Simbácio III de Clarjétia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Simbácio III de Clarjétia
Rei de Clarjétia
Reinado 993 - 1011
Antecessor(a) Davi II
Sucessor(a) Nenhum
Morte 1011
Pai Pancrácio II

Simbácio III ((em grego: Συμβάτιος; romaniz.: Symbátios; em armênio/arménio: Սմբատ; romaniz.: Smbat; em georgiano: სუმბატი; 1011) foi um príncipe georgiano da dinastia Bagrationi de Tao-Clarjétia e último soberano de Clarjétia de 993 até ser deposto pelo rei Pancrácio III da Geórgia em 1011.

História[editar | editar código-fonte]

Um filho de Pancrácio II (m. 988) e neto de Simbácio II de Clarjétia, Simbácio ascendeu ao trono depois da morte de seu tio paterno Davi II, que não tinha filhos, como soberano de Clarjétia, uma posição que dividiu com seu irmão Gurgen. O cronista georgiano bagrátida do século X, Simbácio, filho de Davi, atribui-lhes o título real de klarjni khelmtsipeni (კლარჯნი ჴელმწიფენი). Simbácio e Gurgen governaram sobre uma porção do território hereditário dos bagrátidas que ainda estava fora do controle do primo distante deles, Pancrácio III, que se tornara rei de uma Geórgia unificada em 1008. Em 1011, os irmãos foram convidados por ele para negociar no castelo de Panaskerti, mas foram presos e mantidos cativos no castelo de Tmogvi, onde terminaram sendo executados. Suas posses foram confiscadas por Pancrácio e seus filhos. Os filhos dos dois - Pancrácio, filho de Simbácio, e Demétrio, filho de Gurgenes - fugiram para Constantinopla de onde tentariam recuperar suas terras com a ajuda dos bizantinos em várias ocasiões, a última delas em 1032, todas sem sucesso.[1]

Referências

  1. Toumanoff 1967, p. 498.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Toumanoff, Cyril (1963). «Studies in Christian Caucasian History». Georgetown University Press