Something to Remember

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Something to Remember
Coletânea musical de Madonna
Lançamento 7 de novembro de 1995
Gravação 1984-95
Gênero(s) Pop
Duração 71:08
Gravadora(s) Maverick, Warner Bros.
Produção Madonna, Nellee Hooper, Patrick Leonard, Babyface, David Foster, John "Jellybean" Benitez, Shep Pettibone, Nile Rodgers
Cronologia de Madonna
Último
Bedtime Stories
(1994)
Evita
(1996)
Próximo
Singles de Something to Remember
  1. "You'll See"
    Lançamento: 23 de outubro de 1995
  2. "Oh Father"
    Lançamento: 21 de dezembro de 1995
  3. "One More Chance"
    Lançamento: 7 de março de 1996
  4. "Love Don't Live Here Anymore"
    Lançamento: 19 de março de 1996

Something to Remember é uma compilação da cantora americana Madonna, lançado em 7 de novembro de 1995 pela Maverick Records. O álbum veio depois de lançamentos comerciais mal recebidos e que geraram controvérsias no início dos anos 1990, acabando em críticos dizendo que a carreira da cantora havia acabado. Em resposta, Madonna anunciou o lançamento de uma compilação, que seria em sua maioria composta por baladas de álbuns anteriores e mais três novas músicas: "You'll See", "One More Chance" e uma regravação de "I Want You", de Marvin Gaye. A compilação incluiu também músicas que Madonna nunca havia incluído em algum álbum seu, como "I'll Remember" e "This Used to Be My Playground" e também apresentou uma imagem mais leve de Madonna depois de um difícil período em sua carreira.

Para produzir as novas canções, Madonna trabalhou com Massive Attack, Richard Page e David Foster, este conhecido por seus trabalhos com vários artistas como Barbra Streisand. Madonna declarou que o álbum tinha o intuito de fazer críticos e fãs lembrarem dela por sua música, e não por sua vida pessoal. O álbum foi bem recebido por críticos musicais, que notaram a suavidade da imagem e das novas faixas de Madonna. Comercialmente, o álbum também foi bem sucedido, liderando as paradas da Austrália, Áustria, Finlândia e Itália. Nos Estados Unidos, alcançou a sexta posição na Billboard 200 e foi certificado platina tripla pela Recording Industry Association of America por distribuição de três milhões de cópias. Mundialmente o álbum vendeu nove milhões de unidades.

"You'll See" foi lançada como primeiro single do álbum em 23 de outubro de 1995 acompanhada por uma versão em espanhol chamada "Verás"; a canção alcançou a sexta posição na tabela dos Estados Unidos. "One More Chance" e "Love Don't Live Here Anymore" foram os singles posteriores, tendo pequena notoriedade; o último teve um videoclipe gravado quando Madonna estava grávida de sua primeira filha Lourdes Maria. Outros singles foram lançados, incluindo o antes lançado "Oh Father" de seu álbum Like a Prayer que foi lançado pela primeira vez na Europa enquanto a regravação "I Want You" foi lançada como single promocional.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

"Muitas controvérsias estiveram relacionadas à minha carreira na década passada e muito pouca atenção voltou-se à minha música. As músicas ficaram completamente esquecidas. Embora eu não tenha arrependimentos sobre as escolhas que fiz artisticamente, eu aprendi a gostar da ideia de fazer coisas de uma maneira mais simples. Assim, sem muita fanfarra, sem distrações, eu apresento a vocês esta coleção de baladas. Algumas são antigas, outras são novas. Todas elas são de coração."

—Madonna, sobre Something to Remember.[1]

Depois de um período controverso em sua carreira, a vida pessoal de Madonna começou a dominar sua carreira musical. "Ela sabia que era hora de mudar", disse um membro anônimo da sua equipe, que afirmou que ela queria provar que havia mais dela do que o constante cerco da mídia em torno dela.[1] J. Randy Taraborrelli, autor de Madonna: An Intimate Biography, observou que Madonna havia anteriormente afirmado que muitas de suas canções haviam sido negligenciadas em resposta às tendências da época, com seu amigo de longa data e produtor Mirwais Ahmadzaï afirmando que "ela não mostrava suas habilidades musicais".[1] Taraborrelli explicou "Então, Madonna lançou Something to Remember, uma coleção de suas canções de amor lançadas anteriormente, pois ela tinha algo a provar ou simplesmente para manter uma obrigação contratual [e] o álbum de quatorze faixas fez um comunicado".[2] Descrita como uma "carta de amor de Madonna para seus fãs e amantes da música", a compilação parecia mostrar seu talento musical, com Madonna comentando "...E estas são apenas minhas baladas".[3]

Durante seu desenvolvimento, Madonna trabalhou com produtores como Massive Attack e Page Richard e David Foster, conhecido por seus trabalhos com vários artistas como Barbra Streisand, Al Jarreau e Earth, Wind & Fire. A capa do álbum mostra Madonna "deliciosamente cosmopolita" usando um apertado traje branco, encostada em uma parede com uma expressão de "perda romântica ou absorção", enquanto a foto da contra capa mostra uma Madonna mais alegre.[2][4] Como o álbum iria apelar para um público mais adulto em contraste com seus álbuns anteriores, Bedtime Stories e Erotica, o encarte contou com rosas vermelhas e uma flor dourada na capa traseira, nas primeiras edições do álbum.[4] O título do álbum deriva da canção de Madonna com o mesmo nome, incluída na trilha sonora do filme Dick Tracy, I'm Breathless. Esta faixa, produzida por Patrick Leonard, foi escolhida como o título do álbum, pois havia recebido pouca atenção na época do lançamento da trilha sonora.[5]

Composição[editar | editar código-fonte]

Madonna apresentando "Live to Tell" na Confessions Tour. A canção é uma de suas canções antigas a serem incluídas em Something to Remember.

A primeira faixa escolhida para ser incluída na compilação foi "Love Don't Live Here Anymore"; a faixa remixada por David Reitzas apresenta os vocais de Madonna "fracos" e "inexperientes", devido à natureza "agressiva" da faixa.[4] A versão remixada em 1995 é bem diferente da versão de 1984.[6] Ela começa com o som de violinos e Uilleann pipes, seguido pelo primeiro verso. Durante a progressão da música, o som do violino se desvanece e os sons de bateria começam, enquanto o piano é tocado junto com ela.[6] Quando o refrão é cantado pela terceira vez, um bumbo também é adicionado. O violino novamente desaparece quando Madonna canta "Através dos moinhos de vento do meu olho, todos podem ver a solidão dentro de mim".[nota 1][6] Perto do final, ela pronuncia o refrão várias vezes, dando ênfase à palavra "anymore" e à frase "live here anymore".[6] A faixa termina com os Uilleann pipes desaparecendo.[6] A segunda faixa, nunca incluída em um álbum de Madonna, "I'll Remember", foi escrita por ela, Patrick Leonard e Richard Page.[5] A música se tornou o tema do filme With Honors, com acordes "inteligentes" e "grande emoção". Ela foi comparada à outra música de Madonna, "Live to Tell".[5] Escrita no estilo AOR do final dos anos 1970 usado por artistas como Foreigner, porém sem tanto ênfase em arranjos de cordas, apresenta música dance lenta e batidas soul.[7] A seção de sintetizador e teclado toma o lugar do que seria tradicionalmente uma seção de guitarra neste tipo de faixa com uma mudança de acordes no início da faixa.[7] Vocais de apoio começam em versos posteriores da canção e liricamente Madonna pensa em voltar para um antigo namorado, com a voz de Madonna sendo um fundo para a instrumental.[7] Madonna se pronunciou sobre seus sentimentos em relação às suas músicas na época do lançamento do álbum:

"Eu acho que a maioria das vezes que meus álbuns são lançados, as pessoas estão muito distraídas por tanta fanfarra e controvérsia e ninguém acaba prestando atenção nas próprias músicas. [...] Eu não consigo descrever quão dolorosa é a ideia de cantar 'Like a Virgin' ou 'Material Girl' agora. Eu não escrevi estas músicas e não consigo mais engoli-las. Eu também me sinto mais conectada emocionalmente à música que escrevo agora, e acaba sendo mais que um prazer fazê-las."[8]

A sexta faixa, "This Used to Be My Playground", lançada em 1992 e usada nos créditos finais do filme A League of Their Own, é uma adição inédita a um álbum de Madonna.[9] Começando com o som de um teclado, a faixa também tem uma sessão com cordas.[9] Como fez em seu álbum Like a Prayer, a faixa explora a infância de Madonna quando fica entre o passado e seguir em frente, e acaba concluindo que ir em frente não é uma boa opção.[9] Com vocais expressivos, vozes de apoio entram no segundo verso e a faixa conclui-se com um acorde orquestral. A estrutura da canção é perfeita, onde o fluxo de coro e verso em si.[9] Something to Remember consiste nas baladas mais importantes de Madonna.[5] A seleção musical cria uma atmosfera suave, a música é pessimista e "emocionalmente introvertida" com vibrações suaves.[4] O álbum é composto por singles lançados anteriormente, dos quais nenhum foi caracterizado em um álbum de Madonna e três faixas totalmente novas.[4] O maior destaque do álbum é a voz de Madonna, em uma tentativa de desviar a atenção de seus álbuns anteriores, Erotica e Bedtime Stories, que foram alvos de controvérsia.[4]

Novo material[editar | editar código-fonte]

David Foster foi escolhido para co-escrever e co-produzir novas músicas para o álbum.

Para o álbum, Madonna regravou a faixa de Marvin Gaye, "I Want You". Produzida por Nellee Hooper, em contraste com a versão "elaborada" de Gaye, a música é baseada apenas nos vocais de Madonna e a batida produzida por Massive Attack.[5] A canção começa com uma longa introdução com uma batida hip-hop, com ênfase na a seção de baixo do instrumental ao lado de uma figura corda semi-tonal.[4] O segundo verso apresenta uma harpa e um som repetido de bateria acompanhado com um som parecido com o de um telefone.[4] Os vocais de Madonna às vezes são acompanhados por passagens faladas com seus vocais dominando a faixa, com letras discutindo um homem que não a quer mais, enquanto Madonna está determinada a mudar seu pensamento.[4] Uma versão alternativa para "I Want You" chamada de "Orchestral Mix" foi lançada, o som de bateria da canção original, baixo e percussão são removidos da música.[10] A versão começa mais lenta, com os vocais de Madonna entrando com as cordas e a linha de baixo menores, e mais arranjos de cordas gradualmente são adicionados com harpa e metais no pano de fundo.[10] No final da canção ouve-se a voz de Madonna, sem acompanhamento, criando um tema "dramático" e, em geral a versão apresenta cerca de 20 segundos a menos que a regravação original.[10]

Além dessas faixas, duas novas baladas foram incluídas, "You'll See" e "One More Chance" foram ambas escritas por Madonna e pelo músico David Foster.[5] "You'll See" é uma música de frequência baixa com sinos tibetanos e tons de guitarra espanhola.[7] Os acordes mudam suas progressões para dar predominância dos vocais de Madonna na canção, e depois de um minuto a percussão começa com uma guitarra tremolo adicionada mais tarde.[7] Sintetizadores de cordas e tambores constituem o segundo verso.[7] Madonna foi perguntada se a faixa era sobre vingança e ela negou respondendo que era "sobre capacitar-se".[9] Liricamente, a música fala de independência após o fim de um caso de amor afirmando que Madonna fará coisas maiores.[7] A outra nova canção, "One More Chance" tem uma introdução com violão e várias mudanças de acordes.[10] Liricamente, a música é sobre Madonna tentando recuperar um amor perdido, enquanto seus vocais são mais fracos do que os outros apresentados no álbum e possui uma harmonia com sua voz e guitarra acústica em uma parte.[10]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Análise da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 4 de 5 estrelas.[11]
Robert Christgau (negativa)[12]
Entertainment Weekly (A)[13]
Billboard (Positiva)[14]
USA Today 4 de 4 estrelas.[15]

Criticamente, as resenhas para o álbum foram geralmente positivas. Stephen Thomas Erlewine do Allmusic deu uma crítica positiva, elogiando os vocais de Madonna e dizendo: "Ao longo do álbum, Madonna prova que ela é uma cantora incrível cuja voz melhorou ao passar dos anos" e também disse que o álbum foi bem compilado: "Nenhuma das canções é de segunda classe, e as melhores em Something to Remember também estão entre as melhores músicas pop dos anos 1980 e 1990".[11] A revista americana Billboard respondeu bem ao álbum dizendo que Something to Remember é "um exercício de levantamento [...] o material pensativo do álbum cumpriu o impulso sincero que lançou sua carreira notável".[14] Edna Gundersen do USA Today disse que "longe de seus mais conhecidos sucessos dance, esta compilação de baladas best-sellers ostenta os menos escaldantes, embora igualmente galvanizados destaques de sua carreira".[15] Ken Tucker da Entertainment Weekly deu ao álbum uma resenha positiva concluindo que a "Garota materialista não perdeu seu toque" e explicou que "ao colocar suas maiores baladas em um novo contexto - ou seja, separado da mais notada música dance - Madonna as revigora, e é o melhor que uma boa compilação pode fazer. As três novas músicas "You'll See", "One More Chance", e uma versão maravilhosamente misteriosa "I Want You" de Marvin Gaye são tentações de consumo que apenas adicionam fascinação".[13]

Rikky Rooksby, autor do The Complete Guide to the Music of Madonna disse que "no álbum faltam os temas sexuais dos álbuns anteriores", adicionando: "Você pode tocá-lo tarde da noite ou numa manhã de domingo e não estragar suas vibrações suaves".[4] J. Randy Taraborrelli, autor de Madonna: An Intimate Biography, observou que as faixas produzidas por David Foster eram os destaques do álbum e disse que "era interessante que, com todas suas animadoras abilidade musical que se extrai, ele e Madonna trouxeram duas das maiores músicas sombrias que ela já gravou - mas este é o ponto da colaboração; nunca se sabe o que vem".[5] Mark Bego em seu livro Madonna: Blonde Ambition, disse que o Something to Remember era um belo álbum, agraciado com um forte sentimento de união no âmbito de baladas e também disse que foi uma espécie de um álbum de cruzamento pata Madonna e uma oportunidade para refletir sobre sua carreira e rever algumas de suas músicas que fizeram dela uma lenda.[16] Alwyn W. Turner no livro The Rough Guide to Rock disse que a coletânea apresentou as melhores faixas mais lentas de Madonna e complementou dizendo "quem teria pensado que a [cantora] arrogante um pouco agressiva que fez sua trajetória com "Holiday" se tornaria em tal cantora madura e sofisticada? Bem, ela pensou, provavelmente, mas em algumas dessas músicas mais lentas ela ainda parece que ela pode ocasionalmente entreter o estranho momento de insegurança".[17]

Recepção comercial[editar | editar código-fonte]

Something to Remember estreou na sexta posição da Billboard 200 em 25 de novembro de 1995.[18] Na segunda semana, caiu para o número treze e permaneceu trinta e quatro semanas na parada.[19][20] De acordo com a Nielsen SoundScan, o álbum vendeu 2.086.000 cópias nos Estados Unidos.[21] Foi certificado platina tripla pela Recording Industry Association of America.[22] No Reino Unido, o álbum estreou no número três na data de 18 de novembro de 1995.[23] Em sua segunda semana, o álbum caiu um lugar indo para o número quatro, onde passou duas semanas. O álbum passou 12 semanas consecutivas nas dez primeiras colocações antes de cair para o número 11 em 2 de fevereiro de 1996.[23] O álbum foi certificado platina tripla por vendas de mais de 900 mil cópias no Reino Unido.[24] Nas paradas australianas, Something to Remember estreou na segunda posição, chegando ao topo na semana seguinte.[25] Na Nova Zelândia, a obra chegou ao número oito, mantendo-se na parada de álbuns por treze semanas.[26] Na Áustria, o álbum estreou no número 12 em 19 de novembro de 1995, no entanto sete semanas após o lançamento do disco, ele liderou as paradas em 14 de janeiro de 1996, antes de cair para o número dois na semana seguinte, recuperando a primeira posição na semana seguinte em 28 de janeiro de 1996.[27]

Na França, o álbum estreou no número 12 na data de emissão de 5 de novembro de 1995 e chegou ao número seis, três semanas depois.[28] Foi certificado ouro duplo pelo Syndicat National de l'Édition Phonographique pela distribuição de 200.000 cópias na França.[29] Nos dois territórios da Bélgica, Something to Remember atingiu a nona colocação em Flandres, e a décima-primeira na Valônia, com um total de dezoito e vinte e uma semanas nos gráficos, respectivamente.[30] Na parada de álbuns holandesa, Something to Remember estreou na posição cinquenta e sete, durante a semana de 18 de novembro de 1995.[31] Alcançando o pico de número dezenove duas semanas depois, Something to Remember permaneceu um total de quarenta e cinco semanas na parada.[31] Na Suécia, o álbum atingiu a terceira colocação, e ficou durante vinte e uma semanas em sua parada musical.[32] Na Suíça, o álbum chegou ao número três, e manteve-se na parada por 26 semanas.[33] Nos dois países, Something to Remember recebeu a certificação de platina.[34][35] Mundiamente, Something to Remember vendeu mais de nove milhões de cópias.[36]

Singles[editar | editar código-fonte]

"You'll See" foi lançada como primeiro single do álbum em 30 de outubro de 1995, recebendo críticas positivas.[13] A canção alcançou a sexta posição da Billboard Hot 100, tornando Madonna um dos três artistas na história da parada a ter um single em cada posição da primeira a décima, ao lado de Aretha Franklin e Marvin Gaye.[37] Em outros países, "You'll See" também foi bem sucedida comercialmente, alcançando as cinco primeiras posições na Áustria, Canadá, Finlândia, Itália e Reino Unido.[38][39] De acordo com a Official Charts Company, "You'll See" é o vigésimo single mais vendido de Madonna no país com mais de 305.000 cópias físicas comercializadas.[40] O segundo single, "One More Chance", também foi bem recebida pela crítica,[13] e não foi comercializada nos Estados Unidos, alcançando a segunda posição na Itália e a décima primeira no Reino Unido.[41][42]

"Love Don't Live Here Anymore" foi lançado como o single final na maioria dos países em 19 de março de 1996. Recebendo críticas favoráveis,[43] foi remixada em vários formatos. SoulShock & Karlin a remixaram em estilo R&B enquanto Marcus Schulz criou um remix house. Estes remixes foram lançados em formatos de 12" e em CD single em 6 de maio de 1996.[44] Alcançou a posição 78 nos Estados Unidos, e ficou entre as 30 mais tocadas na Austrália e Canadá.[45][46][47] "I Want You" seria lançada como primeiro single do álbum, mas devido a problemas legais com a detentora dos direitos Motown Records, "You'll See" foi rapidamente lançada em seu lugar.[48] Um vídeo foi dirigido por Earle Sebastian e lançado em 2 de outubro de 1995, e foi incluído na coletânea Celebration: The Video Collection, lançada em 2009.[49] "Oh Father" foi um single promocional na Europa. Alcançou a posição 16 no Reino Unido e a sexta na Itália.[50][41]

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "I Want You"
  2. "I'll Remember"
  3. "Take A Bow"
  4. "You'll See"
  5. "Crazy For You"
  6. "This Used To Be My Playground"
  7. "Live to Tell"
  8. "Love Don't Live Here Anymore" (remix)
  9. "Something To Remember"
  10. "Forbidden Love"
  11. "One More Chance"
  12. "Rain"
  13. "Oh Father"
  14. "I Want You" (orchestal)

Desempenho nas paradas de sucesso[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. No original: "Trough the windmills of my eye, Everyone can see the loneliness inside me".

Referências

  1. a b c Taraborrelli 2002, p. 251
  2. a b Taraborrelli 2002, p. 252
  3. Taraborrelli 2002, p. 254
  4. a b c d e f g h i j Rooksby 2004, p. 85
  5. a b c d e f g Taraborrelli 2002, p. 253
  6. a b c d e Rooksby 2004, p. 84
  7. a b c d e f g Rooksby 2004, p. 86
  8. White 1997, p. 303
  9. a b c d e Rooksby 2004, p. 87
  10. a b c d e Rooksby 2004, p. 88
  11. a b Stephen Thomas Erlewine. «Something to Remember - Madonna». Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 20 de fevereiro de 2013. 
  12. «Madonna reviews». Consultado em 8 de agosto de 2011. 
  13. a b c d Ken Tucker (24 de novembro de 1995). «Something To Remember». Entertainment Weekly. Time Inc. Consultado em 20 de fevereiro de 2013. 
  14. a b Thimothy White. (30 de setembro de 1995). "'Something' In The Way She Grieves" 107 (39): 5. ISSN 0006-2510. Visitado em 20 de fevereiro de 2013.
  15. a b Gundersen, Edna (21 de novembro de 1995). «Stones' `Stripped' solid; Madonna `Something' to savor». USA Today. Gannett Company. Consultado em 24 de novembro de 2011. 
  16. Bego 2000, p. 298
  17. Buckler 2003, p. 628
  18. a b «Billboard 200: Nov 25, 1995». Billboard. Prometheus Global Media. 25 de novembro de 1995. Consultado em 31 de março de 2013. 
  19. (2 de novembro de 1995) "The Billboard 200" 107 (48): 100. ISSN 0006-2510. Visitado em 31 de março de 2013.
  20. (2 de novembro de 1998) "The Billboard 200" 110 (36): 130. ISSN 0006-2510. Visitado em 31 de março de 2013.
  21. «Ask Billboard: Madonna vs. Whitney: Who's Sold More?». Billboard. Prometheus Global Media. 14 de agosto de 2009. Consultado em 31 de março de 2013. 
  22. a b Billboard – Ask Billboard
  23. a b c «Your charts for 18th November 1995». Official Charts Company. 18 de novembro de 1995. Consultado em 30 de março de 2013. 
  24. «Madonna certifications». British Phonographic Industry. Consultado em 9 de agosto de 2011. 
  25. a b «Madonna - Something to Remember». ARIA Charts. Consultado em 30 de março de 2013. 
  26. a b «Madonna - Something to Remember». RIANZ. Consultado em 30 de março de 2013. 
  27. a b «Madonna - Something to Remember». Ultratop. Consultado em 9 de agosto de 2011. 
  28. a b «Les "Charts Runs" de chaque Album Classé – select 'Madonna'». Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 21 de setembro de 2011. 
  29. a b «Certifications Albums Double Or - année 1996». Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 21 de setembro de 2011. 
  30. a b c d e «Madonna - Something to Remember». Ultratop. Consultado em 9 de agosto de 2011. 
  31. a b c d «Madonna - Something to Remember». MegaCharts. Consultado em 30 de março de 2013. 
  32. a b «Madonna - Something to Remember». Sverigetopplistan. Consultado em 30 de março de 2013. 
  33. a b «Madonna - Something to Remember». Swiss Music Charts. Consultado em 30 de março de 2013. 
  34. a b IFPI Sweden - Hitlistan Top 60
  35. a b IFPI Switzerland
  36. Hadden, Briton. (9 de dezembro de 2005). "I gotta remember something" 153 (17–25). ISSN 0040-781X.
  37. Whitburn, Joel (2010). Joel Whitburn's Top Pop Singles, 1955-2008 Record Research [S.l.] p. 264. ISBN 978-0-89820-180-2. 
  38. «Madonna - You'll See». Ultratop. Consultado em 4 de maio de 2011. 
  39. «Top Singles - Volume 62, No. 22». RPM. RPM Library Archives. 15 d janeiro de 1996. Consultado em 15 de outubro de 2011. 
  40. «Madonna: The Official Top 40». MTV. MTV Networks. Consultado em 20 de dezembro de 2010. 
  41. a b c «Madonna: Discografia Italiana». Federation of the Italian Music Industry. HitParadeItalia. Consultado em 31 de maio de 2010. 
  42. http://www.officialcharts.com/archive-chart/_/1/1996-03-23/
  43. Flick, Larry. (6 de abril de 1996). "Billboard Reviews & Previews" 108 (14): 96. ISSN 0006-2510. Visitado em 22 de setembro de 2010.
  44. Flick, Larry. (11 de maio de 1996). "Daphne Gets New Lease on Her Career With 'Rent'" 108 (19). ISSN 0006-2510.
  45. Bronson, Fred (2003-10-25). «Madonna Hits 50 Songs». Billboard. ISSN 0006-2510. Consultado em 2010-09-21. 
  46. «Madonna – Love Don't Live Here Anymore (Remix) (Song)». Ultratop 50. Hung Medien. Consultado em 2010-09-21. 
  47. «Top Singles – Volume 63, No. 19, June 24, 1996». RPM. RPM Library Archives. 24 de junho de 1996. Consultado em 16 de janeiro de 2016. 
  48. http://books.google.co.uk/books?id=iA4EAAAAMBAJ&pg=PA76&dq=madonna+i+want+you+single&hl=en&sa=X&ei=22tXUbm2FYHo8QTR34GIDg&ved=0CD0Q6AEwAw#v=onepage&q=madonna%20i%20want%20you%20single&f=false
  49. (2009) Créditos do álbum ''Celebration: The Video Collection por Madonna [DVD/CD]. Warner Bros..
  50. «Archive Chart: Singles 6th January 1996». MTV. 1996-01-06. Consultado em 2011-11-10. 
  51. «Chartverfolgung / Madonna / Longplay». Media Control Charts. Consultado em 21 de setembro de 2011. 
  52. a b Salaverri, Fernando (2005). Sólo éxitos: año a año, 1959–2002 Fundación Autor-SGAE [S.l.] ISBN 84-8048-639-2. 
  53. «Top 40 album- és válogatáslemez- lista». Mahasz. Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. 28 de abril de 2008. Consultado em 9 de agosto de 2011. 
  54. «ベスト・オブ・マドンナ~バラード・コレクション~». Oricon. 10 de abril de 1995. Consultado em 10 de julho de 2010. 
  55. http://books.google.com/books?id=TA8EAAAAMBAJ&pg=PA51#v=onepage&q&f=false
  56. «CAPIF». 
  57. «ARIA Charts - Accreditations - 1999 Albums». Australian Recording Industry Association. Consultado em 9 de abril de 2013. 
  58. IFPI Austria
  59. «Certificados — Madonna». Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 18 de novembro de 2010. 
  60. «Canadian Recording Industry Association (CRIA): Certification Results». Music Canada. Arquivado desde o original em 10 de março de 2008. Consultado em 9 de abril de 2013. 
  61. «IFPI Platinum Europe Awards». International Federation of the Phonographic Industry. Consultado em 9 de abril de 2013. 
  62. «Madonna». International Federation of the Phonographic Industry. Consultado em 9 de abril de 2013. 
  63. «Gold-/Platin-Datenbank ('Something to Remember')» (em alemão). Bundesverband Musikindustrie. Consultado em 10 de janeiro de 2010. 
  64. «AMPROFON». amprofon.mx. Consultado em 2012-11-12. 
  65. «Certificações (Países Baixos) – Something to Remember» (em neerlandês). Nederlandse Vereniging van Producenten en Importeurs van beeld- en geluidsdragers. 
  66. Scapolo, Dean (2007). The Complete New Zealand Music Charts 1966–2006 Illustrated ed. [S.l.: s.n.] ISBN 978-1-877443-00-8.  Parâmetro desconhecido |publiado= ignorado (Ajuda)
  67. ZPAV
  68. BPI