Silvio Santos e Suas Colegas de Trabalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde março de 2019). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Silvio Santos e Suas Colegas de Trabalho
Álbum de estúdio de Silvio Santos
Lançamento 1974
Gênero(s) Músicas Tradicionais / Músicas Regionais
Formato(s) Long Play
Gravadora(s) RCA Victor
Cronologia de Silvio Santos
Silvio Santos e Suas Colegas de Trabalho - Show de Alegria‎
(1974)

Silvio Santos e Suas Colegas de Trabalho é o primeiro álbum musical do Silvio Santos[1][2]. Atualmente raro, o álbum foi lançado em formato LP pelo selo RCA Victor em 1974[3].

Estão presentes neste álbum as músicas utilizadas no Programa Silvio Santos, entre elas, "Silvio Santos Vem Aí"[4]. Um outro destaque deste álbum é a faixa "Cosa Nostra", onde Silvio homenageia os principais comunicadores radiofônicos da primeira metade dos anos 1970 nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo (Hélio de Araújo, Paulo Moreno, Omar Cardoso, Marcos Baby Durães, Odair Marzano, entre outros), dizendo: "Haroldo de Andrade, é coisa nossa. Barros de Alencar, é coisa nossa; Paulo Giovanni, é coisa nossa..."[5].

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

A faixa "Silvio Santos Vem Aí" foi erroneamente creditada no álbum pela gravadora como tendo sido composta por Heitor Carillo. Em 2001, Archimedes Messina, o verdadeiro autor, entrou na Justiça cobrando os seus direitos por danos morais e materiais pelo uso da música[6]. Segundo ele, a música foi criada em 1965, quando Silvio Santos o encontrou no corredor da rádio Nacional de SP, e disse: "Messina, estou querendo uma musiquinha para o meu programa, alguma coisa para anunciar a minha chegada"[7]. Messina conta ainda que "na época, Silvio pagou o equivalente a uns R$ 10 mil ao estúdio onde eu trabalhava para ter o jingle pronto, gravado com orquestra. Dessa quantia, recebi o que hoje seriam uns R$ 700"[7].

Em 2011, a Justiça deu ganho de causa a Archimedes Messina. No processo, o SBT alegou que o jingle era de autoria de Heitor Carillo, como está registrado no encarte do LP. Porém, o próprio Carillo negou e afirmou que a música foi de fato criada por Messina[7][8]. Foi por conta disso que a música deixou de ser usada nos programas do Silvio Santos de 2011 a 2013, quando o SBT fez um acordo com o Archimedes Messina[9], e pagou o que lhe devia.

A música foi usada pela primeira vez no programa de rádio que Silvio apresentava. Após se tornar marca registrada do programa de rádio, a música seguiu com o apresentador para sua estreia na TV Globo, um ano depois. Em pouco tempo, caiu na boca do povo, virou marchinha de Carnaval e até hoje abre a atração do apresentador, no SBT[7].

Faixas[editar | editar código-fonte]

Lado A

1. Medley I:

2. É Hora de Brincar (Heitor Carillo/Jobá)
3. Medley II:

  • Pequeno Mundo [It's A Small World] (Richard Sherman/Robert Sherman/Versão: Rogério Cardoso)
  • Dó-Ré-Mi [Do Re Mi] (Richard Rodgers/Oscar Hammerstein II/Versão: Nazareno de Brito)
  • A Viúva Alegre (Franz Lehar)

4. Medley III:

  • Cosa Nostra (Jorge Ben Jor)
  • Ay Jalisco no Te Rajes (Manuel Esperón/Ernesto M. Cortazar)
  • Rancho Alegre (Felipe Bermejo)
  • Alla En El Rancho Grande (Emilio Uranga/Silvano Ramos/Juan Diaz Del Moral)

5. Medley IV:

  • Bom Dia Amigo (Abílio Manoel)
  • Temas Clássicos (Adpt. Jobá)
  • Sorria (Heitor Carillo)
Lado B

6. Medley V:

  • Abertura Cigana (Adpt. Jobá)
  • Toi Toi Toi (Jean Kluger)
  • Cisne Branco [Canção do Marinheiro] (Antônio Manoel do Espírito Santo/Benedito Xavier de Macedo)

7. Medley VI:

  • Brasil Maravilha (Bobby Hilton/Jotagê/D. Teixeira)
  • Prenda Minha (Tradicional)
  • No Ceará Não Tem Disso Não (Guio de Morais)
  • Paraíba (Luiz Gonzaga/Humberto Teixeira)
  • Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso)
  • Oh! Minas Gerais [Vieni Sul Mar] (Tradicional)
  • Sonhei Que Estava Em Pernambuco (Clóvis Mamede)
  • Peguei Um Ita No Norte (Dorival Caymmi)
  • Cidade Maravilhosa (André Filho)
  • Ê São Paulo (Alvarenga/Ranchinho)
  • O Brasil Merece o Nosso Amor (Juna/Sidmo)

8. Medley VII:

  • Dorinha Meu Amor (José Francisco de Freitas)
  • Gosto Que Me Enrosco (J. B. da Silva "Sinhô")
  • Não Tenho Lágrimas (Max Bulhões/Milton de Oliveira)
  • Gavião Calçudo (Pixinguinha/Cícero de Almeida)
  • Jura (J. B. da Silva "Sinhô")
  • Capim Gordura (Laércio de Freitas)

9. Medley VIII:

  • La Raspa (Nacho Garcia)
  • Colonel Bogey (Kenneth J. Alford)
  • O Brasil Merece o Nosso Amor (Juna/Sidmo)
  • Shalon (Tradicional/Adpt. Heitor Carillo)

10 .Medley IX:

  • O Boi Vai Atrás (João da Praia)
  • Minhocão (Monalisa/Paschoal Roy)
  • O Que Será Que as Outras Tem Que a Linda Não Tem (Demétrius)
  • Valsa Da Despedida (Robert Burns/Vrs. David Nasser)

Referências

  1. Info do álbum no site do Instituto Memória Musical Brasileira
  2. tvcultura.com.br/ Direto do Baú da Cultura - Silvio Santos em LP
  3. cultura.estadao.com.br/ História de Silvio Santos ganha exposição interativa no MIS
  4. obaudosilvio.com/ 80 anos, 80 curiosidades
  5. radios.ebc.com.br/ Áudio de 1974: Silvio Santos faz homenagem a comunicadores do rádio
  6. folha.uol.com.br/ Silvio Santos pode perder o seu "lá, lá, lá, lá..."
  7. a b c d folha.uol.com.br/ SBT recorre no caso "Silvio Santos Vem Aí"
  8. veja.abril.com.br/ SBT vai recorrer da decisão que cassa jingle ‘Silvio Santos Vem Aí’
  9. mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/ Silvio Santos faz acordo com autor e volta a usar o jingle de seu programa