Simbácio VI Bagratúnio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Simbácio VI Bagratúnio
Nascimento ca. 670
Morte 726
Etnia Armênio
Religião Catolicismo

Simbácio VI Bagratúnio (em grego: Συμβάτιος; romaniz.: Symbátios; em armênio: Սմբատ Զ Բագրատունի; romaniz.: Smbat VI Bagratuni) foi um nobre da família Bagratúnio e príncipe da Armênia de 691 a 711. Era filho de Basterotzes III. Foi nomeado príncipe pelo califa omíada Abedal Maleque ibne Maruane (r. 685–705) em resposta a nomeação de Narses V Camsaracano pelo imperador Justiniano II. Ele teve de enfrentar um exército árabe invasor sob Maomé ibne Maruane

Vida[editar | editar código-fonte]

Soldo de Justiniano II (r. 685-695; 705-711)

Era filho de Basterotzes III, morto pelos bizantinos cerca de 675.[1] Com a morte de Asócio II em luta contra o imperador Justiniano II, o último ocupou o país e nomeou Narses V Camsaracano como príncipe. Mas o califa Abedal Maleque ibne Maruane (r. 685–705) em seguida tomou controle do país e nomeou Simbácio como príncipe. Para vingar seu pai, executou todos os bizantinos residentes na Armênia, mas também enfrentou um exército árabe sob Maomé ibne Maruane, que assolava o país para colocá-lo sob a autoridade direta do califa. Seu tenente Abedalá ibne Hatim Albaili quis por fim às revoltas armênias e capturar os principais religiosos e príncipes, até Simbácio, que em 695 ficou em prisão domiciliar em Damasco.[2]

Foi libertado em 697 e teve que lutar no ano seguinte contra um exército bizantino enviado por Tibério III (r. 698–705). A batalha entre os dois exércitos deixou-os exaustos. Então ataca Maomé ibne Maruane e o derrota, mas a ameaça árabe o força a buscar a aliança grega. Tibério nomeia-o curopalata e Simbácio lidera a Armênia em nome do Império Bizantino. Ele negocia a paz com o califa, mas com a morte do último e com o advento de seu sucessor, Ualide I (r. 705–715), as perseguições continuam. Simbácio se alia novamente com os bizantinos e a paz com o califa mais uma vez foi concluída, ele aceita a suserania árabe, renuncia ao seu cargo de príncipe e se retira em seus domínios. A Armênia é liderada por um governador árabe, Abdalazize ibne Hatim Albaili.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Narses V Camsaracano
Príncipe da Armênia
691–711
Sucedido por
Artavasdes Camsaracano

Referências

  1. Settipani 2006, p. 333-338.
  2. a b Grousset 1947, p. 307-314.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Grousset, René (1947). Histoire de l'Arménie: des origines à 1071. Paris: Payot 
  • Settipani, Christian (2006). Continuidade das elites em Bizâncio durante a idade das trevas. Os príncipes caucasianos do império dos séculos VI ao IX. Paris: de Boccard. ISBN 978-2-7018-0226-8