Simonida Paleóloga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Simonida
Rainha-consorte da Sérvia
Afresco de Simonida no Mosteiro Gračanica, na Sérvia.
Reinado 12991321
Consorte Estêvão Milutino
Antecessor(a) Ana Terter da Bulgária
Sucessor(a) Teodora Emiltzos da Bulgária
Dinastia Paleólogo (por nascimento)
Nemanjić (por casamento)
Nascimento 1294
  Constantinopla, Império Bizantino
Morte Depois de 1336
  Constantinopla, Império Bizantino
Pai Andrónico II Paleólogo
Mãe Irene de Monferrato

Simonida Paleóloga ou Simonida Nemanjić (em sérvio: Симонида Немањић), nascida Simonis (em grego: Σιμωνίς Παλαιολογίνα), era uma princesa bizantina, filha do imperador Andrónico II Paleólogo e de Irene de Monferrato. Ela foi rainha-consorte da Sérvia, como a quarta esposa do rei Estêvão Milutino

Vida[editar | editar código-fonte]

Simonida nasceu em Constantinopla por volta de 1294. Quatro anos depois, como resultado de uma derrota bizantina, o imperador bizantino Andrônico II prometeu uma aliança matrimonial ao monarca sérvio Estêvão Milutino. O plano era casar sua irmã Eudóxia, a imperatriz-mãe de Trebizonda, mas ela se recusou veementente e a pequena Simonida, com apenas 5 anos de idade, foi então prometida.[1][2] O clero da capital se opôs ao casamento, mas o imperador estava determinado a prosseguir e, no final de 1298, enviou seu confiável ministro Teodoro Metoquita ao Reino da Sérvia para terminar as negociações. De sua parte, Milutino estava ansioso para prosseguir e chegou até a se divorciar de sua terceira esposa, Ana Terter da Bulgária, filha do tsar búlgaro Jorge Terter.[1]

O casamento foi celebrado em Tessalônica na primavera de 1299 e o casal seguiu para a Sérvia em abril.[1] De acordo com algumas fontes bizantinas, Milutino não queria esperar até que Simonida atingisse a maioridade antes de consumar seu casamento, o que teria danificado o útero da princesa, impedindo-a de ter filhos.[3] Quando o fato se tornou conhecido, a imperatriz Irene, que era a segunda esposa de Andrônico II e esperava utilizar o casamento para avançar os objetivos de sua família, ofereceu um de seus filhos para Milutino adotasse como herdeiro.[1]

Depois da morte do marido em 1321, Simonida voltou para Constantinopla e enrtou para o Mosteiro de Santo André em Krisei, onde morreu em algum momento depois de 1336.[1]

Legado[editar | editar código-fonte]

A beleza de Simonida era bem conhecida e ela se tonrou uma figura de pureza e beleza na tradição sérvia. Um afresco dela no Mosteiro Gračanica é considerado um dos mais valiosos da arte sérvia (vide imagem). Infelizmente, ele está parcialmente destruído, pois Simonida perdeu os olhos.[2]

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Títulos reais
Precedido por:
Ana Terter
Rainha-consorte da Sérvia
1299–1321
Sucedido por:
Teodora Emiltzos

Referências

  1. a b c d e Kazhdan, Alexander, ed. (1991). Oxford Dictionary of Byzantium. [S.l.]: Oxford University Press. p. 1901. ISBN 978-0-19-504652-6 
  2. a b SVETORODNA LOZA NEMANJIĆA (sérvio)
  3. http://www.sciencedirect.com/science/article/B6V7N-40NNK9N-9/2/232c36675a0ce627ec507b0a6e77e937
  4. Cawley, Charles (28 de outubro de 2008), Byzantium 1261-1453, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy , Predefinição:Self-published inline[precisa-se de fonte melhor?]
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Simonida Paleóloga