Silvetty Montilla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Silvetty Montilla
Nome completo Sílvio Cássio Bernardo
Outros nomes Sil; Grande Drag
Nascimento 10 de julho de 1967 (52 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Ocupação Ator
Atividade 1987-presente
Outros prêmios
I Prêmio PapoMix da Diversidade
Página oficial

Sílvio Cássio Bernardo (São Paulo, 10 de julho de 1967), mais conhecido como Silvetty Montilla, é uma lendária drag queen, ator de comédia, cantor, compositor, apresentador, repórter, dublador e dançarino brasileiro, considerado um dos maiores artistas da noite LGBT brasileira.[1] [2] Ao longo de mais de vinte anos de carreira, Montilla participou de diversas peças teatrais, além de se apresentar assiduamente nas principais boates gays de São Paulo e de fazer participações em programas de televisão, como o TV Fama, Eliana e o humorístico Toma Lá, Dá Cá. Em 2013 e 2014 esteve fixo no elenco do grupo de comédia "Terça Insana", durante aproximadamente um ano e meio, fazendo diversos shows no Brasil. Atualmente além de atuar em peças musicais, trabalha em clubes de comédia, lançando em 2015 uma peça de stand-up própria.[3] Ele também está a frente do reality show Academia de Drags via Youtube[4], devido a seu legado é constantemente comparada e chamada de RuPaul brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sílvio Cássio Bernardo nasceu em uma família humilde da Zona Norte de São Paulo, e apesar de sempre ter de interessado por música, teatro, canto e dança, optou por um trabalho estável e que lhe desse retorno financeiro certo, e então, aos dezoito anos, prestou concurso público, e foi aprovado. Já financeiramente independente, decidiu assumir-se homossexual e sair de casa para viver sozinho, e passou alguns anos trabalhando como oficial da promotoria do Ministério Público de São Paulo. Em 1987, por influência de amigos, aceitou ganhar um dinheiro extra se montando de drag queen, para dançar e cantar aos finais de semana em bares e boates. Devido a seu talento, carisma e afinação musical, ficou muito conhecido na noite paulistana, sendo convidado para se apresentar em diversas casas de shows, festas de debutante, casamentos e formaturas. Ao ver que seria possível viver com o trabalho artístico, onde ganhava muito mais que seu emprego estável, acabou abandonando o trabalho junto à promotoria. Começou a participar de vários concursos de miss, recebendo o título de Miss Primavera de 1989, Miss Brasil 1990, Rainha do Carnaval, Miss Cidade de São Paulo e Miss Universo, todos dedicados a categoria de drag queen.[2] Em 2012, Silvetty concorreu a uma vaga na Câmara de Vereadores de São Paulo pelo PSOL, sendo o terceiro mais votado do partido, obtendo quase 5 mil votos, porém, sem conquistar a vaga.

Atualmente faz apresentações por todo o Brasil e em diversos países, tendo agenda de shows fixas em variados eventos de São Paulo.

Carreira artística[editar | editar código-fonte]

Silvetty Montilla começou a carreira na extinta boate Wall Show, como dançarino, participando dos shows de transformistas e de concursos de miss.

Verdadeiro amante dos palcos, tem paixão pelo que faz, sempre antenado e bem informado, trabalha com o mais puro improviso. Sua simpatia e simplicidade são suas principais virtudes. Seu público é grande, abrange em sua maioria o público LGBT, porém devido à versatilidade de seu humor, conquistou e vem conquistando outros públicos, independente da orientação sexual, identidade de gênero, idade, raça, credo ou classe social.[3]

O nome Silvetty veio do próprio nome Sílvio, enquanto o Montilla surgiu de uma reunião de drag queens, amigos de Silvetty, em um apartamento, onde foi combinado o nome "Silvetty" com o de diversas bebidas, por achar que o "Montilla" combinava com o primeiro nome, acabou adotando o sobrenome artístico.[2]

Teatro e Stand-up[editar | editar código-fonte]

Silvetty e Kelly Key durante apresentação em 2011.

Sua estreia no teatro foi em 1998, com a peça “Cindy ou Fregi” de Carlos Alberto Sofredini uma comédia inspirada em Cinderela. Depois ele recebeu o convite do mesmo autor para fazer “Os Garotos da Sauna” e depois a peça “Non é Vero é Veríssimo”, no Teatro Imprensa,[5] dirigida por Imara Reis e escrita por Ricardo Peixoto. Em 2012, atuou em “As Três Marias” de Marcos Martinelli a qual ficou três temporadas em cartaz. De 2006 a 2010 Silvetty participou do musical Segunda Acontece, que está em cartaz há 4 anos e traz os drag queens mais famosos do Brasil: Boo, Divina Núbia, Lllady Meteora, Salete Campari, além de Silvetty. Juntos mostram todas as segundas-feiras no palco do Café Concerto Uranus um espetáculo que mistura humor e música, que contagia a platéia. Recebem convidados especiais a cada semana como Dimmy Kieer e Vitória Principal. [6]Recentemente (2013 e 2014), esteve fixo no elenco do grupo de comédia TERÇA INSANA, durante aproximadamente um ano e meio, fazendo diversos shows Brasil a fora.[3] Atualmente, além dos trabalhos nas boates LGBT de São Paulo, Silvetty apresenta trabalhos próprios, como "O Segunda Dose de Montilla" (Apresentação Híbrida entre Stand-Up e Show - Apresentado às Segundas-Feiras na casa de shows Tom Jazz) e o "É o que tem pra hoje" (Apresentação itinerante de humor que conta com convidados especiais).

Desde de 2016 e atualmente está no musical ¨Cartola - O mundo é um Moinho¨, como Aurélia Pitangas uma das fundadoras da Mangueira, com temporada em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Interpretou Dona Vera no filme "Do lado de Fora", dirigido por Alexandre Carvalho, uma comédia sobre amigos que fazem um pacto para “saírem do armário” depois de se encontrarem na Parada Gay de São Paulo. Além dele no elenco, estavam: Marcello Airoldi, André Bankoff, Titi Muller, Luis Fernando Vaz, Maurício Evanns, Fernanda Viacava, Tânia Granussi, Tatiana Eivazian e Nara Sakarê. O filme já passou dos 12 mil espectadores, visto em mais de 20 cidades do Brasil, vendido para mais de 10 países e apresentado na seleção do Festival de Cinema de Taoyuan na China.[3]Em 2015 Silvetty participou como ele mesmo no documentário A Volta da Pauliceia Desvairada.[7]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Montilla em 2009

Em 2009 fez uma participação na série Toma lá dá cá, da Rede Globo, onde interpretou o transexual "Charuba Massad".[8] Ele foi por diversas vezes, entre 2008 e 2011, repórter especial do programa TV Fama da Rede TV.[9] Em 2011 ele apresentou com outros drags o quadro "As Fadinhas Safadinhas" no Programa Eliana do SBT.[10] Em 2014 fez uma aparição na série "Pé na cova" da Rede Globo.[11] Silvetty também já participou como convidado em diversos programas de televisão como: Caldeirão do Huck,Trolalá, Okay Pessoal!!!, Roberto Justus + e Almanaque Brasil.[3]

Em 2019 tornou-se a dubladora da personagem "Vedete Champagne" para a Netflix na divertida animação Super Drags. A personagem foi criada inspirada em Silvetty, desde os trejeitos até os bordões fluem conforme a carreira da artista.

Shows[editar | editar código-fonte]

Atualmente sua agenda é bastante agitada. Em São Paulo (capital) durante a semana, faz shows fixos (uma vez por semana) em sete boates: Aloca, Blue Space, Cantho Club, Danger Club, Freedom, Queen e Tunnel. Além dos shows fixos, ele faz muitas outras festas eventuais e principalmente aos sábados se dedica a shows fora do estado de São Paulo, nos principais clubes do Brasil, como: Metrópole (Recife), Heaven Club (Uberlândia), Level (Fortaleza), Diesel (Goiânia), The Gaarden (Rio de Janeiro), entre tantos outros.

Internet[editar | editar código-fonte]

Silvetty Montilla é apresentador do reality show drag chamado Academia de Drags, espelhado no consagrado programa de televisão americano RuPaul's Drag Race. Lançado em outubro de 2014, o reality exibido online via Youtube vêm repercutindo de forma espetacular. Foram 6 episódios até à grande final, lançados nas segundas-feiras, que já ultrapassou 1 milhão de visualizações.[12]

Rádio[editar | editar código-fonte]

Montilla é apresentador do programa Dark Room, na web rádio Flex Fm.[13]

Cantor[editar | editar código-fonte]

Silvetty Montilla gravou dois álbuns:

  • Coisa Boa pra Você
  • Em Condições

Bordões[editar | editar código-fonte]

  • "Tá boa...
  • Tô Bonita...
  • É o que tem pra hoje...
  • Pois bem...
  • Nosso programa é assim...
  • Você vê, você liga...
  • Quem pode, pode, quem não pode me olha!
  • Foca nas joias...
  • Mas se não conseguir me mande um e-mail...
  • Tááá ótimooooooo..."[14]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Filme[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Ref.
2014 Do Lado de Fora Dona Vera [15]

Documentário[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Ref.
2015 A Volta da Pauliceia Desvairada Ele mesmo [7]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas Ref.
2009 Toma Lá, Dá Cá Charuba Massad (Participação) EP 01 - 3º Temporada [8]
2008–2011 TV Fama Ele Mesmo Repórter [9]
2011 Programa Eliana Ele Mesmo Apresentadora do quadro "as fadinhas safadinhas" [10]
2014 Pé na Cova Ele Mesmo (Participação) [16]
2015 #PartiuShopping Kissila (Participação)
2018–presente Super Drags Vedete Champagne Voz original

Web serie[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Nota
2017–presente Espuma com Montilla Ela mesma Entrevista dentro da banheira
2014–presente Academia de Drags Ele mesmo Apresentadora [4]

Referências

  1. RIPARDO, Sérgio (15 de junho de 2006). «Folha Online - Ilustrada - Após parada, Silvetty Montilla ataca na Europa e lança "drag music" - 15/06/2006». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de dezembro de 2013 
  2. a b c Azevedo, Anderson (1 de março de 2008). «PapoMix visita a casa de Silvetty Montilla e descobre a intimidade da diva. WEBTV PAPOMIX - DIVERSIDADE - TV ONLIBE - TV MIX - BALADAS - DJS- SHOWS - DRAG QUEEN - GOGOBOYS - LGBT - GLS - APRESENTAÇÃO ANDERSON AZEVEDO». PapoMix. Consultado em 7 de dezembro de 2013 
  3. a b c d e montilla.com.br http://smontilla.com.br/home/biografia. Consultado em 3 de Julho de 2015  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. a b http://www.academiadedrags.com.br/. Consultado em 30 de maio de 2015  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  5. «Mix Brasil». Universo Online. Mixbrasil.uol.com.br 
  6. http://www.fotolog.com/segundaacontece/. Consultado em 3 de julho de 2015  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  7. a b «A Volta da Pauliceia Desvairada». Adoro Cinema. Consultado em M24 de junho de 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  8. a b «A Capa». Acapa.com.br 
  9. a b RedeTV!. «Silvetty Montilla apronta todas no Baile GLS de São Paulo» 
  10. a b «Silvetty Montilla e Dimmy Kieer ganham quadro no programa da Eliana». virgula. 18 de outubro de 2011. Consultado em 24 de junho de 2015 
  11. iG São Paulo I Redação (9 de junho de 2014). «Silvetty Montilla e outras drags participam de episódio de "Pé na Cova"». iG. Consultado em 3 de julho de 2015 
  12. http://revistaquem.globo.com/Popquem/noticia/2014/10/silvetty-montilla-estreia-academia-de-drags.html. Consultado em 3 de julho de 2015  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  13. http://flexfm.com.br/site/index2.php/?p=10994
  14. http://www.silvettymontillapv.com.br/index.php/biografia
  15. «Silvetty Montilla é destaque no filme "Do Lado de Fora"». parou tudo. 16 de maio de 2015. Consultado em M24 de junho de 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  16. iG São Paulo I Redação (9 de junho de 2014). «Silvetty Montilla e outras drags participam de episódio de "Pé na Cova"». iG. Consultado em 3 de julho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Silvetty Montilla