Something's Got to Give

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Nuvola apps important.svg
A tradução deste artigo ou se(c)ção está abaixo da qualidade média aceitável.
É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este artigo conforme o guia de tradução.


Something's Got to Give
 Estados Unidos
1962 •  cor •  37 min 
Direção George Cukor
Produção Henry T. Weinstein
Roteiro Roteiro:
Arnold Schulman
Nunnally Johnson
Walter Bernstein
História:

Bella Spewack
Sam Spewack

Elenco Marilyn Monroe
Dean Martin
Cyd Charisse
Tom Tryon
Alexandra Heilweil
Robert Christopher Morley
Wally Cox
Phil Silvers
John McGiver
Grady Sutton
Eloise Hardt
Steve Allen
Gênero comédia, musical
Música Johnny Mercer
Direção de arte Gene Allen
Direção de fotografia Franz Planer
Leo Tover
Figurino Jean Louis
Edição Barbara McLean
Companhia(s) produtora(s) 20th Century Fox
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Something's Got to Give é um filme estadunidense não finalizado de 1962 dirigido por George Cukor e estrelando Marilyn Monroe, Dean Martin e Cyd Charisse. É um remake da popular comédia Minha esposa favorita de 1940 estrelando Cary Grant, Randolph Scott e Irene Dunne.[1]

As gravações do filme foram bastante conturbadas, devido a atrasos constantes de Monroe em função de problemas de saúde e sumiços jamais explicados. O estúdio Fox acabou lhe demitindo, sendo posteriormente substituída por Lee Remick, mas por exigência de Dean Martin, seu par na comédia romântica, Monroe acabou sendo recontratada pela Fox, em 1 de agosto.

Ela assinou um novo contrato, no valor de US$ 1 milhão, em contrapartida, Monroe deveria atuar em mais dois filmes para o estúdio. A atriz exigiu que Cukor fosse substituído por Jean Negulesco, com quem trabalhou em Como Agarrar um Milionário, mas fatalmente as filmagens nunca foram retomadas, pois Marilyn Monroe foi encontrada morta no início de agosto de 1962.–

Conforme a autópsia feita na atriz, a causa foi um "provável suicídio" provocado por ingestão excessiva de barbitúricos.[2] Assim, o filme ficou incompleto. Em uma das cenas, Monroe tornou-se a primeira grande estrela de Hollywood a tomar um banho de piscina completamente nua diante das câmeras.[3]

Numa entrevista publicada pela revista Life, cinco dias antes de sua morte, Monroe, dizia, ao comentar a súbita demissão, que a "fama é tênue": "Ela sempre acaba indo embora, então adeus a ela".[4]

Após a morte de Monroe, a 20th Century Fox chegou a recogitar a retomada das gravações por uma outra atriz, mas com um custo de US$ 2 milhões a mais e sem recursos suficientes, o projeto foi arquivado. Mais de nove horas de filmagens foram gravadas durante a produção malfadada e escondida do público pelas últimas quatro décadas nos cofres da Fox.

Em 2001, o material foi editado em uma versão de 37 minutos do filme. Esta versão, destaque no documentário Marilyn: The Last Days, foi lançada em maio de 2001 em VHS e DVD como parte da Marilyn Monroe: The Diamond Collection.[5] A coleção inclui também os filmes O Pecado Mora ao Lado, Os Homens Preferem as Loiras, Como Agarrar um Milionário, O Mundo da Fantasia e Nunca fui santa.[6]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Ellen Arden (Marilyn Monroe), uma fotógrafa, mãe de duas crianças pequenas, se perdeu no mar do Pacífico. Anos depois, ela foi declarada legalmente morta e seu esposo Nick (Dean Martin), se casou novamente; ele e sua nova esposa, Bianca (Cyd Charisse), estão em lua de mel quando Ellen, que ficou perdida numa ilha deserta por cinco anos é resgatada e finalmente volta para casa. Ao chegar em casa, o cachorro da família se lembra dela, mas as crianças, não. No entanto, eles começam a gostar dela e a convidam para ficar. Ellen adota um sotaque estrangeiro e finge ser uma mulher chamada Ingrid Tic. Nick, perturbado pela revelação de estar casado com duas mulheres, faz um grande esforço para esconder a verdade de sua nova esposa e se desvencilhar das investidas amorosas de Ellen.[7]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Marilyn Monroe: Her Films, Her Life Michelle Vogel. Visitado em 14 de julho de 2015.
  2. Something´s Got to Give Joyce Pais (29 de janeiro de 2014). Visitado em 14 de julho de 2015.
  3. As Épicas Loucuras de Liz Revista Veja (Outubro de 1962). Visitado em 14 de julho de 2015.
  4. A Last Long Talk With A Lonely Girl Life (17 de agosto de 1962). Visitado em 14 de julho de 2015.
  5. Lista reúne Paul Walker e nove atores que morreram durante filmagens Globo News (4 de dezembro de 2013). Visitado em 14 de julho de 2015.
  6. Marilyn Monroe's Last Film Work Resurrected for New Documentary Los Angeles Times (28 de maio de 2001). Visitado em 14 de julho de 2015.
  7. Something's Got to Give Filmow. Visitado em 14 de julho de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.