Shimon Peres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Shimon Peres Medalha Nobel
9º Presidente de Israel Israel
Período 15 de julho de 2007
a 24 de julho de 2014
Antecessor(a) Moshe Katsav
Sucessor(a) Reuven Rivlin
Primeiro-ministro de Israel Israel
Período 22 de abril de 1977
a 18 de junho de 1996
Antecessor(a) Yitzhak Rabin
Sucessor(a) Benjamin Netanyahu
Vida
Nome completo Szymon Perski
Nascimento 2 de agosto de 1923
Wiszniew, Segunda República Polonesa
Morte 28 de setembro de 2016 (93 anos)
Ramat Gan, Distrito de Tel Aviv
Nacionalidade Israel israelense
Prole Zvia Peres
Yoni Peres
Hemi Peres
Dados pessoais
Prêmio(s) Nobel prize medal.svg Nobel da Paz (1994)
Cônjuge Sonya Peres
Partido Kadima
Religião Judeu
Profissão Politico e diplomata
Residência Beit HaNassi
Assinatura Assinatura de Shimon Peres
Website www.president.gov.il

Shimon Peres (em hebraico: שמעון פרס; Wiszniew, 2 de agosto de 1923Ramat Gan, 28 de setembro de 2016[1]) foi um político israelense, ex-membro do Partido Trabalhista. Recebeu o Nobel da Paz de 1994, junto com Yitzhak Rabin e Yasser Arafat. Foi Presidente de Israel entre 2007 e 2014.

Peres foi primeiro-ministro de Israel nos períodos de 1984 a 1986 e de 1995 a 1996, e co-fundador do Partido Trabalhista israelense (1968).

Foi eleito em 13 de junho de 2007 para exercer o cargo de presidente de Israel[2], tomando posse a 15 de julho de 2007.

Origens[editar | editar código-fonte]

Peres nasceu Szymon Perski em Wiszniew, então parte da Polónia, localidade hoje denominada Višnieva (em bielorusso Ві́шнева), na província de Minsk. Seus pais eram Yitzhak Perski (1896–1962) e Sara Meltzer (1905–1969).

Sua família mudou-se em 1932 para o Mandato Britânico da Palestina, que desde 1948 constitui o estado de Israel. É parente da atriz norte-americana Lauren Bacall (nascida Betty Joan Perske; 1924-2014).

Primeiro-ministro (1984-1986)[editar | editar código-fonte]

Nas eleições de 1984 não houve vencedor entre os dois maiores partidos israelenses. Através de um acordo entre estes dois partidos, foi criado um Governo Unido, com Peres como primeiro-ministro entre os anos 1984-1986 e como ministro das Relações Exteriores no período de 1986-1988.

Em 1985 Peres e o ministro da Defesa Yitzhak Rabin retiraram as forças israelenses do Líbano, permanecendo exclusivamente no Sul, na fronteira entre o Líbano e Israel.

Nobel da Paz[editar | editar código-fonte]

Em 1993 Israel ainda participava das Conversações em Madrid que não avançavam e não apresentavam quaisquer resultados.

Yossi Beilin informou a Peres sobre a existência de negociações secretas com a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e este compartilhou a informação com Yitzhak Rabin. Em agosto de 1993 Peres e Mahmoud Zeidan Abbas assinaram o primeiro acordo em Oslo.

Em setembro de 1993 foi assinado na Casa Branca o Acordo de Paz de Oslo.

No ano seguinte, Shimon Peres recebeu o Nobel da Paz, juntamente com Yitzhak Rabin e Yasser Arafat.

Em 1993 Peres publicou seu livro "O Novo Oriente Médio". Neste livro, ele transmite sua visão sobre o futuro do Oriente Médio, no qual interesses nacionais e econômicos seriam os guardiães da Paz nesta zona.

O nome do livro passou a ser uma expressão utilizada, em especial por parte dos direitistas de Israel, como fantasia irreal e contra as ideias contidas neste livro.

Primeiro-ministro (1995-1996)[editar | editar código-fonte]

Em 1995 o primeiro-ministro de Israel, Yitzhak Rabin foi assassinado e Shimon Peres, Ministro dos Negócios Estrangeiros foi nominado a preencher o cargo até meados de 1996, quando perdeu nas eleições a Benjamin Netanyahu.

Em 2005 Peres demitiu-se oficialmente do Partido "Avoda" apoiando e tornando-se membro do Partido Kadima.

Presidente (2007-2014)[editar | editar código-fonte]

Em 2007 o Kadima anunciou que lançaria Shimon Peres como seu candidato à presidência de Israel[3].

Em 13 de junho do mesmo ano foi feita a eleição no Knesset. Na primeira votação Peres conseguiu 58 votos, insuficientes para se eleger. Após esta votação, Reuven Rivlin do Likud (37 votos) e Colette Avital do Partido Trabalhista (21 votos) retiraram suas candidaturas. Na segunda votação Shimon conseguiu 86 votos a favor (23 contra e duas abstenções), superando o mínimo exigido de 61 votos.

Shimon assumiu assim aos 84 anos de idade, a Presidência em 15 de junho para um mandato de sete anos.

Cargos políticos[editar | editar código-fonte]

  • Presidente
  • Primeiro-ministro
  • Ministro do Exterior
  • Ministro das Comunicações
  • Ministro do Interior
  • Ministro do Desenvolvimento do Negev e da Galileia

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em maio de 1945, Shimon casou com Sonya Gelman, que ele conhecera no acampamento para jovens Ben Shemen, onde seu pai serviu como professor de carpintaria. Os dois se casaram após Sonya terminar seu serviço militar no exército britânico durante a Segunda Guerra Mundial. Ao longo dos anos, Sonya optou por ficar longe da mídia e manter a privacidade de sua família, apesar da extensa carreira política de seu marido. Ela faleceu em 20 de janeiro de 2011, aos 88 anos, de insuficiência cardíaca em seu apartamento em Tel Aviv. Shimon Peres e Sonya tiveram três filhos e oito netos.[4]

Em 13 de setembro de 2016, Shimon Peres foi hospitalizado em coma induzido, por conta dum derrame cerebral. O estado de saúde dele era até então considerado grave.[5] Shimon faleceu em 28 de setembro de 2016, aos 93 anos.[6][7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Shimon Peres obituary: Peacemaker or war criminal? Por Jonathan Cook. Al Jazeera, 28 de setembro de 2016.
  2. Peres afirma que será presidente de "todos", Terra Notícias, 13 de junho de 2007
  3. Shimon Peres anuncia candidatura à presidência de Israel, Terra Notícias, 30 de maio de 2007
  4. «Morre Sonya Peres, mulher do presidente de Israel». O Estado de S. Paulo. 
  5. «Aos 93 anos, ex-presidente de Israel Shimon Peres sofre derrame | VEJA.com». Consultado em 2016-09-15. 
  6. "Shimon Peres, ex-presidente de Israel e Nobel da Paz, morre aos 93 anos". Página acessada em 28 de setembro de 2016.
  7. Raoul Wootliff (28 de setembro de 2016). «Shimon Peres, the last of Israel’s founding fathers, dies at 93». The Times of Israel. Arquivado desde o original em 28 de setembro de 2016. Consultado em 28 de setembro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Shimon Peres
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Shimon Peres


Precedido por
Yitzhak Shamir
Primeiro-ministro de Israel
1984 – 1986
Sucedido por
Yitzhak Shamir
Precedido por
Nelson Mandela e Frederik Willem de Klerk
Nobel da Paz
1994
com Yasser Arafat e Yitzhak Rabin
Sucedido por
Józef Rotblat
Precedido por
Yitzhak Rabin
Primeiro-ministro de Israel
1995 – 1996
Sucedido por
Benjamin Netanyahu
Precedido por
Moshe Katsav
Presidente de Israel
2007 – 2014
Sucedido por
Reuven Rivlin


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.