Slapsoftware

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Slapsoftware, ou Software Livre da Administração Processual, é um sistema de código aberto, cujo projeto é elaborado por uma equipe para ser utilizado na automação de processos judiciais, administrativos e legislativos do Poder Público. É registrado no INPI [1] . Os aplicativos de administração ou automação processual são aqueles que tratam de uma atividade-fim relativa à gestão pública, mais especificamente aos processos (conjuntos de atos com uma finalidade), sistemas estes com funcionalidades de pesquisa, controle, acompanhamento e armazenamento de dados, dentre outros. Tais aplicativos são conhecidos pelos mais diversos nomes, como automação judiciária, processo digital, processo eletrônico ou até protocolo.

Objetivos do projeto[editar | editar código-fonte]

O projeto Slapsoftware foi criado tendo como principal objetivo a economia aos cofres públicos [2] através do reuso de módulos nos sistemas dos diversos órgãos, Poderes, repartições e esferas da Administração. Também visa a eliminar o desgaste institucional com as sucessivas instalações de novos sistemas por insucessos das mais diversas etiologias. Finalmente, injetar na comunidade ligada ao tema uma gama de conhecimentos relativos à interdisciplinaridade entre as áreas jurídica e de TI.

Conceitos do projeto[editar | editar código-fonte]

O Slapsoftware parte, como princípio básico, da idéia de generalização. Esta surge em conceber que há uma principiologia de raiz no que tange à sua conceituação em sistemas de informação, envolvendo os três grandes subgrupos (judiciais, administrativos e legislativos), tanto quanto às subdivisões mais granularizadas (cível, criminal, etc.), suas aplicações em diversos ambientes (graus de jurisdição, repartições, juizados) e, finalmente, o modo de materialização dos autos (eletrônica ou papel). Em seguida, a modularização e o reuso aparecem como conceitos fundamentais, ligados à necessidade de adaptabilidade e intercomunicação entre sistemas diversos num país de dimensões continentais. Sua base é fundada nas concepções de TI de orientação a objetos, componentização e sistema parametrizado. A idéia de software livre ou código aberto mesclada com o paradigma wiki também tem destaque entre os conceitos do Slapsoftware, por partir o projeto da premissa desta modalidade de desenvolvimento como uma realidade em todos os demais âmbitos das aplicações de TI.

Módulos do produto[editar | editar código-fonte]

O Slapsoftware [3] , entre seus elementos formais, possui um case, aplicativos de exemplo, documentações uml e manuais direcionados às diversas matizes de seu público.

Modos de interação do projeto com a comunidade[editar | editar código-fonte]

O Slapsoftware procura interagir com a grande mídia [4] [5] , com as instituições oficiais [6] [7] [8] , bem como com as diversas redes sociais [9] e ferramentas disponíveis na rede mundial de computadores [10] [11] .

Histórico do projeto[editar | editar código-fonte]

Iniciou-se em janeiro de 2008, estando em andamento. Desde então, vem sendo difundido em congressos [12] e estudados por interessados, estudantes, empreendedores e membros da equipe, como meios a atingir a institucionalização, meta para a esperada economia pública.

Referências

  1. Insituto Nacional de Propriedade Industrial, Revista de Propriedade Industrial, 2010, em [1]
  2. Feld, E., Mais Economia e Eficiência, 2008, em [2]
  3. Slapsoftware, 2010, em [3]
  4. Tribuna do Norte, Juiz Desenvolve Projeto para Administrações Públicas, 2009, em [4]
  5. Correio da Tarde, 2011, em [5]
  6. Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, Notícias, 2009, em [6]
  7. Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte, Publicação nº 92, 2011, em [7]
  8. 3ª Companhia de Polícia Militar do Rio Grande do Norte, Notícia, 2009, em [8]
  9. Twitter, 2011, em [9]
  10. Yahoo Grupos, 2011, em [10]
  11. Sourceforge, 2011, em [11]
  12. Associação Nacional dos Magistrados Estaduais, Congressos, 2009, em [12]

Ver também[editar | editar código-fonte]