Solonópole

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Solonópole
"Terra de Solon"
Bandeira de Solonópole
Brasão de Solonópole
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 22 de outubro de 1870 (146 anos)
Gentílico solonopolense
Prefeito(a) José Webston Nogueira Pinheiro (PRB)
Localização
Localização de Solonópole
Localização de Solonópole no Ceará
Solonópole está localizado em: Brasil
Solonópole
Localização de Solonópole no Brasil
05° 43' 58" S 39° 00' 28" O05° 43' 58" S 39° 00' 28" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Sertões Cearenses IBGE/2008 [1]
Microrregião Sertão de Senador Pompeu IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Norte: Banabuiú, Leste: Jaguaretama, Jaguaribe, Sul: Quixelô, Acopiara, Oeste: Dep. Irapuan Pinheiro, Milhã
Distância até a capital 272 (via Banabuiú)  285 (via Morada Nova)  224 (em linha reta) km
Características geográficas
Área 1 536,158 km² [2]
População 18 127 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 11,8 hab./km²
Altitude 155 m
Clima Clima semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,64 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 90 675,537 mil IBGE/2016[5]
PIB per capita R$ 5 053,53 IBGE/2008[5]
Página oficial

Solonópole é um município brasileiro do estado do Ceará. A cidade tem pouco mais de 18,000 habitantes.

O índice de desenvolvimento social de resultados, emprego e renda é baixo, inferior a 0,3.[6]

Toponímia[editar | editar código-fonte]

Originalmente denominada Cachoeira do Riacho do Sangue, em virtude da existência de uma queda de água no leito do Riacho do Sangue e depois apenas Cachoeira. Há mais de uma versão sobre o nome Riacho do Sangue, e uma delas é a luta entre duas famílias pelo domínio da terra, tingindo de sangue as águas do rio, nas proximidades do lugar chamado Alto da Batalha, abaixo da cidade, ainda existente; a outra é de uma luta entre índios, no lugar chamado Logradouro.

Em 30 de dezembro de 1943, através do Decreto n° 1.114, passou a se denominar Solonópole, que significa Cidade de Solon em homenagem a Manoel Solon Rodrigues Pinheiro, advogado, jornalista e professor nascido no município.

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Solonópole se tornou distrito de Jaguaribe-Mirim ainda com o antigo nome Cachoeira, em 1863. Em 1870 se emancipou de Jaguaribe-Mirim, elevado à categoria de vila. Em 1892 é rebaixada a distrito de Jaguaribe-Mirim, mas em 1893 é novamente elevada à categoria de vila. Em 1911 são criados 2 distritos: Flores Novas e São Bernardo. Em 1931 Cachoeira é de novo rebaixada à categoria de distrito de Jaguaribe-Mirim, mas em 1935 é emancipada (pela terceira vez), e anexa seus 3 antigos distritos (Carnaubinha, Flores Novas e São Bernardo). Em 1936 mais 4 distritos são criados: Boqueirão, Cangati, Conceição e Pasta. Em 1937 Flores Novas muda o nome para Flores e é criado o distrito de Milhã. Em 1938 o distrito Flores volta a se chamar Flores Novas e o distrito Boqueirão foi rebaixado a povoado. Em 1943 o município Cachoeira muda o nome para Solonópole e o distrito São Bernardo muda o nome para Tataíra. Em 1959 Carnaubinha e Milhã se desmembram para formar o novo município de Milhã. Em 1963 Flores Novas se desmembra de Solonópole para formar o novo município de Flores. Em 1963 o distrito Pasta se emancipa de Solonópole. Em 1963 Tataíra também se emancipa de Solonópole, e muda o nome para São Bernardo do Ceará. Em 1964 é criado o distrito de Assunção. Em 1965 Solonópole anexou o território de 4 municípios extintos, que eram seus ex-distritos: Milhã (que veio junto com o distrito Carnaubinha), Pasta, São José de Solonópole (ex-Flores) e São Bernardo do Ceará (que mudou o nome para Tataíra). Em 1986 Carnaubinha e Milhã novamente se desmembram para formar o novo município de Milhã. Em 1988 Tataíra se desmembra de Solonópole e muda o nome para Deputado Irapuan Pinheiro. Em 1991 é criado o distrito de Prefeita Suely Pinheiro.[7]

Atualmente Solonópole possui 6 distritos:

  1. Assunção
  2. Cangati
  3. Pasta
  4. Prefeita Suely Pinheiro
  5. São José de Solonópole
  6. Solonópole (distrito-sede)

História[editar | editar código-fonte]

No início do Século XVIII, o colonizador Manoel Pinheiro do Lago fundou a Fazenda Umari, de onde se originou a cidade de Solonópole.

Narrativas estão ligadas à vida religiosa do município e a mais importante é que se refere ao Padroeiro, Bom Jesus Aparecido de Cachoeira. Conta a história da cidade que certo dia, ao cair da tarde, um escravo apascentava o rebanho da Fazenda Cachoeira, do tenente-general Manoel Pinheiro, quando viu reluzir, por entre o matagal escasso, um objeto de metal. O negro aproximou-se e viu que se tratava de um belo crucifixo, de pouco mais de um palmo. Cheio de alegria, o negro abandonou as ovelhas e correu até a casa-grande para levar a novidade aos seus patrões.

A esposa do fazendeiro, D. Rita das Dores Pinheiro, ficou a um tempo surpresa e alegre com o preciso achado, apressando-se em colocá-lo no santuário. Entretanto, nas primeiras horas do dia seguinte, era notada a falta do crucifixo que, depois de vasculhadas todas as dependências do casarão, veio a ser encontrado no exato local onde fora achado pelo escravo. D. Rita, confusa, guardou a pequena cruz dentro de um baú de couro, fechando-o com muita segurança. Qual não foi a sua surpresa, e de todos da fazenda, quando no outro dia o crucifixo não se encontrava no baú a despeito de não haver, o mesmo, sido violado. D. Rita, meio aterrorizada, reuniu os familiares e fez a promessa de mandar construir uma capela e nela depositar, caso fosse encontrada, a imagem do crucifixo. Passada a noite, foi o baú aberto e lá estava o crucifixo, como se nada houvesse acontecido. Construída a capela, a imagem foi exposta à visitação e veneração dos fiéis.

Outra narrativa importante é a que se relaciona com o primeiro milagre obtido do santo crucifixo. Conduzido por Maria de São José, muda, filha de Simeão Correia Lima Landim e Ana Rosa Pinheiro, restituiu a voz à sua condutora em plena caminhada. A partir de então se iniciou a romaria constante à fazenda e vários milagres aconteceram, atribuídos ao Bom Jesus Aparecido da Cachoeira do Riacho do Sangue. Em 1821, os serviços da matriz eram concluídos e a partir de 19 de dezembro, instituído o seu paroquiato, sendo primeiro vigário o padre Pedro Pinheiro Landim.

Depois de idas e vindas (várias leis e decretos elevaram e rebaixaram foros de cidade), com o decreto-lei 448, de 20 de dezembro de 1938, foi elevado a município.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Divisão[editar | editar código-fonte]

O município tem hoje a seguinte divisão: Solonópole, Assunção, Cangati, Pasta, Prefeita Suêlly Pinheiro e São José do Solonópole.[8]

Minerais[editar | editar código-fonte]

Suas riquezas naturais são argila, berilo, tantalita, ambligonita e fluorita, as principais riquezas minerais.

Clima[editar | editar código-fonte]

Seu clima é tropical quente semi-árido[9] e sua temperatura máximas oscilam entre 24 °C e 37 °C.[10]

Recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de riquezas do município são principalmente a agricultura e a pecuária, com destaque para as culturas do algodão, milho, arroz, feijão, batata-doce e cana-de-açúcar. A pecuária é a atividade que mais contribui para a economia municipal.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  6. «Índice de Desenvolvimento Social de Renda e Emprego». IPECE. 2012. Consultado em 17 de março de 2012 
  7. http://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=231300&search=ceara%7Csolonopole
  8. «Divisão de Sonolópole». IBGE. 2012. Consultado em 13 de janeiro de 2012 
  9. http://www2.ipece.ce.gov.br/atlas/capitulo1/12/126x.htm
  10. «Temperatura». AccuWeather Global. 2012. Consultado em 13 de janeiro de 2012 [ligação inativa]