Sonambulismo sexual

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sonambulismo sexual
Especialidade medicina do sono
Classificação e recursos externos
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Sonambulismo sexual também conhecido como sexsomnia[1] [2]é uma suposta forma rara e distinta de parassonia. Ela seria caracterizada por uma pessoa que se envolve em atos sexuais enquanto está dormindo no estagio de sono (NREM). Os comportamentos sexuais de uma pessoa com sonambulismo sexual não devem ser confundidos com os comportamentos sexuais noturnos normais que são amplamente documentados e ocorrem em um estagio do sono diferente como: ereções noturnas, sonhos eróticos, ou poluções noturnas.

Ocorrência na população[editar | editar código-fonte]

Estima-se que o problema atinja aproximadamente 7% a 8% da população,diagnosticada com sonambulismo,[3] embora seja difícil conseguir dados específicos sobre este tipo de parassonia .[4] A observação clinica de pacientes indica uma prevalência de (11% homens e 4% mulheres) que foram analisados sob suspeita de terem algum distúrbio do sonos.Mas estes dados não são totalmente precisos, pois muitos pacientes relutam por receio ou vergonha de relatar que sofrem deste disturbio, ou por desconhecerem a existência do mesmo.

Sintomas[editar | editar código-fonte]

Os sintomas do sonambulismo sexual incluem, mas não estão limitados a:

Masturbação enquanto está dormindo

Caricias em si mesmo ou em terceiros

Relação Sexual

Abusos

Os relatos de masturbação durante o sono foram registrados pela primeira vez em 1986. O caso envolveu uma pessoa de 34 anos que relatava se masturbar todas as noites até o climax, mesmo depois de ter tido relações sexuais todas as noites antes de dormir.Uma pesquisa conseguiu posteriormente documentar e obter mais informações através da utilização de video polissonografia, sobre a natureza desse tipo incomum de parasomnia.[5]

Um característica que frequentemente confunde quem observa um sonambulo sexual, é o.fato de que os olhos de um sexonambulo podem parecer abertos,embora o olhar seja descrito como vago, ou vidrado, ele dá a aparência de que o individuo(a) está acordado(a) e consciente, mas na realidade ele está inconsciente de suas ações.[6]

Causas e fatores de risco[editar | editar código-fonte]

Venus adormecida com a mão sobre seu órgão genital.

Embora não seja possível determinar ao certo qual a causa deste distúrbio, assim como ocorre no sonambulismo, alguns fatores podem aumentar a predisposição da ocorrência dele, esses fatores vão de predisposição genéticas, estresse psicológico cronico, uso de álcool, a utilização de certos medicamentos etc...[7][8][1]

O diagnostico de sexsomnia é bastante delicado, sendo necessário sempre a consulta de um médico para definir se de fato um paciente possui ou não este distúrbio do sono, no exame clinico, o medico avaliará uma serie de fatores para determinar se o paciente possui ou não a sexsomnia.[8]

Alguns dos fatores que podem ser utilizados pelos médicos no diagnostico são: Ocorrência de casos de sonambulismo ou sonambulismo sexual na família, episódios anteriores de sonambulismo, a natureza na qual o evento ocorreu, entre outros.Contudo mesmo assim é difícil o diagnostico, pois em muitos casos a pessoa que sofre de sonambulismo sexual, não sabe que sofre, até a ocorrência de algum evento traumático para si mesmo ou para terceiros, o que leva muitas vezes o transtorno ser descoberto inicialmente pelos parceiros, outro fator que contribui para dificultar o diagnostico, é o preconceito que envolve o sexo .sonambúlico, muitos pacientes relutam em comunicar por medo ou desinformação,.

Embora o sonambulismo sexual não tenha cura, a partir do diagnostico medico, ele pode ser tratado através de determinados medicamentos, juntamente como a adoção de um estilo de vida mais saudável, o que pode diminuir ou inibir a ocorrência de episodio deste distúrbio.

Historia[editar | editar código-fonte]

Em 1996 três especialistas em distúrbios do sono publicaram a primeira pesquisa cientifica a repeito deste distúrbio, e três anos depois um grupo de especialistas brasileiros descobriram que esse transtorno poderia ser tratado atravez de medicamentos.[7]Em 2007 pesquisadores do sono das universidades de Stanford, Minessota e Mineapolis(EUA) tentam criar uma classificação para essas parasomnias[9]

Na Sociedade[editar | editar código-fonte]

Controvérsia sobre abusos sexuais[editar | editar código-fonte]

O aumento de casos de pessoas reivindicando sofrerem de sexsominia, levou alguns grupos a estimular médicos qualificados a contribuírem para o diagnósticos deste tipo de caso, para garantir que as alegações sejam validas, e impedir possíveis tentativas de escapar da lei.[10]É importante ressaltar também que a maioria dos diagnosticados com sexsomnia nunca cometeram abusos sexuais, na maioria dos casos o ´´ato sexual ´´ ocorre com a ´´auto masturbação´´, e movimentos pélvicos, sem a participação de terceiros, mas nos casos aonde terceiros são envolvidos o ato pode ser extremamente traumático tanto para a pessoa que esta sendo vitima, como para a pessoa que está cometendo o ato, é comum o relato, de vergonha, medo ou desespero de homens e mulheres que sofrem de sonambulismo sexual após descobrirem o que fizeram enquanto estavam inconscientes.[11]

Casos na mídia[editar | editar código-fonte]

A crescente conscientização sobre este distúrbio, e o aumento de numero de casos na mídia[12] de mulheres e homens que tiveram sexo enquanto dormiam, tem levantado o debate a cerca deste tema, a ocorrência de casos de estupros na qual os acusados alegaram sofrer de sexssomnia também gerou recentemente alguns debates e discussões.

Mulher britânica[editar | editar código-fonte]

Em 2004 uma mulher britânica não identificada foi diagnosticada com tendo sonambulismo sexual, todas as noites ela saia de sua casa e fazia sexo com estranhos sem saber, e acordava no dia seguinte sem se recordar de nada do que havia feito durante o sono, ela só teria começado a desconfiar apos encontrar preservativos usados pela casa.[1]

Caso de um homem sueco absolvido de acusação após ser diagnosticado com Sexsomnia[editar | editar código-fonte]

Um Sueco foi absolvido de um caso de estupro alegando sorer de Sexsomnia. Durante as investigações, sua ex-namorada, assim como um parente relataram que ele havia tido episódios semelhantes anteriormente.

Caso Britânico[editar | editar código-fonte]

Um britânico teria sido absolvido de uma acusação de estupro em 2011 após ser diagnosticado com sexsomnia.[13]

Representações na cultura pop[editar | editar código-fonte]

Algumas séries de televisão retrataram ao longo dos últimos anos episódios envolvendo casos de sonambulismo sexual, principalmete sériados médicos, ou criminais,entre elas estão as séries:

Referências

  1. a b c «Sleepwalkers who have ´´sex sleep´´». BBC. 15 de outubro de 2004. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  2. DSM-5 Manual Diagnostico e estatistico de Trastornos mentais. [S.l.]: Artmed Editora. 2014. Consultado em 18 de janeiro de 2018 
  3. «Sonambulismo sexual, uma nova doença». Clarim. 22 de outubro de 2014. Consultado em 8 de fevereiro de 2018 
  4. SLEEP 2010, San Antonio / Texas, 07 de junho de 2010
  5. Yeha, Shih-Bin; H. Schenck, Carlos (28 de junho de 2016). «Sexsomnia: A case of sleep masturbation documented by video-polysomnography in a young adult male with sleepwalking». Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  6. Cohen, Hiyaguha (15 de agosto de 2013). «Beyond Insomnia: Sexsomnia». Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  7. a b R. S. Pucci, Cláudio (15 de junho de 2009). «Distúrbio do sono leva pessoas a fazerem sexo sem acordar». Terra. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  8. a b Sievers, Thiago. «CONHEÇA A DOENÇA QUE FAZ VOCÊ TRANSAR DORMINDO». Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  9. «Sexsomnia raubt die Ruhe». Focus. 3 de junho de 2007. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  10. Harriet, Alexander (8 de outubro de 2014). «More sex offenders claiming ´´ sexsomia´´». Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  11. «Meu namorado me estuprou enquanto estava sonambulo». BBC. 6 de dezembro de 2017. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  12. H. Kryger, Meir; Y. Avidan, Alon; Berry, Richard (2015). Atlas Clínico de Medicina do Sono. [S.l.]: Elsevier Brasil. p. 2. 520 páginas. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  13. «Britânico era acusado de estuprar adolescente de 16 anos; mulher e conhecida confirmaram que ele mantinha relações sem se lembrar». Último Segundo - iG. 4 de julho de 2011. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre doenças é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.