preservativos e a masturbação mútua, na qual não há troca de fluidos corporais entre os parceiros. Um estudo demonstrou que anel vaginal infundido com uma droga antiviral parece oferecer proteção contra a infecção pelo HIV. As mulheres que usaram o anel tiveram um risco de 27 por cento menor de infecção por HIV do que as mulheres que receberam um placebo[1].

Referências

2. https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/i/infeccoes-sexualmente-transmissiveis-ist-1

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.