Sibila de Saxe-Coburgo-Gota

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sibila
Princesa de Saxe-Coburgo-Gota
Duquesa da Bótnia Ocidental
Marido Gustavo Adolfo, Duque da Bótnia Ocidental
Descendência Margarida da Suécia
Brígida da Suécia
Desidéria da Suécia
Cristina da Suécia
Carlos XVI Gustavo da Suécia
Casa Saxe-Coburgo-Gota (por nascimento)
Bernadotte (por casamento)
Nome completo
Sibila Calma Maria Alice Batilde Teodora
Nascimento 18 de janeiro de 1908
  Gota, Saxe-Coburgo-Gota, Império Alemão
Morte 28 de novembro de 1972 (64 anos)
  Estocolmo, Suécia
Enterro Cemitério Real, Solna, Suécia
Pai Carlos Eduardo, Duque de Saxe-Coburgo-Gota
Mãe Vitória Adelaide de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg

Sibila Calma Maria Alice Batilde Teodora (Gota, 18 de janeiro de 1908Estocolmo, 28 de novembro de 1972) foi a esposa do príncipe Gustavo Adolfo, Duque da Bótnia Ocidental, e mãe do rei Carlos XVI Gustavo da Suécia. Era a segunda filha, a primeira menina, de Carlos Eduardo, Duque de Saxe-Coburgo-Gota, e sua esposa a princesa Vitória Adelaide de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg.

Família[editar | editar código-fonte]

A princesa Sibila Calma Maria Alice Batilde Teodora nasceu como a filha mais velha do príncipe Carlos Eduardo, Duque de Saxe-Coburgo-Gota, e da princesa Vitória Adelaide de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg. Pelo lado familiar paterno, Sibila era uma bisneta da rainha Vitória do Reino Unido, sendo seu avô o príncipe Leopoldo, Duque de Albany, o quarto filho de Vitória, e da princesa Helena de Waldeck-Pyrmont.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Sibila com o marido e os cinco filhos.

Em 19 de outubro de 1932, Sibila desposou seu primo, o príncipe Gustavo Adolfo, filho mais velho do futuro Gustavo VI Adolfo e de sua primeira esposa, a princesa Margarida de Connaught, uma neta da rainha Vitória. Eles tiveram cinco filhos:

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Sibila ficou viúva em 1947 quando Gustavo Adolfo morreu num acidente de avião no aeroporto de Copenhaga na Dinamarca. O seu filho, Carlos Gustavo, ficou em segundo lugar na linha de sucessão com apenas um ano de idade e tornou-se príncipe-herdeiro aos quatro anos.

Quando a madrasta do seu falecido marido, a rainha Luísa, morreu em 1965, Sibila tornou-se na princesa da Suécia mais importante da corte, tendo um papel importante de apoio ao seu sogro, o rei Gustavo VI Adolfo. Sibila morreu de cancro antes de o filho ascender ao trono.

Encontra-se sepultada em Kungliga begravningsplatsen (Royal Cemetery), Solna, Estocolmo na Suécia.[1]

Títulos, estilos e honras[editar | editar código-fonte]

Brasão de armas da princesa Sibila de Saxe-Coburgo-Gota, Duquesa da Bótnia Ocidental
  • 18 de janeiro de 1908 - 28 me março de 1919: Sua Alteza Real a princesa Sibila de Saxe-Coburgo-Gota, Princesa de Reino Unido
  • 28 de março de 1919 - 19 de outubro, 1932: Sua Alteza Real a princesa Sibila de Saxe-Coburgo-Gota
  • 19 de outubro de 1932 - 26 de janeiro de 1947: Sua Alteza Real a princesa Sibila da Suécia, Duquesa da Bótnia Ocidental
  • 26 de janeiro de 1947 - 28 de novembro de 1972: Sua Alteza Real a princesa Sibila da Suécia, Duquesa Viúva da Bótnia Ocidental

Honras[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Estrangeiras[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sibila de Saxe-Coburgo-Gota

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.