Sophie Brahe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sophie Brahe
Nascimento 24 de agosto de 1556
Castelo de Knutstorp
Morte 1643 (87 anos)
Helsingor
Nacionalidade dinamarquesa
Cidadania Dinamarca
Progenitores
  • Otte Brahe
  • Beate Clausdatter Bille
Cônjuge Otte Andersen Thott, Erik Lange
Filho(s) Tage Ottesen Thott til Eriksholm
Irmão(s) Tycho Brahe, Jørgen Ottesen Brahe, Axel Ottesen Brahe, Steen Brahe, Knud Brahe
Alma mater
Ocupação astrônomo, historiadora, estate owner, genealogista
Campo(s) astronomia

Sophie Brahe (24 de agosto de 1556Helsingor, 1643) foi uma nobre dinamarquesa e horticultora com conhecimentos de astronomia, química e medicina. Ela trabalhou ao lado de seu irmão Tycho Brahe em fazer observações astronômicas.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sophie Brahe, irmã do famoso astrônomo Tycho Brahe, nasceu na Dinamarca em uma família da pequena nobreza, estudou sozinha nos livros de seu irmão e se tornou sua assistente. O rei da Dinamarca, Frederico II, deu a Tycho a ilha de Ven, perto de Copenhague, na qual foi erguido o famoso observatório do castelo de Uraniborg. A importância do trabalho dos irmãos Brahe é que eles foram os primeiros astrônomos europeus a fazer observações regulares e de longo prazo sobre a posição de estrelas e planetas fixos através de sextantes, quadrantes, esferas armilares e instrumentos de observação que inventaram, pois o telescópio ainda não havia sido inventado.[1][2] Ela também se tornou uma horticultora, além de seus estudos em química e medicina.

Com base em suas observações, eles compilaram um catálogo de mais de 1 000 estrelas fixas, com uma precisão inimaginável para a época. Em 1572 ocorreu um evento astronômico que chamou a atenção de Tycho: foi o aparecimento de uma nova, ou uma estrela que aumenta seu brilho de forma violenta (agora conhecida como SN 1572). O evento não se encaixava no modelo planetário ptolomaico e os irmãos levantaram a hipótese de um modelo parcialmente geocêntrico e parcialmente heliocêntrico do universo, no qual apenas o Sol e a Lua giravam em torno da Terra e os outros planetas giravam em torno do Sol; este sistema tomou o nome de Tychonic.

Aos 20 anos, Sophie se casou; ele então teve um filho, mas continuou sua presença no observatório; quando seu marido morreu em 1588, ela também se tornou administradora de terras e se dedicou ao estudo da alquimia e da medicina. A contribuição de Sophie Brahe para a astronomia nunca foi reconhecida de forma independente e hoje não é mais possível reconstruir sua participação na obra do irmão, pois não há documentos específicos sobre sua vida e obra.[1][2]

Apesar da falta de documentação, o filósofo e físico Pierre Gassendi escreveu na biografia de Tycho Brahe que sua irmã era dotada de um conhecimento excepcional em matemática e astronomia.

Ela foi assistida por muito tempo pelo farmacêutico Live Larsdatter.[3]

Referências

  1. a b J. R. Christianson (2000). On Tycho's island. Internet Archive. [S.l.]: Cambridge University Press 
  2. a b «convegno virtuale astronome». www.bellatrixobservatory.org. Consultado em 23 de agosto de 2022 
  3. peoplepill.com. «About Live Larsdatter: Pharmacist (1575 - 1698) | Biography, Facts, Career, Life». peoplepill.com (em norueguês). Consultado em 23 de agosto de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um astrônomo/astrónomo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.