Sofia de Württemberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sofia
Princesa de Württemberg
Rainha Consorte dos Países Baixos e
Grã-Duquesa Consorte de Luxemburgo
Reinado 7 de março de 1849
a 3 de junho de 1877
Predecessora Ana Pavlovna da Rússia
Sucessora Ema de Waldeck e Pyrmont
Marido Guilherme III dos Países Baixos
Descendência
Guilherme, Príncipe de Orange
Maurício dos Países Baixos
Alexandre, Príncipe de Orange
Nome completo
Sofia Frederica Matilde
Casas Württemberg (por nascimento)
Orange-Nassau (por casamento)
Pai Guilherme I de Württemberg
Mãe Catarina Pavlovna da Rússia
Nascimento 17 de junho de 1818
Palácio de Ludwigsburg, Estugarda, Württemberg
Morte 3 de junho de 1877 (58 anos)
Palácio de Huis ten Bosch, Haia, Países Baixos
Enterro Nieuwe Kerk, Delft, Países Baixos

Sofia Frederica Matilde (Estugarda, 17 de junho de 1818Haia, 3 de junho de 1877) foi a primeira esposa do rei Guilherme III e Rainha Consorte dos Países Baixos e Grã-Duquesa Consorte de Luxemburgo de 1849 até sua morte. Era filha do rei Guilherme I de Württemberg e sua segunda esposa a grã-duquesa Catarina Pavlovna da Rússia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sofia nasceu em Estugarda, filha do rei Guilherme I de Württemberg e da grã-duquesa Catarina Pavlovna da Rússia, a quarta filha mais velha do czar Paulo I da Rússia. Sofia e o seu futuro marido Guilherme eram primos direitos, uma vez que as suas mães eram irmãs. A mãe de Sofia morreu pouco depois de ela nascer, por isso a bebé foi criada pela sua tia, a princesa Catarina de Württemberg. Era prima do futuro czar Alexandre II da Rússia, do rei Jorge V de Hanôver e da rainha Vitória do Reino Unido.

Antes de se casar, Sofia tinha tido vários pretendentes, entre os quais o rei Oto da Grécia e o duque Guilherme de Brunsvique. O noivado com o primeiro não resultou em nada porque o pai de Sofia não confiava na monarquia instaurada por Oto na Grécia.

O destino impediu o noivado com o seu segundo candidato porque o seu pai tornou conhecido que a princesa Sofia já estava noiva. Acabaria por se casar com o príncipe de Orange, mais tarde rei Guilherme III dos Países Baixos, em Estugarda, a 18 de Junho de 1839, com a ideia de que o poderia dominar facilmente. O casal mudou-se para os Países Baixos e estabeleceu-se no Palácio de Plein e, após o seu marido subir ao trono, no Palácio Noordeinde. Tiveram três filhos. O casamento não foi um sucesso. A mãe do rei Guilherme, em quem ele confiava completamente, tinha-se mostrado completamente contra a união e tratava a sua nora e sobrinha com desdém. Intelectualmente, a rainha Sofia era superior ao seu marido, mas não se adaptou ao seu carácter sensual. Enquanto ele gostava de pintura contemporânea, música e teatro, Sofia era uma mulher de letras com um interesse especifico por História. Guilherme III teve vários casos extra-conjugais. Sofia afirmava em público que achava o marido inferior e sem capacidade para ser rei e que ela própria faria mais pelo país se fosse regente.

A rainha Sofia dos Países Baixos

A rainha Sofia tentou separar-se do marido, mas o seu pedido foi recusado, uma vez que os interesses do estado eram mais importantes. A partir de 1855, o casal passou a viver separado durante a temporada de verão, ele no Palácio de Het Loo e ela no Palácio de Huis ten Bosch. Sofia também passava varias temporadas em Estugarda, com a sua própria família. Morreu no Palácio Huis ten Bosch em Hais e foi enterrada com o seu vestido de casamento porque, segundo ela própria, a sua vida tinha acabado quando se tinha casado.

Monograma da rainha.

A rainha Sofia mantinha correspondência com vários intelectuais europeus e tinha uma forte amizade com o imperador Napoleão III de França e com a rainha Vitória do Reino Unido. Protegeu e estimulou as artes, apoiou várias caridades, incluindo associações de protecção dos animais, e a construção de parques públicos. Era a 540.ª dama da Ordem Real da Rainha Maria Luísa.

Descendência[editar | editar código-fonte]

  1. Guilherme dos Países Baixos (4 de setembro de 1840 – 11 de junho de 1879), morreu aos trinta-e-oito anos de febre tifoide e exaustão; sem descendência.
  2. Maurício dos Países Baixos (15 de setembro de 1843 – 4 de junho de 1850), morreu aos seis anos de idade de meningite.
  3. Alexandre, Príncipe de Orange (25 de agosto de 1851 – 21 de junho de 1884), morreu aos trinta-e-dois anos de idade sem deixar descendência.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Sofia de Württemberg em três gerações[1]
Sofia de Württemberg Pai:
Guilherme I de Württemberg
Avô paterno:
Frederico I de Württemberg
Bisavô paterno:
Frederico II Eugénio de Württemberg
Bisavó paterna:
Sofia Doroteia de Brandemburgo-Schwedt
Avó paterna:
Augusta de Brunsvique-Volfembutel
Bisavô paterno:
Carlos Guilherme Fernando, Duque de Brunsvique-Volfembutel
Bisavó paterna:
Augusta da Grã-Bretanha
Mãe:
Catarina Pavlovna da Rússia
Avô materno:
Paulo I da Rússia
Bisavô materno:
Pedro III da Rússia
Bisavó materna:
Catarina II da Rússia
Avó materna:
Maria Feodorovna (Sofia Doroteia de Württemberg)
Bisavô materno:
Frederico II Eugénio de Württemberg
Bisavó materna:
Sofia Doroteia de Brandemburgo-Schwedt

Referências

Precedido por
Ana Pavlovna da Rússia
Coat of Arms of Sophie of Württemberg, Queen of the Netherlands.svg
Rainha Consorte dos Países Baixos
Grã-duquesa Consorte de Luxemburgo

7 de março de 1849 - 3 de junho de 1887
Sucedido por
Ema de Waldeck e Pyrmont
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sofia de Württemberg