Somebody to Love (canção de Jefferson Airplane)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Somebody to Love"
Single de Jefferson Airplane
do álbum Surrealistic Pillow
Lado B "She Has Funny Cars"
Lançamento 1 de abril de 1967
Formato(s) Disco de vinil de 45 rpm
Gravação 3 de novembro de 1966
Gênero(s) Rock psicodélico
Duração 3:01
Gravadora(s) RCA Victor
Composição Darby Slick
Produção Rick Jarrard
Cronologia de singles de Jefferson Airplane
Último
"My Best Friend"
(1967)
"White Rabbit"
(1967)
Próximo
Amostra de áudio
informação do ficheiro · ajuda

"Somebody to Love" é uma canção de rock originalmente escrita e gravada pela banda de folk estadunidense The Great Society e mais tarde pelo Jefferson Airplane. Na gravação do Airplane, ela se tornaria um dos maiores sucessos da banda e um ícone do rock psicodélico dos anos 60.

Informação[editar | editar código-fonte]

Escrita por Darby Slick, guitarrista do Great Society, e inicialmente interpretada por aquela banda, que incluía a então cunhada de Darby, Grace Slick, nos vocais, a canção não obteve êxito algum fora das casas de show da área da baía de São Francisco. A canção foi lançada como single em 1966 por uma subsidiária da Autumn Records e recebeu circulação mínima fora da área de São Francisco.

A versão do Jefferson Airplane[editar | editar código-fonte]

Em 16 de outubro de 1966, Grace saiu do Great Society para integrar o Jefferson Airplane. Durante as gravações do álbum Surrealistic Pillow, ela apresentou esta canção para sua nova banda, ao lado de "White Rabbit", uma composição de sua própria autoria. A versão mais feroz do Jefferson Airplane acabou virando o single de maior sucesso da banda, atingindo a quinta posição na Billboard Hot 100.

A canção é conduzida pelos vocais fortes de Grace e apresenta uma sonorização de hard rock, mas ainda ligada ao folk psicodélico que a banda vinha apresentando até o momento. A letra de "Somebody to Love" é apresentada, de forma não-usual entre as composições da banda, em segunda pessoa, com cada verso de duas estrofes apresentando uma cena de afastamento e desespero e o refrão repetindo, com algumas variações, o título da canção.

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Legado[editar | editar código-fonte]

Assim como o álbum no qual aparece, a canção foi fundamental para divulgar ao resto dos Estados Unidos o movimento de contracultura de Haight-Ashbury, em São Francisco. Em 2004, a versão do Jefferson Airplane de "Somebody to Love" foi classificada como a 274ª melhor canção de todos os tempos pela revista Rolling Stone.