Sober (canção de Lorde)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"Sober"
Single promocional de Lorde
do álbum Melodrama
Lançamento 9 de junho de 2017 (2017-06-09)
Formato(s) Download digital
Estúdio(s)
Gênero(s) R&B Eletrônico
Duração 3:17
Idioma(s) Inglês
Gravadora(s) Lava, Republic
Composição Lorde, Jack Antonoff
Produção Lorde, Jack Antonoff, Malay
Cronologia de singles de Lorde
"Liability"
(2017)
"Perfect Places"
(2017)
Faixas de Melodrama

"Sober" é uma canção gravada pela cantora e compositora neozelandesa Lorde, de seu segundo álbum de estúdio Melodrama (2017). Lorde co-escreveu e co-produziu a canção com Jack Antonoff, com assistência de produção por Malay e produção vocal por Kuk Harrell. Foi lançada em 9 de junho de 2017 pela Republic Records como segundo single promocional do álbum. "Sober é a primeira parte de uma música com duas faixas, completada por "Sober II (Melodrama)".[1] É uma canção de R&B eletrônico que inclui o rugido de um tigre, trompetes, metais e saxofones barítonos e tenores em sua produção. A letra detalha o desejo de contar alguém como você se sente sobre ele, enquanto pondera como vai ser quando ambas as partes estiverem sóbrias.

A canção recebeu críticas majoritariamente positivas de críticos de música, que elogiaram sua direção inesperada e afastamento da produção maximalista dos singles anteriores "Green Light" e "Perfect Places". Também foi comparada à produção minimalista do álbum de estreia da cantora, Pure Heroine (2013) e com os trabalhos da banda the xx. A canção apareceu nas tabelas musicais de Austrália e Canadá, no 61º e 84º lugar, respectivamente. Lorde apresentou "Sober", com seis outras canções, como parte de uma série reimaginada da Vevo no Electric Lady Studios, onde ela gravou grande parte de seu álbum. Também foi parte da set list de sua turnê mundial Melodrama World Tour (2017-18).

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Jack Antonoff co-escreveu e co-produziu "Sober"

Em uma entrevista no podcast Song Exploder com Hrishikesh Hirway, Lorde descreveu seu primeiro verão após o término de seu longo namoro com James Lowe como "selvagem e fluorescente"; como resultado, ela frequentemente saía para beber em seu país natal, a Nova Zelândia, e tinha um forte desejo de lidar com seu coração partido.[2] Ela descreveu a canção como o momento quando alguém quer contar a um potencial amante como ele se sente, quando sabe que a outra pessoa sente o mesmo. Apesar disso, para se aproximar da outra pessoa, você depende do desenrolar das atividades da festa. A cantora revelou que ao longo da música, gritos murmurados "de corpos desanexados" são ouvidos.[2]

O medo de Lorde em gravar no Westlake Recording Studios, que para ela era "chique demais" resultou em um bloqueio de escritor. Ela encontrou uma pequena sala de produção, que chamava de "The Rat Nest" (O Ninho do Rato), para criar a música. Em uma demo, a produção geral era inicialmente mais "melancólica" e "emocional".[2] Ela tinha ideias específicas sobre "Sober" e sabia como queria que a canção tomasse forma já no início do processo de gravação. Jack Antonoff se abriu para que Lorde tomasse o controle da produção. A batida da canção surgiu após um show no festival Coachella, que foi formada utilizando um bongô e Lorde cantando as palavras "Night, midnight, lose my mind" que foram subsequentemente introduzidas na canção.[2] Ela comparou os vocais precedentes com Prince e Michael Jackson.

Em 7 de novembro de 2016, Lorde se encontrou com o produtor Malay em Nova Iorque em uma sessão onde ele introduziu a batida que ela havia trabalhado com Antonoff no resto da música. Ela tomou os acordes menores "sérios" da faixa e os transformou em acordes de festa "insistentes".[2] Na sessão, ela também criou a pausa que ocorre antes do primeiro verso. A produção vocal de Kuk Harrell ajudou a intensificar os vocais. As trompas na faixa foram inspiradas no trabalho de Hudson Mohawke no duo TNGHT. Ela também queria que os metais e trompas parecessem triunfantes, testando um saxofone barítono e tenor, bem como trompetes. Laura Sisk tomou o controle disso durante a engenharia. O som do rugido de um tigre, que aparece antes da ponte, foi adicionado duas sessões antes da conclusão da canção, quando Antonoff procurava por amostras de canções.[3] De acordo com Antonoff, esse foi um dos momentos que o deixam mais orgulhoso durante a produção de Melodrama.[4]

Gravação e interpretação da letra[editar | editar código-fonte]

Lorde gravou "Sober" em três locações diferentes nos Estados Unidos. Ela começou a gravar no Westlake Recording Studios, em Los Angeles, Califórnia, assistida pelo engenheiro de gravação Eric Eylands. Gravações adicionais também aconteceram no Electric Lady Studios, em Greenwich Village, Nova Iorque, com Malay. As gravações foram completadas no Rough Customer Studios, estúdio na casa de Antonoff em Brooklyn Heights, onde ele encontrou o áudio do rugido de tigre utilizado na faixa. John Hanes misturou a canção no MixStar Studios. Laura Sisk serviu como engenheira da faixa.[5]

"Sober" é composta na tonalidade de dó maior com um andamento de 110 batidas por minuto. Os vocais de Lorde abrangem um intervalo de F♭3 a D5 e sua progressão harmônica segue uma sequência básica de F-Am-G.[6] É uma música de R&B eletrônico que utiliza bongôs, trompetes, saxofones barítono e tenor, metais e o rugido de um tigre em sua produção. Jon Blistein, escritor da Rolling Stone, descreveu "Sober" como tendo "percussão estrondosa e sintetizadores leves" que lentamente cresciam para incluir "golpes impetuosos de trompas que dançam ao redor dos vocais de Lorde."[7] Marc Hogan, editor da Pitchfork, expressou que a música tinha uma produção "electro-R&B espaçada e furtiva" que mantinha muito de Pure Heroine (2013) ou de the xx. Hogan mencionou que "mini-Lordes movimentadas em estéreo gorjeiam como anjos e demônios em seus ombros," com "espaços pouco iluminados e trompetes triunfantes" faziam a "fundação melancólica de três acordes parecer o bastante."[8] Lauren O'Neill, da Noisey, descreveu sua produção como tendo uma "percussão proeminente" com trompas e vocais "quase como um ronronar rouco."[9]

Carrie Battan, do The New Yorker, afirmou que as linhas "I know this story by heart / Jack and Jill get fucked up and possessive when they get dark" tratava sobre a "experiência de estar sempre lúcido demais para se sentir bêbado de verdade."[10] Dan Weiss, da Consequence of Sound, comparou a mesma linha às expressões vocais de Prince, bem como mencionou a "matriz espaçada de texturas que clicam e distorcem" na produção da faixa.[11] Andrew Dorsett, da PopMatters, também mencionou que a linha referenciava ´que a "imagética que um final de semana mais eufórico que pílulas é um pouco familiar", mas nota que Lorde olha "para frente" na linha do refrão "What will we do when we're sober?".[12] Mike Neid do Idolator escreveu que as letras detalham como "ela, bêbada, se perde no abraço temporário de um parceiro em uma festa."[13] O'Neill descreveu "Sober" como a parte "onde as coisas se tornam um pouco intensas e o seu coração começa a doer um pouco e você começa a dar uns amassos em seu ex."[9]

Recepção[editar | editar código-fonte]

"Sober" recebeu críticas majoritariamente positivas de críticos de música em seu lançamento. Vários críticos compararam sua produção minimalista a Pure Heroine (2013), um distanciamento do maximalismo de seus singles anteriores "Green Light" e "Perfect Places".[14] Andy Cush, da Spin, considerou a canção a faixa "mais estranha" que Lorde já havia lançado até então. Cush comparou a "percussão minimalista e pura" a seu trabalho em seu álbum de estreia, adicionando que ele tinha um "twist astuto de 2017." Ele também mencionou que, ao invés de buscar inspiração no hip hop de Atlanta dos anos 2000, ela optou por uma "tomada artística de um híbrido entre dancehall e house music presente nas rádios modernas atualmente.[14] A National Public Radio chamou "Sober" de um "épico tempestuoso sobre risco e arrependimento que é perfeitamente cronometrado para coincidir com um final de semana agitado."[15] A Rolling Stone descreveu a canção como um faixa "sexy e midtempo eternamente questionando seu próprio prazer."[16] A The Atlantic considerou "Sober" um dos destaques do álbum, com o autor Spencer Kornhaber dizendo que a "oscilação latina da faixa dá espaço a refrões góticos".[17]

Para o Pitchfork, Marc Hodges considerou a canção "transicional", como se estivesse em "movimento para algum outro lugar". Ele considerou a produção da faixa "intoxicante" e achou a sua decisão para utilizar o mesmo título do que outros artistas conhecidos "pouco original" para uma artista como ela, mas que a execução ainda era "difícil de negar."[8] PopMatters comparou a faixa com o trabalho de Charli XCX em True Romance (2013).[12] Neid, do Idolator, declarou que enquanto a canção parece "um pouco como um rearranjo de seu material prévio," ela contava com "uma das produções mais sofisticadas" do álbum.[13] Apesar dos comentários de vários críticos sobre a convencionalidade da faixa, ela foi listada em número um na lista dos melhores canções da semana de 16 de junho de 2017 no Stereogum.[18] Peter, na publicação, elogiou a cantora e Antonoff por serem capazes de "capturar os altos e baixos de uma noitada, criando um banger que parece tanto discreta quando um hino".[18] A DIY também posicionou "Sober" na sua lista de melhores canções da semana, com Will Richards complementando o quão "maravilhosamente versátil Lorde havia se tornado, e como ela conseguia deslizar para dentro de qualquer forma sem esforço."[19]

Apresentações ao vivo[editar | editar código-fonte]

Lorde apresentou "Sober" pela primeira vez em um "pequeno concerto pré-Coachella" para uma platéia de 240 pessoas no Pappy & Harriet's em 15 de abril de 2017. Este foi o seu primeiro concerto completo desde julho de 2014. Antes de introduzir a canção, ela afirmou que gravar "Sober" foi uma das suas coisas favoritas entre tudo que ela já havia feito. Os bilhetes esgotaram em minutos.[20] Eve Barlow, da Billboard, elogiou a performance, dizendo que foi "emocionante assistir Lorde se engajar com tanta confiança com facilidade" no palco, notando o seu aumento de conforto em frente a uma platéia.[21] Lorde também apresentou a canção no festival Governors Ball, em 2 de junho de 2017. Durante a performance, uma caixa inclinada foi utilizada, apontando para baixo. No final, a caixa se abria e Lorde caía nos braços de seus dançarinos. A NME considerou a performance "simples, mas entregue com tanta sofisticação e equilíbro, que você não tem como não se impressionar."[22] Lorde apresentou "Sober", com seis outras músicas, como parte de uma série reimaginada da Vevo no Electric Lady Studios, onde ela gravou a maior parte de seu álbum, e foi parte do set list da sua turnê mundial Melodrama World Tour (2017-18).[23][24]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Créditos adaptados das anotações de Melodrama.

Gravação e administração

Pessoal

  • Lorde - composição, vocais, produção
  • Jack Antonoff - composição, produção
  • Malay - produção
  • Kuk Harrell - produção vocal
  • Laura Sisk - engenharia
  • Greg Aliason - assistente de engenharia
  • Barry McCready - assistente de engenharia
  • Brendan Morawski - assistente de engenharia
  • Seth Paris - assistente de engenharia
  • Serban Ghebea - mistura
  • John Hanes - engenheiro de mistura
  • Randy Merrill - masterização

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Lorde On Dialing Out And Turning Inward». NPR.org (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  2. a b c d e «Lorde Dissects "Sober" on "Song Exploder": Listen». Pitchfork (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  3. «Can you hear Lorde's 'baby tiger' hidden in her song Sober?». Stuff (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  4. «Jack Antonoff on his busy 2017 and the Taylor Swift song he calls a 'hint at the future'». EW.com (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  5. Melodrama (CD). Lorde. Estados Unidos: Lava/Republic Records. 2017. B0026615-02.
  6. Ella, Yelich-O'Connor; Jack, Antonoff; Lorde (7 de agosto de 2017). «Sober». Musicnotes.com. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  7. Blistein, Jon; Blistein, Jon (9 de junho de 2017). «Hear Lorde Navigate Wild Weekend on New Song 'Sober'». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  8. a b Listen to “Sober” by Lorde (em inglês), consultado em 1 de setembro de 2019 
  9. a b O'Neill, Lauren (9 de junho de 2017). «Lorde's Back with Post-Rager Reflections on "Sober"». Vice (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  10. Battan, Carrie (19 de junho de 2017). «On "Melodrama," Lorde Learns How Messy Adulthood Can Be» (em inglês). ISSN 0028-792X 
  11. «Album Review: Lorde - Melodrama». Consequence of Sound (em inglês). 20 de junho de 2017. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  12. a b «Lorde: Melodrama». PopMatters (em inglês). 20 de junho de 2017. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  13. a b «Lorde's Gripping, Intense 'Melodrama': Album Review». idolator. 16 de junho de 2017. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  14. a b «Review: Lorde - "Sober"». Spin. 9 de junho de 2017. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  15. «If A New Lorde Song Comes Out And You Don't Hear It, Is It Still The Weekend?». NPR.org (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  16. Hermes, Will; Hermes, Will (16 de junho de 2017). «Review: Lorde's 'Melodrama' Is a Fantastically Intimate Triumph». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  17. Kornhaber, Spencer (16 de junho de 2017). «On 'Melodrama,' Lorde Is Older but Somehow Less Jaded». The Atlantic (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  18. a b «Lorde, SZA, & More In 5 Best Songs Of The Week». Stereogum. 16 de junho de 2017. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  19. Subscribe. «Tracks: Lorde, Torres, Zola Jesus and more». DIY (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  20. Kreps, Daniel; Kreps, Daniel (15 de abril de 2017). «Watch Lorde Debut New Song 'Sober' at Tiny Pre-Coachella Gig». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  21. «Lorde Debuts New Song 'Sober' at First Concert in More Than Two Years». Billboard. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  22. Daly, Rhian (3 de junho de 2017). «Lorde got in a tilting glass box on stage at Gov Ball and everybody bloody loved it». NME (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  23. Legaspi, Althea; Legaspi, Althea (17 de agosto de 2017). «See Lorde's New Videos for Six Reimagined 'Melodrama' Songs». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2019 
  24. Cooper, Matthew (27 de setembro de 2017). «Review: Lorde at the Manchester Apollo + setlist». men. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  25. «australian-charts.com - Lorde - Sober». australian-charts.com. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  26. «Lorde Chart History». Billboard. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  27. «charts.org.nz - Lorde - Sober». charts.nz. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  28. «Certificações de Singles - ARIA 2019». www.aria.com.au. Consultado em 1 de setembro de 2019 

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Quantidade de unidade/vendas baseada somente na certificação concedida.