Silene longicilia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Como ler uma infocaixa de taxonomiaSilene longicilia
Taxocaixa sem imagem
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: angiospérmicas
Clado: eudicotiledóneas
Clado: eudicotiledóneas nucleares
Ordem: Caryophyllales
Família: Caryophyllaceae
Subfamília: Caryophylloideae
Tribo: Sileneae
Género: Silene
Espécie: S. longicilia
Nome binomial
Silene longicilia
(Brot.) Otth in DC.

Silene longicilia é uma espécie vegetal pertencente à família Caryophyllaceae.

É um endemismo português, da região Oeste (desde Coimbra, a Norte, até ao Alentejo, a Sul), nomeadamente nas serras de origem calcária, nomeadamente na Serra de Aire, Serra dos Candeeiros, Serra do Sicó, Serra de Montejunto, Serra de Sintra e Serra da Arrábida, correspondente à Região Biogeográfica Mediterrânica.

Quando ocorrem em solos de origem eruptiva (ex: maciço eruptivo de Sintra), ocorrem em menor densidade. Segundo o Plano Sectorial da Rede Natura 2000, uma das populações, existente na Peninha, Sintra, estará provavelmente extinta. As populações em zonas calcárias são mais frequentes.

A subespécie Silene longicilia subsp. longicilia ocorre com maior frequência em solos de origem calcária, e a subspécie Silene longicilia subsp. cintrana ocorre em zonas com solos graníticos mas também pode ocorrer nos de origem calcária.

Segundo o sistema de Raunkjær, é uma planta hemicriptófita, ou seja, uma planta herbácea vivaz ou bianual que perde a biomassa aérea na estação desfavorável e as gemas estão junto ao solo protegidas por detritos orgânicos.

A floração dá-se de Abril a Junho.

Descrição[editar | editar código-fonte]

São plantas anuais ou perenes, com caules desenvolvidos, que podem ser lenhosos na base, podendo atingir 1 m de comprimento. Quer o caule, quer as folhas, não são hirsutos. As flores são hermafroditas e dispõem-se em inflorescências assimétricas em forma de panículas dicasiais muito desenvolvidas e piramidais, raramente apresentando flores isoladas. O carpóforo está bem desenvolvido, podendo chegar aos 6,5 mm. O cálice tem a forma de cilindro, podendo atingir os 13 mm. Por vezes o cálice tem a forma campanulada. Possui 3 estiletes. As sementes são ápteras, tendo a forma de rim ou de globo. A pré-floração é contorcida.

Subespécies[editar | editar código-fonte]

Segundo o Global Biodiversity Information Facility, estão registadas duas subespécies:[1]

  • Silene longicilia subsp. cintrana
  • Silene longicilia subsp. longicilia

Conservação[editar | editar código-fonte]

Está protegida segundo o Anexo II e Anexo IV da Directiva Habitats, sendo também protegida por legislação nacional.

Não há ameaças às populações que ocorrem em zonas calcárias. Excepção a esta regra diz respeito às populações que existem na Serra da Arrábida. As populações que ocorrem em solos ácidos, as ameaças dizem respeito à reflorestação, que impede a dispersão.

Ocorre em solos pedregosos, em meio aberto ou em matos, em comunidades rupícolas e também em fendas e cavidades rochosas.

Sinonímia[editar | editar código-fonte]

  • Cucubalus longicilius Brot.
  • Silene longicilia Otth
  • Silene patula Desf.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Silene longicilia em Global Biodiversity Information Facility - acedido a 22-12-2012

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Barreto Caldas, F 2011. Silene longicilia. In: IUCN 2012. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2012.2. <www.iucnredlist.org>. Downloaded on 22 December 2012.
  • Castroviejo, S. (coord. gen.). 1986-2012. Flora iberica 1-8, 10-15, 17-18, 21. Real Jardín Botánico, CSIC, Madrid.