Sharmila Rege

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sharmila Rege
Nascimento 7 de outubro de 1964
Pune
Morte 13 de julho de 2013
Pune
Cidadania Índia
Ocupação escritora, socióloga
Causa da morte câncer colorretal

Sharmila Rege (Pune, 7 de outubro de 1964 - Pune, 13 de julho de 2013)[1] foi uma socióloga indiana, acadêmica feminista e autora de Writing Caste, Writing Gender.[2] Ela liderou o Centro de Estudos Femininos Krantijyoti Savitribai Phule, (o departamento de Estudos de Gênero) da Universidade de Pune, cuja posição ocupou desde 1991.[3] Ela recebeu o prêmio Malcolm Adiseshiah de contribuição diferenciada para estudos de desenvolvimento do Instituto Madras de Estudos de Desenvolvimento (MIDS) em 2006.[4]

Rege foi uma das principais acadêmicas feministas na Índia, cujo trabalho no desenvolvimento de uma "Perspectiva do Ponto de vista de Dalit" foi crucial para a abertura de debates feministas na Índia sobre questões de classe, casta, religião e sexualidade. O trabalho de Rege na academia, para lutar pelo direito dos estudantes dalits, tem sido um testemunho de seu compromisso com a reforma educacional crítica na Índia. Suas preocupações em torno da questão feminina na Índia contribuíram enormemente para métodos novos e alternativos de historiografia, expondo os pontos cegos de uma nação hindu em direção às vozes dalit e perspectivas que têm sido frequentemente negligenciadas no meio político da história da Índia. Sua ênfase em realocar o papel central de B.R. Ambedkar na formação do Estado-nação moderno garantiu que a voz das margens não permaneça invisível, abre espaço para a contestação política e o diálogo em um debate público que está sendo rapidamente engrandecido pela retórica do desenvolvimento econômico e da globalização.[5]

Em seu último trabalho publicado, Against the Madness of Manu,[6] ela procurou centralizar o papel de Ambedkar no movimento das mulheres, invocando sua luta ideológica contra o patriarcado bramânico, e como o sistema de castas gera violência gradual contra as mulheres. Seu foco particular na escrita de história alternativa deu nova vida às tradições locais e orais do conhecimento e da prática cultural, trazendo-as à atenção pública por meio de projetos de tradução que constroem arquivos da memória nacional.[7]

Morreu de câncer de cólon em 13 de julho de 2013.[1]

Referências

  1. a b Trivedi, Divya (13 de julho de 2013). «Sociologist who studied intersection of gender, caste». New Delhi:. The Hindu (em inglês). ISSN 0971-751X 
  2. Rege, Sharmila (2006). Writing Caste, Writing Gender: Reading Dalit Women's Testimonios (em inglês). [S.l.]: Zubaan. ISBN 9788189013011 
  3. «Faculty : Department of Womens Studies Center,University of Pune». www.unipune.ac.in. Consultado em 6 de novembro de 2018 
  4. «Dalit studies must move across disciplines: Sharmila Rege». The Hindu (em inglês). 22 de novembro de 2006. ISSN 0971-751X 
  5. «Sharmila Rege | Kractivism». www.kractivist.org (em inglês). Consultado em 6 de novembro de 2018 
  6. «Against the Madness of Manu | Navayana». archive.is. 17 de julho de 2013 
  7. «Songsters From The Mudhouse». https://www.outlookindia.com/