Skyscanner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Skyscanner
Posição no Alexa 2,405 (A 16 janeiro 2020 (2020 -01-16))[1]
Endereço eletrônico www.skyscanner.com

O Skyscanner é uma empresa que oferece um serviço on-line de compra de viagens [2], com sede em Edimburgo, na Escócia e de propriedade do Grupo Trip.com, a maior agência de viagens on-line da China. O site está disponível em mais de 30 idiomas e é usado por 100 milhões de pessoas por mês. [3] [4] A empresa permite que as pessoas pesquisem e reservem viagens e outras opções, incluindo voos, hotéis e aluguel de carros.

Comparado a outros serviços de metabusca de viagens, o site conta com uma parcela maior da geração do milênio entre seus usuários. [5]

História[editar | editar código-fonte]

A empresa foi formada em 2004 [3] por três profissionais de tecnologia da informação: Gareth Williams, Barry Smith e Bonamy Grimes. Gareth ficou frustrado com as dificuldades de encontrar voos baratos para as estações de esqui[6], e isso motivou a criação da empresa. Skyscanner foi desenvolvido e lançado em 2002. Em 2003, o primeiro funcionário foi contratado para ajudar no desenvolvimento do site. O escritório de Edimburgo foi aberto em 2004. [7]

Em 2011, o Skyscanner adquiriu o Zoombu. [8] A empresa abriu um escritório em Cingapura em setembro de 2011, que virou sede das operações na Ásia-Pacífico. [9] Em 2012, foi adicionado um escritório em Pequim, pois o Skyscanner iniciou uma parceria com o Baidu, o maior mecanismo de pesquisa da China. [10]

Em 2013, a empresa empregava mais de 180 pessoas. [11] Em fevereiro de 2013, o Skyscanner anunciou planos de abrir uma base nos Estados Unidos em Miami . Em outubro de 2013, a Sequoia Capital adquiriu uma participação no Skyscanner que avaliava a empresa em US $ 800 milhões. [12] Em junho de 2014, o Skyscanner adquiriu a Youbibi, uma empresa de motores de busca de viagens com sede em Shenzhen, China. [13]

Em outubro de 2014, o Skyscanner adquiriu Distinction, uma empresa de desenvolvimento de aplicativos móveis de Budapeste. [14]

Em fevereiro de 2015, a empresa empregava 600 pessoas, tendo dobrado o número de empregados comparado a 18 meses antes. [15]

Em janeiro de 2016, a empresa levantou US $ 192 milhões de investimento, pois foi avaliada em US$ 1,6 bilhão. [16]

Em novembro de 2016, o Grupo Trip.com (anteriormente Ctrip), a maior empresa de viagens da China, comprou o Skyscanner por US $ 1,75 bilhão. [17] Em 2017, a Ctrip comprou o domínio Trip.com e lançou o site Trip.com. A plataforma original foi renomeada como "Trip by Skyscanner" e tornou-se uma subsidiária do Skyscanner. [18]

Em 2018, o Skyscanner ganhou o prêmio de melhor aplicativo de viagem pela revista de viagens online Tripzilla. [19]

Em setembro de 2019, o Skyscanner apresentou uma renovação global no nome da marca. [20]

Referências

  1. «Alexa Internet: Skyscanner.com». Alexa Internet 
  2. «We're the travel company who puts you first». www.skyscanner.com 
  3. a b «About Skyscanner». skyscanner.com 
  4. «Skyscanner's Mobile Apps Hit 10M Downloads, Letting Users Find Cheap Flights On The Go». TechCrunch 
  5. (Nota de imprensa) https://www.businesswire.com/news/home/20190412005139/en/2019-Trends-Global-Millennial-Travel-Insight-Key  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  6. «How to launch a great business». The Independent 
  7. «In pictures: inside Skyscanner's head office». The Scotsman 
  8. «Travel search engine Skyscanner acquires Zoombu». TechCrunch 
  9. «Skyscanner to set up operation in Singapore». BBC News 
  10. «Skyscanner lands China search engine deal». BBC News 
  11. «Flight firm Skyscanner moves in to America». BBC News 
  12. «Skyscanner valued at $800m by backer of Apple». The Evening Standard 
  13. «Skyscanner buys Chinese metasearch firm Youbibi». BBC News 
  14. «Travel Search Company Skyscanner Acquires Budapest-Based Mobile App Developer Distinction». TechCrunch 
  15. Russell. «Skyscanner optimistic as revenue growth slows». Financial Times  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  16. «Travel Search Site Skyscanner Raises $192M For International Expansion». TechCrunch 
  17. Dickie. «China's Ctrip is buying flight search company SkyScanner for $1.74 billion». TechCrunch  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  18. «Tiny startup Trip.com has been acquired by Chinese travel giant Ctrip – a move that could shake up the travel industry». Business Insider 
  19. «TripZilla Excellence Awards 2018». TripZilla 
  20. Tan. «Skyscanner takes off with global brand refresh, reflects 'optimism' and 'clarity'». Marketing Interactive  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)

links externos[editar | editar código-fonte]