Sistema Integrado de Transporte em São Luís

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sistema Integrado de Transporte
Logotipo do SIT São Luís.jpg
Viação Primor 400-112.jpg
Ônibus da Primor no Terminal Praia Grande, em 2016
Informações
Local São Luís, Maranhão
 Brasil
Tipo de transporte BSicon BUS.svg Ônibus
Número de linhas 165
Tráfego Cerca de 700.000 passageiros/dia útil
Funcionamento
Início de funcionamento 8 de setembro de 1996 (20 anos)
Operadora(s) SMTT (Prefeitura de São Luís)
Número de veículos 926
Comprimento dos veículos 7,5 m (Micro-ônibus)
14 m (Convencional)
15 m (Padron)
18,6 m (Articulado)
Dados técnicos
Velocidade média 60 km/h (37,3 mph)
Mapa da rede

Mapa do SIT São Luís.jpg

O Sistema Integrado de Transporte (popularmente conhecido como SIT) é o transporte público por ônibus do município de São Luís, capital do estado do Maranhão. Foi criado pela prefeitura municipal em 1996, a partir da inauguração do primeiro terminal de ônibus da cidade. É administrado pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT), com a concessão outorgada a quatro consórcios/empresas privados divididos também em quatro lotes, onde são responsáveis pela manutenção e operação de todo o sistema. Por ser o único meio de transporte de massa da capital, estima-se que cerca de 700.000 pessoas o utilizem diariamente.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Pré-implantação e primeiros anos[editar | editar código-fonte]

O município de São Luís e as demais localidades da Ilha de São Luís dependem há anos do transporte público, devido ao crescimento desordenado e a centralização da maioria dos serviços na região central da capital. Desde a segunda metade do século XX, os ônibus, e até a década de 1960 os bondes foram os principais meios de locomoção dos habitantes. Até a década de 1990, praticamente todas as localidades da cidade possuíam linhas de ônibus para o Centro, e em muitos bairros o serviço era monopolizado por apenas uma empresa de ônibus.

Em 31 de janeiro de 1996, na gestão da prefeita Conceição Andrade, foi sancionada a lei municipal nº 3430, que deixou sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SEMTUR) a gestão, fiscalização, operação e execução do transporte público da capital, e a elaboração das linhas de ônibus e contratação das empresas para a operação do serviço.[2] Em 8 de setembro do mesmo ano, foi inaugurado o Terminal da Praia Grande, marco inicial do Sistema Integrado de Transporte, e boa parte das linhas existentes até então foram integradas ao terminal.

A partir de 2004, na gestão do prefeito Tadeu Palácio, começa a expansão do SIT, com a construção de mais quatro terminais de integração e a divisão do sistema em seis áreas operacionais: Praia Grande, São Cristóvão, Distrito Industrial, Cohab-Cohatrac, Cohama-Vinhais e Rio Anil. No fim da década, as linhas semiurbanas passaram a ser integradas ao SIT, e o sistema passou a atender também aos municípios de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

Licitação do sistema[editar | editar código-fonte]

Micro-ônibus da Ratrans em 2016

Inicialmente, todas as empresas de ônibus que operavam até 1996 foram contratadas em caráter emergencial, e haviam planos para uma licitação em no máximo 10 anos, com a data limite em 2006. Porém, isso não ocorreu, e por 20 anos o transporte público ficou sendo operado sem licitação, o que ocasionou aumentos nas tarifas, paralisações, cartelização e outros problemas. Em 7 de julho de 2010, o Ministério Público do Maranhão moveu uma ação civil pública contra a Prefeitura de São Luís, então sob a gestão do prefeito João Castelo, por conta dos reajustes nas tarifas de ônibus. Após firmarem um Termo de Ajustamento de Conduta, ficou prevista uma licitação do sistema em até 180 dias, o que mais uma vez não ocorreu.[3][4]

Em 2015, na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, a Câmara Municipal aprovou o projeto de Lei Complementar nº 141, que estabeleceu novas normas para a operação do Sistema Integrado de Transporte, bem como a adição de novas especificações, como 100% da frota adaptada para portadores de deficiência física e com ar condicionado, e idade média da frota, que agora passará a ser de 10 anos (12 para ônibus articulados).[5] Em 28 de março de 2016, a prefeitura lançou o edital da concorrência nº 004/2016, que licitava as linhas urbanas do SIT,[6][7] ao mesmo tempo que as semiurbanas passaram a ficar sob a responsabilidade do Governo do Estado do Maranhão, por meio da Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB). A licitação foi encerrada em 17 de julho, com a convocação dos 4 consórcios/empresas vencedores para a assinatura dos contratos de concessão. Com isso, o número de empresas que operavam no SIT caiu de 27 para 11.[8]

Características[editar | editar código-fonte]

Divisão das linhas[editar | editar código-fonte]

O SIT possui atualmente 165 linhas de ônibus, onde operam 926 veículos. A tarifa atual é de R$ 2,90, valendo para as 126 linhas que circulam nos terminais de integração, além de 4 linhas expressas. Algumas das linhas não integradas, que operam na região central da cidade e na área Itaqui-Bacanga, possuem tarifas de R$ 2,20 (10 linhas) e R$ 2,50 (25 linhas).

As linhas de ônibus atualmente são divididas desta forma:

  • Troncais - Linhas que utilizam o prefixo "T", ligam os principais bairros e o Centro através das vias mais importantes da cidade, e são integradas em um ou mais terminais de integração. Algumas linhas expressas são classificadas como troncais e possuem a mesma tarifa de linhas integradas, porém não passam em terminais.
  • Alimentadoras - Linhas que utilizam o prefixo "A", ligam os bairros apenas a terminais próximos. Algumas tem como ponto final o próprio terminal, ao invés do bairro.
  • Circulares - Linhas que utilizam o prefixo "C", que possuem um trajeto de ida diferente da volta, tendo geralmente como ponto inicial e final um terminal de integração. Um exemplo de linha circular é a 080, porém, seu ponto final é fora de um terminal.
  • Remanescentes - Linhas que utilizam o prefixo "R", que não são integradas e em sua maioria eram existentes antes da criação do SIT. Embora existam atualmente 33 linhas de ônibus nesta condição (desconsiderando as integradas), apenas a linha 901 utiliza esse prefixo.
  • Executivas - Linhas que utilizam o prefixo "E", logo após sua numeração. Possuem caráter executivo, e portanto, não são integradas. Foi abolido em 2016, e as três linhas que existiam na época ganharam status de expressas.

Pintura dos ônibus[editar | editar código-fonte]

Ônibus da Solemar com a pintura do Consórcio São Cristóvão, usada entre 2004 e 2015
Ônibus da Ratrans com a pintura adotada entre 2015 e 2016

Antes da implantação do SIT, cada empresa de ônibus possuía uma pintura própria para seus veículos, que variavam entre cores personalizadas, "saia e blusa" ou monocromáticas. Em 1996, os primeiros ônibus foram pintados com a cor padrão do sistema, que era branca, com uma faixa amarela acima das portas e janelas e outra grená na parte inferior (exceto os para-choques, que eram amarelos). O espaço branco, além do prefixo e do nome da empresa, possuía a inscrição "Integração", com o antigo logo do SIT.

A partir de 2004, com a construção dos quatro novos terminais de integração, essa pintura foi substituída por outras cinco com as cores referentes a cada terminal: Laranja e branco para o Terminal Praia Grande, amarelo para o Terminal São Cristóvão, azul claro para o Terminal Distrito Industrial, verde para o Terminal Cohab-Cohatrac e vermelho para o Terminal Cohama-Vinhais. Linhas que faziam parte do Consórcio Rio Anil, possuíam ônibus na cor branca, e as linhas semi-urbanas que foram inseridas no sistema no fim da década de 2000 possuíam a cor azul escuro (São José de Ribamar e Paço do Lumiar) e cinza (Raposa).

Em 28 de outubro de 2015, pouco antes da licitação do sistema, a SMTT decidiu novamente modificar a pintura dos ônibus da cidade, visto que com o passar dos anos várias empresas haviam colocado ônibus de pinturas diferentes em linhas que não correspondiam ao terminal onde passavam, mas sim a área onde atuavam. Com isso, foi desenvolvida uma pintura única nas cores azul e cinza. Em 13 de julho de 2016, porém, novamente a pintura foi alterada, desta vez para uma na cor amarela citrus, com os caracteres em preto. E o prefixo, que antes obedecia a uma sequência de 5 números (XX-XXX), passou a ter uma de 6 números (XXX-XXX).[9][10]

Bilhetagem[editar | editar código-fonte]

Antes da digitalização da bilhetagem, os usuários podiam comprar passe escolar e vale-transporte autorizados pelo Sindicato das Empresas de Transporte de São Luís em vários pontos de venda. A bilhetagem foi digitalizada a partir de 2006, quando os primeiros validadores começaram a ser instalados nos ônibus.[11] A partir de 2014, esses validadores foram substituídos por novos com biometria facial para a prevenção de fraudes no sistema.[12]

Atualmente, os tipos de cartão de transporte utilizados na bilhetagem do SIT são estes:

  • Cartão Criança - Foi instituído em 8 de agosto de 2016, e é oferecido para crianças de 4 a 7 anos de idade (podendo ser utilizado até os 8 anos de idade), com base na lei de gratuidade para menores de 7 anos, evitando que os mesmos pulem ou passem por baixo da catraca para utilizar o ônibus.[13]
  • Meia Passagem / Cartão Estudantil - Foi instituído em 28 de setembro de 1979 pelo prefeito Mauro Fecury, após as manifestações da Greve da Meia Passagem. É oferecido para estudantes do ensino primário e ensino superior a partir do cadastro enviado pelas instituições onde se matricularam. Além do direito a meia-passagem, o portador tem direito a meia-entrada em eventos que disponibilizam esta opção.
  • Vale-transporte - É oferecido pelas empresas aos empregados para cobrir a despesa de deslocamento ao trabalho, mediante o encargo aprovado na década de 1980 pelo Ministério dos Transportes. Pode ser retirado no SET assim como os antigos vales impressos de antes da bilhetagem eletrônica, mediante a apresentação do RG e do CPF.
  • Passe Livre / Idoso - É oferecido para pessoas portadoras de deficiência física ou com mais de 60 anos, assegurando a estes a gratuidade no transporte público. No caso do Passe Livre, o usuário deve se submeter a uma avaliação médica para obter o benefício.

Os cartões de Meia Passagem, Estudantil e Vale-transporte são recarregáveis em qualquer terminal de integração e nas sedes do Sindicato das Empresas de Transportes (SET) e Central Estudantil (CES). Em 4 de agosto de 2015, foi implantada também a recarga embarcada, onde o usuário pode comprar os créditos via internet e pagar o boleto bancário, com o saldo sendo debitado a partir da próxima utilização do cartão nos validadores dos ônibus ou dos terminais.[14]

Bilhete Único[editar | editar código-fonte]

O Bilhete Único foi implantado em 14 de dezembro de 2015 pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior.[15] Funciona como uma forma de baldeação entre linhas de ônibus com tarifa de R$ 2,90 sem a necessidade de utilizar os terminais de integração. O passageiro pode pegar um veículo, pagar a passagem, descer e pegar outro no mesmo sentido em no máximo 1h30 (45 minutos em linhas alimentadoras). Caso pegue outro ônibus, mas em sentido oposto, verá esse tempo cair pela metade.[16] O usuário de vale-transporte que compartilhar o uso do cartão em ônibus diferentes só poderá deixar de pagar uma passagem a cada vez que fizer baldeação.

Lotes operacionais e Empresas/Consórcios[editar | editar código-fonte]

Mapa do SIT com a divisão dos lotes operacionais. A área em branco delimita a região central, com linhas dos quatro lotes

Após a licitação do transporte público em 2016, o SIT ficou dividido em quatro lotes operacionais, onde operam 11 empresas divididas em 4 consórcios (com exceção do Lote 4, que é de apenas uma empresa).[17] Todos os lotes possuem linhas que operam na região central da cidade, que anteriormente eram do Consórcio Rio Anil.

Lote 1 - Consórcio Central[editar | editar código-fonte]

Nome fantasia Razão social Prefixo (100-000)
Taguatur Taguatur - Taguatinga Transporte e Turismo Ltda. 001 ao 499
Ratrans Rio Anil Transporte e Logística Ltda. 500 ao 999

O Lote 1 é em sua maioria composto por linhas integradas aos terminais do Distrito Industrial e Praia Grande. Ele cobre a área Itaqui-Bacanga, na margem esquerda do Rio Bacanga, onde reside boa parte da população ludovicense e também onde ficam os portos da cidade, como o Itaqui e a Ponta da Madeira, fundamentais para a economia e exportação maranhense, além de empresas como a Companhia Vale e também a Universidade Federal do Maranhão. Também cobre a zona rural, onde a população é usuária cativa dos ônibus e onde ficam também várias fábricas e indústrias do município, como a Alumar.

Lote 2 - Consórcio Via SL[editar | editar código-fonte]

Nome fantasia Razão social Prefixo (200-000)
São Miguel Transporte Urbano São Miguel de Uberlândia Ltda. 001 ao 499
Rei de França Expresso Rei de França Ltda. 500 ao 999

O Lote 2 é composto em sua maioria por linhas que integram o terminal Cohab-Cohatrac. Cobre a área onde foram erguidos alguns do primeiros conjuntos habitacionais da cidade, e que hoje são bairros da classe média com relativa atividade comercial no município. Cobre também áreas no sul do município próximas ao Aeroporto Internacional de São Luís e também povoados da Zona Rural localizados próximo a margem da Baía de São José.

Lote 3 - Consórcio Upaon-Açú[editar | editar código-fonte]

Nome fantasia Razão social Prefixo (300-000)
Matos Autoviária Matos Ltda. 600 ao 699
Patrol Patrol Transporte, Construção e Terraplenagem Ltda. 100 ao 199
Viper Viper Transporte e Turismo Ltda. 200 ao 299
Rio Negro Expresso Rio Negro Ltda. 400 ao 499
Aroeiras Viação Aroeiras Ltda. 800 ao 899
Viação Abreu José Arribamar Abreu Ltda. 900 ao 999

O Lote 3 é composto em sua maioria por linhas que integram o terminal São Cristóvão. Cobre uma área onde reside a maior parte da população do município, onde surgiram vários conjuntos habitacionais na década de 1980 e é bastante conurbada com bairros do município de São José de Ribamar. É onde fica também a Universidade Estadual do Maranhão.

Lote 4 - Viação Primor[editar | editar código-fonte]

Nome fantasia Razão social Prefixo (400-000)
Primor Viação Primor Ltda. 001 ao 999

O Lote 4 é composto em sua maioria por linhas que integram o terminal Cohama-Vinhais. Cobre a área nobre da cidade, onde se localizam residências e condomínios de luxo, além do centro financeiro da cidade, nos bairros Renascença e São Francisco. As praias do município também ficam nessa região, além de boa parte das áreas de lazer como casas de shows, casas noturnas, parques, bares e restaurantes.

Antigas empresas[editar | editar código-fonte]

  • Auto Viação Dois Irmãos
  • Autoviária Menino Jesus de Praga
  • Autoviária São Gabriel
  • Cisne Branco Turismo
  • Dois Amigos Transportes
  • Empresa Araçagi
  • Empresa Gonçalves (substituída pela Ratrans)
  • Empresa Rio Claro
  • Empresa Roma
  • Empresa Santo Antônio
  • Empresa São Benedito
  • Empresa São Luís / Transporte Útil
  • Empresa São Marcos
  • ETUR
  • Expresso 2000 / MIP Transportes
  • Expresso Açailândia
  • Expresso Rodoviário 1001 (substituída pela São Miguel)
  • Expresso Tapajós (substituída pela Rio Negro)
  • G.G. Expresso
  • Gemalog Transporte e Logística
  • Solemar Expresso (substituída pela Rei de França)
  • Trans Luminense
  • Trans Premium
  • Trans Requinte / Araújo Transportes
  • Transmil
  • Transportes Coletivos Maranhense
  • Transportes Coletivos Santa Clara
  • Transportes Marina
  • União Transportes / Transportes Joselya
  • Viação da Hora
  • Viação Julle
  • Viação Moraújo (substituída pela Aroeiras)
  • Viação Norte Brasileiro
  • Viação Ipanema
  • Viação Pelé (substituída pela Patrol)
  • Viação Pericumã (substituída pela Viper)
  • Viação Litoral
  • Viatur

Terminais de integração[editar | editar código-fonte]

  • Terminal Praia Grande (Lote 1)
  • Terminal Distrito Industrial (Lote 1)
  • Terminal Cohab-Cohatrac (Lote 2)
  • Terminal São Cristóvão (Lote 3)
  • Terminal Cohama-Vinhais (Lote 4)

Referências

  1. Sousa, Bruno Leonardo Maciel de (2013). «Transporte Coletivo Público na cidade de São Luís - MA: Comparações e pós-implantação do SIT - Sistema Integrado de Transportes» (PDF). UFSCAR. Consultado em 29-01-2013. 
  2. Andrade, Conceição (31-01-1996). «Lei nº 3430 de 31 de janeiro de 1996». Diário Oficial do Município de São Luís. Consultado em 19-09-2016. 
  3. «Licitação do transporte público de São Luís é discutida em audiência». Movimento Nossa São Luís. 04-02-2016. Consultado em 19-09-2016. 
  4. «Câmara aprova projeto de Lei que licita linhas de ônibus em São Luís». G1. 03-12-2015. Consultado em 19-09-2016. 
  5. Rocha, Isaias (03-12-2015). «Após 10 horas de debate, Câmara aprova lei que regulamenta licitação do transporte». Câmara Municipal de São Luís. Consultado em 19-09-2016. 
  6. «Concorrência Pública Nº 004/2016/CPL - Anexo I, Projeto Básico» (PDF). Prefeitura de São Luís. 28-03-2016. Consultado em 19-09-2016. 
  7. «Licitação do Transporte Coletivo do Município de São Luís». SportbuS. 04-04-2016. Consultado em 19-09-2016. 
  8. «Empresas que já operam em São Luís vencem licitação do Sistema de Transporte Coletivo». O Estado do Maranhão. 03-06-2016. Consultado em 19-09-2016. 
  9. «SIT São Luís com novo layout». SportbuS. 22-07-2016. Consultado em 19-09-2016. 
  10. Barros, Canindé (22-06-2016). «Portaria N° 0245 de 13 de julho de 2016». Diário Oficial do Município de São Luís. Consultado em 19-09-2016. 
  11. «Bilhetagem eletrônica será implantada em ônibus da capital». Imirante.com. 22-06-2006. Consultado em 19-09-2016. 
  12. «Biometria facial em ônibus já bloqueou mais de 5,5 mil carteiras». G1. 31-10-2014. Consultado em 19-09-2016. 
  13. «Cartão Criança pode ser solicitado no Terminal da Cohama». O Imparcial. 15-09-2016. Consultado em 19-09-2016. 
  14. «Serviço de recarga poderá ser feito dentro dos ônibus do transporte público». O Imparcial. 15-09-2016. Consultado em 19-09-2016. 
  15. «Prefeitura anuncia implantação do Bilhete Único em São Luís». G1. 02-12-2015, atualizado em 03-12-2015. Consultado em 19-09-2016. 
  16. «Entenda como vai funcionar o Bilhete Único em São Luís». G1. 10-12-2015, atualizado em 14-12-2015. Consultado em 19-09-2016. 
  17. «Licitação: Vencedoras oficiais são divulgadas». SportbuS. 09-07-2016. Consultado em 19-09-2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]