Silifke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Turquia Silifke

Selêucia no Calicadno, Seleucia ad Calycadnum, Seleukeia

 
—  Distrito (ilçe)  —
Vista panorâmica de Silifke desde o castelo
Vista panorâmica de Silifke desde o castelo
Mapa do distrito de Silifke na província de Mersin
Mapa do distrito de Silifke na província de Mersin
Silifke está localizado em: Turquia
Silifke
Localização de Silifke na Turquia
Coordenadas 36° 22' N 33° 56' E
Região Mediterrâneo
Província Mersin
Administração
 - Governador (kaymakam) Fatih Damatlar
 - Prefeito (belediye başkanı) Bayram Ali Öngel (2007, MHP)[1]
Área [2]
 - Distrito (ilçe) 2 572 km²
Altitude 20 m (66 pés)
População (2010)[3]
 - Distrito (ilçe) 113 404
    • Densidade 44,09/km2 
 - Urbana 51 684
Código postal 33940
Prefixo telefónico 324
Sítio Governo distrital: [1]
Prefeitura: [2]
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Silifke

Silifke (ou Selefke; em grego: Σελεύκεια; transl.: Seleucia ou Seleukeia) é uma cidade e um distrito na região centro-sul da província de Mersin, Turquia, 80 km a oeste da cidade de Mersin, no extremo oeste de Çukurova.

Silifke está próxima da costa mediterrânica, na encosta do rio Göksu, que corre dos vizinhos Montes Tauro.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Silifke já foi chamada de Selêucia no Calicadno (em latim: Seleucia ad Calycadnum) — citada diversamente como Selêucia [na] Cilícia, Selêucia [em, na] Isáuria, Selêucia Traqueia e Selêucia Traqueotis.

A antiga cidade de Olba, também chamada de Olbasa, Olbia e Ourbanópolis, também se localiza no que é hoje o distrito de Silifke.

História[editar | editar código-fonte]

Antiguidade[editar | editar código-fonte]

Localizada a uma poucas milhas da foz do rio Calicadno (em grego: Kalykadnos, atualmente Göksu), Selêucia foi fundada por Seleuco I Nicator no início do século III a.C., uma de muitas que ele batizou em seu nome. É provável que já existissem no local cidades chamadas de Olba e Híria que Seleuco apenas uniu sob seu nome. A cidade cresceu até incluir o povoado próximo de Holmi (atual Taşucu), que já tinha sido estabelecido antes como uma colônia Jônia, que era vulnerável aos ataques de piratas por estar na costa[4] . A nova cidade, mais para cima no leito do rio, era sem dúvida mais segura contra ataques marítimos, o que deu a Selêucia uma considerável prosperidade comercial como porto em sua região na Cilícia (depois renomeada como Isáuria)[necessário esclarecer] e chegou mesmo a rivalizar com Tarso.

A Cilícia prosperou como província do Império Romano e Selêucia se tornou um centro religioso com o seu famoso templo de Júpiter do século II. Ali também estava localizada a famosa escola de filosofia e literatura, berço dos peripatéticos Ateneu de Selêucia e Xenarco de Selêucia[5] . A famosa ponte de pedra foi construída pelo governador L. Octavius Memor em 77 d.C. Por volta de 300 d.C., a Isáuria foi reconhecida como um estado independente e Selêucia era sua capital.

Cristianismo[editar | editar código-fonte]

Os bispos da Igreja antiga realizaram um Concílio de Selêucia 325, 359 e 410. A cidade era famosa pela tumba da virgem santa Tecla de Icônio, convertida por Paulo, que morreu ali[6] , a tumba era uma das mais celebradas do mundo cristão e foi restaurada diversas vezes, entre outras pelo imperador Zenão no século V As ruínas da tumba e o santuário são, hoje em dia, chamados de Meriamlik [7] . No século V, o governador imperial (comes Isauriae) residente na cidade tinha duas legiões à sua disposição, a Legio II Isaura e a Legio III Isaura. É deste período (ou um pouco depois), a necrópole cristã, à oeste da cidade, que contém muitas tumbas de soldados cristãos. De acordo com a Notitia Episcopatuum de Antioquia, no século VI, o metropolita de Selêucia tinha vinte e quatro sés sufragâneas[8] .

Em 705, Selêucia foi capturada pelos exércitos árabes do Islã e foi recuperada pelos bizantinos. Assim, por volta de 732, quase toda a província episcopal de Isáuria foi incorporada ao Patriarcado de Constantinopla. Daí pra frente, a província aparece nas Notitiae de Bizâncio, mas sob o nome de Panfília.

Ainda nas Notitiae de Leão VI (ca. 900), Selêucia tinha vinte e dois bispos sufragâneos [9] , já nos de Constantino VII (ca. 940–x), tinha 23[10] . Em 968, Antioquia caiu de novo nas mãos do Império Bizantino e, assim como toda a província da Isáuria, Selêucia foi alocada ao Patriarcado de Antioquia[11] . Conhecemos uma série de metropolitas desta sé e, o primeiro deles, Agápito, estava presente no Primeiro Concílio Ecumênico (em Niceia, 325 d.C.). Neonas estava no Concílio de Selêucia em 359; Simpósio esteve no Concílio de Constantinopla (381); Dexiano no Concílio de Éfeso em 431. Basílio, um celebrado orador e escritor, cuja conduta era algo ambígua, no Segundo Concílio de Éfeso e no começo do Concílio de Calcedônia em 451. Teodoro esteve no Quinto Concílio Ecumênico em 553 e Macróbio estava no Sexto Concílio Ecumênico e no Concílio In Trullo em 692.

Selêucia permanece como uma sé titular da Igreja Católica Romana, com o trono atualmente vago após a morte do último bispo em 1971[12] .

Referências

  1. «Silifke Belediyesi». www.yerelnet.org.tr (em turco). YerelNET. Consultado em 2011-03-22. 
  2. «Districts of Turkey». www.statoids.com (em inglês). Administrative Divisions of Countries ("Statoids"). 2 de fevereiro de 2008. Arquivado desde o original em 26 de maio de 2010. Consultado em 26 de maio de 2010. 
  3. «Address based population registration system (ABPRS) database (2010)». www.tuik.gov.tr (em inglês). TURKSTAT. Consultado em 2011-03-22. 
  4. Estêvão de Bizâncio; Estrabão, XIV, 670
  5. Classical Gazetteer, page 312
  6. Atos de Paulo e Tecla, uma obra apócrifa do século II d.C.
  7. (Denkschriften der k. Akadem. der Wissenschaft. philos.-histor. Klasse, Vienna, XLIV, 6, 105-08)
  8. (Echoes d'Orient, X, 145)
  9. Heinrich Gelzer, Ungedruckte . . . Texte der Notitiae episcopatuum, 557.
  10. (Georgii Cyprii descriptio orbis romani, ed. Gelzer, 76)
  11. (Gelzer, op. cit., 573)
  12. Seleucia in Isauria (Titular See) [Catholic-Hierarchy]


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Turquia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.