Show Opinião

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Maria Bethania na Peça Opinião, no Teatro de Arena

O Show Opinião foi um espetáculo musical, dirigido por Augusto Boal, produzido pelo Teatro de Arena e por integrantes do Centro Popular de Cultura da UNE - instituição que, a esta altura, havia sido colocada na ilegalidade pelo regime militar recentemente instaurado no Brasil.

O elenco era formado por Nara Leão (depois substituída por Maria Bethania), João do Vale e Zé Kéti. Os atores-cantores intercalavam canções a narrações referentes à problemática social do país. O texto era assinado por Armando Costa, Oduvaldo Vianna Filho e Paulo Pontes.[1]

O show-manifesto estreou em 11 de dezembro de 1964, alguns meses depois do golpe militar, no teatro do Shopping Center Copacabana, sede do Teatro de Arena no Rio de Janeiro.

Opinião tornou-se uma referência na chamada "música de protesto" e é considerado um dos mais importantes da história da música popular brasileira. O registro do show deu origem ao álbum homônimo, lançado em 1965.


O espetáculo registrado durou 45 minutos e 47 segundos com distintas canções:

  1. - Peba na Pimenta
  2. - Pisa na Fulô
  3. - Samba, Samba, Samba
  4. - Partido alto
  5. - Borandá
  6. - Desafio
  7. - Missa Agrária
  8. - Carcará
  9. - O Favelado
  10. - Nêga Dina
  11. - Incelança
  12. - Deus e o Diabo na Terra do Sol
  13. - Guantanamera
  14. - Canção do Homem só
  15. - Sina de Caboclo
  16. - Opinião
  17. - Malmequer
  18. - Marcha de Rio 40 Graus
  19. - Malvadeza Durão
  20. - Esse Mundo é meu
  21. - Deus e o Diabo na Terra do Sol
  22. - Marcha da Quarta-Feira de Cinzas
  23. - Tiradentes
  24. - Cicatriz

Referências

  1. «"Opinião"». Consultado em 5 de outubro de 2009. Arquivado do original em 25 de outubro de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]