Socialismo do século XXI

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hugo Chávez dizia ser adepto ao "Socialismo do século XXI".

O Socialismo do século XXI é um conceito político e um slogan inventado por Heinz Dieterich, em 1996. Foi usada por Hugo Chávez durante um discurso no Fórum Social Mundial de 2005 e tem sido divulgada por Dieterich activamente em todo o mundo desde 2000, especialmente pela América Latina.[1]

Processo Bolivariano[editar | editar código-fonte]

Heinz Dieterich é considerado o conselheiro (informal) do processo de desenvolvimento bolivariano, executada pelo presidente venezuelano Hugo Chávez. Segundo Dieterich, nem o capitalismo industrial e nem o socialismo real conseguiu "resolver os problemas urgentes da humanidade, como pobreza, fome, exploração, opressão econômica, o sexismo, o racismo, a destruição dos recursos naturais, e a ausência de uma real democracia participativa".[2]

Instituições básicas[editar | editar código-fonte]

Para corrigir estas falhas, Dieterich sugere a construção de quatro instituições básicas dentro da nova realidade da civilização pós-capitalista, a saber:[2]

  1. Equivalência económica, que deverá ser baseado na teoria marxista do valor-trabalho e é determinada democraticamente por aqueles que criam diretamente valores, em vez de os princípios da economia de mercado;
  2. A democracia da maioria, que faz uso de plebiscitos para decidir sobre questões importantes que afetam a sociedade como um todo;
  3. Democracia de base, com base nas instituições democráticas como representantes legítimos dos interesses comuns da maioria dos cidadãos, com uma protecção adequada dos direitos das minorias;
  4. O assunto de forma crítica e responsável, aos cidadãos de forma racional, ética e esteticamente auto-determinada.

Críticas[editar | editar código-fonte]

De acordo com as definições tradicionais, a palavra "socialismo" remete a um sistema econômico onde há propriedade coletiva dos meios de produção para satisfazer as necessidades humanas de bem estar social,[3] características que estão extremamente distantes da realidade Venezuelana, cuja economia encontra-se majoritariamente nas mãos da iniciativa privada. Tim Worstall, analista da revista americana Forbes, afirma que a economia da Venezuela não possui de fato um sistema socialista, mas sim uma política econômica que se opõe à atuação dos mercados.[4]

A despeito disso, existem outras críticas ao chamado "socialismo do século XXI" vinda de setores da direita, que afirmam que este modelo de governo defende ideias "ultrapassadas" e "fora de moda".[5] José María Aznar afirma que o "socialismo do século XXI" assume características autoritárias e totalitárias.[6] O Arcebispo de Mérida, dom Baltazar Porras, disse que o socialismo do século XXI é ideologicamente indefinido, que visa "distrair a atenção" e que "parece mais um supermercado" e/ou tecnicamente seria a volta ao Escambo, segundo seu pronunciamento. Para o arcebispo, outras características do "socialismo do século XXI" são o autoritarismo, o populismo e o militarismo.[7]

Há também aqueles que pensam que o "socialismo do século XXI" trata-se de um mero slogan, como também existem aqueles que afirmam que tais políticas pretendem criar o que chamam de economia equivalente, onde o cidadão não obtém nenhuma receita com base no seu conhecimento ou preparo, mas no tempo necessário para concretizar um produto ou serviço e, neste contexto, os cidadãos perdem o poder de decidir o quão valioso o seu trabalho é.[8]

Referências

  1. Cristina Marcano (3 de janeiro de 2007). «Entrevista a Heinz Dieterich» (em espanhol). Kaosenlared.net. Consultado em 27 de maio de 2011. 
  2. a b Heinz Dieterich. Der Sozialismus des 21. Jahrhunderts – Wirtschaft, Gesellschaft und Demokratie nach dem globalen Kapitalismus [S.l.: s.n.] 
  3. SPL Statements and leftlets. «What is socialism?» (em inglês). Analítica. Consultado em 03 de março de 2016. 
  4. Tim Worstall (07 de abril de 2015). «Venezuela's Not Suffering From Socialism But From Anti-Marketism» (em inglês). Forbes. Consultado em 03 de março de 2016. 
  5. Aníbal Romero (25 de janeiro de 2005). «Socialismo: fracaso y mito» (em espanhol). Analítica. Consultado em 27 de maio de 2011. 
  6. «José Maria Aznar cuestiona el Socialismo del Siglo 21» (em espanhol). Diario El Universo. 13 de setembro de 2007. Consultado em 27 de março de 2011. 
  7. «Arzobispo venezolano: "Socialismo del siglo XXI" es indefinido y parece "supermercado"» (em espanhol). Aciprensa. Consultado em 27 de maio de 2011. 
  8. Francisco Endara D. (29 de maio de 2009). «El peligro del socialismo del siglo XXI» (em espanhol). Asturias Liberal. Consultado em 27 de maio de 2011. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.