Sistema de ligas de futebol do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A pirâmide do futebol no Brasil consiste em uma série de divisões e competições disputadas por clubes de futebol do Brasil.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Existem três pirâmides simultâneas no futebol brasileiro: a nacional, a regional e a estadual. As competições nacionais são organizadas pela CBF, enquanto as estaduais pelas respectivas federações de cada estado (por exemplo: o Campeonato Paulista é organizado pela Federação Paulista de Futebol, e assim em cada caso), enquanto as regionais tem as suas características próprias. Elas próprias formam uma pirâmide entre si, com as competições estaduais na base, as regionais no meio e as nacionais no topo da pirâmide.

Campeonato Brasileiro[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Campeonato Brasileiro de Futebol

O Campeonato Brasileiro (também chamado de Brasileirão) foi criado em 1959 com o nome de Taça Brasil, mas apenas em 1989 recebeu a designação atual.[1][2] Atualmente está separado em quatro divisões: Série A, Série B, Série C e Série D. A Série A, B e C têm 20 equipes cada e a Série D tem 68 . A Série A dá vagas à Copa Libertadores para os seis times mais bem colocados, e mais seis vagas para à copa sul-americana.[3]

Copa do Brasil[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Copa do Brasil

Participam da Copa do Brasil os vencedores e melhores colocados dos campeonatos estaduais do ano anterior, as equipes com maior colocação no ranking da CBF e os participantes da Copa Libertadores da América. A competição é disputada entre março e novembro. O número de clubes qualificados por estado varia de um a três, excluindo os que já estão classificados de acordo com o ranking. O campeão recebe uma vaga para a Libertadores e para a Copa do Brasil do ano seguinte.

Copas regionais[editar | editar código-fonte]

São copas disputadas por equipes de dois ou mais estados (como o extinto Torneio Rio-São Paulo) ou de determinadas regiões do Brasil. Atualmente existem três de maior importância: a Copa Verde, entre equipes do norte, centro-oeste e do Espírito Santo, e a Copa do Nordeste entre equipes do nordeste. Os campeões de ambas ganham vagas às oitavas-de-final da Copa do Brasil do ano seguinte.[4][5] Em 2016 foi criada a Primeira Liga do Brasil, que reúne clubes da Região Sul, do Rio de Janeiro e de Minas Gerais.

Campeonatos estaduais[editar | editar código-fonte]

Os campeonatos estaduais são competições entre clubes do mesmo estado. A quantidade de divisões varia entre duas, três e quatro, dependendo da federação, assim como o número de clubes em cada uma e quantos são os promovidos e rebaixados (por exemplo: em São Paulo são 16 clubes na primeira divisão, no Rio de Janeiro 16 e em Rondônia apenas 8). Dão vaga à Série D do Brasileirão para os times mais bem colocados que já não disputem outras divisões do certame[6] e também para a Copa do Brasil (o número de vagas para cada varia pelo ranking da CBF São os campeonatos de futebol mais antigos do país.[7]

Copas estaduais[editar | editar código-fonte]

Também jogadas entre times do mesmo estado. Os campeões podem ter direito a vaga na Copa do Brasil. São disputadas por equipes que não estão em nenhum nível do campeonato brasileiro, servindo como opção de manter os times ocupados durante o segundo semestre. O número de equipes participantes e a fórmula fica a cargo das federações estaduais.

Sistema atual das ligas nacionais[editar | editar código-fonte]

Nível Liga/Divisão
Campeonatos Nacionais
1 Campeonato Brasileiro Série A
20 clubes

4 rebaixados

2 Campeonato Brasileiro Série B
20 clubes

4 acessos, 4 rebaixados

3 Campeonato Brasileiro Série C
20 clubes

Semifinalistas sobem, 2 últimos de cada grupo são rebaixados.

4 Campeonato Brasileiro Série D
68 clubes

Semifinalistas sobem, sem rebaixamento (vagas definidas pelos campeonatos estaduais + rebaixados da série C)

Campeonatos Estaduais
5 | 1 Acre - Alagoas - Amapá - Amazonas - Bahia - Ceará - Distrito Federal - Espírito Santo - Goiás - Maranhão - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul - Minas Gerais - Pará - Paraíba - Paraná - Pernambuco - Piauí - Rio de Janeiro - Rio Grande do Norte - Rio Grande do Sul - Rondônia - Roraima - Santa Catarina - São Paulo - Sergipe - Tocantins
6 | 2 Acre - Alagoas - Amapá - Amazonas - Bahia - Ceará - Distrito Federal - Espírito Santo - Goiás - Maranhão - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul - Minas Gerais - Pará - Paraíba - Paraná - Pernambuco - Piauí - Rio de Janeiro - Rio Grande do Norte - Rio Grande do Sul - Rondônia - Santa Catarina - São Paulo - Sergipe - Tocantins
7 | 3 Ceará - Goiás - Minas Gerais - Paraná - Rio de Janeiro - Rio Grande do Sul - Santa Catarina - São Paulo
8 | 4 Rio de Janeiro - São Paulo

Referências

  1. «Tempo de mudanças». RCB. Consultado em 22 de julho de 2016 
  2. «A História do Campeonato Brasileiro». Jornal Press. Consultado em 22 de julho de 2016 
  3. «Regulamento específico da competição – Campeonato Brasileiro da Série A 2015» (PDF). CBF. 9 de março de 2015. Consultado em 9 de maio de 2015 
  4. «Vale vaga na Sul-Americana: veja o guia da primeira Copa Verde». GloboEsporte.com. 10 de fevereiro de 2014. Consultado em 11 de fevereiro de 2014 
  5. «Campeão da Copa Nordeste pode ficar sem vaga na Sul-Americana». Terra. 14 de janeiro de 2014. Consultado em 11 de fevereiro de 2014 
  6. «Regulamento específico da competição – Campeonato Brasileiro da Série D 2015» (PDF). CBF. 13 de maio de 2015. Consultado em 18 de maio de 2015 
  7. «História do futebol». Sua pesquisa. Consultado em 1 de junho de 2012 

Ver também[editar | editar código-fonte]