Solar dos Metelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura solar de mesmo nome em Pinhel, veja Casa Metello de Nápoles.
Freixeda de Torrao 02 torre Metelos by-dpc.jpg
Mapa de Portugal - Distritos plain.png <div style="position:absolute;top:Erro de expressão: Operador * inesperadopx; left:Erro de expressão: Operador * inesperadopx; width:3px; height:3px; background:#FF0000" title="Localização" onmouseover="width:5px;height:5px;">
Construção ()
Estilo
Conservação
Homologação
(IGESPAR)
IIP
Aberto ao público
Site IGESPAR 74871

O Solar dos Metelos, também conhecido como Torre dos Metelos, localiza-se em Figueira de Castelo Rodrigo, na freguesia de Freixeda do Torrão, Distrito da Guarda, em Portugal.

Trata-se de um solar seiscentista, construído em pedra, à moda dos solares da Beira Alta. É famoso pela sua rubusta e rude torre.

História[editar | editar código-fonte]

A rústica torre remonta ao século XV, provavelmente em adição ao primitivo paço. Segundo a tradição local, afirma-se que o seu primeiro proprietário seria o caldeireiro do Rei, pois a pedra de armas exibe duas caldeiras. Historicamente, entretanto, é de época posterior, pois tal proprietário seria da família Metelo, morgados de Valongo, condição instituída em 1357 por D. Sanches Martins e sua esposa D. Maria Domingues Martins.

Dois séculos mais tarde foi construído o actual solar, que conta uma sucessiva acumulação de acrescentos e alterações nos remates do casario e da torre e na disposição perpendicular dos pináculos piramidais.

No início do século XIX, no contexto da Guerra Peninsular, quando as redondezas foram devastadas pelas tropas napoleônicas sob o comando de Jean-Andoche Junot, André Masséna e Nicolas Jean de Dieu Soult, devido ao seu isolamento, o solar não conheceu o destino de muitos outros na região, sendo tão somente ignorado. Neste momento, inclusive, foi-lhe acrescentada uma janela, datada de 1808.

No século XX o rústico paço foi vendido, cerca de 1930, a Francisco António Mexedo Pinto Bordalo, a Aires de Beirão e a Diogo Américo de Beirão, que abateram, no interior do casarão, a antiga capela de Nossa Senhora da Esperança, onde, segundo a tradição, as parturientes acendiam velas em sinal de promessa. Demolido foi, igualmente, o arco que sustentava o passadiço que dava acesso à ala norte do palácio. Foram, juntamente com estas modificações, feitas várias remodelações no interior do paço, o que incluiu a decoração, por iniciativa de Diogo de Beirão.

O conjunto encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público por Decreto de 29 de Setembro de 1977.[1]

Actualmente de propriedade privada, é utilizado como residência de uma família.

Características[editar | editar código-fonte]

A edificação é constituida por uma torre de planta quadrada, com os ângulos marcados por pináculos piramidais coroados por esferas, que sobressaem tanto quanto a porta principal em arco recto que ostenta a seu lado a pedra de armas dos Metelos. A torre sustenta pequenos varandins com mata-cães, que se podem dizer ex libris do solar.

Um passadiço, cuja entrada frontal forma um arco de volta perfeita, dá acesso ao solar.

O paço tem três pisos, todos de pavimento de madeira e ligados entre si por escadas de madeira.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALMEIDA, José António Ferreira de (dir.). Tesouros Artísticos de Portugal. Lisboa: 1980.
  • ARROCO, Joaquim Manuel. Panoramas do Distrito da Guarda. Guarda: 1978.
  • AZEVEDO, Joaquim de. História Eclesiástica da Cidade e Bispado de Lamego. Porto: 1877.
  • AZEVEDO, Carlos de. Solares Portugueses. Lisboa: 1971.
  • BIGOTTE, José Quelhas. O Culto de Nossa Senhora na Diocese da Guarda. Lisboa: 1948.
  • BORGES, Júlio António. O Concelho de Figueira de Castelo Rodrigo III. in: Beira Alta, vols. LXI, fasc. 3 e 4. Viseu: 2002. p. 319-350.
  • DIONÍSIO, Sant'Ana. Guia de Portugal. Lisboa: 1924.
  • SILVA, António Lambert Pereira da. Nobres Casas de Portugal. Porto: s.d..
Camera-photo.svg
Ajude a melhorar este artigo sobre Arquitetura ilustrando-o com uma imagem. Consulte Política de imagens e Como usar imagens.