Sonny Anderson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sonny Anderson
Sonny Anderson
Sonny Anderson em 2022
Informações pessoais
Nome completo Anderson da Silva Nilmar
Data de nasc. 19 de setembro de 1970 (52 anos)
Local de nasc. Goiatuba, Goiás, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,81 m
ambidestro
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição centroavante
Clubes de juventude
1984–1987 XV de Jaú
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1988
1987–1990
1991–1992
1992–1994
1994
1994–1997
1997–1999
1999–2003
2003–2004
2004–2006
2006
XV de Jaú
Vasco da Gama
Guarani
Servette
Olympique de Marseille
Monaco
Barcelona
Lyon
Villarreal
Al-Rayyan
Al-Gharafa
0004 0000(2)
0064 000(13)
0047 0000(9)
0056 000(31)
0024 000(16)
0117 000(67)
0068 000(21)
0161 000(94)
0065 000(24)
0020 000(24)
0019 0000(6)
Seleção nacional
1986
1989
1997–2001
Brasil Sub-17
Brasil Sub-20
Brasil
0002 0000(0)
0006 0000(3)
0008 0000(1)
Times/clubes que treinou
2011 Neuchâtel Xamax

Anderson da Silva Nilmar (Goiatuba, 19 de setembro de 1970), mais conhecido como Sonny Anderson, é um ex-futebolista brasileiro que atuava como centroavante.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Revelado nas categorias de base do XV de Jaú, subiu aos profissionais no ano de 1988. No Brasil também atuou no Vasco da Gama e no Guarani, de onde foi contratado pelo Servette, da Suíça, em 1992. Após passar pelo futebol francês, onde vestiu as camisas do Olympique de Marseille e do Monaco, foi contratado pelo Barcelona em 1997 por um valor recorde de 20 milhões de euros. Posteriormente atuou em clubes como Lyon,[1] Villarreal, Al-Rayyan e Al-Gharafa.

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Anunciou oficialmente sua aposentadoria no dia 1 de março de 2006, quando atuava pelo Al-Gharafa, do Catar.[2]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Tido como uma grande promessa da Seleção Brasileira nas categorias Sub-17 e Sub-20, o atacante representou o Brasil no Campeonato Mundial Sub-16 de 1987, no Campeonato Sul-Americano Sub-20 de 1988 e na Copa do Mundo FIFA Sub-20 de 1989.

Já pela Seleção Brasileira principal, teve a convocação cotada para a Copa do Mundo FIFA de 1998 quando estava no auge da sua carreira,[3] mas não foi chamado pelo técnico Zagallo. Três anos depois, esteve na lista dos 23 convocados por Emerson Leão para a Copa das Confederações FIFA de 2001.[4][5]

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Após se aposentar dos gramados, trabalhou como embaixador do Lyon e foi treinador dos atacantes profissionais do clube. Iniciou sua carreira de treinador no modesto Neuchâtel Xamax, da Suíça, em junho de 2011.[6] Foi demitido pouco mais de um mês depois, no dia 25 de julho, devido aos maus resultados.[7]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Sonny é irmão mais novo do também futebolista Toninho, ex-meio-campista que passou por Portuguesa, Guarani, Flamengo, Vasco da Gama e atuou na Seleção Brasileira em 1989.[8]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Vasco da Gama
Servette
Monaco
Barcelona
Lyon
Villarreal

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Lyon e o Barcelona chegam a acordo sobre brasileiro». Diário do Grande ABC. 17 de junho de 1999. Consultado em 10 de julho de 2022 
  2. «Sonny Anderson anuncia aposentadoria». O Globo. 1 de março de 2006. Consultado em 21 de setembro de 2019 
  3. Betina Bernardes (30 de março de 1997). «Quero jogar pelo Brasil». Folha de S.Paulo. Consultado em 11 de abril de 2022 
  4. «Leão choca o país com convocação de inexpressivos». Folha de S.Paulo. 10 de maio de 2001. Consultado em 11 de abril de 2022 
  5. Guilherme Nagamine (8 de março de 2013). «Símbolo da Era Leão, Leomar foi capitão de seleção B formada por novatos e esquecidos». ESPN Brasil. Consultado em 11 de abril de 2022 
  6. «Sonny Anderson vai treinar o Neuchâtel Xamax». A Bola. Consultado em 2 de junho de 2011. Arquivado do original em 9 de junho de 2011 
  7. «Neuchâtel: Sonny Anderson despedido, Binya em risco». Maisfutebol. 25 de julho de 2011. Consultado em 21 de setembro de 2019 
  8. «Toninho quer recomeçar a carreira na Matonense». Folha de S.Paulo. 26 de janeiro de 1999. Consultado em 11 de abril de 2022 
  9. Marta Avancini (9 de maio de 1997). «Anderson quer ser o 3º homem do Brasil». Folha de S.Paulo. Consultado em 11 de abril de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]