Sexto Júlio César (pretor em 208 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Sexto Júlio César.
Sexto Júlio César
Nascimento Século III a.C.
Cidadania Roma Antiga
Filho(s) Sexto Júlio César, Caio Júlio César
Ocupação político, militar

Sexto Júlio César (em latim: Sextus Iulius Caesar) foi um pretor romano da família César da gente Júlia eleito em 208 a.C..

Família[editar | editar código-fonte]

De acordo com o genealogista inglês William Berry, Sexto Júlio César era filho de Lúcio Júlio César e neto de Numério Júlio César. Sexto Júlio César, seu filho, foi um dos dois embaixadores romanos que restauraram Abdera, e dele descende Marco Antônio. Caio Júlio César, seu outro filho, foi o bisavô de Júlio César, o ditador.[1]

Eleição para pretor[editar | editar código-fonte]

Sua eleição ocorreu logo após a eleição de Marcelo para cônsul. Marcelo, comandante romano na Segunda Guerra Púnica, foi levado a julgamento no Circo Flamínio, e acusado pelo tribuno da plebe, juntos aos demais nobres, de ter entregue a Itália a Aníbal, que havia feito dela sua província por dez anos. A resposta de Marcelo foi tão contundente que além de manter o comando, ele ainda foi eleito cônsul, junto de Tito Quíncio Crispino, que era pretor. Os pretores eleitos para este ano foram Públio Licínio Crasso Dives, o pontífice máximo (pontifex maximus), Públio Quintílio Varo, Sexto Júlio César e Quinto Cláudio.[2]

Referências

  1. William Berry, Genealogia antiqua: or, Mythological and classical tables, compiled from the best authors on fabulous and ancient history (1816)
  2. Tito Lívio, História Romana, Livro XXVII, 21 [em linha]