Silvia Pérez Cruz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Silvia Pérez Cruz
Silvia perfomando durante um concerto da banda Las Migas, em Dénia.
Informação geral
Nome completo Silvia Pérez Cruz
Nascimento 15 de fevereiro de 1983 (37 anos)
Local de nascimento Palafrugell, Catalunha
Espanha
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Página oficial silviaperezcruz.com

Silvia Pérez Cruz (Palafrugell, 15 de fevereiro de 1983) é uma cantora, compositora e atriz espanhola.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha dos músicos Càstor Pérez Diz e Glòria Cruz i Torrellas, desde bem jovem estudou solfejo, piano clássico, saxofone clássico, sendo mais tarde licenciada em canto-jazz pela Escola Superior de Música de Catalunya.[3] Já como profissional, trabalhou com Joan Díaz Trio no disco de jazz We sing Bill Evans (prêmio JAÇ 2009 de melhor disco), com Joan Monné, Perico Sambeat, Javier Colina, Jerry González, entre muitos outros. Cantou pelos bailarinos Damián Muñoz (dança contemporânea), Israel Galván e a companhia de Sol Picó (flamenco contemporâneo, prêmios MAX 2007). Formou parte do grupo Llama (dueto de hang e voz), Coetus (orquestra de percussão ibérica) e Xalupa (música tradicional catalã), e fez um dueto com Raül Fernández (Refree), com diversos projetos e repertórios.

Em 2009 participou da peça de teatro El jardí dels cinc arbres, uma adaptação de textos do poeta Salvador Espriu, dirigida por Joan Ollé, e estreada no Festival Temporada Alta de Girona,[4] sendo também representada no Teatro Nacional da Catalunha. Entre outras peças, cantou He mirat aquesta terra com música de Raimon. Com este poema musical, realizou uma interpretação, juntamente com Toti Soler, no ato de inauguração do Ano Espriu (Any Espriu), que celebrou o centenário do poeta, em 23 de janeiro de 2013, no palco do Palácio da Música Catalã em Barcelona.[5]

Fez parte de grupos como Las Migas, Immigrasons, Coetus, e En La Imaginación.[6] Em 2012, lança o seu primeiro disco solo, com o título "11 de novembre", com temas em catalão, castelhano, português e galego, com letras em parte suas, em parte procendentes de versos de Feliu Formosa, María Cabrera e Maria-Mercè Marçal.[7] Seu disco estreou em um concerto no Gran Teatro del Liceu de Barcelona, em 13 de abril de 2012.[8]

Em 2012, participou juntamente com Juan Gómez "Chicuelo" no violão, da trilha sonora do filme espanhol Branca de Neve, obra do diretor Pablo Berger, performando inclusive em apresentações ao vivo das projeções do filme que se realizaram em setembro de 2012 em Barcelona e Madrid, com o nome de "Gran-concierto película Blancanieves". O tema No te puedo encontrar ganhou o Prêmio Goya de 2012, na categoria "Melhor canção original".[9]

Em 2014, lançou o álbum "Granada", junto ao produtor, guitarrista e compositor Raül Fernandez Miró "Raül Refree". Em 11 de setembro de 2014, participou de um concerto com o pianista Júlio Resende, um dos principais nomes do jazz português contemporâneo, em Lisboa. Nele, interpretou canções em catalão, em castelhano, bem como da fadista Amália Rodrigues, cantando-os também na companhia de Gisela João.

Em 2015 faz sua estreia como atriz, participando do filme Cerca de tu casa de Eduard Cortés.[2] Um ano depois, em 2016, publicou as músicas escritas por ela para a trilha sonora deste filme em um álbum que recebeu o nome de "Domus".[10]

Recebeu o Prêmio Goya 2017 de melhor canção original pela canção "Ai, ai, ai",[11] presente na película Cerca de tu casa, filme pelo qual também foi nomeada como melhor atriz revelação.[12] Nesse mesmo ano, lançou o disco "Vestida de Nit", com músicas de autoria próprias e versões de outras músicas, como Hallelujah de Leonard Cohen.[13]

No Brasil, Silvia Pérez Cruz fez algumas apresentações com o músico bandolinista Hamilton de Holanda em seu show "Baile do Almeidinha" no Circo Voador-RJ e no Festival Canto da Primavera em Pirenópolis - GO onde gravou o vídeo clipe de "Lambada/Chorando se foi". Em 2018, fez sua primeira apresentação solo no Brasil na Casa de Francisca - SP e cantou acompanhada de músicos brasileiros, entre eles Rafael dos Anjos, no Blue Note Rio, na ocasião a cantora se surpreendeu com o público que pedia por canções de seu repertório autoral. Nesse mesmo ano, fez participações especiais nos shows do uruguaio Jorge Drexler em turnê pelo Brasil.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Discografia como solista[editar | editar código-fonte]

  • 11 de novembre (2012). Primeiro disco solo usando o nome artístico de Sílvia Pérez Cruz.[14]
  • Granada (2014, Universal Music Spain), com Raül Fernandez Miró.[15]
  • Domus (2016), trilha sonora do filme Cerca de tu casa.[16]
  • Vestida de Nit (2017), acompanhada por um quinteto.[13]

Discografia com Las Migas[editar | editar código-fonte]

  • Unas voces com o grupo Las Migas (2005, cd de 5 músicas auto-produzido, trilha sonora da obra de teatro de Joan Penhall).
  • Reinas del matute (2010, Nuevos Medios) com o grupo Las Migas.

Discografia com Llama[editar | editar código-fonte]

  • Llama junto a Ravid Goldschmidt. Voz y hang. (2006, M.A. Recordings).
  • Rompiendo aguas com Llama (2011, Harmonia Mundi). Voz acompanhada de hang por Ravid Goldschmidt.

Colaborações[editar | editar código-fonte]

Com Javier Colina[editar | editar código-fonte]

Outras[editar | editar código-fonte]

  • "Passeig per la memòria", habaneras com o grupo Duet (2000, Audiovisuals de Sarrià).
  • "9 muses" de Sergi Sirvent (2003, Fresh Sound New Talent).
  • "Trampa" do grupo catalão Möondo (2005, Ventilador Music).
  • "De Benidorm a Benicassim" de Luis Troquel (2005, K Industria Cultural).
  • "Joan Monné Nou Nonet" de Joan Monné (2005, Contrabaix).
  • "Barcelona Intimíssimo Café" de Burruezo & Bohemia Camerata (2005, K-Industria Cultural), voz em alguns temas.
  • "Immigrasons", (2006, Discmedi) projeto catalão-argentino com Raül Refree e Ernesto Snajer.
  • "Per al meu amic, Serrat" (2006, Discmedi), canta a música "Menuda" em homenagem a Joan Manuel Serrat.
  • "We Sing Bill Evans" com Joan Díaz Trio (2008, Fresh Sound).
  • "Un sordo s'ho escoltava" com o grupo Xalupa (2010, Temps Record).
  • "Sensación térmica" (2013, Warner Music) de Kiko Veneno. Colaboração no tema "Namasté".
  • "Blancanieves" (TSO do filme Blancanieves de Pablo Berger). Universal Music, 2013.
  • Antología desordenada (2014, Sony Music) de Joan Manuel Serrat, no Cd2 canta "Plany al mar".
  • "Perfectes estúpids humans" (2015, autoedición), primeiro disco do grupo de Palafrugell La Torre del Tigre, com o tema "Simfonia de babaus".
  • 14 de ciento volando de 14 (2016, Sony Music) de Joaquín Sabina e Pedro Guerra, junto a Jorge Drexler canta o tema "Sin puntos ni comas".
  • Paz (2017, autoeditado) de Guillermo Rizzotto Trío, Pérez Cruz canta "Tonada de luna llena" de Simón Díaz.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

  • Cerca de tu casa (2015), drama musical. Atriz e compositora da trilha sonora (CD "Domus" - 2016)

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Prêmios Goya[editar | editar código-fonte]

Año Categoría Película Resultado
2017 Melhor atriz revelação Cerca de tu casa Indicada
Melhor canção original Vencedora
2012 Melhor canção original Blancanieves Vencedora

Outros prêmios[editar | editar código-fonte]

  • IX Prêmios Gaudí. Melhor música original, Cerca de tu casa, 2017.[17]
  • Prêmios Butaca pela composição das trilhas sonoras das obras teatrais ‘Terra Baixa’ (Lluís Homar) (2015)[18] e ‘Informe per a una acadèmia’ (Ivan Benet) (2014).[19]
  • Prêmio Rolling Stone Espanha "Melhor grupo/solista do ano" por Granada (2014).[20]
  • Disco do ano Rockdelux por Granada (2014).[21]
  • Premio Altaveu "Millor Disc" por Granada (2014)
  • Premiada como melhor cantora nos prêmios Altaveu 2009, e também com o tema "'Covava l'ou de la mort blanca'" ganha o prêmio de melhor composição Miquel Martí i Pol 2009, musicando este poema de Maria Mercè Marçal.
  • Em 2012, o disco "En la imaginación" de Sílvia Pérez Cruz y Javier Colina Trio, ganha o prêmio Melhor álbum de jazz e músicas contemporâneas na IV Edição dos Premios de la Música Independiente. O mesmo disco foi premiado em 2011 com o prêmio ARC (Associação de Representantes, Promotores e Managers da Catalunha) na categoria de jazz e blues.

Referências

  1. «Espanhola Sílvia Pérez Cruz atua no Convento São Francisco, em Coimbra». RTP. Rádio e Televisão de Portugal. 23 de maio de 2017. Consultado em 31 de julho de 2017 
  2. a b «Sílvia Pérez Cruz debuta como actriz de cine en 'Cerca de tu casa'». La Vanguardia (em espanhol). La Vanguardia. 5 de fevereiro de 2015. Consultado em 31 de julho de 2017 
  3. «Silvia Pérez Cruz actúa esta noche en Sagunt a Escena». Ayuntamiento de Sagunto (em espanhol). Ayuntamiento de Sagunto. 21 de julho de 2017. Consultado em 31 de julho de 2017 
  4. Barrena, Begoña (24 de novembro de 2009). «'El jardí dels cinc arbres' Y sin embargo, se hace largo». El País (em espanhol). El País. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  5. «El Any Espriu arranca con un gran acto en el Palau de la Música». La Vanguardia (em espanhol). La Vanguardia. 23 de janeiro de 2013. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  6. «La cantante Silvia Pérez Cruz llevará el lunes al Teatro Lope de Vega su montaje 'Vestida de Nit'». 20 Minutos (em espanhol). 20 Minutos. 20 de maio de 2017. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  7. «Cantautora de lo indefinible». El País (em espanhol). El País. 9 de abril de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  8. «Silvia Pérez Cruz presenta su primer disco en solitario, "11 de novembre"». RTVE (em espanhol). RTVE España. 14 de abril de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  9. «Goya.- 'No te puedo encontrar', de la película 'Blancanieves', Mejor Canción Original». Europa Press (em espanhol). Europa Press. 18 de fevereiro de 2013. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  10. «"La meva petita revolució sempre ha estat emocional"». El Punt Avui (em catalão). El Punt Avui. 17 de fevereiro de 2016. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  11. «Goya 2017: Silvia Pérez Cruz, mejor canción original». La Vanguardia (em espanhol). La Vanguardia. 5 de fevereiro de 2017. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  12. «Sílvia Pérez Cruz canta a los desahuciados tras ganar el Goya». Verne - El País (em espanhol). El País. 4 de fevereiro de 2017. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  13. a b «Sílvia Pérez Cruz: "'Vestida de nit' és un disc amb una energia molt de directe"». Emporda (em catalão). Emporda. 9 de maio de 2017. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  14. Spain, ROCKDELUX, Barcelona,. «SÍLVIA PÉREZ CRUZ. "11 de novembre". ROCKDELUX (2012)». ROCKDELUX. Consultado em 23 de junho de 2017 
  15. Palacios, Iñigo López (29 de abril de 2014). «Estrenamos 'granada', el disco de Sílvia Pérez Cruz y Raül Fernández Miró». EL PAÍS (em espanhol). Consultado em 23 de junho de 2017 
  16. País, El (23 de fevereiro de 2016). «Escucha en exclusiva el nuevo disco de Sílvia Pérez Cruz». EL PAÍS (em espanhol). Consultado em 23 de junho de 2017 
  17. «Millor música original: Sílvia Pérez Cruz per "Cerca de tu casa"». 29 de janeiro de 2017. Consultado em 23 de junho de 2017 
  18. BARCELONA, EL PERIÓDICO / (23 de novembro de 2015). «'El rei Lear' y 'Terra baixa' se reparten los Premis Butaca». El Periódico (em espanhol). Consultado em 23 de junho de 2017 
  19. «XX Edició 2014 | Premis Butaca». Premis Butaca (em espanhol). Consultado em 23 de junho de 2017 
  20. «Vetusta Morla, protagonistas de los premios Rolling Stone 2014». La Vanguardia. Consultado em 23 de junho de 2017 
  21. Spain, ROCKDELUX, Barcelona,. «Sílvia Pérez & Raül Fernandez. "granada". ROCKDELUX (2014)». ROCKDELUX. Consultado em 23 de junho de 2017