Sinsariscum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sinsariscum
Rei da Assíria
Rei da Babilônia
Rei do Universo
Carta de Sinsariscum para Nabopolassar da Babilônia no Metropolitan Museum of Art.
Rei do Império Neoassírio
Reinado 626/623 a.C. - 612 a.C.
Predecessor Assuretililani/Sinsumulisir
Sucessor Assurubalite II
Rei da Babilônia
Reinado 626 a.C. - 620 a.C.
Predecessor Sinsumulisir
Sucessor Nabopolassar
Dinastia sargonida
Nome completo Sîn-šarru-iškun
Nascimento Século VII a.C.
Morte 612 a.C.
  Nínive
Pai Assurbanípal
Mãe Libalisarrate

Sinsariscum[1] (em acádio: Sinsharishkun in Akkadian.png; romaniz.: Sîn-šar-iškun , lit. "Sim estabeleceu o rei") foi o segundo filho de Assurbanípal e penúltimo rei da Assíria que reinou entre 626/623 a.C. até 612 a.C..

Depois da morte do grande rei Assurbanípal em 627 a.C., seu filho Sinsariscum foi declarado rei, mas seu irmão Assuretelilani conseguiu ocupar o trono em Nínive, enquanto Sinsariscum ficou com suas tropas na região leste do país.[carece de fontes?]

Reinado[editar | editar código-fonte]

A disputa terminou com a morte deste último com Nipur, o que motivou que Sinsariscum abandonasse a Babilônia e fosse encaminhado a Nínive para ocupar o trono da Assíria, muito mais importante que o da Babilônia. Pouco depois, o caldeu Nabopolassar, cabeça do país do mar, com as mãos livres e aproveitando as dificuldades internas da Assíria, se lançou para atacar cidades Uruque e Nipur, deixando a Suméria e a Acádia livres.[2]

Mesmo em um ousado, a RAID poderia colocar cerco à própria Assur, a antiga capital assíria. A estes confrontos armados junta-se a presença das tropas dos medos, que, lideradas por Ciaxares, filho de Fraortes, avançaram sobre Arrafa, Nipur e por último Assur, a cidade que não aguentou.[2]

Nabopolassar, já entitulado rei da Babilônia e à luz desses acontecimentos, preferiu negociar com os medos e selou um tratado com Ciaxares, o qual foi reforçado com um casamento político entre seu filho Nabucodonosor II e Amitis, a neta do rei medo. Sinsariscum mal conseguia reagir a essas ações.[2]

Em 612 a.C., os medos, citas e caldeus sitiaram Nínive, cidade que, apesar de sua resistência inicial, foi finalmente tomada e saqueada, e Sinsariscum morreu durante a batalha. De acordo com a Crônica Babilônica, algumas tropas assírias conseguiram sobreviver e se reorganizarem por um oficial assírio (que assumiu o nome de Assurubalite II), não conseguindo fugir do país de Harã.[2]

Referências

  1. Reichert 1972, p. 26.
  2. a b c d «Biography of King of Asiria Sin-Shar-Ishkun (623-612 a.C.)». thebiography.us (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Reichert, Rolf (1972). História da Palestina: dos primórdios aos nossos dias. Barcelona: Herder