Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Songs of Experience (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Songs of Experience.
Songs of Experience
Álbum de estúdio de U2
Lançamento 1º de dezembro de 2017
(ver histórico de lançamento)
Gravação 2014–17
Estúdio(s) Electric Lady Studios (Nova York City, NY)  · The Garage (Topanaga, CA)  · Shangri-La (Los Angeles, CA)  · Neptune Valley (Los Angeles, CA)  · The Woodshed (Los Angeles, CA)  · Waterloo Studio (Los Angeles, CA)  · Uno Mas Studio (Brentwood, TN)  · Windmill Lane Studios (Dublin, Irlanda)  · Hanover Quay Studios (HQ) (Dublin)  · Strathmore House (Killiney, Irlanda)  · The Church Studios (Londres)
Gênero(s) Rock  · pop rock
Duração 51:11
Gravadora(s) Island  · Universal (Canadá)  · Interscope
Produção Jacknife Lee  · Ryan Tedder  · Steve Lillywhite  · Andy Barlow  · Jolyon Thomas  · Brent Kutzle  · Paul Epworth  · Danger Mouse  · Declan Gaffney
Cronologia de U2
Songs of
Innocence

(2014)
Singles de Songs of Experience
  1. "You're the Best Thing About Me"
    Lançamento: 6 de setembro de 2017
  2. "Get Out of Your Own Way"
    Lançamento: 23 de março de 2018

Songs of Experience (estilizado como SOE) é o décimo quarto álbum de estúdio da banda de rock irlandesa U2. Lançado em 1º de dezembro de 2017, foi produzido por Jacknife Lee, Ryan Tedder, Steve Lillywhite, Andy Barlow, Jolyon Thomas, Brent Kutzle, Paul Epworth, Danger Mouse e Declan Gaffney, através das gravadoras Island, Universal e Interscope Records, sendo um material complementar do álbum anterior, Songs of Innocence (2014). Enquanto que Songs of Innocence expressara o período da adolescência dos integrantes da banda na Irlanda na década de 1970, tematicamente, Songs of Experience explora a maturidade e também uma coleção de cartas escritas por Bono à pessoas mais íntimas naquela época. Bono reescreve as letras com um contexto político, afirmando refletir uma "luta mortal", durante a gravação do álbum.[1]

Teve início pela primeira vez no decorrer das sessões de Innocence. Após ter sofrido um acidente de bicicleta em novembro de 2014, Bono passou um tempo compondo o álbum. A banda também trabalhou nele durante a turnê Innocence Tour. As sessões de gravações continuaram em 2016, sendo concluído na maior parte ao fim daquele ano. O grupo tinha planejado lançá-lo em dezembro de 2016, todavia, por questões sócio-políticas conservadoras, como o voto pela saída do Reino Unido da União Europeia e, pela eleição presidencial nos Estados Unidos em 2016, optaram por protelar o lançamento, aproveitando a ocasião para reavalia-lo como um todo. Decorrente disso, Bono reescreveu as letras para um efeito mais político. Com o tempo extra, a banda se concentrou em encontrar arranjos para canções com sonoridades mais fáceis de serem tocadas em seus shows, enquanto mixavam e exploravam diferentes técnicas de gravação e reprodução sonoras. Ao passarem o tempo analisando o material, compuseram muitas das músicas em março de 2017, antes de o completarem durante a turnê The Joshua Tree Tour 2017.

Foi bem mais sucedido que seu álbum-irmão, recebendo mais críticas positivas e estreando na posição de número 1 na Billboard 200, nos Estados Unidos; simultaneamente, esteve no topo das paradas musicais de nove países, bem como no "Top 10" de 36 paradas diferentes, somando um total de 29 locais distintos. Gerou seu primeiro hit, "You're the Best Thing About Me", presente nas primeiras cinco posições em várias tabelas, conseguindo a posição de número 1 na Billboard Adult Alternative Songs.[2] Para seu divulgamento, a banda publicou em seu site oficial o início das vendas para a turnê Experience Tour, a partir de maio de 2018.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Período de Innocence e turnê[editar | editar código-fonte]

Apresentação da banda em um evento da Apple, durante o lançamento do iOS iPhone 6, na qual o álbum também seria divulgado (esquerda). Durante a turnê Innocence Tour (direita), no fim de 2015, o grupo dava sequência à produção do novo material que seria lançado futuramente.

Em 9 de setembro de 2014, a U2 lançou seu décimo terceiro álbum de estúdio, Songs of Innocence (2014), em um evento de lançamento de produtos da Apple, lançando-o em formato digital no mesmo dia para todos os clientes do iTunes Store sem nenhum custo.[3] Por ter sido lançado gratuitamente pela Apple, estimasse que o álbum foi acessado a um público de 500 milhões de usuários que possuíam conta no iTunes. De acordo com o diretor executivo da Apple, Tim Cook, foi "o maior lançamento de um álbum de todos os tempos".[4] A empresa norte-americana teria pago à gravadora Universal Music Group e ao grupo musical, uma quantia fixa para um período exclusivo de cinco semanas na qual distribuiria o álbum,[5] gastando uma quantia aproximada de cem milhões de dólares em uma campanha promocional.[4] Produzido por Danger Mouse, Paul Epworth, Ryan Tedder, Declan Gaffney e Flood, Innocence relembra a juventude dos membros da banda na Irlanda, na temática de suas experiências durante a infância e adolescência.[6] Bono descreveu-o como "o álbum mais pessoal que já escreveram".[7] Recebeu avaliações mistas, atraindo críticas negativas em relação ao seu modo e forma de divulgação digital, sendo incluso automaticamente no banco de dados dos usuários da conta, desencadeando um download sem o consentimentos dos mesmos.[8][9][10] No dia de sua anunciação, Bono deu a entender que seria lançado um álbum de seguimento denominado Songs of Experience, acrescentando: "Se você gostar de Songs of Innocence, fique conosco para ouvir Songs of Experience. Ele deverá estar pronto em breve... embora já tenhamos dito isso antes".[11][12] De acordo com o guitarrista The Edge, eles perceberam que durante as sessões de gravação, estavam trabalhando no que poderia se tornar dois álbuns separados.[13] Em uma entrevista ao jornal britânico The Observer, o vocalista recitou a letra de uma canção chamada "The Morning After Innocence" — que mais tarde viria a se tornar "The Little Things That Give You Away".[14]

A banda deu início à turnê Innocence Tour (2015) em maio de 2015, na América do Norte.[15] Originalmente, a expectativa era de iniciar a turnê com a intenção de encená-la em duas fases: Uma parte com o material obtido de Innocence, e outra parte com o material que eventualmente seria de Experience — assim como ocorreu com os álbuns Achtung Baby (1991) e Zooropa (1993), na turnê Zoo TV Tour (1992–1993). Entretanto, foi revelado o décimo quarto álbum seria adiado,[16] afirmando também que "por incrível que parecesse, várias canções já tinham sido concluídas", naquele momento.[17] Em uma entrevista na revista NME, o frontman da banda havia afirmado que tinham escrito uma canção com base nos ataques de 2015 em Paris, na época nomeada de "Streets of Surrender", recitando algumas letras durante a entrevista.[18] A turnê finalizou em dezembro de 2015, na Europa.[19] No total, a turnê arrecadou mais de 152,2 milhões de dólares e 1,2 milhões de ingressos vendidos.[20]

30º aniversário de The Joshua Tree Tour[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: The Joshua Tree Tour 2017
Durante a turnê, Bono assumia a personalidade de "Shadow Man", personagem fictício da série dos anos 1950, Trackdown, em performance da canção "Exit".

Em maio de 2017, a banda deu início à turnê de 30 anos da The Joshua Tree Tour (1987), fundamentando-se nas canções do álbum The Joshua Tree (1987) no setlist principal de seus concertos, começando na cidade de Vancouver, no Canadá. A digressão consistiu em quatro etapas: Duas na América do Norte, Europa e América do Sul.[21][22] O sistema de enquadramento do palco foi usado para construir um telão de 60 metros de largura por 15 metros de altura,[23][24] com dimensões semelhantes a tela LED da turnê Popmart Tour (1997–1998), porém, com uma resolução 400 vezes superior.[25] A turnê caracteriza-se pela temática em algumas canções — assemelhando-se a personagens da turnê Zoo TV Tour, como o "The Fly", "Mirror Ball Man" e "MacPhisto" — adotando a personalidade do personagem "Shadow Man", da série ao estilo faroeste da década de 1950, Trackdown. Bono usa um terno preto e um chapéu coco (semelhante ao de Charlie Chaplin),[26][27] sendo um "pequeno homem" visitando uma cidade, prometendo que irá construir um muro em torno deles para protegê-los de um suposto apocalipse, em referência a Donald Trump.[28]

Ao longo da digressão, a banda apresentava-se também em programas de reality shows, tocando algumas das canções que até aquele momento seriam lançadas no futuro álbum.[29] Como parte do itinerário da turnê, o grupo também fez uma aparição no Bonnaroo Music Festival. Por fim, o encerramento da turnê consolidou-se em outubro de 2017, na cidade de São Paulo. Ainda em 2017, a turnê foi nomeada na categoria de "Best Live Act" da MTV Europe Music Awards.[30][31] Ganhou a Prémio LOS40 Music de "Turnê do Ano",[32] e de "Melhor Turnê" na iHeartRadio Music Awards 2018.[33] Ao todo, adquiriu uma renda bruta de 317 milhões de dólares e com um público de 2,7 milhões de espectadores, alcançando a posição de número 12 no ranking de turnês musicais de maior bilheteria e a mais lucrativa daquele ano.[34][35]

Desenvolvimento e gravação[editar | editar código-fonte]

Lillywhite, Mouse e Tedder (sentido horário), foram uns dos responsáveis que produziram o álbum.

Em novembro de 2014, Bono sofreu um acidente de bicicleta no Central Park, na cidade de Nova York, tendo fraturado a escápula, úmero, órbita e dedo mínimo,[36] ao ponto dele declarar que não tinha certeza se poderia tocar guitarra novamente.[37] Em janeiro de 2015, através do site oficial, pronunciou-se sobre seus ferimentos, não conseguindo se lembrar completamente do ocorrido.[38] Durante sua recuperação, compôs novas músicas com The Edge tocando os acordes.[16] Bono disse que seu acidente de alguma forma beneficiou o álbum.[38] The Edge afirmou que "no fim de um álbum, você está no máximo de sua potencialidade em termos de composição, arranjo e performance. É triste que você tenha que parar e depois começar outra fase do que fazemos, que é tocar ao vivo. Desta vez não paramos realmente. Bono está tentando lucrar com esse entusiasmo e lucidez.[16]

Andy Barlow, produtor e membro da banda britânica Lamb, recebeu a oferta de produzir o álbum Experience enquanto estavam de passagem pela Rússia. Na semana seguinte, Barlow voou para a cidade de Mónaco, na França, para juntar-se ao grupo irlandês, descrevendo como um "teste de duas semanas". Barlow ficou surpreso com o quão acolhedor o U2 foi com suas ideias e com a rapidez que confiaram nele, particularmente Bono.[39] Após a sessões em Mónaco, Barlow também foi convidado a se unir com a banda na cidade de Vancouver no Canadá, em um período de abril a maio de 2015, durante a turnê Innocence Tour no estádio do Pacific Coliseum.[16][39] O produtor Jolyon Thomas também trabalhou com a equipe enquanto estavam em um estúdio de gravação móvel.[16][40] Entre as canções em andamento que tiveram a pré-estreia no The New York Times durante os ensaios, destacaram-se "Red Flag Day", "Civilisation" e "Instrument Flying".[16] Antes do show de estreia da turnê, The Edge disse que seria impossível que o grupo terminasse o álbum até o fim do mesmo ano, afirmando: "Acho que realmente depende se valerá a pena nos apressar nessas dez semanas que temos ao fim do turnê". Comparando o material em andamento do grupo ao álbum Zooropa (1993), que foi concluído durante a turnê Zoo TV Tour, o guitarrista declarou que as canções do décimo quarto álbum foram "bastante desenvolvidas".[41] Após o seu tempo com o grupo em Vancouver, Barlow recebeu oficialmente o cargo de produtor.[39] Continuaram a trabalhar no álbum em seu tempo livre em turnê,[42] colaborando principalmente com os integrantes irlandeses de modo individual em seu itinerário, por conta do local em que estavam oferecer espaço suficiente para trabalhar em conjunto. O produtor descreveu esse processo como "montando um quebra-cabeça de cada vez".[43] Barlow acabaria por passar dois anos trabalhando com o U2 em aproximadamente dez países, às vezes por meses de cada vez. Por sua estimativa, apenas 10% de seu trabalho ocorreu em estúdios de gravação — a maioria foi feita em vestiários, quartos de hotéis e mansões.[39]

A banda teve passagem no Windmill Lane Studios para a gravação de seu álbum, em Dublin (esquerda) e no Electric Lady Studios, em Nova York (direita).

Até outubro de 2015, escreveu aproximadamente 18 canções das quais planejavam selecionar 12. Em retrocesso desse período, The Edge escreveu uma canção provisoriamente intitulada de "Tightrope".[44] Na capa de uma edição da revista Q daquele mês, também mencionou as faixas "Much More Better" e "The Little Things That Give You Away".[45] Em novembro de 2015, o guitarrista disse para a revista Hot Press que eles esperavam completar o álbum no início de 2016 e lançá-lo até o final daquele ano.[42] Após terminar a turnê Innocence Tour em dezembro de 2015, dedicaram-se a trabalhar em Experience.[46] Em fevereiro de 2016, estimava-se que as músicas já concluídas seriam completadas em um período de quatro a seis semanas, entretanto, que precisariam escrever o material adicional. Na matéria da revista, Bono chegou a comentar sobre duas novas melodias: "Landlady" e "Where the Shadows Fall".[47] Em março, trabalharam na gravação com Thomas em uma mansão vitoriana alugada na cidade de Killiney, um subúrbio afastado no litoral de Dublin. Eles equiparam a casa, transformando-o em um estúdio musical improvisado e a colocaram no salão com vista para a baía. O baterista Larry Mullen Jr., usou um segundo kit de bateria, posicionando-se estrategicamente de forma que ecoasse melhor o som.[48]

Atrasos e adiamentos[editar | editar código-fonte]

Songs of Experience (álbum) "A vantagem do acidente foi que eu tive tempo para compor com a mentalidade de estar finalizando algo". Songs of Experience (álbum)

Bono, a respeito de seu acidente ciclístico.[38]

A equipe mudou seu local de gravação. Enquanto desta vez a banda trabalhava em Los Angeles, The Edge dava a entender que o álbum ainda estava sem previsão de ser finalizado, afirmando que era "realmente difícil dizer quando estaria terminado", e acrescentou: "Estamos definitivamente estagnados nas ervas daninhas. Ainda não conseguimos ligar a 'máquina de pressão', por assim dizer [...] Estamos tentando ser mais ofensivos nesse novo material musical, e focar apenas em coisas que estamos convencidos serem boas ideias. Gostaríamos de falar que agora estamos prestes a editar a coleção central das canções que gravamos. Elas ainda não estão lapidadas, mas soa muito bem".[49] Trabalhando em até 50 trechos de músicas individualmente, das quais 20 canções estavam em processo de formação, com 80% do que já haviam gravado começado entre 2015 e 2017.[50] Em maio de 2016, o músico Ryan Tedder, reprisando sua participação como co-produtor no álbum anterior, afirmou que "nunca viu os membros da banda tão focados neste trabalho", enquanto descrevia o material em andamento como o mais animador desde o álbum All That You Can't Leave Behind (2000).[51][52] Tedder também mencionou que o álbum era um material novo e que apenas uma ou duas canções eram das sessões gravadas de Innocence.[52] No mês seguinte, foi dito que estavam a todo vapor para lançar o álbum até o fim de 2016.[53]

Durante o intervalo da canção "Bullet the Blue Sky", a banda fez críticas a Donald Trump, em relação a suas propostas, como o muro fronteiriço dos Estados Unidos com México, em analogia com o muro de Berlim.

Em agosto de 2016, ao participarem de um casamento na cidade de Valência na Espanha, a banda falou aos fãs sobre o progresso de Experience; o baixista Adam Clayton afirmou que "esperavam algo dentro de seis meses", enquanto que o vocalista ao ser indagado sobre a turnê Innocence Tour, afirmou: "a segunda etapa da turnê será em 2017, mas vocês verão poucas coisas em setembro e outubro".[54] O jornal The Irish Times reportou com base nesses comentários que o lançamento do álbum em setembro ou outubro de 2016 seria possível de coincidir com o 40º aniversário da banda e que a segunda fase da turnê retornaria em março de 2017.[55] Apesar de terem planejado lançá-lo no quarto trimestre de 2016, no final eles decidiram adiá-lo; após algumas mudanças sócio-políticas conservadoras, como o voto da saída do Reino Unido da União Europeia, assim como a reavaliação do álbum caso precisasse ser ajustado em algum aspecto.[56] The Edge afirmou: "Percebemos repentinamente que o mundo mudou quando estávamos prestes a lançá-lo. Depois de refletirmos sobre o assunto, concluímos que seria melhor aguardar por mais tempo".[57] De acordo com o guitarrista, a maioria dos resultados dessas mudanças nas canções eram líricas e algumas bastante sutis, enfatizando ou expressando uma ideia,[1] indicando que haviam escrito novas faixas com seu tempo extra.[46] Em apoio à candidata Hillary Clinton, na eleição presidencial nos Estados Unidos em 2016, durante um show a banda fez críticas a Donald Trump, realizando algumas edições das citações feitas nos discursos de Trump, em referência a proposta de construir um grande muro na fronteira mexicana, com Bono afirmando: "Agora candidato, você entende que não são apenas os mexicanos que terão um problema com esse muro. São todos os que amam a ideal de América".[58]

Apresentação da banda em Seattle, em maio de 2017, em performance da canção "The Little Things That Give You Away" durante a turnê The Joshua Tree Tour 2017, tornando-se a primeira música realizada em concerto, do álbum.

Os membros estavam interessados em explorar diferentes técnicas de produção e arranjos para suas faixas musicais.[1] Clayton disse que queriam ajustar as mixagens depois da insatisfação com as canções do álbum anterior: "Não havia clareza em algumas das mixagens e precisávamos ser um pouco mais inventivos sonoricamente. Quero dizer, esse material, tornou-se muito difícil de tocá-las ao vivo".[46] Bono afirmou que algumas canções de Innocence não tinham "coerência na produção".[59] Como resultado, no outono de 2016, se reuniram em um espaço de ensaio para tocar as novas canções. Eles esperavam encontrar arranjos que funcionassem durante os concertos, de modo a evitar o hábito de regravar, lançar e reorganiza-los ao se prepararem para uma turnê.[1] Em uma entrevista com Charlie Rose em setembro de 2016, Bono afirmou que uma turnê aconteceria no ano seguinte, sem se comprometer com uma data de lançamento.[60] Em outubro de 2016, Tedder mencionou que já estava trabalhando nas gravações em parceria com os irlandeses havia um ano, dizendo que "haveria grandes remixes que iriam abrir portas para os fãs do U2".[51] Em um vídeo lançado no Natal do mesmo ano, a banda anunciou que Experience seria lançado em 2017.[61] A medida que as sessões de gravação continuavam, The Edge declarou que Bono passou por momentos difíceis durante este processo, chamando o fato de uma "luta mortal".[1] O jornal The Irish Times notificou que no final de 2016 entre o Natal e Ano Novo, Bono teve uma experiência quase de morte, recusando-se a dar mais detalhes sobre o acontecimento.[62] Como resultado do episódio, ele decidiu voltar a trabalhar nas letras, seguindo o conselho do poeta irlandês Brendan Kennelly para compor, "como se o mesmo estivesse falecido".[1] Como resultado, compôs as canções como uma série de cartas para pessoas e lugares na qual sentia uma ligação pessoal. "Eu sei que o U2 cria álbuns como se fosse o último, mas desta vez, eu queria as pessoas ao meu redor sentisse exatamente o que eu senti", afirmou Bono. Também teve uma ideia a partir do poeta William Blake, ao se comparar como uma pessoa ingênua, na qual tornariam-se experientes.[63]

O grupo oficializou o retorno da turnê The Joshua Tree Tour (1987), na qual consistia as canções do álbum The Joshua Tree (1987) no setlist de seus concertos. Enquanto isso, eles avaliaram a sonoridade individualmente, com Larry Mullen e Clayton trabalhando de forma separada, pois não obtiveram uma sincronização que pudesse ser tocada durante um show ao vivo.[39] Depois de re-ensaiarem, em março de 2017, entraram para gravar no Electric Lady Studios, na cidade de Nova York, com a presença do produtor de longa data da banda, Steve Lillywhite, re-escrevendo novas músicas como um todo.[46] Bono afirmou que Lillywhite foi a "melhor pessoa para produzir uma gravação em estúdio, de modo que dê para tocar ao vivo", ganhando satisfação dos resultados, encontrando uma síntese de suas "brutas performances", com overdubs de versões gravadas anteriormente.[59] O guitarrista chamou-o de "a melhor química da banda misturada com a melhor tecnologia produtiva do século XXI".[1] Na edição de abril de 2017 da revista Mojo, Clayton afirmou que haviam em torno de 15 canções com potencial de serem incluídas em Experience, mas que esperavam reduzir para 12 faixas.[64] mencionando canções com os títulos de "The Showman", "Summer of Love" e "The Best Thing About You Is Me" [sic].[46]

O rapper americano, Kendrick Lamar (esquerda), colaborou em duas canções de Experience; assim como também o U2 colaborou em uma canção do álbum de Lamar, Damn. (2017). A cantora pop Lady Gaga (direita), também teve participação na canção "Summer of Love", como backing vocal.

A partir de maio de 2017, a banda iniciou a turnê The Joshua Tree Tour 2017, estreando a canção "The Little Things That Give You Away", e posteriormente "You're the Best Thing About Me" em alguns de seus concertos. A revista Hot Press mencionou que uma nova canção intitulada de "American Soul", teria a participação do rapper americano Kendrick Lamar;[65] e divulgado que o U2 participaria da canção "XXX", de Lamar.[66] A cantora Lady Gaga também participou no backing vocal da canção "Summer of Love".[67] Mais tarde naquele mês, quando indagado sobre o novo álbum, Bono permaneceu não comprometido com uma data de lançamento, dizendo: "Achei que foi feito no ano passado". Ele admitiu que gastar mais tempo trabalhando no álbum melhorou, mas disse que "se você o deixasse para The Edge, ele ainda realizaria mais remixes até o próximo ano".[59][66] No fim de agosto de 2017, a banda divulgou o lançamento da canção "The Blackout",[68] confirmando também o primeiro single do álbum, "You're the Best Thing About Me", lançado em setembro de 2017.[69][70] No mesmo mês, o guitarrista alegou que eles concordaram com a lista de faixas do álbum, a ordenação e as mixagens, indicando que estava "absolutamente pronto para ser lançado", com pequenos ajustes de mixagens ou mudanças líricas.[1] No final de outubro, havia rumores sobre a divulgação das canções do álbum,[71] sendo posteriormente confirmado no início de novembro em seu site oficial.[72] Por fim, Barlow afirmou que estavam fazendo mudanças líricas nos últimos instantes da masterização de áudio,[39] sendo divulgado para venda em download digital, no início de dezembro de 2017.[73]

Composição[editar | editar código-fonte]

A faixa possui riffs e batidas fortes, tendo a participação de Kendrick Lamar ao fim da canção.

A canção aborda a crise dos refugiados da guerra civil na Síria.

Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

Tematicamente, Experience explora a maturidade e também, uma coleção de cartas escritas pelo vocalista à pessoas mais íntimas. As reescritas têm um contexto político, afirmando refletir uma "luta mortal" durante o período de gravação do álbum.[1] Em uma entrevista com Jonathan Dean, da revista The Times, ele fala sobre sua preocupação com relação ao legado de seu trabalho, afirmando: "No seu funeral, ninguém fala sobre o que você conquistou [...] Eles falam se você era engraçado ou não. Você era gentil com seus filhos? Então, estou me afastando cada vez mais e, me preocupando muito com o legado da banda ou com meu próprio trabalho, com o que meus filhos e amigos pensam a meu respeito".[74] Em outra entrevista com Andy Greene, da Rolling Stone, ao ser perguntado sobre o critério de escolhas e processos das canções, alegou: "Ainda parece muito moderno, mas parece que tem mais influências do hip hop ou R&B, do que o rock em si. De qualquer forma, essas canções às vezes, fazem você pensar: 'Uau, OK! essa é a síntese que estamos tentando alcançar aqui".[1]

A canção "Love Is All We Have Left" fala sobre o amor que nos resta. Fazendo um trocadilho, um recém-nascido que vem ao mundo indefeso, chorando e abandonado à beira da porta; ao mesmo tempo, fala sobre um telescópio em metáfora às estrelas e o modo de enxergar o mundo: "Agora, você está na outra extremidade do telescópio, sete bilhões de estrelas em seus olhos, tantas estrelas, tantas maneiras de ver".(traduzido do original)[75] O frontman explica que a canção é também uma forma de dialética do "seu 'eu inocente' conversando com o seu 'eu experiente', no futuro".[76] "Lights of Home" faz uma referência a "Señor (Tales of Yankee Power)", do álbum Street Legal (1978), de Bob Dylan. Em tradução, possui trechos que falam sobre a vida e morte: "Eu não deveria estar aqui porque eu deveria estar morto. Eu posso ver as luzes na minha frente, eu acredito que meus melhores dias estão à frente, eu posso ver as luzes na minha frente. Oh, Jesus, se eu ainda sou seu amigo, o que diabos, o que diabos você tem para mim?". Em entrevista, Bono revela que durante as gravações do álbum, teve uma experiência em que quase morreu, afirmando: "As pessoas passam por eventos de extinção de suas vidas, podendo ser psicológico ou físico. E sim, para mim foi físico, mas me poupei de toda essa novela" — o que de certo modo, explica o verso de abertura da canção: "Não deveria estar aqui porque eu deveria estar morto".[77][78] A canção "You're the Best Thing About Me" diz respeito, tanto ao relacionamento da esposa [Ali Hewson] quanto aos filhos de Bono, com relação ao seu distanciamento dos entes queridos devido ao trabalho.[74][79]

Com um efeito sonoro mais descontraído que lembra o grupo The Beach Boys, a lírica aborda a auto-estima e o vitimismo.

A canção possui uma interpretação mais genérica, tendo uma perspectiva otimista com o ambiente.

Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

"Get Out of Your Own Way" são direcionadas às filhas de Bono, Eve e Jordan Hewson, como conselhos em suas desilusões da vida.[80] "American Soul" fala sobre o ideal de "América". A uma entrevista, o vocalista diz que a "Irlanda é um país muito agradável. A França é um país excelente. A Grã-Bretanha também é um país excelente, mas não são um ideal. O pensamento de América é um ideal, e é um ótimo ideal. E o mundo sente uma participação desse conceito [...] Por isso que nos tornamos desagradáveis em relação a isso, pois o mundo precisa da América para obter sucesso".[76] Com o contexto político, a canção "Summer of Love" aborda os refugiados da guerra civil na Síria, afirmando: "O problema é a Costa Oeste da Síria, e não a Costa Oeste da Irlanda ou da Califórnia, como muitos pensaram".[76] "Red Flag Day" retrata o contraste entre um casal privilegiado tentando recuperar o romance no litoral, enquanto que do outro lado da margem, uma família tenta embarcar em uma jangada improvisada para atravessar o mar".[81] A música "The Showman (Little More Better)" manifesta a auto-estima e auto-depreciação: "Não ficar melancólico é a coisa mais importante a se fazer, caso você esteja lutando para sair dessa situação. Auto-piedade? Nós irlandeses, somos recordistas mundiais nisso; É nossa característica nacional menos interessante. E eu nunca quis me render a isso, então de repente o punk rock se tornou realmente importante", afirmou Bono.[76][80] "The Little Things That Give You Away" exprimi uma missão não específica, em busca de algo, como no verso "O que era liberdade, pode custar-lhe seu privilégio".(traduzido do original)[82]

Em "Landlady", ao contrário do que o título possa transparecer — uma dedicatória a Ali,[80] também possui um contexto da história do vocalista, no período em que saiu de casa após o falecimento de sua mãe quando tinha 14 anos, fazendo uma breve referência da canção "This Is Where You Can Reach Me Now", do álbum Innocence (2014). A canção possui influências de Dylan, dizendo: "Aprendi muito com Bob [Dylan] ao longo dos anos, e uma coisa que aprendi é que, no auge de sua seriedade, você precisa de humor. Você precisa de um bom humor. É por isso que estou tão orgulhoso do álbum [...] Espero que tenha apenas humor e humildade suficiente para que ele não seja excitante".[76] A canção "The Blackout" reflete a relevância e a atual atividade do U2. Em uma analogia, os membros do grupo se aplicam ao dinossauro – denotando o longo período que a banda está ativa – como no verso de introdução da canção: "Um dinossauro se pergunta por que ele ainda anda pela Terra".(traduzido do original)[80] "Love Is Bigger Than Anything in Its Way" possui um tema introspectivo e otimista, com Bono tendo uma espécie de "epifania ao anoitecer na sua casa de praia".[83] Por fim, a canção de encerramento, "13 (There Is a Light)" também gira em torno de Innocence, como sendo uma versão "madura" da canção "Song for Someone" (2014) – tomando como base a temática do álbum, a maturidade.[84] Ao contrário da dedicatória de "Song for Someone" ser para Ali, "13 (There Is a Light)" é uma "renovação do compromisso com o propósito e o sustento que ele ainda encontra na música, composição e performance".[84]

Capa, encarte e título[editar | editar código-fonte]

Divulgação do lançamento da capa, encarte e formatos do álbum, incluindo a plataforma streaming.

A capa de Experience foi realizada pelo fotografo, diretor e colaborador de longa data da banda, Anton Corbijn, na presença de Eli Hewson e Sian Evans de mãos dadas – filhos do vocalista Bono e do guitarrista The Edge, respectivamente;[85] remetendo à capa de Songs of Innocence (2014), com Larry Mullen junto a seu filho.[86] A filha de Edge, Sian Evans, além de ter estado na capa do álbum, participou de sessões fotográficas como capa de "You're the Best Thing About Me", lançado em setembro de 2017.[87] Em ambas as fotos, Evans faz uso de um stahlhelm (capacete de aço militar), assemelhando-se com o de Peter Rowan – garoto da capa dos álbuns do U2, Boy (1980) e The Best of 1980-1990 (1998).[88][89]

O álbum foi lançado em três formatos. No formato CD, o encarte começou a ser produzido em 22 de novembro, com o digipack das edições deluxe incluindo quatro faixas extras (no Japão, foram incluídas cinco);[90] no vinil, face dupla translúcida de cor ciano-azul; e dowload digital.[91] O conjunto continha um cartaz exclusivo, acompanhado de 16 páginas do jornal do álbum e um cartão.[92]

Por ser um álbum complementar de Songs of Innocence (2014), o título também foi inspirado pela obra literária Canções de Inocência e de Experiência (1789) do poeta William Blake, prescrevendo a época em que os membros da banda estavam com mais maturidade.[85]

Divulgação e lançamento[editar | editar código-fonte]

Songs of Experience (álbum) "Bem-aventurados os países de 'merda', pois nos deram o Sonho Americano!
Bem-aventurados são os arrogantes, porquê deles serão o reino da própria companhia!
Bem-aventurados os valentões, porquê um dia eles terão de se defender!".
Songs of Experience (álbum)

Bono, rebatendo as observações de Trump sobre imigração, durante o Prémio Grammy de 2018.[93]

Em maio de 2017, eles se apresentaram no late-night talk show americano Jimmy Kimmel Live!, tocando a canção "The Little Things That Give You Away".[94] O jornal The Irish Sun, informou que "You're the Best Thing About Me" seria lançado como o primeiro single do álbum, noticiando a data prevista para o lançamento do mesmo;[95] a banda também anunciou que a canção seria promovida como single.[96] Em agosto de 2017, vários fãs americanos receberam cartas enigmáticas, a procura de uma nova versão da banda. As letras continham textos que mencionavam Canções de Inocência e de Experiência de William Blake, com uma silhueta do filho de Bono e a filha de Edge na capa do álbum, bloqueando a maior parte do texto, com exceção de algumas palavras revelando a seguinte mensagem: "Blackout... Está claro que você vai acontecer... U2.com"(traduzido do original), podendo ser lido como um verso que dizia: "U2 irá anunciar".[97] A divulgação da canção "The Blackout" foi realizada no dia do eclipse solar em agosto de 2017.[98] No final de agosto, foi publicado um pequeno vídeo musical da música, anunciando que estrearia no dia seguinte através do Facebook Live e no site oficial do grupo, revelando sua performance ao vivo.[99] No início de setembro, a banda tocou "You're the Best Thing" no programa The Tonight Show Starring Jimmy Fallon, um dia após o seu lançamento oficial;[100] o grupo também tocou-a em um concerto na cidade de Indianapolis, durante a The Joshua Tree Tour 2017.[101]

Performance da banda na Estátua da Liberdade, durante a cerimonia de abertura do 60º Prémio Grammy.

No final de outubro, os fãs receberam novas mensagens enigmáticas. Desta vez, continha a lista de faixas do álbum.[102] Em novembro, a banda anunciou oficialmente os detalhes de seu lançamento; o dia para 1º de dezembro foi confirmado, junto com a imagem de capa e os formatos. Além disso, as faixas "Get Out of Your Own Way" e "The Blackout" foram lançadas, simultâneo com o início do período da turnê Experience Tour na América do Norte, em 2018.[91] O grupo realizou um mini-concerto na praça Trafalgar Square, em Londres, antes de receberem o Prémio EMA para a categoria de "Ícone Global" de 2017.[103] Em 17 de novembro, "American Soul" foi lançada em áudio;[104] Uma semana depois, lançaram um disco de vinil de 12 polegadas de "The Blackout" para a Record Store Day, na Black Friday. Lançado em parceria com a gravadora Third Man Records, a canção inclui uma versão padrão e uma versão remix, por Jacknife Lee.[105]

No final de janeiro de 2018, a banda apresentou-se duas vezes durante a cerimonia principal do Prémio Grammy de 2018: A primeira, participou da canção "XXX" em apoio a Kendrick Lamar, junto com Dave Chappelle; a segunda performance, em modo solo do grupo, tocaram "Get Out" na Estátua da Liberdade,[106] fazendo ode aos imigrantes da fronteira.[107]

Promoção[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2017, durante a semana do lançamento do álbum, a banda participou de várias promoções. A Amazon Music produziu uma programação de rádio online sobre a banda, denominada The U2 Experience; o conteúdo, disponível dois dias antes de seu lançamento, incluiu todas as canções de carreira do grupo, tanto entrevistas quanto gravações ao vivo durante a turnê de 30 anos da The Joshua Tree Tour.[108] Da mesma forma, a Spotify produziu um mini-documentário sobre eles, denominado U2 in America, que foi disponibilizado como parte de uma lista de reproduções de suas músicas.[109][110] No dia da estreia, Bono fez uma aparição no programa de futebol americano, Good Morning Football.[111] Foram convidados no programa Saturday Night Live em 2 de dezembro, em entrevista com a atriz conterrânea Saoirse Ronan.[112] De forma breve, tocaram sob a high line, na cidade de Nova York,[113] e um show acústico na linha de metrô com mesmo nome, em Berlim.[114][115]

A banda gravou um cover da canção clássica, "What's Going On", gravada em Neptune Valley, na cidade de Los Angeles, como forma de divulgação de Experience.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Para sua promoção, a banda fez aparições em programas de TV. Novamente, fez uma aparição no programa Jimmy Kimmel Live!, para promover não somente o álbum, como também na campanha no Dia Mundial de Combate à AIDS, através da (Red).[116] Sua primeira aparição foi no programa Che Fa Tempo Che, em Milão, na Itália.[117] Pela BBC Two, realizou uma entrevista com o locutor de rádio Howard Stern, tocando as canções "You're the Best Thing" e "Get Out".[118] Pela BBC One, denominado U2 at the BBC, vindo ao ar em 19 de dezembro, executando algumas canções do álbum acompanhado de coro e orquestra, uma versão da canção "All I Want Is You",[119][120] e a inclusão do making-of do passeio deles pela cidade de São Paulo junto a apresentadora Cat Deeley, durante o período da turnê The Joshua Tree Tour 2017, no Brasil.[121] Através da Spotify Singles, os músicos postaram versões ao vivo da canção "The Little Things", e uma versão cover da canção do músico Marvin Gaye, "What's Going On", enquanto estavam em Los Angeles.[122][123] A canção "American Soul" foi usada em um anúncio de televisão para o Divisão I da NCAA Basketball Championship de 2018.[124] pela CBS e pela Turner Sports. Foi tocada no início das transmissões dos jogos, antes e depois dos intervalos comerciais e em propagandas de televisão. A ESPN também tocou-a na cobertura televisiva do dia de abertura na Major League Baseball de 2018.[125]

Recepção musical[editar | editar código-fonte]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 63/100[126]
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 2.5 de 5 estrelas.[127]
Consequence of Sound C–[128]
The Daily Telegraph 4 de 5 estrelas.[129]
The Guardian 4 de 5 estrelas.[130]
The Independent 2 de 5 estrelas.[131]
Mojo 4 de 5 estrelas.[132]
Pitchfork Media 5.3/10[133]
Rolling Stone 4.5 de 5 estrelas.[84]
Q 4 de 5 estrelas.[134]
NME 2 de 5 estrelas.[135]

Em termos gerais, Songs of Experience recebeu avaliações favoráveis.[136] De acordo com a revisão da Metacritic, recebeu uma pontuação média de 63/100;[126] com base em 161 revisões, 110 foram positivas, 13 mistas e 38 negativas.[137] Stephen Thomas Erlewine, do Allmusic, foi misto em sua avaliação: "Tudo é tão familiar, levando um tempo para perceber que os ecos sonoros de Edge são sutis, que os ritmos às vezes são limitados por um tenso sequenciamento".[127] David Sackllah, da Consequence of Sound, afirmou que o "álbum se encontrou sendo trabalhado várias vezes por eles", mas que apesar de "ser desarticulado, apresenta momentos de grandeza" em algumas canções.[128] Neil McCormick, do The Daily Telegraph, alegou que o álbum está repleto de "grandes ganchos substanciais combinados com coro musical", complementando ao grupo para fundir seu conflito pessoal com a positividade musical, dizendo que "Experience não é um trabalho de homens jovens. Ele mostra a maturidade e segurança do grupo, tocando canções de paixão e com propósitos".[129]

Alexis Petridis, do The Guardian, em sua revisão de quatro estrelas, afirmou que "apesar de suas falhas, o disco é audivelmente melhor do que qualquer um de seus antecessores. Por um lado, nem todos os seus erros são esmagadores".[130] Andy Gill, do The Independent, foi mais crítico afirmando que "raramente uma banda de tal estatura pareceu ser tão fraca e desprovida de inspiração como eles fizeram nesse álbum". O crítico disse que a banda tinha sido "reduzida a truques baratos e as velhas banalidades exaustivas valem apenas nos acordes em que estão limitados – que são as melodias mais irrelevantes de sua carreira".[131] James McNair, da revista Mojo, afirmou que o álbum "é uma fera infinitamente melhor em relação ao antecessor [...] O álbum mais forte do U2 deste século", elogiando o material por seus ganchos e por suas canções de finalização, nas quais ele sentia uma certa vulnerabilidade no vocalista.[132] Calum Marsh, da Pitchfork Media, teve uma crítica mista do material lançado. "O medo de parecer 'um pouco fora de contato'. Quase 30 anos depois que Bono declarou no palco que a banda teve que 'ir embora e sonhar tudo de novo', ainda é o principal catalisador criativo. E em Experience, a ansiedade é mais aparente do que nunca. Bono ao que parece, passou muito tempo em torno de muitos estereótipos", afirmou o avaliador.[133]

David Fricke, da Rolling Stone, alegou que a "reflexão do grupo sobre a mortalidade traz uma 'urgência que liga e impulsiona o salto de mosaico do álbum'", elogiando o grupo por oferecer vislumbres de seu trabalho passado, dizendo: "O efeito crescente é uma carga de humor dinâmico e uma missão ainda certa".[84] Andrew Perry, da Q, disse que "provavelmente terminará como um clássico de fim de carreira". O revisor elogiou o grupo por sua capacidade de evocar uma variedade de sons: "Eles foram longe, permanecendo no período pós-moderno e imprevisíveis. Capazes de assumirem muitos sons e vozes, invocando sua inocência do anos 80, mas também sem nenhuma experiência, mestres de cada centímetro de suas atividades".[134] Mark Beaumont, da NME, em sua revisão de apenas duas estrelas, afirmou que o álbum "[...] Se assemelha a uma imitação de uma imitação de outros grupos musicais".[135] Pablo Gordini, da Associated Press, afirmou que "assim como o álbum antecessor de 2014, Experience é o produto de um processo de gravação difícil e prolongado. Muito mais do que Innocence, no entanto, os membros criaram um álbum emocionante e pronto para serem tocados ao vivo no uso dos sons característicos da banda".[138] Tim De Lisle, do jornal The Mail on Sunday elogiou o grupo, afirmando que "após 41 anos, o segredo do U2 é a sua unidade, quase a maior força que uma banda poderia ter [...] Você supera sua crise da meia-idade e depois de passar algum tempo com eles, você se sente bem".[139] Outro revisor que sentiu-se satisfeito, foi o crítico Eric Lalor, do jornal irlandês Joe: "Este é realmente um álbum impactante, fazendo escutar uma, duas ou três vezes. Conviver com este álbum é como um feitiço prolongado determinando se o álbum atinge o patamar de The Joshua Tree (1987), Achtung Baby (1991) ou até mesmo, o álbum cruelmente subestimado, Pop (1997)".[140]

Reconhecimento e controvérsias[editar | editar código-fonte]

Apareceu no ranking da revista Rolling Stone, alcançando a posição de número 3, na lista dos "50 Melhores Álbuns de 2017", afirmando: "É um mito de criação do rock que manifesta a magia eterna da música, entregue por uma banda que se recusa a deixar desaparecer".[141] Em contra-partida, a revista Consequence of Sound, divulgou uma nota de reprovação do álbum estar no "Top 10" do ranking dos "50 Melhores Álbuns do Ano" pela Rolling Stone, afirmando: "[...] podemos dizer que não está perto de ser um dos melhores álbuns de 2017 [...] o álbum é um dos piores lançamentos do ano, sendo outro fracasso da discografia da banda" e que o "álbum somente classificou-se na lista, graças a Jann Wenner", fundador da Rolling Stone.[142] Allan Raible, da ABC News, também considerou Experience como o "melhor álbum de 2017".[143] Na pesquisa dos críticos na final de ano pela Pazz & Jop de 2017, Experience empatou na posição de número 98.[144]

Hermes também classificou a canção "Lights of Home" na posição de número 5, na lista das "50 Melhores Canções de 2017", concluindo que "tudo o que a banda fez até aqui é excelente, levando para casa aquele espírito de luta".[78] Jon Pareles, da revista The New York Times, classificou a canção "The Blackout" na posição de número 4, na lista de "54 Melhores Canções de 2017", dizendo: "A democracia enfrenta um 'evento de extinção?' A banda pondera a situação com zumbidos, uma sonoridade de lamentação e um batida de dançante".[145] O álbum também foi nomeado na categoria de "Melhor Álbum de Rock" da Billboard Music Awards de 2018.[146]

Singles de divulgação[editar | editar código-fonte]

Oficial[editar | editar código-fonte]

O primeiro single do disco, "You're the Best Thing About Me", foi lançado em 6 de setembro de 2017.[147][148] No final de agosto de 2016, a canção que viria a ser lançada futuramente, estreada na versão remix pelo DJ de música eletrônica norueguês Kygo, durante sua performance no Cloud 9 Festival.[149][150] Obteve um desempenho comercial razoável, estando presente em 24 países diferentes e conseguindo alcançar o "Top 10" em dez paradas musicais diferentes. Estreando na 18ª posição pela Billboard Adult Alternative Songs,[151] acabou por assumir a posição de número 1 um mês após à sua estreia.[152] No Rock Airplay de todos os formatos, a canção acumulou uma audiência de 3,1 milhões de impressões nos seus primeiros cinco dias, registrando a 42ª canção pela Alternative Songs – desde sua estreia, em 1988 – empurrando a banda de rock americana Pearl Jam para a vice-liderança, com uma diferença de quatro canções.[153] Um lyric video produzido pelo diretor Jonas Åkerlund, sendo lançado em 27 de setembro juntamente com a plataforma da Vevo, visto por aproximadamente seis milhões de visualizações.[154] O vídeo musical foi gravado no Ray's Pizza e, em um ônibus panorâmico, na cidade de Nova York,[155] obtendo quase oito milhões de visualizações.[156]

A segunda promo foi a canção "Get Out of Your Own Way", sendo lançada em março de 2018.[157] O vídeo musical dela foi lançada em forma de animação, abordando a atual situação política mundial.[158][159] Na Europa, esteve presente nas paradas musicais da Bélgica, França e Suíça.[160][161][162][163] Nos Estados Unidos, entrou na posição de número 29 da Rock Songs,[164] número 17 no Rock Digital Song Sales,[165] 31ª posição na Adult Pop Songs,[166] na 3ª posição do Triple A,[167] e 6ª posição do LyricFind Global.[168]

Promocional[editar | editar código-fonte]

"The Blackout" foi a primeira canção a ser divulgada oficialmente pela banda – mesmo antes do lançamento de "You're the Best Thing About Me" como single principal – em sua página do Facebook,[169][170] enviando uma mensagem ao email dos assinantes do site oficial.[171] Um video musical da canção foi lançado em novembro de 2017, estilo em preto-e-branco.[172] Posteriormente, lançam também um lyric video de "American Soul" – que contém a participação de Kendrick Lamar.[173][174]

Em março de 2018, divulgaram o lançamento do segundo single "Lights of Home", com edição especial limitada para o Record Store Day,[175] lançando uma versão remix do músico americano Beck,[176][177] sendo lançado oficialmente em 21 de abril de 2018.[178] Alcançou a posição de número 42 na Ultratop da Bélgica.[179]

O segundo single promocional foi a canção "Love Is Bigger Than Anything in Its Way", acompanhado também do lyric video. Sendo dirigido por David Mushegain — fotógrafo e cineasta da revista Vogue, a ideia original do vídeo musical era focalizar os indivíduos da comunidade LGBT.[180][181] Um EP da canção foi lançada em maio de 2018, com vários remixes — incluindo uma versão de Beck.[182][183] A canção marcou presença em algumas paradas musicais nos Estados Unidos, alcançando a posição de número 3 no Triple A,[184] posição de número 11 na LyricFind Global,[185] posição de número 21 na Adult Contempory, e outras paradas musicais.[186]

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

Posição de número 1 na Billboard 200
O U2 é a única banda a alcançar a posição de número 1 da Billboard 200 em 4 décadas consecutivas, ao lado dos músicos Bruce Springsteen (esquerda), Janet Jackson (centro) e Barbra Streisand (direita).[187]

Nos Estados Unidos, Songs of Experience ocupou a primeira posição na Billboard 200. De acordo com a Nielsen SoundScan, foram vendidas cerca de 186 mil unidades na semana que terminou 7 de dezembro, desbancando o álbum Reputation (2017), da cantora pop americana Taylor Swift. Deste valor, 180 mil cópias em formas físicas, digitais e serviços streaming foram vendidas. Experience foi o maior em número de vendas na categoria de um álbum de rock em 2017; o último nesta categoria, foi registrado com o álbum Hardwired... to Self-Destruct (2016), da banda Metallica.[188]

Segundo a revista Billboard, com Experience, o U2 é o primeiro e único grupo musical a alcançar a posição de número 1 da Billboard em 40 anos.[189] Primeiramente, seu primeiro número 1 foi com o álbum que até hoje é considerado uma das suas maiores obras, The Joshua Tree (1987); foi tão bem sucedido, que logo conseguiram alcançar o topo da parada com Rattle and Hum (1988). Durante a década de 1990, foi um período muito bem sucedido e simultaneamente tumultuado para o grupo, destacando-se Achtung Baby (1991), embora alguns dos outros álbuns desta década não tivessem tido a mesma repercussão, Zooropa (1993) e Pop (1997) conseguiram alcançar facilmente o topo da Billboard 200.[187] Na década de 2000, apesar da grande reinvenção musical com All That You Can't Leave Behind (2000) ter alcançado a posição de número 3, abriu portas para que os dois lançamentos seguintes alcançasse a liderança, como How to Dismantle an Atomic Bomb (2004) e No Line on the Horizon (2009).[187] Estreou na posição de número 1 pela "Alternative Albums", permanecendo no topo por duas semanas,[190][191] descendo para a posição de número 3 em janeiro de 2018, pelo álbum Evolve (2017), da banda Imagine Dragons.[192] Pela Tastemaker Albums, estreou no topo,[193] juntamente com a Top Rock Albums.[194][195] No Canadá, o álbum alcançou 25 mil cópias vendidas na semana de seu lançamento, com 24 mil cópias vendidas da forma tradicional.[196] Experience foi o sexto álbum do grupo a alcançar o topo na Canadian Albums Chart, uma vez que No Line permaneceu por três semanas na liderança em 2009.[196] Levou certificação de ouro pela Music Canada, totalizando 40 mil álbuns vendidos.[197]

No Reino Unido, ocupou a primeira posição pela Official Charts Company (OCC), obtendo sete mil vendas a mais que o álbum The Thrill of It All (2017), do cantor Sam Smith, sendo o décimo primeiro álbum dos irlandeses a alcançar a primeira posição no país;[198] pela British Phonographic Industry (BPI), levou certificação de prata, a cerca de 60 mil unidades comercializadas.[199] Na Bélgica, liderou nas paradas da região de Flandres por um período de seis semanas seguidas;[200] ganhou certificação de ouro pela Belgian Entertainment Association (BEA).[201] Atingiu o topo nas tabelas da Croácia,[202] Coreia do Sul,[203] Irlanda,[204] Países Baixos,[205] e Portugal,[206] com uma média de quatro a seis semanas na primeira posição. Levou certificações de ouro na Áustria e Espanha;[207][208] e de platina na Itália e França, com 20, 50 e 100 mil unidades vendidas, respectivamente.[208][209][210] Com exceção da liderança, também esteve presente no "Top 10" em mais de 23 paradas musicais diferentes. Mundialmente, foi o sexto álbum mais vendido em 2017, vendendo 1.3 milhões de cópias.[211]

Experience + Innocence Tour[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Experience Tour
Apresentação da banda na noite de abertura da turnê Experience Tour na cidade de Tulsa, nos Estados Unidos.

No dia 1º de novembro de 2017, antes do lançamento do álbum e após o término da The Joshua Tree Tour 2017 (2017), a banda oficializou a turnê Experience Tour e anunciando a abertura de pré-vendas — sendo sequência da Innocence Tour (2015).[212] A banda fez uma parceria com o Citigroup e a Live Nation, no programa "Verified Fan" da Ticketmaster, no esforço para combater venda ilegal de ingressos por cambistas (scalpers).[213] Através deste método, cada ingresso comprado pelos assinantes teria como acompanhamento uma cópia do álbum.[214][215] A turnê, caracteriza-se pela inovação tecnológica durante os concertos, proporcionando o que eles chamam de "realidade aumentada" através de um aplicativo móvel, que permite ao usuário visualizar a performance ao vivo do grupo sem estar no show, no smartphone com sistemas iOS e android.[216]

Com 59 shows e duas etapas planejadas, a primeira etapa da digressão começou em 2 de maio de 2018 no BOK Center Arena, localizado na cidade de Tulsa, nos Estados Unidos; e com finalização em 3 de julho, na cidade de Uncasville. Em janeiro de 2018, divulgaram a segunda etapa da turnê na Europa, prevista para início em 31 de agosto em Berlim, na Alemanha; e com finalização em 10 de novembro no 3Arena, na cidade de Dublin, na Irlanda.[217]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as letras escritas por Bono, todas as músicas compostas por U2, exceto onde indicado.

N.º TítuloMúsicaProdutor(es) Duração
1. "Love Is All We Have Left"   Andy Barlow 2:41
2. "Lights of Home"  U2  · Alana Haim  · Danielle Haim  · Este Haim  · Ariel RechtshaidJacknife Lee  · Ryan Tedder  · Brent Kutzle  · Jolyon Thomas(a) 4:16
3. "You're the Best Thing About Me"   Lee  · Steve Lillywhite  · Tedder 3:45
4. "Get Out of Your Own Way"   Lee  · Tedder  · Lillywhite  · Kutzle(a) 3:58
5. "American Soul"   Lee(a)  · Thomas(a)  · Declan Gaffney(a) 4:21
6. "Summer of Love"   Tedder  · Kutzle  · Lee(a) 3:24
7. "Red Flag Day"   Tedder  · Lillywhite  · Kutzle  · Barlow 3:19
8. "The Showman (Little More Better)"   Tedder  · Lillywhite  · Lee(a) 3:23
9. "The Little Things That Give You Away"   Thomas  · Barlow(a) 4:55
10. "Landlady"   Lee  · Tedder(b)  · Barlow(a) 4:01
11. "The Blackout"   Lee  · Tedder(b)  · Kutzle(a) 4:45
12. "Love Is Bigger Than Anything in Its Way"   Lee 4:00
13. "13 (There Is a Light)"   Tedder  · Paul Epworth 4:19
Duração total:
51:11

Gráficos e certificações[editar | editar código-fonte]

Certificações[editar | editar código-fonte]

País Certificação Vendas
 Áustria (IFPI Áustria)[207] Ouro 7.500*
 Bélgica (BEA)[201] Ouro 15.000*
 Canadá (Music Canada)[197] Ouro 40.000^
Flag of Spain.svg Espanha (PROMUSICAE)[208] Ouro 20.000^
 França (SNEP)[210] Platina 100.000*
 Itália (FIMI)[209] Platina 50.000*
 Polónia (ZPAV)[264] Ouro 10.000*
 Reino Unido (BPI)[199] Ouro 100.000^
*Números de vendas com base em certificação individual
^Carregamentos enviados com base em certificação individual

Créditos[editar | editar código-fonte]

Adaptado da contra-capa do encarte.[265]

U2

Performance adicional

  • Andy Barlow – teclado adicional (faixas 1 e 9), programação (faixa 1), sonoplastia (faixa 1)
  • Dawn Kenny – crédito adicional (faixa 1)
  • Jacknife Lee – teclado adicional (faixas 2, 3, 5, 11 e 12), guitarra adicional (faixas 2, 5, 10, 11 e 12), programação (faixas 2, 3, 5, 11 e 12), teclado (faixa 6), backing vocal adicional (faixa 12)
  • Haimbacking vocal adicional (faixa 2)
  • Ryan Tedder – programação/programação adicional (faixas 3, 6 e 7), backing vocal/fundo (faixas 4, 6, 7 e 8), teclado (faixa 6), guitarra adicional (faixa 8)
  • Brent Kutzle – programação/programação adicional (faixas 3, 6 e 7), teclado/teclado adicional (faixas 4 e 6), guitarra adicional/violão (faixas 6 e 7)
  • Davide Rossi – corda (faixas 3 e 10)
  • Kendrick Lamar – outro (faixa 4), intro (faixa 5)
  • Goshua Usov – teclado adicional (faixa 4)
  • Jolyon Thomas – guitarra adicional (faixas 4 e 9), teclado adicional (faixas 4 e 9)
  • Brandon Collins – arranjo de cordas (faixa 6)
  • Amy Helman – violino (faixa 6)
  • Avery Bright – violino (faixa 6)
  • Betsy Lamb – viola (faixa 6)
  • Paul Nelson – violoncelo (faixa 6)
  • Noel Zancanella – programação adicional (faixa 6)
  • Nate Lotz – percussão adicional (faixa 6)
  • Lady Gaga – vocal de fundo (faixa 6)
  • Steve Wilmot – percussão adicional (faixa 7)
  • Declan Gaffney – teclado adicional (faixa 7)
  • Julian Lennon – vocal de fundo adicional (faixa 7)
  • Andrew Taggart – teclado adicional (faixa 12)
  • Paul Epworth – programação (faixa 13), teclado adicional (faixa 13)

Técnica

  • Andy Barlow – produção (faixas 1 e 7), engenharia de áudio (faixas 1 e 7), mixagem(faixa 1), produção adicional (faixas 9 e 10)
  • Jacknife Lee – produção (faixas 2, 3, 5, 10, 11 e 12), produção adicional (faixas 4, 6 e 8), mixagem (faixas 2, 5, 11 e 12), engenharia (faixa 3)
  • Ryan Tedder – produção (faixas 2, 3, 4, 6, 7, 8 e 13), produção original (faixas 10 e 11)
  • Brent Kutzle – produção (faixas 2, 3, 4, 6 e 7), produção adicional (faixa 11)
  • Steve Lillywhite – produção (faixas 3, 4, 7 e 8), mixagem (faixas 3 e 8)
  • Jolyon Thomas – produção (faixas 4 e 9), produção adicional (faixas 2 e 5)
  • Alex Bailey – assistência de mixagem (faixa 1), assistência de engenharia (faixas 7 e 9)
  • Matt Bishop – engenharia (faixas 2, 3, 5, 6, 10, 11 e 12), engenharia adicional (faixa 4), assistência de mixagem (faixas 2, 5, 11 e 12)
  • Tyler Spry – engenharia (faixas 2, 3, 4, 6, 7 e 11)
  • Drew Bang – engenharia adicional (faixas 2, 4 e 5), engenharia (faixa 9)
  • Dave "Squirrel" Covell – assistência de engenharia/assistência de engenharia adicional (faixas 2, 5, 9,10, 11 e 12)
  • Barry McCready – assistência de engenharia (faixas 2, 3, 5, 10, 11 e 12)
  • Rich Rich – engenharia (faixas 3, 4, 6, 7, 8, 11 e 13)
  • Matty Green – engenharia (faixas 3, 4, 7, e 8), assistência de mixagem (faixa 8)
  • Christopher Henry – engenharia adicional (faixas 3, 6 e 7), assistência de engenharia (faixas 4, 8 e 11)
  • Richard Rainey – engenharia adicional (faixa 3)
  • Greg Clooney – engenharia adicional (faixa 3)
  • Gosha Usov – assistência de engenharia (faixas 3, 4, 7 e 8)
  • Alan Kelly – assistência de engenharia (faixa 3)
  • Kelana – mixagem (faixa 3)
  • Tom Elmhirst – mixagem adicional (faixa 3), mixagem (faixas 4, 5, 6, 7, 9, 10 e 13)
  • Brandon Bost – assistência de mixagem (faixas 3, 4, 6, 9, 10 e 13), engenharia (faixas 6, 9 e 13), assistência adicional de mixagem (faixa 7)
  • Declan Gaffney – engenharia adicional (faixas 4, 10 e 13), produção adicional (faixa 5), engenharia (faixas 7 e 11), mixagem adicional (faixa 7)
  • Doug Sarrett – engenharia adicional (faixa 6)
  • Aleks Von Korff – assistência de engenharia (faixas 7, 8 e 10)
  • Paul Epworth – produção (faixa 13)
  • Matt Wiggins – engenharia (faixa 13)

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

País Data Formato(s) Gravadora Versão
 Alemanha[72] 30 de novembro de 2017 CD  · download digital  · vinil  ·
streaming (demais plataformas)
Island  · Universal Padrão (standard)  · deluxe
 Dinamarca[72]
Flag of Spain.svg Espanha[72]
 França[72]
 Irlanda[72]
 Itália[72]
 Países Baixos[72]
 Polónia[72]
Portugal Portugal[72]
 Reino Unido[72]
Mundo[72] 1º de dezembro de 2017
 Canadá[266] Interscope  · Universal
 Estados Unidos[266]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j Andy Greene (18 de setembro de 2017). «The Edge on U2's 'Songs of Experience,' Bono's 'Brush With Mortality'». Rolling Stone. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  2. «U2 Album & Song Chart History». Billboard. 14 de outubro de 2017. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  3. Nathan Ingraham (9 de setembro de 2014). «U2 releases its new album for free today exclusively on iTunes». The Verge. Consultado em 8 de dezembro de 2017. 
  4. a b Ben Sisario (9 de setembro de 2014). «U2 Appears at Apple Event, and 'Songs of Innocence' Appears Free on iTunes». The New York Times. Consultado em 8 de dezembro de 2017. 
  5. John Jurgensen (9 de setembro de 2014). «U2, Apple and the Deal Behind Getting 'Songs of Innocence' Free of Charge». The Wall Street Journal. Consultado em 8 de dezembro de 2017. 
  6. Jon Pareles (15 de julho de 2015). «On New Album, Rock Veterans Revisit Youth». The New York Times. Consultado em 8 de dezembro de 2017. 
  7. «New U2 album given away for free to iTunes users». BBC News. 9 de setembro de 2014. Consultado em 8 de dezembro de 2017. 
  8. Rupert Hawksley (10 de setembro de 2014). «Why is the new U2 album in your iTunes library?». The Telegraph. Consultado em 8 de dezembro de 2017. 
  9. Kevin Roose (11 de setembro de 2014). «Everyone Is Mad at Apple for Forcing Them to Download a U2 Album». New York Magazine. Consultado em 8 de dezembro de 2017. 
  10. Kim Peterson (12 de setembro de 2014). «Apple's free U2 "gift" angers many customers». CBS MoneyWatch. Consultado em 8 de dezembro de 2017. 
  11. Daniel Kreps (10 de setembro de 2014). «Bono Reveals Apple Details and Possible New Music in Letter to Fans». Rolling Stone. Consultado em 27 de setembro de 2014. 
  12. George Varga. «"U2 releases new album, free, on iTunes». The San Diego Union-Tribune. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  13. Andy Greene (26 de setembro de 2014). «After 'Innocence': U2 Look Ahead to Tour, New Album». Rolling Stone. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  14. Lynskey, Dorian (12 de outubro de 2014). «U2: 'It's the job of art to be divisive'». The Observer 
  15. «U2 guitarist The Edge falls off edge of stage in Vancouver». CBC News. CBC. 15 de maio de 2015. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  16. a b c d e f Jon Pareles (29 de abril de 2015). «U2's Flight to Now (Turbulence Included)». The New York Times. Consultado em 9 de dezembro de 2017. 
  17. Chase Hunt (19 de setembro de 2015). «U2's 'Songs of Experience' to be released in 2016». AXS Contributor. AXS. Consultado em 14 de maio de 2016. 
  18. Luke Morgan Britton (5 de dezembro de 2015). «"Bono reveals he has written a song about Paris terror attacks"». NME. Consultado em 14 de maio de 2016. 
  19. Ray Waddell (3 de dezembro de 2014). «U2 Announces 'Innocence + Experience' Tour». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  20. "2015 Pollstar Year End Top 20 Worldwide Tours" (em PDF). Pollstar. Consultado em 1 de novembro de 2017
  21. «Current Boxscore». Billboard. Hollywood Reporter-Billboard Media Group. Consultado em 2 de julho de 2017.. Cópia arquivada em 14 de junho de 2017 
  22. «The Joshua Tree Tour 2017». U2.com. 5 de janeiro de 2017. Consultado em 14 de janeiro de 2017. 
  23. Marian Sandberg (18 de maio de 2017). «U2 Joshua Tree Tour Stage Design Renderings By Stufish». Live Design. Penton. Consultado em 2 de julho de 2017. 
  24. «PRG Launches New Technology Solutions as Concert Firsts on U2 The Joshua Tree Tour 2017». PRNewswire. Production Resource Group LLC. 16 de maio de 2017. Consultado em 2 de julho de 2017. 
  25. Matt McGee (8 de junho de 2017). «The @U2 Interview: Willie Williams Talks About The Joshua Tree Toru 2017». @U2. Consultado em 2 de julho de 2017. 
  26. Jon Pareles (15 de maio de 2017). «Review: U2 Revisits 'The Joshua Tree' in the Here and Now». The New York Times. Consultado em 10 de setembro de 2017. 
  27. Andy Greene (30 de maio de 2017). «Bono Talks 'Joshua Tree' Tour, Trump, Status of U2's Next Album». Rolling Stone. Consultado em 10 de setembro de 2017. 
  28. Eccleston, Danny (Agosto de 2017). "Back in God's Country". Mojo. No. 285. pp. 12–14. Consultado em 10 de setembro de 2017.
  29. «Interview and Music from U2». Jimmy Kimmel Live!. 23 de maio de 2017. Consultado em 10 de setembro de 2017. 
  30. «In London for the MTVEMA'S». U2.com. 15 de novembro de 2017. Consultado em 6 de dezembro de 2017. 
  31. Richard Smirke (12 de dezembro de 2017). «MTV EMAs 2017 Recap: Shawn Mendes, Ed Sheeran & Camila Cabello Triumph as Eminem Makes Live Comeback». Billboard. Consultado em 6 de dezembro de 2017. 
  32. «El Triunfo de U2, Alejandro Sanz y 'Despacito', en la gala más espectacular de Los40 Music Awards». LOS40. 10 de novembro de 2017. Consultado em 6 de dezembro de 2017. 
  33. «Best Tour 2018». Instagram oficial do U2. 13 de março de 2018. Consultado em 14 de março de 2018. 
  34. Francisco Rendon (30 de outubro de 2017). «U2's 'Joshua Tree' Trek Grosses $316 M, Vies For Tour Of The Year». Pollstar. Consultado em 5 de novembro de 2017. 
  35. «Turnê 'Joshua tree', do U2, foi a mais lucrativa de 2017». O Globo. 29 de dezembro de 2017. Consultado em 7 de janeiro de 2018. 
  36. «Bono's Doctor Details Horrific Injuries After Bike Accident». Rolling Stone 
  37. Jonze, Tim (2 de janeiro de 2015). «Bono says he may never play guitar again after cycling accident». The Guardian. Consultado em 28 de outubro de 2017. 
  38. a b c Dorian Lynskey (Fevereiro de 2016). "U2 deliver songs of experience". Q. No. 355. p. 19.
  39. a b c d e f Richard Smirke (6 de dezembro de 2017). «U2 Producer Andy Barlow On 'Songs Of Experience': 'The Album Changed Massively After Trump Got Elected'». Billboard. Consultado em 9 de dezembro de 2017. 
  40. Matt McGee (10 de maio de 2015). «Confirmed: U2 Working On New Songs With Producer Jolyon Thomas». @u2.com. Consultado em 9 de dezembro de 2017. 
  41. Barry Egan (15 de maio de 2015). «New U2 album could be finished later this year - The Edge». Irish Independent. Consultado em 9 de dezembro de 2017. 
  42. a b Olaf Tyaransen (25 de novembro de 2015). «The Edge Interview». Hot Press. Consultado em 9 de dezembro de 2017. 
  43. Daniel Gumble (4 de dezembro de 2017). «'It was like giving birth': Andy Barlow on producing new U2 record Songs Of Experience». PSNEurope. Consultado em 9 de dezembro de 2017. 
  44. Kevin O'Donnell (12 de outubro de 2015). «Bono reveals details of U2's new album 'Songs of Experience'». Entertainment Weekly. Consultado em 10 de dezembro de 2017. 
  45. Dorian Lynskey (Outubro de 2015). «Where the Magic Happens». Q 
  46. a b c d e Tom Doyle (Abril de 2017). "American Dreams". Mojo. No. 281. pp. 72–86.
  47. Lynskey, Dorian (Fevereiro de 2016). «U2 deliver songs of experience». Q. No. 355. p. 19. 
  48. Jon Pareles (6 de setembro de 2017). «U2 Offer 'Songs of Experience' to a World That's on Fire». The New York Times. Consultado em 10 de dezembro de 2017. 
  49. «Edge: U2 Have '50 Ideas' for Next Album». Rolling Stone 
  50. «The Edge Breaks Down U2's Upcoming 'Joshua Tree' Tour». Rolling Stone. Consultado em 11 de dezembro de 2017. 
  51. a b Lior Phillips (17 de outubro de 2016). «From Beyoncé to U2: Songwriter and Producer Ryan Tedder Chases Euphoria in the Studio». Consequence of Sound. Consultado em 11 de dezembro de 2017. 
  52. a b Brian Ives (20 de maio de 2016). «Ryan Tedder on U2's Next Album: 'I've Never Seen Them This Focused'». Radio.com. Consultado em 11 de dezembro de 2017. 
  53. Melinda Newman (23 de junho de 2016). «U2's The Edge on HBO's 'Innocence + Experience' Paris Concert, Eagles of Death Metal and 'Busting Our Ass' to Finish the New Album». Billboard. Consultado em 11 de dezembro de 2017. 
  54. Ben Kaye (4 de agosto de 2016). «U2 confirm impending release of new album, Songs of Experience, and world tour». Consequence of Sound. Consultado em 11 de dezembro de 2017. 
  55. Brian Boyd (4 de agosto de 2016). «U2 announce world tour, hint new album nearly ready». The Irish Times. Consultado em 11 de dezembro de 2017. 
  56. «U2 revela datas da turnê de Joshua Tree na Europa e América do norte». Em Foco. 1 de janeiro de 2017. Consultado em 3 de março de 2017. 
  57. The Edge (entrevistado) (6 de setembro de 2017). «U2 speaks with The Edge about new single, 'You're The Best Thing About Me'». CFNY-FM (Radio broadcast). Carly Meyers. Consultado em 13 de dezembro de 2017. 
  58. Jon Blistein (6 de outubro de 2016). «Watch U2 Blast Donald Trump During San Francisco Show». Rolling Stone. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  59. a b c Andy Greene (30 de maio de 2017). «Bono Talks 'Joshua Tree' Tour, Trump, Status of U2's Next Album». Rolling Stone. Consultado em 13 de dezembro de 2017. 
  60. Charlie Rose (20 de setembro de 2016). «Bono». Consultado em 13 de dezembro de 2017. 
  61. Jason Lipshutz (25 de dezembro de 2016). «U2 Posts Christmas Message for Fans». Billboard. Consultado em 13 de dezembro de 2017. 
  62. Brian Boyd (1 de dezembro de 2017). «U2's new album Songs of Experience: the most tortuous journey». The Irish Times. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  63. Andy Greene (20 de setembro de 2017). «Bono on How U2's 'Songs of Experience' Evolved, Taking on Donald Trump». Rolling Stone. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  64. «U2 give update on 'Songs Of Experience' album». NME. 30 de maio de 2017. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  65. Olaf Tyaransen (4 de julho de 2017). «On The Road With U2: Tales from The Joshua Tree Tour». Hot Press. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  66. a b Bono (entrevistado) (6 de setembro de 2017). «Bono on new music, an Oasis reunion and more!» (Radio broadcast). The No Repeat Guarantee with Andy Bush. Absolute Radio. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  67. Mark Kavanagh (5 de dezembro de 2017). «Album review: U2 Songs Of Experience track by track». Buzz. Consultado em 3 de janeiro de 2018. 
  68. «The Blackout». U2.com. 29 de agosto de 2017. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  69. Ken Sweeney (16 de agosto de 2017). «U2 set to release eagerly awaited new album Songs of Experience on December 1 – World Aids Day». The Sun. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  70. «Songs of Experience». U2.com. 10 de setembro de 2017. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  71. Luke Morgan Britton (31 de outubro de 2017). «U2's 'Songs Of Experience' album tracklist revealed?». NME. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  72. a b c d e f g h i j k l «New Song, New Album, New Tour». U2.com. 1 de novembro de 2017. Consultado em 1 de novembro de 2017. 
  73. «It's here!». U2.com. 1 de dezembro de 2017. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  74. a b Jonathan Dean (19 de novembro de 2017). «U2 interview: Bono on death, taxes and their new album Songs of Experience». The Times. Consultado em 2 de janeiro de 2018. 
  75. Nitsuh Abebe (15 de dezembro de 2017). «'Love and love is all we have left/A baby cries on a doorstep.'». The New York Times. Consultado em 3 de janeiro de 2018. 
  76. a b c d e Jann S. Wenner (27 de dezembro de 2017). «Bono: The Rolling Stone Interview». Rolling Stone. Consultado em 3 de janeiro de 2018. 
  77. «Bono revela que quase morreu e acha que a música está muito 'feminina'». O Globo. 28 de dezembro de 2017. Consultado em 3 de janeiro de 2018. 
  78. a b Will Hermes (29 de novembro de 2017). «50 Best Songs of 2017». Rolling Stone. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  79. Bono (entrevista) (6 de setembro de 2017). «U2 Debut New Track 'You're The Best Thing About Me'». Kevin and Bean. Consultado em 3 de janeiro de 2018. 
  80. a b c d Mark Kavanagh (5 de dezembro de 2017). «Album review: U2 Songs Of Experience track by track». Buzz. Consultado em 3 de janeiro de 2018. 
  81. Carl Wilson (5 de dezembro de 2017). «On Their New Albums, Björk and U2 Offer Utopian Visions for Dystopian Times». Slate. Consultado em 3 de janeiro de 2018. 
  82. Sam C. Mac (9 de dezembro de 2017). «U2: Songs of Experience». Slant Magazine. Consultado em 4 de janeiro de 2018. 
  83. Olaf Tyaransen (30 de novembro de 2017). «U2's Songs of Experience: Track By Track». Hot Press. Consultado em 4 de janeiro de 2018. 
  84. a b c d David Fricke (1 de dezembro de 2017). «Review: U2's 'Songs of Experience'». Rolling Stone. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  85. a b «New song, new album, new tour». U2.com. 1 de novembro de 2017. Consultado em 24 de dezembro de 2017. 
  86. Ryan Reed (26 de setembro de 2014). «U2 Reveal Intimate Album Cover for 'Songs of Innocence'». Rolling Stone. Consultado em 24 de dezembro de 2017. 
  87. «Bono's Son & The Edge's Daughter: U2 "Songs of Experience" Album Cover Models». Feelnumb. 1 de dezembro de 2017. Consultado em 24 de dezembro de 2017. 
  88. Andrew Trendell (6 de setembro de 2017). «Here's U2's brand new single 'You're The Best Thing About Me'». NME. Consultado em 24 de dezembro de 2017. 
  89. «Songs of Experience». U2.com. 6 de setembro de 2017. Consultado em 6 de setembro de 2017. 
  90. Daniel Kreps (1 de novembro de 2017). «U2 Announce 2018 Experience + Innocence Tour, Detail New Album». Rolling Stone. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  91. a b «U2 Announce Details Of New Album Songs Of Experience And The eXPERIENCE + iNNOCENCETour 2018 Powered By Salesforce». PRNewswire. 1 de novembro de 2017. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  92. «Rolling off the presses..». U2.com. 22 de novembro de 2017. Consultado em 24 de dezembro de 2017. 
  93. Patrick Shanley (28 de janeiro de 2018). «Grammys: U2 Performs Ode to Immigrants in Front of Statue of Liberty». The Hollywood Reporter. Consultado em 3 de março de 2018. 
  94. Alex Young (24 de maio de 2017). «The band previews its forthcoming LP, Songs of Experience». Consequence of Sound. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  95. Ken Sweeney (16 de agosto de 2017). «U2 set to release eagerly awaited new album Songs of Experience on December 1 – World Aids Day». The Irish Sun. Consultado em 14 de dezembro de 2017. 
  96. Elias Leight (6 de setembro de 2017). «Hear U2's Lustrous New Single 'You're the Best Thing About Me». Rolling Stone. Consultado em 16 de dezembro de 2017. 
  97. «U2 Fans Receive Mysterious 'Blackout' Letters». Rolling Stone. 21 de agosto de 2017. Consultado em 16 de dezembro de 2017. 
  98. Derrick Rossignol (22 de agosto de 2017). «U2 Used The Solar Eclipse To Tease A New Song Called 'Blackout' With Mysterious Letters». Uproxx. Consultado em 16 de dezembro de 2017. 
  99. Jem Aswad (30 de agosto de 2017). «U2 Premiere New Song 'The Blackout' (Listen)». Variety. Consultado em 16 de dezembro de 2017. 
  100. Lars Brandle (8 de setembro de 2017). «U2 Perform New Song 'You're The Best Thing About Me' on 'Fallon': Watch». Billboard. Consultado em 16 de dezembro de 2017. 
  101. David Lindquist (11 de setembro de 2017). «U2 spotlights best of U.S.A., Indy in stadium show». The Indianapolis Star. Consultado em 16 de setembro de 2017. 
  102. Derrick Rossignol (31 de outubro de 2017). «The Tracklist And Cover Art For U2's Long-Awaited 'Songs Of Experience' Has Reportedly Been Revealed». Uproxx. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  103. Richard Smirke (11 de novembro de 2017). «U2 Roll Out the Hits At London's Trafalgar Square Ahead of MTV EMAs». Billboard. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  104. Tom Breihan (17 de novembro de 2017). «U2 – 'American Soul' (Feat. Kendrick Lamar)». Stereogum. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  105. Damian Jones (26 de outubro de 2017). «U2 team up with Jack White's record label for Record Store Day release». NME. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  106. «'Get Out of Your Own Way'». U2.com. 28 de janeiro de 2018. Consultado em 3 de março de 2018. 
  107. Chris Payne (28 de janeiro de 2018). «Watch U2 Rock 'Get Out of Your Own Way' Beside the Statue of Liberty at 2018 Grammy Awards». Billboard. Consultado em 3 de março de 2018. 
  108. Colin Stutz (28 de novembro de 2017). «U2 & Amazon Music Team Up for Immersive Online Radio 'Experience' Leading Up to New Album Release». Billboard. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  109. Bryan Rolli (1 de dezembro de 2017). «U2 Talk Global Superstardom, New Album in Multi-Part Spotify Mini-Doc 'U2 in America'». Billboard. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  110. «This: U2». Spotify. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  111. Derrick Rossignol (1 de dezembro de 2017). «U2's Bono Calls Tom Brady 'A Great Leader' And Praises His 'Low Key' Humanitarian Work». Uproxx. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  112. Michelle Kim (3 de dezembro de 2017). «Watch U2 Play 'American Soul' and 'Get Out of Your Own Way' on 'SNL'». Pitchfork. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  113. Nicole Bitette (2 de dezembro de 2017). «SEE IT: U2 performs on sidewalk below The High Line in NYC». New York Daily News. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  114. «U2 surpreende com show acústico na linha U2 do metrô de Berlim». Globo.com. G1. 6 de dezembro de 2017. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  115. «SWATCH: U2 put on a show on Berlin's U2 line as Bono and The Edge take subway ride». Irish Independent. 7 de dezembro de 2017. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  116. «Ahead of World AIDS Day 2017, (RED) announces its total of $500 million raised for the Global Fund». PRNewswire. 28 de novembro de 2017. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  117. «U2, Bono e The Edge stasera a 'Che tempo che fa'». Rolling Stone (em italiano). 10 de dezembro de 2017. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  118. «U2's Bono and The Edge on creating their hits, hanging with Springsteen and McCartney, and The only fight they've ever had». BBC Two. 4 de dezembro de 2017. Consultado em 24 de dezembro de 2017. 
  119. «'All the Promises We Made...'». U2.com. 5 de dezembro de 2017. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  120. «U2 at the BBC». U2.com. 14 de dezembro de 2017. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  121. «U2 at the BBC, U2 go record shopping in São Paulo (Preview: U2 At The BBC)». BBC One. 12 de dezembro de 2017. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  122. Tom Skinner (13 de dezembro de 2017). «Listen to U2 cover Marvin Gaye's 'What's Going On'». NME. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  123. «'What's Going On?'». U2.com. 21 de dezembro de 2017. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  124. Lori Melton (9 de março de 2018). «Imagine Dragons, Maroon 5 headline free March Madness Music Fest in San Antonio». AXS. Consultado em 30 de março de 2018. 
  125. Steven Edelstone (30 de março de 2018). «I Need Something Just Like This: How March Madness Theme Songs are Chosen». Eldridge Industries. Billboard. Consultado em 21 de abril de 2018. 
  126. a b «Reviews for Songs of Experience by U2». Metacritic. Consultado em 20 de dezembro de 2017. 
  127. a b Songs of Experience (álbum) (em inglês) no Allmusic
  128. a b David Sackllah (30 de novembro de 2017). «U2 – Songs of Experience». Consequence of Sound. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  129. a b Neil McCormick (27 de novembro de 2017). «U2's Songs of Experience is full of desperation and meaty hooks in equal measure». The Daily Telegraph. Consultado em 20 de dezembro de 2017. 
  130. a b Alexis Petridis (30 de novembro de 2017). «U2: Songs of Experience review – frequently fantastic return to form». The Guardian. Consultado em 20 de dezembro de 2017. 
  131. a b Andy Gill (29 de novembro de 2017). «Album reviews: U2 - Songs of Experience, Van Morrison - Versatile, Neil Young - The Visitor, The Rolling Stones - On Air and more». The Independent. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  132. a b James McNair (Janeiro de 2018). "The letters of Paul". Mojo. No. 290. p. 86.
  133. a b Calum Marsh (4 de dezembro de 2017). «U2: Songs of Experience». Pitchfork Media. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  134. a b Andrew Perry (Janeiro de 2018). "Bringing It All Back Home". Q. No. 380. pp. 104–105.
  135. a b Mark Beaumont (29 de novembro de 2017). «U2 – 'Songs of Experience' Review». NME. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  136. Daryl Deino (7 de dezembro de 2017). «U2's 'Songs of Experience' Receives Mediocre Reviews, But Concert Ticket Album Bundle Disguises Poor Sales». The Inquisitr. Consultado em 20 de dezembro de 2017. 
  137. «User Reviews - Songs of Experience, U2». Metacritic. Consultado em 17 de janeiro de 2018. 
  138. Pablo Gordini (28 de novembro de 2017). «Review: U2's 'Songs of Experience' is a thrilling listen». Associated Press. Consultado em 24 de dezembro de 2017. 
  139. Tim De Lisle (25 de novembro de 2017). «Bono finds what we're looking for: U2's new album, Songs Of Experience, is an acquired taste but the melodic, punchy tunes soon get under your skin». The Mail on Sunday. Consultado em 24 de dezembro de 2017. 
  140. Eric Lalor. «Songs of Experience by U2 ranks alongside the band's greatest work». Joe.ie. Consultado em 24 de dezembro de 2017. 
  141. Will Hermes (27 de novembro de 2017). «50 Best Albums of 2017». Rolling Stone. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  142. «U2's terrible Songs of Experience is Rolling Stone's No. 3 album of 2017 (thanks to Jann Wenner)». Consequence of Sound. 27 de novembro de 2017. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  143. Allan Raible (1 de dezembro de 2017). «U2's 'Songs of Experience' is one of the best albums of 2017». ABC News. Consultado em 9 de janeiro de 2018. 
  144. «Pazz & Jop: It's Kendrick's and Cardi's World. We're All Just Living in It». Pazz & Jop. 22 de janeiro de 2018. Consultado em 13 de fevereiro de 2018. 
  145. Jon Pareles (6 de dezembro de 2017). «The 54 Best Songs of 2017». The New York Times. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  146. «Billboard Music Awards 2018 Nominations: See the Full List». Billboard. 17 de abril de 2018. Consultado em 19 de maio de 2018. 
  147. «Songs of Experience». U2.com. 6 de setembro de 2017. Consultado em 6 de setembro de 2017. 
  148. Ken Sweeney (16 de agosto de 2017). «U2 set to release eagerly awaited new album Songs of Experience on December 1 – World Aids Day». The Sun. Consultado em 6 de setembro de 2017. 
  149. Gil Kaufman (22 de agosto de 2016). «Kygo Teases U2 Collaboration at Cloud 9 Festival». Billboard. Consultado em 11 de dezembro de 2017. 
  150. Peter Helman (15 de setembro de 2017). «U2 vs. Kygo – 'You're The Best Thing About Me'». Stereogum. Consultado em 11 de dezembro de 2017. 
  151. «Alternative Songs Chart». Billboard. 23 de setembro de 2017. Consultado em 20 de janeiro de 2018. 
  152. «Alternative Songs Chart». Billboard. 21 de outubro de 2017. Consultado em 20 de janeiro de 2018. 
  153. Kevin Rutherford (15 de setembro de 2017). «U2's 'You're the Best Thing About Me' Debuts on Rock Charts». Billboard. Consultado em 20 de janeiro de 2018. 
  154. «U2 - You're The Best Thing About Me (Lyric Video)». Youtube. 6 de setembro de 2017. Consultado em 26 de dezembro de 2017. 
  155. Daniel Kreps (27 de setembro de 2017). «Watch U2 Sightsee Around NYC in 'You're The Best Thing About Me' Video». Rolling Stone. Consultado em 26 de dezembro de 2017. 
  156. «U2 - You're The Best Thing About Me (Official Video)». Youtube. 27 de setembro de 2017. Consultado em 26 de dezembro de 2017. 
  157. «Get Out of Your Own Way». U2.com. 23 de março de 2018. Consultado em 5 de setembro de 2018. 
  158. «Clarion Cry». U2.com. 18 de janeiro de 2018. Consultado em 3 de março de 2018. 
  159. «U2 - Get Out Of Your Own Way (Official Video)». U2.com. 18 de janeiro de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  160. «Histórico de Paradas de Singles na Bélgica (Valônia) – U2». Ultratop. 17 de março de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  161. «Histórico de Paradas de Singles na Bélgica (Flandres) – U2». Ultratop. 11 de novembro de 2017. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  162. «Histórico de Paradas de Singles na França – U2». Syndicat National de l'Édition Phonographique. 11 de novembro de 2017. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  163. «Histórico de Paradas de Singles na Suíça – U2». Schweizer Hitparade. 12 de novembro de 2017. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  164. «Histórico de Paradas de Singles nos Estados Unidos (Rock Songs) – U2». Billboard. Hot Rock Songs. 20 de fevereiro de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  165. «Histórico de Paradas de Singles nos Estados Unidos (Rock Digital Song Sales) – U2». Billboard. Rock Digital Song Sales. 22 de fevereiro de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  166. «Histórico de Paradas de Singles nos Estados Unidos (Adult Pop Songs) – U2». Billboard. Adult Pop Songs. 14 de abril de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  167. «Histórico de Paradas de Singles nos Estados Unidos (Triple A) – U2». Billboard. Triple A. 10 de fevereiro de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  168. «Histórico de Paradas de Singles nos Estados Unidos (LyricFind Global) – U2». Billboard. LyricFind Global. 10 de fevereiro de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  169. Daniel Kreps (30 de agosto de 2017). «Watch U2's Live Music Video for New Song 'The Blackout'». Rolling Stone. Consultado em 20 de janeiro de 2018. 
  170. Tatiana Tenreyro (30 de agosto de 2017). «U2 Share New Song 'The Blackout,' Releasing Lead Single and Album Details Next Week». Billboard. Consultado em 20 de janeiro de 2018. 
  171. Peter Helman (30 de agosto de 2017). «U2 Tease New Song 'The Blackout'». Billboard. Consultado em 20 de janeiro de 2018. 
  172. «U2 - The Blackout». Youtube. 13 de novembro de 2017. Consultado em 20 de janeiro de 2018. 
  173. «U2 - American Soul (Lyric Video)». Youtube. 20 de novembro de 2017. Consultado em 20 de janeiro de 2018. 
  174. «'This coutry is to me a sound/of drum and bass...'». U2.com. 18 de novembro de 2017. Consultado em 20 de janeiro de 2018. 
  175. «U2 - Records Store Day». Record Store Day. 6 de março de 2018. Consultado em 13 de março de 2018. 
  176. «Lights of Home...». U2.com. 6 de março de 2018. Consultado em 13 de março de 2018. 
  177. «U2 - Lights Of Home (Free Yourself / Beck Remix)». YouTube. 27 de abril de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  178. Jon Blistein (6 de março de 2018). «U2, Taylor Swift, Bruce Springsteen Prep Record Store Day Releases». Rolling Stone. Consultado em 13 de março de 2018. 
  179. «Histórico de Paradas de Singles na Bélgica (Valônia) – U2». Ultratop. 24 de março de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  180. «'Love Is Bigger…'». U2.com. 27 de abril de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  181. «U2 - Love Is Bigger Than Anything In Its Way». YouTube. 27 de abril de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  182. «'Oh Sing Your Song...'». U2.com. 1º de junho de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  183. Sam Sodomsky (4 de junho de 2018). «Beck Remixes U2's "Love Is Bigger Than Anything in Its Way": Listen». Pitchfork Media. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  184. «Histórico de Paradas de Singles nos Estados Unidos (Triple A) – U2». Billboard. Triple A. 16 de junho de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  185. «Histórico de Paradas de Singles nos Estados Unidos (LyricFind Global) – U2». Billboard. LyricFind Global. 10 de fevereiro de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  186. «Histórico de Paradas de Singles nos Estados Unidos (Adult Contempory) – U2». Billboard. Adult Contempory. 16 de junho de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  187. a b c Hugh McIntyre (14 de dezembro de 2017). «U2's New No. 1 Album Makes Them The Only Band To Achieve This Feat». Forbes. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 
  188. Joe Coscarelli (11 de dezembro de 2017). «U2's 'Songs of Experience' Tops Taylor Swift on the Billboard Chart». The New York Times. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 
  189. Keith Caufield (10 de dezembro de 2017). «U2 Scores Eighth No. 1 Album on Billboard 200 Chart With 'Songs of Experience'». Billboard. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 
  190. «Top Alternative Albums». Billboard. 23 de dezembro de 2017. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 
  191. «Top Alternative Albums». Billboard. 30 de dezembro de 2017. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 
  192. «Top Alternative Albums». Billboard. 3 de janeiro de 2017. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 
  193. «Tastemaker Albums». Billboard. 23 de dezembro de 2017. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 
  194. «Rock Albums». Billboard. 23 de dezembro de 2017. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 
  195. «Rock Albums». Billboard. 30 de dezembro de 2017. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 
  196. a b «U2 Achieves Sixth No. 1 Album In Canada». Nielsen Music Canada. FYI Music. 11 de dezembro de 2017. Consultado em 17 de janeiro de 2018. 
  197. a b "Canadian album certifications – U2 – Songs of Experience". Music Canada (29 de janeiro de 2018). Consultado em 31 de janeiro de 2018.
  198. Jack White (4 de dezembro de 2017). «U2's Songs of Experience could become their 11th Number 1 album». Official Charts Company. Consultado em 17 de janeiro de 2018. 
  199. a b "British album certifications – U2 – Songs of Experience". British Phonographic Industry. Digitar Songs of Experience no campo de pesquisa e pressionar Enter. Consultado em 4 de janeiro de 2018.
  200. a b «U2 – Songs of Experience». Ultratop. 9 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  201. a b "Ultratop − Goud en Platina – 2017". Ultratop. Hung Medien. Consultado em 27 de dezembro de 2017.
  202. a b "op Stranih (Top Foreign)" (em croata). Top Foreign Albums. Hrvatska diskografska udruga. Consultado em 4 de janeiro de 2018.
  203. a b «2017년 49주차 Album Chart». Gaon. 9 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  204. a b «"Top 100 Albums, Week Ending 15 Dec 2017». Irish Recorded Music Association. Irish Albums Chart. 8 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  205. a b «U2 – Songs of Experience». MegaCharts. 9 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  206. a b «U2 – Songs of Experience». Associação Fonográfica Portuguesa. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  207. a b "Austrian album certifications – U2 – Songs of Experience" (em alemão). IFPI Áustria. Digitar U2 no campo Interpret. Digitar Songs of Experience no campo Titel. Selecionar o álbum no campo Formato. Clicar em Suchen. Consultado em 31 de janeiro de 2018.
  208. a b c "Spanish album certifications – U2 – Songs of Experience" El Portal de Musica.es. Consultado em 20 de dezembro de 2017.
  209. a b "Italian album certifications – U2 – Songs of Experience" (em italiano). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 15 de dezembro de 2017.
  210. a b "French album certifications – U2 – Songs of Experience" (em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 19 de dezembro de 2017.
  211. Hugh McIntyre (24 de abril de 2018). «These Were The 10 Bestselling Albums In The World In 2017». Forbes. Consultado em 26 de abril de 2018. 
  212. «U2.COM Subscribers, verified fans, ticket presales». U2.com. 1 de novembro de 2017. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  213. Sam Moore (3 de novembro de 2017). «U2 to become first band to use 'Verified Fan' system to sell all tickets for arena tour». NME. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  214. Daniel Kreps (1 de novembro de 2017). «U2 Announce 2018 Experience + Innocence Tour, Detail New Album». Rolling Stone. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  215. Barry Hartigan (5 de novembro de 2017). «With or without dues: U2 play album giveaway game again». The Times. Consultado em 17 de dezembro de 2017. 
  216. «'Augment Your Reality'». U2.com. 23 de abril de 2018. Consultado em 25 de abril de 2018. 
  217. «Tours». U2.com. Consultado em 23 de dezembro de 2017. 
  218. «U2 – Songs of Experience». GfK Entertainment Charts. 8 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  219. «Rankings». Cámara Argentina de Productores de Fonogramas y Videogramas. Consultado em 25 de março de 2018. 
  220. «Rankings». Cámara Argentina de Productores de Fonogramas y Videogramas. Consultado em 25 de março de 2018. 
  221. «U2 – Songs of Experience». ARIA Charts. 17 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  222. «U2 – Songs of Experience». Ö3 Austria Top 40. 15 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  223. «U2 – Songs of Experience». Ultratop. 9 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  224. «U2 Album & Song Chart History». Billboard. Billboard Canadian Albums. 11 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  225. «2017년 49주차 Album Chart». Gaon. 3 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  226. «U2 – Songs of Experience». Hitlisten. 15 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  227. «Official Scottish Albums Chart Top 100». Scottish Singles and Albums Charts. 8 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  228. «Hitparáda - SVK Albums - TOP 100, Týden 201749». IFPI Slovenská Republika. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  229. «Top 100 Albumes — Semana 49: del 1.12.2017 al 7.12.2017». Productores de Música de España. 1 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  230. «U2 Album & Song Chart History». Billboard. Top Rock Albums. 23 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  231. «U2 Album & Song Chart History». Billboard. Billboard 200. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  232. «U2 Album & Song Chart History». Billboard. Billboard Digital Albums. 23 de dezembro de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017. 
  233. «U2 Album & Song Chart History». Billboard. Tastemakers. 23 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  234. «U2 Album & Song Chart History». Billboard. Top Rock Albums. 23 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  235. «U2 Album & Song Chart History». Billboard. Vinyl Albums. 23 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  236. «U2 – Songs of Experience». Musiikkituottajat. Suomen virallinen lista. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  237. «U2 – Songs of Experience». Syndicat National de l'Édition Phonographique. 9 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  238. «Top-75 Albums Sales Chart: 11 December 2017». Association of Greek Producers of Phonograms. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  239. «Top 40 album-, DVD- és válogatáslemez-lista». Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. 7 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  240. «U2 – Songs of Experience». Federazione Industria Musicale Italiana. 7 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  241. «ソングス・オブ・エクスペリエンス». Oricon. 11 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  242. «U2 – Songs of Experience». VG-lista. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  243. «U2 – Songs of Experience». Recorded Music NZ. 11 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  244. «Oficjalna lista sprzedaży :: OLiS - Official Retail Sales Chart». Związek Producentów Audio Video. OLiS. 1 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  245. «Official Albums Chart Top 100». Official Charts Company. 8 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  246. «Official Vinyl Albums Chart Top 40». Official Charts Company. 8 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  247. «CZ Albums - Top 100 Týden 201749». IFPI Česká Republika. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  248. «U2 – Songs of Experience». Sverigetopplistan. 8 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  249. «U2 – Songs of Experience». Sverigetopplistan. 10 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 
  250. «Top 100 Album-Jahrescharts». GfK Entertainment. Offiziellecharts.de. Consultado em 30 de dezembro de 2017. 
  251. «ARIA End of Year Albums 2017». Australian Recording Industry Association. Consultado em 4 de janeiro de 2018. 
  252. «Ö3 Austria Top 40 – Album-Charts 2017». Oe3.orf.at. Consultado em 1 de janeiro de 2018. 
  253. «Jaaroverzichten Albums 2017». Ultratop. Consultado em 27 de dezembro de 2017. 
  254. «Rapports Annuels Albums 2017». Ultratop. Consultado em 27 de dezembro de 2017. 
  255. «Album Top 100 2017». Hitlisten. Consultado em 10 de janeiro de 2018. 
  256. "Top Year 2017 Albums – Last Charts". El Portal de Musica (em espanhol). Consultado em 5 de junho de 2018.
  257. «Top Albums annuel (physique + téléchargement + streaming)». Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 5 de junho de 2018. 
  258. «Összesített album- és válogatáslemez-lista - eladási darabszám alapján - 2017». Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Consultado em 5 de junho de 2018. 
  259. «Classifiche annuali dei dischi più venduti e dei singoli più scaricati nel 2017». FIMI. Consultado em 10 de janeiro de 2018. 
  260. «Jaaroverzichten – Album 2017». Ultratop. Consultado em 27 de dezembro de 2017. 
  261. «Najlepiej sprzedającym się albumem ubiegłego roku była płyta rapera Quebonafide 'Egzotyka'» (em polonês). Związek Producentów Audio Video. Consultado em 5 de junho de 2018. 
  262. «End of Year Album Chart Top 100 – 2017». The Official Charts Company. Consultado em 10 de janeiro de 2018. 
  263. «Schweizer Jahreshitparade 2017 – hitparade.ch». Hung Medien. Consultado em 1 de janeiro de 2018. 
  264. "ZPAV :: Bestsellery i wyróżnienia – Wyróżnienia – Złote płyty CD". (em polonês) ZPAV. Consultado em 11 de fevereiro de 2018.
  265. Songs of Experience (Compact disc liner notes). U2. Island Records. 2017. B0027759-02.
  266. a b Megan Armstrong (1 de novembro de 2017). «U2 Reveal Details Of New Album 'Songs Of Experience' and Announce 2018 North American Tour». Billboard. Consultado em 1 de janeiro de 2018. 
Notas
  • ↑(a) Denota um produtor adicional.
  • ↑(b) Denota produção original.
  • ↑(c) Versão remix (faixas 17 e 18)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]