Shin Gojira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Shin Gojira
シン・ゴジラ
No Brasil Godzilla Resurgence
Shin Gojira
 Japão
2016 •  cor •  119 min 
Direção Hideaki Anno
Shinji Higuchi
Roteiro Hideaki Anno
Elenco Hiroki Hasegawa
Yutaka Takenouchi
Satomi Ishihara
Música Shirō Sagisu
Cinematografia Kosuke Yamada
Distribuição Toho Pictures
Lançamento 25 de julho de 2016
Idioma
Receita US$ 15 milhões
Página no IMDb (em inglês)

Shin Gojira (bra: Godzilla Resurgence[1] ou Shin Gojira[2]) é um filme japonês de 2016, dos gêneros drama, ação e ficção científica, dirigido por Hideaki Anno (autor do roteiro) e Shinji Higuchi.[1]

Estreou em seu país de origem em 25 de julho de 2016. A obra faz referência ao acidente nuclear de Fukushima I e ao sismo e tsunami de Tohoku de 2011.[3]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Enquanto a guarda costeira do Japão inspeciona um iate abandonado na baía de Tóquio, o barco é destruído e a baía é inundada. Depois que um vídeo do incidente se torna viral, o vice-chefe do gabinete, Rando Yaguchi, teoriza que tudo foi causado por uma criatura viva. Sua teoria se confirma quando noticiários flagram uma enorme cauda emergir do oceano. O primeiro-ministro assegura que a criatura é incapaz de vir à terra firme devido a seu peso, no entanto, o monstro se move através de canais intra municipais e consegue rastejar cidade adentro, deixando um rastro de destruição e inúmeras vítimas. Ele evolui para uma forma bípede de cor avermelhada e retorna ao mar.

Os funcionários do governo se concentram na estratégia militar enquanto Rando se encarrega de uma força-tarefa para pesquisar a criatura. Devido as altas leituras de radiação, é teorizado que o monstro é energizado por fissão nuclear. O presidente dos EUA envia uma agente especial, Kayoko Ann Patterson, que se revela uma zoologista e antinuclear. Goro Maki estava estudando mutações causadas por radiação e teorizou a aparência da criatura, mas não recebe atenção dos cientistas estadunidenses e japoneses, sendo proibido de publicar suas conclusões. O iate abandonado na baía de Tóquio o pertencia, tendo deixado suas anotações de pesquisa criptografadas antes de desaparecer.

O monstro, agora chamado de Godzilla, reaparece com o dobro do tamanho original perto de Kamakura, indo em direção à Tóquio. As forças de autodefesa se mobilizam mas não surtem efeito, sendo forçados a se retirarem quando a defesa é rompida. Os EUA intervém com um ataque massivo e destrutivo, o que leva a evacuação de civis e funcionários do governo. Bombardeiros B-2 atacam Godzilla com bombas GBU-57. O monstro retribui com raios de energia concentrada disparados de sua boca, cauda e barbatanas dorsais, destruindo o helicóptero que levava os altos funcionários do governo e os B-2, além de grande parte de Tóquio. Após esgotar sua energia, Godzilla entra em estado de dormência e fica imóvel.

A equipe de Yaguchi descobre que sangue de Godzilla age como um sistema de resfriamento e que poderiam usar um agente coagulante para congelá-lo. Depois de analisar amostras de tecido, é descoberto que Godzilla é um ser em constante evolução, sendo capaz de se reproduzir assexuadamente. A ONU adverte que caso o Japão não elimine Godzilla em um prazo de poucos dias, será usado de armas termonucleares para subjugá-lo. Várias prefeitura ordenam evacuação em resposta ao iminente ataque. Recusando ver bombas serem novamente detonadas em seu país, Patterson usa de suas conexões políticas para ganhar mais tempo para a equipe de Yaguchi. É feito um avanço quando as anotações de Goro finalmente são decifradas, procurando meios para realizar o plano com apoio internacional.

Poucas horas antes do ataque nuclear, o governo japonês aprova o plano. Godzilla é provocado por drones americanos, usando de sua energia. Trens e edifícios carregados de explosivos são dirigidos e derrubados contra ele, derrubando-o e permitindo aos caminhões injetarem o coagulante na boca de Godzilla. Embora muitos sejam mortos, o plano é um sucesso e o monstro congela. No rescaldo, descobre-se que o estado de congelamento tem uma semivida curta e que Tóquio pode ser reconstruída em breve. A comunidade internacional concorda em cancelar o ataque, mas o novo governo japonês concorda que, caso Godzilla desperte, um ataque nuclear será ordenado imediatamente. Na última cena, a cauda de Godzilla mostra criaturas humanoides congeladas prestes a emergir.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Godzilla Resurgence». Brasil: CinePlayers. Consultado em 22 de maio de 2020 
  2. «Shin Gojira». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 22 de maio de 2020 
  3. «Godzilla Resurgence Press Notes». Scifi Japan. 13 de junho de 2016. Consultado em 13 de junho de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme japonês é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.