Shana Müller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Shana Müller
Informação geral
Nome completo Shana Goulart Muller
Nascimento 12 de fevereiro de 1980 (37 anos)
Origem Montenegro, RS
País  Brasil
Gênero(s) Música nativista
Ocupação(ões) Cantora
compositora
Jornalista
Outras ocupações Jornalista e Apresentadora.
Gravadora(s) Acit
Afiliação(ões) Renato Nicolau Muller e Sandra Goulart Muller
Influência(s) Mercedes Sosa Luiz Carlos Borges
Integrantes Glauco Vieira, Lucas Esvael, Vaney Bertotto, Cristian Sperandir,
Página oficial www.shanamuller.com.br

Shana Goulart Müller (Montenegro, 12 de fevereiro de 1980) é jornalista, radialista, cantora da música regional brasileira e/ou nativista, colunista do Jornal Zero Hora e apresentadora do programa Galpão Crioulo, da RBS TV, ao lado de Neto Fagundes. [1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ela iniciou sua carreira musical no tradicionalismo gaúcho aos 8 anos de idade, tendo participado de várias edições do Fegart/Enart, como solista vocal e integrando os conjuntos vocais de grupos de dança, mas seus primeiros passos na música foram dados a partir da gravação de "Vitória-régia", com o cantor Wilson Paim, música de grande repercussão e que fez com que Shana se firmasse de maneira destacada no meio artístico cultural do estado. Posteriormente gravou mais duas composições com Paim: "O Beija-Flor e a Rosa" e "Recanto da Esperança", que também tiveram destaque.

Shana atuou por muitos anos no tradicionalismo gaúcho tendo sido, em 1993, Primeira Prenda Juvenil do RS, concurso promovido pelo MTG ( Movimento Tradicionalista Gaúcho). Em 2001, junto com o CTG Aldeia dos Anjos, participou do Festival Mundial de Folclore de Drumondville, no Canadá, gravando o disco The Sound of the South Brazil (O Som do Sul do Brasil), interpretando várias músicas do repertório nativista e do folclore rio-grandense. Neste mesmo ano, integrou o espetáculo "Palco do Rio Grande"criado e dirigido por Luiz Carlos Borges, onde cantou ao lado de nomes consagrados da música regional do sul, como Loma, Vinicius Brum, Victor Hugo, entre outros, interpretando o repertório do Conjunto Farroupilha e do Grupo Os Gaudérios. Além da carreira de cantora, Shana também atua como apresentadora de eventos. É formada em Jornalismo pela PUCRS e radialista pelo curso da Feplam. Trabalhou de 2000 à 2006 na Rádio Rural, veículo integrante do setor rural do grupo RBS, onde exerceu as funções de Coordenadora de jornalismo, apresentadora do programa Na Estrada dos Festivais e Revista Rural, além de ter integrado a equipe do projeto de festivais nativistas, transmitindo mais de 100 eventos de várias cidades gaúchas e catarinenses.

O ano de 2004 marcou a retomada da carreira musical de Shana Müller. Com músicas da linha campeira rio-grandense e do folclore latino-americano, lançou seu primeiro trabalho destacando novamente a presença feminina na interpretação das temáticas regionais, cantando milongas, chamamés, chacareras e zambas argentinas. Preenchendo um espaço feminino que existia nesta linha de interpretação, Shana Müller traz em sua voz a garra da mulher gaúcha, cantando o campo, a história e a lida do gaúcho. Nessa época participou de diversos festivais de música do estado e realizou espetáculos também nos estados de SC e PR. em 2006 lançou firmando o Passo (Usa Discos), confirmando seu espaço no cenário da musica regional gaúhca.

Depois veio o disco Brinco de Princesa, que lhe rendeu o Premio Petrobras Cultural, com a turnê Homônima que Shana apresentou em diversas capitais brasileiras, como RJ e SP, além do disco ter vencido o prêmio Açorianos de música como Melhor Álbum Regional e ter dado a Shana o Premio de Interprete do ano em 2012.

Shana é considerada a cantora revelação da música regional gaúcha e faz parte da nova geração de músicos do Rio Grande do Sul. Shana Müller atuou em outros países, como Uruguai e Argentina, em festivais de folclore, dividindo o palco com nomes como Luiz Carlos Borges e Yamandu Costa por diversas vezes. Há dez anos representa o Brasil na Fiesta Nacional del Chamamé, evento de de noites que reune artistas da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Em junho de 2008, esteve como convidada do show da grande cantora da América Latina, Mercedes Sosa, em Cachoeira do Sul e Porto Alegre, em sua última apresentação no Tearo da Ufrgs. Shana integra, também o espetáculo Buenas e M’espalho, projeto no qual divide o palco com Érlon Péricles, Cristiano Quevedo e Ângelo Franco, com o qual lançouç dois discos e venceu, também, o prêmio Açorianos de Música na categoria Regional como Melhor Disco do Ano, Em 2 de agosto de 2012, a RBS TV transmitiu pela primeira vez o Galpão Crioulo sendo apresentado por Shana Müller e Neto Fagundes. O programa foi gravado durante a Expointer 2012.

Em 2016 Shana lançou seu novo trabalho, o primeiro DVD: Canto de Interior. Gravado em uma fazenda localizada na Quarta Colônia da Imigração Italiana do RS, dentro de um grande galpão de pedras que transformou-se em palco para as canções que retratam um Rio Grande do Sul dialogando com o mundo. Com Direção Musical de Duca Leindecker e Direção Geral de Rene Goya, o Dvd foi produzido pela Estaçao filmes e conta ainda com um documentário de 40 minutos, que conta com roteiro de Shana e Goya, onde se apresenta a trajetória da cantora no tradicionalismo gaúcho e o quanto essas vivências interferiram em suas atividades profissionais de hoje.

No repertório do DVD canções de Fausto Prado, Antnio Villeroy, Érlon Péricles, Zelito, regravações, como Piazito Carreteiro , de Luiz Menezes, Um vistoso na tropa, de Luiz Marenco e Gujo Teixeira e flor de Ir embora, da carioca Fátima Guedes, transformado em chamamé. Nos extras, as participações especiais de Zelito, dos colegas de Buenas e M'espalho, Luiz Carlos Borges e o clipe da música el alma Vuela, que integrou a trilha sonora da novela Sete Vidas, da rEde Globo.

Shana também participou do filme o Tempo e o Vento, do diretor Jayme Monjardim.

Canta na trilha do longa-metragem A oeste do fim do Mundo, do diretor Paulo Nascimento, além do curta-metragem do diretor Diego Müller, Boneco de Neve.

Release 2017

Para falar da música do Rio Grande

do Sul e buscar a presença feminina

é preciso conhecer Shana Müller!

Cantora, jornalista e apresentadora de televisão é hoje referência da nova geração de artistas que surgiram no sul do país nos últimos tempos.

São doze anos de carreira profissional na música, desde seu primeiro álbum Gaúcha, lançado em 2004, que abriu um novo espaço para a presença da mulher nos palcos gaúchos. Desde lá foram vários os trabalhos que a artista lançou no mercado, os quais lhe permitiram percorrer diversos lugares. Em 2006 foi o Firmando o Passo e, em 2010, Brinco de Princesa, disco que a consagrou no cenário gaúcho, brasileiro e latino-americano. Além de ter recebido por ele dois prêmios no Açorianos de Música - o de Melhor Disco e o de Melhor Cantora no ano -, o espetáculo do CD foi apresentado em teatros de várias cidades gaúchas e brasileiras, como Rio de Janeiro, São Paulo, e Campo Grande (MS). Nessas andanças, além de apresentar o show, realizou oficinas ensinando a música do Sul em escolas, pontos de cultura e até no Afroreggae, em Vigário Geral, no Rio de Janeiro. Na Argentina a cantora já esteve muitas vezes, principalmente na Fiesta Nacional Del Chamamé, realizada em Corrientes, onde há seis anos representa o Brasil.

Shana tem renovado na música, trazendo uma sonoridade regional e contemporânea, sempre acompanhada de bons músicos e compositores. Não é à toa que já dividiu o palco com artistas como Luiz Carlos Borges, Renato Borghetti, Pirisca Grecco; com seus parceiros do Projeto Buenas e M´espalho, Angelo Franco, Cristiano Quevedo e Érlon Péricles; e nomes como Yamandu Costa, Hique Gomez, Alessandro Penezzi. Além disso, o fato mais marcante da história desta cantora está em um momento muito especial: dividir o palco com sua referência, Mercedes Sosa, como convidada por duas oportunidades.

A estampa desta mulher gaúcha tem inspirado jovens meninas a cantar e a se vestir. Seus textos no jornal estão sempre retratando a realidade da música do Sul do País.

É precursora! A primeira mulher a apresentar o Galpão Crioulo, programa exibido há 30 anos na RBS TV, que conduz ao lado de Neto Fagundes desde setembro de 2012.

Nos palcos, Shana Müller canta e encanta. Se comunica com o público e prende a atenção com um repertório regional gaúcho e latino-americano.

Em 2014 a artista lançou a grife Shana Muller Original, criada em parceria com a estilista Eva Mannelli, da indústria Santa Fe, de Gramado. As peças da coleção estão disponíveis em lojas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Recentemente Shana lançou seu primeiro registro em Vídeo, o DVD Canto de interior. Lançado selo da cantora, GM/2 Música, o trabalho traz um espetáculo apresentado e registrado dentro de um galpao de pedras na Fazenda São Francisco do Pinhal, propriedade da família, além de um documentario que mostra a trajetória da cantora desde o início de si ligação com a tradição gaúcha. A direção musical é de Duca Leindecker e a direção do DVD de Rene Goya.

O show foi apresentado em agosto no Theatro São Pedro, em PAlegre é reverenciado pela crítica especializada. É esse espetáculo que em 2017 vai percorrer o Rio Grande e o Brasil.

"Tirando Mary Terezinha, nenhuma outra cantora conseguiu a popularidade de Shana Müller na música regional gaúcha. E como Mary, na maior parte da carreira, fez dupla com Teixeirinha, pode-se dizer que Shana é, individualmente, o mais conhecido nome de mulher dessa história.

Mesmo que sua familiaridade com o palco venha da infância, ela precisou de pouco tempo para se impor em um cenário dominado por homens. Canto de interior, seu primeiro DVD, resume essa história em duas partes: um show no palco armado na fazenda da família no município de Júlio de Castilhos e um documentário recheado de conversas atuais e vídeos de várias épocas (ela prendinha menina, adolescente, estreando como apresentadora do programa da RBS TV Galpão crioulo, com sua maior influência, Mercedes Sosa, e tal).

Por um tempo, Shana mesclou a música com o jornalismo. Mas o terceiro disco, Brinco de princesa (2010), já avisava que a música falaria mais alto. E a chegada ao Galpão crioulo, em agosto de 2012, foi o que faltava para o estrelato. Hoje, prova o DVD, ela está pronta para investir no Brasil." (Por Juarez Fonseca, em Zero Hora, 24.08.2016)

[carece de fontes?]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Solo
2004 - Gaúcha - USA Discos
2006 - Firmando o Passo - USA Discos
2010 - Brinco de Princesa - GM/2Música

2012 - Shana Muller Ao vivo - GM/2 Música

2016 - DVD / CD virtual Canto de Interior - GM/2 Música

com o Buenas e M’espalho
2008 - Buenas e M’espalho - Studio Master

2012 - #Buenas_2 - Buenas e M'espalho - Studio Master

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.


Referências

  1. Fato Novo Comunicações Sociais; Guilherme Baptista. «Montenegrina é a primeira mulher a apresentar o Galpão Crioulo». Consultado em 31 de agosto de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]