Sibila de Anhalt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sibila de Württemberg
Duquesa de Württemberg
Duquesa de Württemberg
Reinado 28 de agosto de 1593 - 29 de janeiro de 1608
Antecessor(a) Bárbara de Hesse
Sucessor(a) Bárbara Sofia de Brandemburgo
 
Cônjuge Frederico I de Württemberg
Descendência João Frederico de Württemberg
Jorge Frederico de Württemberg
Sibila Isabel de Württemberg
Isabel de Württemberg
Luís Frederico de Württemberg-Mömpelgard
Joaquim Frederico de Württemberg
Júlio Frederico de Württemberg-Weiltingen
Filipe Frederico de Württemberg
Eva Cristina de Württemberg
Frederico Aquiles de Württemberg-Neuenstadt
Inês de Württemberg
Bárbara de Württemberg
Magnus de Württemberg
Augusto de Württemberg
Ana de Württemberg
Nascimento 28 de setembro de 1564
Bernburg, Alemanha
Morte 26 de outubro de 1614 (50 anos)
Leonberg, Alemanha
Pai Joaquim Ernesto, Príncipe de Anhalt
Mãe Inês de Barby-Mühlingen

Sibila de Anhalt (28 de setembro de 1564 - 26 de outubro de 1614) foi uma princesa da Casa de Ascânia de Anhalt que se tornou duquesa de Württemberg graças ao seu casamento com o duque Frederico I. Era a quarta filha (mas a terceira a chegar à idade adulta) de Joaquim Ernesto, Príncipe de Anhalt e da sua primeira esposa, a condessa Inês de Barby-Mühlingen.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sibila nasceu em Bernburg em 1564. Em 1577, a sua irmã mais velha, a princesa Ana Maria, foi dispensada do seu posto como abadessa imperial de Gernrode e Frose para se casar com o duque Joaquim Frederico de Brieg. Pressionada pelo seu pai, Sibila foi escolhida como sua sucessora. Sibila foi confirma para este posto pelo sacro-imperador Rudolfo II. Do seu reinado como abadessa sobrou apenas um registo da sua actividade: um documento da abadia no qual Sibila ofereceu à viúva de Stefan Molitor (o primeiro Superintendente Evangélico da abadia) uma porção de terra.

Em 1581, Sibila foi dispensada do seu posto de abadessa para se casar com o conde Frederico de Mömpelgard, herdeiro-aparente do ducado de Württemberg. O casamento foi arranjado pela sua madrasta, a duquesa Leonor de Württemberg. O casamento celebrou-se no dia 22 de Maio desse mesmo ano. A sua sucessora como abadessa foi a sua meia irmã Inês Edviges.

Sibila tinha apenas dezasseis quando se casou e deu quinze filhos ao seu marido durante os primeiros quinze anos de casamento.[1] Contudo a condessa não tinha um papel importante na corte nem influência no marido que não considerava a fidelidade uma obrigação entre os seus direitos de monarca absoluto. Após o nascimento da sua última filha, o casal começou a viver vidas separadas. Durante as suas viagens frequentes a França, Itália e Inglaterra, Frederico não levava a esposa consigo. Sucedeu o primo do seu pai, Luís III, como duque de Württemberg em 1593.

Sibila queria aumentar o seu conhecimento de botânica e química. Para disfarçar o seu interesse na disciplina duvidosa de alquimia, Sibila explicava que o que fazia era juntar uma colecção de ervas para a produção de medicamentos para os mais pobres. Nomeou Helena Magenbuch, filha de Johann Magenbuch, o médico pessoal de Martinho Lutero e do sacro-imperador Carlos V, sua conselheira cientifica. Helena Magenbuch recebeu o título de farmacêutica da corte de Württemberg. Entre 1606 e 1607, Maria Andreae passou a ocupar esta posição.

Após a morte do seu marido em 1608, Sibila retirou-se para Leonberg onde contratou o arquitecto Heinrich Schickhardt para criar o Schloss Leonberg bem como o seu conhecido Pomeranzengarten (Jardim das Laranjas) em estilo renascentista. Em 1609, Schickhardt construiu uma casa nas margens de um lago perto de Leonberg (Seehaus Leonberg) que passou a ser utilizada como cabana de caça. Sibila morreu em Leonberg em 1614.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Do seu casamento nasceram os seguintes filhos:

  1. João Frederico de Württemberg (5 de maio de 1582 - 18 de julho de 1628), casado com a marquesa Bárbara Sofia de Brandemburgo; com descendência.
  2. Jorge Frederico de Württemberg (23 de abril de 1583 - 10 de fevereiro de 1591), morreu aos sete anos de idade.
  3. Sibila Isabel de Württemberg (10 de abril de 1584 - 20 de janeiro de 1606), casada com o duque João Jorge I da Saxónia; sem descendência.
  4. Isabel de Württemberg (nascida e morta a 15 de janeiro de 1585)
  5. Luís Frederico de Württemberg-Mömpelgard (29 de janeiro de 1586 - 26 de janeiro de 1631), casado primeiro com a landegravina Isabel Madalena de Hesse-Darmstadt; com descendência. Casado depois com a condessa Ana Leonor de Nassau-Saarbrücken; com descendência.
  6. Joaquim Frederico de Württemberg (27 de janeiro de 1587 - 31 de janeiro de 1587), morreu com quatro dias de idade.
  7. Júlio Frederico de Württemberg-Weiltingen (3 de junho de 158825 de abril de 1635), casado com a duquesa Ana Sabina de Schleswig-Holstein-Sonderburg; com descendência.
  8. Filipe Frederico de Württemberg (9 de maio de 1589 - 5 de setembro de 1589), morreu aos quatro meses de idade.
  9. Eva Cristina de Württemberg (6 de maio de 1590 - 18 de março de 1657), casada com o marquês João Jorge de Brandemburgo-Jägerndorf; sem descendência.
  10. Frederico Aquiles de Württemberg-Neuenstadt (5 de maio de 1591 - 20 de dezembro de 1630), nunca se casou nem teve filhos.
  11. Inês de Württemberg (7 de maio de 1592 - 25 de novembro de 1629), casada com o duque Frederico Júlio de Saxe-Lauenburg; com descendência.
  12. Bárbara de Württemberg (4 de dezembro de 1593 - 18 de maio de 1627), casada com o marquês Frederico V de Baden-Durlach; com descendência.
  13. Magnus de Württemberg (12 de dezembro de 1594 - 6 de maio de 1622), morreu em combate; sem descendência.
  14. Augusto de Württemberg (24 de janeiro de 1596 - 21 de abril de 1596), morreu aos três meses de idade.
  15. Ana de Württemberg (25 de março de 1597 - 4 de novembro de 1650), nunca se casou nem teve filhos.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Sibila de Anhalt em três gerações
Sibila de Anhalt Pai:
Joaquim Ernesto, Príncipe de Anhalt
Avô paterno:
João V, Príncipe de Anhalt-Zerbst
Bisavô paterno:
Ernesto I, Príncipe de Anhalt-Dessau
Bisavó paterna:
Margarida de Münsterberg-Oels
Avó paterna:
Margarida de Brandemburgo, Duquesa da Pomerânia
Bisavô paterno:
Joaquim I Nestor, Príncipe-Eleitor de Brandemburgo
Bisavó paterna:
Isabel da Dinamarca, Princesa-Eleitora de Brandemburgo
Mãe:
Inês de Barby-Mühlingen
Avô materno:
Wolfgang I de Barby-Mühlingen
Bisavô materno:
Burkhart V de Barby-Mühlingen
Bisavó materna:
Madalena de Mecklemburgo
Avó materna:
Inês de Mansfeld zu Mittel-Ort
Bisavô materno:
Gerardo VII de Mansfeld
Bisavó materna:
Margarida de Gleichen

Referências

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Sibila de Anhalt