Somatotopia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Homúnculo sensorial do giro pós-central

Somatotopia (do grego sõma, -atos, corpo + tópos, lugar) é a correspondência ponto a ponto de uma área do corpo com um ponto específico sistema nervoso central.[1] Tipicamente, uma área do corpo corresponde a um ponto no córtex somatossensorial primário (giro pós-central). Esse córtex é tipicamente representado como um homúnculo sensorial que orienta partes específicas do corpo e suas respectivas locações no homúnculo. A representação do corpo no cérebro, o homúnculo, foi proposto por Wilder Penfield baseada em seus estudos em pacientes com epilepsia intratável.[2] Áreas como membros superiores e inferiores,[3] dedos, pênis,[4] e a face podem traçar suas localizações sensoriais no córtex somatossensorial. As áreas que tem um controle delicado, como os dedos por exemplo, possuem porções maiores do córtex somatossensorial, enquanto áreas que são controladas menos precisamente, como o tronco, possuem porções menores. Áreas visuais[5] e olfativas[6] seguem os mesmos princípios de mapeamento encontrados nas áreas motoras e sensoriais, em cada caso parece haver um verdadeiro mapa da periferia. Áreas como vísceras não possuem uma localização sensorial no giro pós-central.

Mapeamento sensório-motor do cerebelo humano[editar | editar código-fonte]

Áreas de ativação de lábios, língua, mãos e pés no córtex cerebelar

Imagens por ressonância magnética funcional (fMRI, do inglês Functional Magnetic Ressonance Imaging) foram usadas para determinar áreas de ativação no córtex cerebelar em humanos durante uma série de tarefas motoras. As áreas de ativação para movimentos de lábios, língua, mãos e pés foram determinadas e descobriu-se estão confinadas fortemente nos lóbulos e sublóbulos e suas zonas sagitais no córtex espinocerebelar rostral e caudal. A ativação mapeou duas representações homunculóides distintas. Uma, mais extensa, localizada de cabeça para baixo no cerebelo superior e uma segunda, duplicada e menor, no cerebelo inferior.[7]

Referências

  1. Saladin, Kenneth (2012). Anatomy and Physiology. New York: McGraw Hill. pp. 541, 542 
  2. Penfield W, Rasmussen T (1950). The cerebral cortex of man.The Macmillan Company, New York, N.Y. 248.
  3. Schieber M H, 2001, constrains on somatotópico organization in the primary motor cortex. J Neurophysiol. Nov; 86(5): 2125-43.
  4. Kell CA, von Kriegstein K, Rösler A, Kleinschmidt A, Laufs H (junho de 2005). «The sensory cortical representation of the human penis: revisiting somatotopy in the male homunculus». The Journal of Neuroscience. 25 (25): 5984–7. PMID 15976087. doi:10.1523/JNEUROSCI.0712-05.2005 
  5. Schneider KA, Richter MC, Kastner, S (2004). Retinotopic Organization and Functional Subdivision of the Human Lateral Geniculate Nucleus: A High-Resolution Functional Magnetic Resonance Imaging Study. J. Neurosci. 24(41):8975-8985.
  6. Wang F, Nemes A, Meldelson M, Axel R. (1998). Odorant Receptors Govern the Formation of a Precise Topographic Map. Cell 93: 47-60.
  7. Grodd W, Hülsmann E, Lotze M, Wildgruber D, Erb M. Sensorimotor mapping of the human cerebellum: fMRI evidence of somatotopic organization. Hum Brain Mapp. 2001 Jun;13(2):55-73.
Este artigo sobre Neurociência é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.