Something for the Boys

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Something for the Boys
Alegria, Rapazes! (BR)
 Estados Unidos
1944 •  cor •  87 min 
Direção Lewis Seiler
Produção Irving Starr
Roteiro Robert Ellis
Elenco Carmen Miranda
Michael O'Shea
Vivian Blaine
Género Comédia musical
Música Leigh Harline
Cyril J. Mockridge
Direção de arte Albert Hogsett
Lyle R. Wheeler
Direção de fotografia Ernest Palmer
Figurino Kay Nelson
Yvonne Wood
Edição Robert L. Simpson
Lançamento Estados Unidos30 de novembro de 1944
Brasil18 de julho de 1945
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Something for the Boys (Alegria, Rapazes! (título no Brasil) ) é um filme estadunidense de 1944, dirigido por Lewis Seiler e estrelado por Carmen Miranda, Michael O'Shea, Vivian Blaine e Phil Silvers.[1]

O roteiro escrito por Robert Ellis, Helen Logan e Frank Gabrielson, é baseado em um musical homônimo da Broadway, estrelado por Ethel Merman com canções de Cole Porter.[2] O enredo se passa em plena Segunda Guerra Mundial, onde três primos que não se conheciam descobrem que herdaram um casarão. Chiquita Hart, interpretada por Carmen Miranda, Harry (Phil Silvers) e Blossom (Vivian Blaine) abandonam seus empregos, e decidem reformar o local e alugá-lo para esposas de militares que estão no front de guerra, aliando o serviço de hospedaria aos shows performáticos. A atriz Judy Holliday, que seis anos mais tarde ganharia um Oscar de melhor atriz por Nascida Ontem, faz uma pequena participação, com apenas uma fala.[3]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Na Segunda Guerra Mundial, Chiquita Hart (Carmen Miranda) e seus primos: Harry Hart (Phil Silvers) e Blossom Hart (Vivian Blaine) herdam uma propriedade em Masonville, Georgia. A plantação e a residência principal estão arruinadas e cheias de dívidas. O sargento e conhecido líder de uma orquestra, Ronald Fulton, (Michael O'Shea) aluga a propriedade para as esposas dos militares do campo do Exército próximo, para isso auxiliando as primas na reforma da propriedade. Ronald começa a namorar Blossom Hart, embora estivesse noivo. Ambos armam um espetáculo musical que se torna um sucesso, Chiquita força Blossom a lutar pelo namorado. Após algumas peripécias, entre as quais a recepção de ondas de rádio pelos dentes de Chiquita Hart é a mais forte, o sargento Fulton é selecionado para a escola de oficiais e Blossom se reconcilia com ele.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

"Something for the Boys" é uma versão cinematográfica de um musical homônimo produzido por Mike Todd. De acordo com informações nos Registros do Departamento Jurídico da Twentieth Century-Fox, em novembro de 1942, o estúdio teria adiantado $62.500 para Mike Todd e a Savoy Productions para a produção do musical, em seguida, comprou os direitos para produzir o filme. Segundo os registros legais, o preço da compra paga pela Fox foi de 265 mil dólares, embora uma nota publicada pelo The Hollywood Reporter em 12 de março de 1943 relacione o valor pago pela companhia como 305 mil dólares. Pelo o acordo com Todd, a 20th Century Fox não poderia lançar o filme, pelo menos até o verão de 1944, para "permitir que o musical original se apresenta-se em turnê nas principais cidades dos Estados Unidos sem precisar competir com a versão do filme."

William Perlberg estava originalmente escaldo para produzir este filme, Irving Cummings para dirigi-lo e Betty Grable para estrelar nele. Scott Elliott fez um teste para o filme, mas sua participação não foi confirmada. O filme marcou a estréia no cinema do popular cantor Perry Como e do ator Rory Calhoun, que apareceu com o nome de Frank McCown, fontes incluem também Judy Holliday no elenco.

O diretor excecutivo Darryl F. Zanuck, queria os mesmos roteiristas que escreveram Serenata Boêmia (1944) também estrelado por Carmen Miranda, para escrever as falas dela para este filme, porque segundo Zanuck "eles escreviam especialmente para ela, com erros de pronúncia, e era engraçado quando é dado a ela esse tipo de texto." Os roteiristas de "Greenwich Village" não participaram de "Something for the Boys", mas os erros na pronuncia das falas em inglês de Carmen Miranda foram incluídas no filme.[4]

Números musicais[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme foi lançado nos cinemas dos Estados Unidos em 30 de novembro de 1944 no Roxy Theatre de Nova York.[6] No Brasil, sua estreia aconteceu apenas em 18 de julho de 1945.[7]

Bosley Crowther escrevendo para o The New York Times disse que o filme tem "uma variedade de músicas, muito humor alegre e uma superabundância de mulheres bonitas em um adorável Technicolor" sobre a atuação de Carmen Miranda, Crowther escreveu que "ela canta com um excelente encaixe, como um aparelho de rádio humano."[8] A revista Time diz que o filme "acaba por ter nada de muito notável. Há não ser Carmen Miranda."[9] Dave Kehr do Chicago Reader disse que o filme "deveria ser mais divertido do que ele é".[10] Para a Variety, "o filme inclui várias situações divertidas, mas, tomado como um todo, a história não tem um dialogo especial."[11]

Referências

  1. «Alegria, Rapazes (1944)». Cinema Clássico. Consultado em 4 de maio de 2011 
  2. Charlotte Greenspan. «Pick Yourself Up: Dorothy Fields and the American Musical». Consultado em 10 de abril de 2015 
  3. Kirsten Pullen. «Like a Natural Woman: Spectacular Female Performance in Classical Hollywood». Consultado em 10 de abril de 2015 
  4. «Detail View: Something for the Boys». American Film Institute. Consultado em 17 de maio de 2014 
  5. «Soundtrack: Something for the Boys». IMDb. Consultado em 17 de maio de 2014 
  6. ' Something for the Boys,' a Girl-Packed Musical, at Roxy -- 'Bowery to Broadway' at Criterion
  7. Correio da Manhã, primeira página. Cartaz de Hoje: Nos cinemas, 18 de julho de 1945.
  8. Bosley Crowther (30 de novembro de 1944). «MOVIE REVIEW: Something for the Boys (1944): 'Something for the Boys,' a Girl-Packed Musical, at Roxy -- 'Bowery to Broadway' at Criterion». The New York Times. Consultado em 10 de abril de 2015 
  9. «Cinema, Also Showing Dec. 11, 1944». Times. 11 de dezembro de 1944. Consultado em 2 de junho de 2014 
  10. Dave Kehr. «Film Search: Something for the Boys». Chicago Reader. Consultado em 2 de junho de 2014 
  11. Variety Staff (31 de dezembro de 1943). «Review: 'Something for the Boys'». Variety. Consultado em 2 de junho de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.