Sigiswald Kuijken

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sigiswald Kuijken
Sigiswald Kuijken.JPG
Biografia
Nascimento
Período de atividade
a partir de
Cidadania
Alma mater
Conservatório Real de Bruxelas (en)
Atividades
Outras informações
Empregador
Conservatório Real de Haia
Conservatório Real de Bruxelas (en)
Instrumentos
Superiores
Odile Edouard (d)
Enrico Gatti (en)
Chiara Banchini (en)
Género artístico
Distinções
Flemish Culture Award for General Cultural Achievement ()
ANV -Visser Neerlandia-price for Music (d) ()

Sigiswald Kuijken (Dilbeek, 16 de fevereiro de 1944) é um violinista e maestro belga, um dos pioneiros e um dos líderes do movimento de revivalismo da música antiga.[1][2][3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Membro de uma família de músicos, estudou violino no conservatório de Bruges e formou-se em 1964 no Conservatório Real de Bruxelas, onde foi aluno de Arthur Grumiaux e Maurice Raskin.[3] Ainda jovem passou a se interessar pelo repertório pré-clássico. Considerando que a interpretação desse repertório não estava de acordo com os critérios de autenticidade histórica, desenvolveu estudos buscando recuperar as práticas e técnicas antigas e familiarizou-se com outros instrumentos de cordas, como a viola da gamba, o violoncelo da spalla e a viola pomposa.[1] Foi o pioneiro da recuperação do violino barroco, fazendo grande escola.[4]

De 1964 a 1972 integrou o Alarius Ensemble, que fez concertos na Europa e nos Estados Unidos e provocou grande movimentação musical nos Países Baixos, sendo uma influência importante para a criação do Departamento de Música Antiga no Conservatório Real de Haia, onde logo Kuijken foi contratado como professor. As aulas oferecidas pelo Departamento tiveram grande procura desde o início e foram um exemplo para a criação de departamentos semelhantes em outras escolas superiores em vários países.[5] Colaborou com outros protagonistas do movimento revivalista, como Gustav Leonhardt, Robert Kohnen, Anner Bylsma, Frans Brüggen e René Jacobs, e em 1972 fundou com Leonhardt o conjunto La Petite Bande, que inicialmente deveria apenas apresentar a obra Le Bourgeois Gentilhomme de Jean-Baptiste Lully, mas que devido ao seu sucesso se tornou um conjunto permanente de aclamada carreira internacional, do qual é diretor artístico.[1][6] Com ele gravou grande discografia, que inclui o ciclo completo das cantatas de Bach.[1]

Deu aulas de violino barroco no Conservatório Real de Haia por mais de trinta anos, e lecionou também no Conservatório Real de Bruxelas.[6] É um professor convidado regularmente por instituições como o Royal College of Music de Londres e a Universidade de Salamanca.[7]

Segundo matéria publicada em 2016 pela Escola de Música do Estado de São Paulo, "Kuijken e seus irmãos [Wieland e Barthold] são verdadeiros emblemas de uma era e igualmente pioneiros e referências em seus instrumentos. Foram responsáveis pela formação de centenas de profissionais, muitos deles hoje respeitáveis professores espalhados por todo o mundo; o nome Kuijken é, literalmente, uma instituição. É sinônimo de um gosto musical distinto e inconfundível, marcado pelo rigor, bom gosto, erudição e profundo respeito pela música".[7] Para o violinista e pesquisador Luís Otávio de Souza Santos,

"Sigiswald Kuijken está entre os principais artistas que iniciaram, além do resgate da práxis histórica em concertos e gravações emblemáticas — tanto como solista, camerista ou regente de sua orquestra barroca La Petite Bande —, uma tradição pedagógica inédita na história da educação musical no Ocidente. A importância de sua contribuição ao mundo da música com sua carreira de violinista, regente e pedagogo o coloca entre os mais influentes artistas do século XX e faz dele uma figura chave na história do violino. [...] Sigiswald Kuijken faz parte do grupo de músicos que consolidaram o movimento de música antiga nos Países Baixos e fizeram dessa região da Europa até hoje uma referência mundial no assunto".[3]

Distinções e prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Título de doutor honoris causa da Universidade de Leuven (2007)[7]
  • Prêmio da Cultura da Comunidade Flamenga (2008).[8]
  • Prêmio do Mérito Cultural do governo belga (2009).[9]

Referências

  1. a b c d Kunstenpunt. "Sigiswald Kuijken". Muziekcentrum Vlaanderen.
  2. Haskell, Harry. The Early Music Revival: A History. Courier Corporation, 1996, pp. 170; 189
  3. a b c Santos, Luís Otávio de Souza. A Chave do Artesão: Um olhar sobre o paradoxo da relação mestre/aprendiz e o ensino metodizado do violino barroco. Doutorado. Unicamp, 2011, p. 137
  4. Santos, pp. 48; 106
  5. Santos, pp. 119-120
  6. a b Van der Knijff, Jaco. "Sigiswald Kuijken (75): eigenzinnige Vlaamse barokmusicus". Reformatorisch Dagblad, 05/04/2019
  7. a b c "EMESP realiza a quinta edição do Encontro Internacional de Música Antiga com a participação especial do maestro belga Sigiswald Kuijken". Escola de Música do Estado de São Paulo, 01/06/2016
  8. "Bozar honours four composers". Flanders Today, 01/04/2009
  9. Van der Speeten, Geert. "Een prijs, maar ook een slecht rapport". De Standaard, 04/02/2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]