Sorriso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sorriso (Mato Grosso))
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Sorriso (desambiguação).
Sorriso
  Município do Brasil  
centro de Sorriso
centro de Sorriso
Símbolos
Bandeira de Sorriso
Bandeira
Hino
Gentílico sorrisense
Localização
Localização de Sorriso em Mato Grosso
Localização de Sorriso em Mato Grosso
Sorriso está localizado em: Brasil
Sorriso
Localização de Sorriso no Brasil
Mapa de Sorriso
Coordenadas 12° 32' 42" S 55° 42' 39" O
País Brasil
Unidade federativa Mato Grosso
Municípios limítrofes Sinop, Vera, Nova Ubiratã, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Santa Rita do Trivelato. Ipiranga do Norte e Tapurah
Distância até a capital 398 km
História
Fundação 13 de maio de 1986 (36 anos)
Administração
Prefeito(a) Ari Genésio Lafin (PSDB, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 9 345,755 km²
População total (Estatísticas IBGE/2020[2]) 92 769 hab.
 • Posição MT:7º
Densidade 9,9 hab./km²
Clima Tropical Úmido (26°C) (Aw)
Altitude 365 m
Fuso horário Hora do Amazonas (UTC−4)
CEP 78890-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [3]) 0,744 alto
PIB (IBGE/2018[4]) R$ 6 050 020,82 mil
 • Posição MT: 4º BR: 198º
PIB per capita (IBGE/2018[4]) R$ 68 895,07
Sítio www.sorriso.mt.gov.br (Prefeitura)
sorriso.mt.leg.br (Câmara)

Sorriso é um município brasileiro do estado de Mato Grosso. É reconhecido como a Capital Nacional do Agronegócio e o maior produtor individual de soja do mundo. Segundo levantamento feito pelo IBGE, ocupa atualmente a terceira posição no ranking das maiores economias agrícolas do País. Pertence a microrregião de Alto Teles Pires e mesorregião do Norte Mato-grossense e sua população é estimada em 94.941 habitantes, conforme dados do IBGE de 2021. Está a uma altitude de 365 metros.

História[editar | editar código-fonte]

O Município de Sorriso está situado na região norte do Estado de Mato Grosso, no km 742 da rodovia federal BR-163, Cuiabá - Santarém, a 398 km da capital, Cuiabá. A sua fundação deu-se através de um projeto de colonização privada, com a maioria absoluta da sua população constituída por migrantes provenientes da região Sul do País.

Foi batizada por um grupo de pioneiros, assentados ao lado do rio Lira. Apesar do trabalho a realizar, ter um sorriso ajudaria. Desta forma o nome transmitia otimismo, alegria e confiança. Tal nome seria um bom incentivo à permanência na labuta diária.[5]

Em 26 de dezembro de 1980, foi elevada à categoria de Distrito, pertencente ao município de Nobres (Mato Grosso). Em 20 de março de 1982, foi instalada a subprefeitura no distrito de Sorriso. Em 13 maio de 1986, a Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso aprovou e o Governo Estadual, através da Lei 5.002/86, elevou o então distrito de Sorriso à categoria de município, desmembrado do município de Nobres.

Sua formação administrativa atual é: Sorriso (sede), além dos distritos de Boa Esperança, Caravágio e Primavera.

Economia[editar | editar código-fonte]

Segundo o IBGE2015[6] o PIB (Produto Interno Bruto) de Sorriso é 4.ª maior de Mato Grosso, e 13.ª maior economia do Centro-Oeste do Brasil, ficando atrás da capital Cuiabá, de Várzea Grande e de Rondonópolis.

A economia do município está diretamente relacionada ao agronegócio, sendo o cultivo da soja a principal atividade. É considerado o maior produtor de soja e milho do país, produz 17% da soja de Mato Grosso e 3 % do Brasil. Se destaca por ser o município com maior rentabilidade no Agronegócio do Brasil, sendo um dos integrantes da chamada fronteira agrícola Amazônica. Além da soja e milho, Sorriso é o maior produtor de peixes do país. Em 2013 o Brasil produziu 392,3 mil toneladas de peixes, Mato Grosso produziu 47,3 mil toneladas, das quais 21,5 mil toneladas foram produzidas somente em Sorriso.

Em Sorriso encontram-se instaladas grandes empresas do agronegócio como a Amaggi (2 unidades), Archer Daniels Midland (ADM) (2 unidades), Bertuol (2 unidades), Bunge (3 unidades), Cargill (3 unidades), Caramuru Alimentos, Coacen, Cooavil, Cofco Agri (3 unidades), C-Vale, Fiagril (2 unidades), Glencore, LDC Commodities (2 unidades), Monsanto, Mosaic, Multigrain, Nidera, Noble, Ovetril, Safras Armazéns (2 unidades), entre outras que tem grande participação no desenvolvimento da cidade. Além do destaque na Soja, Sorriso também possui abatedouros de aves, peixes e suínos que suprem o mercado interno e externo, dentre eles a Marombi Frangos, Nutribrás e Nativ Pescados.

Em 2004 Sorriso ganhou o Park Shopping Sorriso, com 65 lojas e um cinema que possui 2 salas uma com tecnologia 3D e um de 2D.[7][8][9]

Pelos dados do IBGE 2015, Sorriso possui 8.305 empresas atuantes, com média salarial funcional de 2,6 salários mínimos. Entre 2013 e 2016 foram lançados 16 loteamentos residenciais, 2 loteamentos industriais e 2 condomínios residenciais de alto padrão, com grande destaque construção civil que movimenta a geração de empregos e é destaque pela qualidade nos projetos desenvolvidos na arquitetura e urbanismo em Mato Grosso.

Sorriso possui 11 agências bancárias: Sicredi, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Santander, Sicoob, Unicred e Uniprime.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Sorriso é ponto referencial da rodovia BR-163, ligação de Cuiabá a Santarém - que está sob concessão da Odebrecht para duplicação e sinalização, que cruza a região, formando um eixo rodoviário de ligação norte/sul/leste/este juntamente com a BR-242, que corta o estado do Mato Grosso, ligando-o ao estado de Goiás (a Leste) e Rondônia (a Oeste), favorecendo o transporte da produção. O Rio Teles Pires também é uma fonte de riquezas.

Em junho de 2016 entrou em funcionamento o Aeroporto Regional de Sorriso Adolino Bedin, com voos da companhia aérea Azul Linhas Aéreas para Cuiabá (decolando de Sorriso as 7:40 horas com pouso em Cuiabá as 8:50 horas, o voo de Cuiabá decola as 10:10 com chegada as 11:25, e o segundo voo decola as 22:05 com chegada as 23:15), está em estudo voos comerciais com a Passaredo Linhas Aéreas para Brasília e da MAP Linhas Aéreas para Alta Floresta e Manaus.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A vegetação do município de Sorriso é constituída por cerrado, arbóreo denso (cerradão), florestas abertas (matas ciliares), e 65% da área do município é de campos cerrados.

Encravada em meio ao cerrado e Amazônia Legal, Sorriso desfruta, além das riquezas naturais, de uma posição geográfica privilegiada, com excelentes condições de clima, relevo, solo, hidrografia e todas as condições para dimensionar o município como um dos maiores polos de desenvolvimento do país.

Educação[editar | editar código-fonte]

A cidade atende cerca de 16 mil estudantes, dos ensinos básico, fundamental, médio e superior.

Ensinos básico, fundamental e médio[editar | editar código-fonte]

  • Centros Municipais de Educação Infantil (CEMEIs): 12
  • Escolas municipais: 22
  • Escolas estaduais: 7

Ensino superior[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Hospitais[editar | editar código-fonte]

  • Público: HRS - Hospital Regional de Sorriso (atende um consórcio 14 municípios na região)
  • Privados: Hospital 13 de Maio e Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Fátima

Segurança Pública[editar | editar código-fonte]

Imagem do Centro de Sorriso

População[editar | editar código-fonte]

A maior parte da população de Sorriso tem origem dos estados do Sul, cerca de 80 %, e demais estados cerca de 20 %.

  • •1991 - 16.107 habitantes
  • •1996 - 26.591 habitantes
  • •2000 - 35.605 habitantes
  • •2007 - 55.134 habitantes
  • •2010 - 66.521 habitantes
  • •2012 - 71.190 habitantes
  • •2014 - 77.735 habitantes
  • •2015 - 80.298 habitantes

Frota de 2015*

Automóvel 17.242 automóveis
Caminhão 2.424 caminhões
Caminhão trator 1.860 caminhões Trator
Caminhonete 7.258 caminhonetes
Camioneta 1.140 camionetas
Micro-ônibus 82 micro-ônibus
Motocicleta 13.502 motocicletas
Motoneta 7.435 motonetas
Ônibus 188 ônibus
Outros 4.567 veículos
Total de Veículos 56.314 veículos

Produção Municipal[editar | editar código-fonte]

Agricultura 2015*

Feijão (em grão) 44.250 hectares
Mandioca 150 hectares
Melancia 120 hectares
Milho (em grão) 396.950 hectares
Milho (em grão) - Quantidade produzida 2.619.690 toneladas
Milho (em grão) - Valor da produção 623.198 mil reais
Soja (em grão) 625.900 hectares
Soja (em grão) - Quantidade produzida 1.951.710 toneladas
Soja (em grão) - Valor da produção 1.689.638 mil reais

Pecuária 2015*

Aquicultura - Alevinos - produção - quantidade 7.000 Milheiros
Aquicultura - Jatuarana, piabanha e piracanjuba - produção - quantidade 45.000 kg
Aquicultura - Matrinxã - produção - quantidade 100.000 kg
Aquicultura - Pacu e patinga - produção - quantidade 1.550.000 kg
Aquicultura - Pintado, cachara, cachapira e pintachara, surubim - produção - quantidade 2.712.014 kg
Aquicultura - Pirapitinga - produção - quantidade 700.000 kg
Aquicultura - Tambacu, tambatinga - produção - quantidade 2.410.881 kg
Aquicultura - Tambaqui - produção - quantidade 1.915.310 kg
Aquicultura - Tilápia - produção - quantidade 1.216.600 kg
Bovino - efetivo dos rebanhos 50.100 Cabeças
Bubalino - efetivo dos rebanhos 61 Cabeças
Caprino - efetivo dos rebanhos 741 Cabeças
Equino - efetivo dos rebanhos 1.321 Cabeças
Galináceos - total - efetivo de rebanhos 10.068.972 Cabeças
Leite de vaca - produção - quantidade 3.256 Mil litros
Mel de abelha - produção - quantidade 9.404 kg
Ovino - efetivo dos rebanhos 10.207 Cabeças
Suíno - total - efetivo dos rebanhos 538.367 Cabeças

Turismo e Cultura[editar | editar código-fonte]

Localizado no Distrito de Boa Esperança (140 km da sede do Município), o Salto Magessi do Rio Teles Pires é um lugar aprazível. por sua beleza exuberante, o local enche os olhos dos turistas.

Centro de eventos de Sorriso.

Nos fins de semana, é comum ver pais levando as crianças para se banharem nas pequenas cachoeiras que se formam entre as pedras. Outros, aproveitam as águas geladas para a prática do mergulho.

Como forma de preservar o local, foi criada a Unidade de conservação do Salto Magessi.

Ainda nas águas do Teles Pires, todos os anos acontece o Festival de Pesca. O objetivo é estimular o potencial turístico da cidade e incentivar a prática da pesca esportiva.

Através do CTG Recordando os Pagos, a população participa de eventos como a Semana Farroupilha. Ainda no tradicionalismo podemos destacar também a participação do Centro de Tradições Nordestinas (CTN) na formação cultural dos sorrisenses. Anualmente, a cultura do Nordeste brasileira tem seu avivamento por meio da Festrilha Nordestina. A Festrilha é um evento que acontece tradicionalmente no mês de julho, tem a duração de quatro dias e reúne milhares de pessoas.

Na semana de aniversario de Sorriso - 13 de Maio, acontece o Rodeio Crioulo e a Exporriso, que movimenta a cidade com Shows, Negócios, Exposições de máquinas e animais e o Rodeio.

Parque Ecológico Municipal "Claudino Frâncio (e sua Paisagem Sonora)[editar | editar código-fonte]

O Parque Ecológico Municipal "Claudino Frâncio" é um dos pulmões de Sorriso - MT, sendo localizado à Avenida dos Imigrantes, bairro Recanto dos pássaros, sendo que a Avenida lateral esquerda é a Mario Raiter, nos fundos a rua Bandeirantes e a direita a Rua dos Tuiuus. Ele contém 11,10 hectares de mata virgem, com uma diversidade muito grande de pássaros, animais como patos, gansos, macacos, peixes, lagartos. Nele há um bar que serve bebidas e petiscos diversos, dois parquinhos para crianças, um lago, um córrego que o corta internamente, tendo duas pontes, no interior do parque, que passam sobre esse córrego. Há varias trilhas de caminhada no interior do parque, bem como áreas de descanso, bancos e mesinhas para apreciar a paisagem visual e sonora deste lugar.

A Paisagem Sonora do Parque[editar | editar código-fonte]

A partir de uma pesquisa de Mestrado do Programa de Pós-graduação em Estudos de Cultura Contemporânea - ECCO da Universidade Federal de Mato Grosso, realizada pela professora Cilene Leite de Mello, intitulada como "A Paisagem Sonora do Parque Ecológico Municipal "Claudino Frâncio" vamos conceituar o termo paisagem sonora, para que seja compreendido pelos leitores:

Para Schafer “paisagem sonora é um ambiente sonoro, sejam ambientes reais ou construções abstratas, visto como um campo de estudo”. (SCHAFER, 2001, p. 366) "... qualquer campo de estudo acústico. Podemos referir-nos a uma composição musical, a um programa de rádio ou mesmo a um ambiente acústico como paisagens sonoras. (SCHAFER, 2001, p. 23). Assim, o parque ecológico municipal "Claudino Frâncio" foi o palco dessa pesquisa, onde foram coletadas 12 amostras de sons do local, através de gravações de áudio, entre os meses de abril a julho de 2021, como uma forma de caracterizar os sons desse ambiente, através de caminhadas aleatórias dentro dele.

Após a análise dessas gravações observamos que os sons mais presentes dentro desse parque foram: Naturais: vento sobre as arvores, águas do córrego e do lago, pássaros como (pica-pau, sanhaço, bico-de-brasa, maritaca, xorró, pardais, bem-te-vis, que foram identificados com ajuda de pessoas que tem conhecimento na área biológica). Também estão presentes nessa paisagem sonora, o sons de patos, macacos, lagartos rastejando sobre a folha e sons ao redor como cachorros latindo, gatos miando. Outro som bem presente no parque são os insetos: cigarras e grilos. Misturados a esses sons, denominados como sons da criação, por Schafer (2001) estão os sons humanos e ali foram observados os sons como vozes humanas: infantis e adultas sendo expressas através de falas, gritos, gemidos, tosse, expirros, respiração, murmúrios, pisadas nas folhas, nas pedras, nas cascas de árvores, no asfalto, na terra, que expressam a movimentação humana dentro do parque. Foram observados também alguns sons mecânicos dentro do parque como o chafariz no meio do lago e os irrigadores de gramas e outros nas construções aos redores como: equipamentos de construção - betoneira, motosserra, máquinas de cortar pisos, marteladas, serradeira, batidas em ferro. Há sons também de máquinas de combustão interna aos redores do parque como: motos, carros, caminhões, tratores. Foram identificados sons também como buzinas de carros e motos e sinalizadores de caminhões guinchos.

Estamos ressaltando aqui a importância da paisagem sonora de um local pelo fato da mesma ser um importante objeto de estudo para se identificar uma determinada cultura. Wulf (2007) ressalta que a função do ouvido é tão importante, ou talvez, até mais importante que a dos olhos dizendo que: " Enquanto a vista percebe apenas objetos que estão 'diante' dela, a orelha percebe sonoridades, tonalidades e timbres que se encontram atrás dela. Através do ouvido se desenvolvem o sentido e a consciência do espaço. A combinação do ouvido e do sentido do espaço, corresponde a implantação morfológica do sentido de equilíbrio na orelha. Com o ouvido, nós nos “localizamos” no espaço e garantimo-nos a estação de pé e o equilíbrio." (WULF, 2007, p. 59-60)

Nessa pesquisa, a autora, professora Cilene Leite de Mello, relata que: "muitos sons ouvidos e, até mesmo captados por gravações, estavam distantes do alcance dos meus olhos. Não pude ver a fonte de sua origem. Os pássaros, por exemplo, ouvi várias espécies, no entanto não pude vê-los propriamente. O próprio vento, é algo que só percebemos a presença dele pelo balançar das árvores, galhos, pelo toque em nosso rosto. Não precisamos argumentar muita coisa para entender que o alcance do ouvido é muito maior do que o da visão." (MELLO, 2021).

Caminhada Sonora 1 - Parque Ecológico Municipal "Claudino Frâncio" em Sorriso - MT
Caminhada Sonora 2 - Parque Ecológico Municipal "Claudino Frâncio" em Sorriso - MT
Caminhada Sonora 3 - Parque Ecológico Municipal "Claudino Frâncio" em Sorriso - MT
Caminhada Sonora[editar | editar código-fonte]

Os 12 (doze) áudios dos sons internos do parque Ecológico Municipal "Claudino Frâncio" foi feito através de caminhadas sonoras que é uma caminhada individual ou em grupo em que o foco da percepção está na escuta dos sons circundantes. Um exercício de escuta que nos ajuda a tomar consciência de nosso ambiente acústico imediato. É também sobre os prazeres estéticos de ouvir. Ouvir sons que, de outra forma, poderíamos ter perdido; ouvir o ritmo dos sons; ouvindo a 'voz' única de uma cidade. Trata-se de desfrutar da beleza sensitiva e da pura surpresa do som. (https://www.hildegardwesterkamp.ca/sound/installations/Nada/soundwalk/)

"Uma caminhada sonora, como qualquer excursão, tem como objetivo principal ouvir o ambiente..." (McCartney, 2014, p. 7)

Essas 12 (doze) caminhadas foram feitas pela professora Cilene Leite de Mello nos meses de Abril a Agosto de 2021 nos períodos da manha e tarde e colocamos três amostras delas, ao lado, para serem apreciadas.

A Caminhada 1 (um) foi realizada no dia 18/04/2021 as 10:59 h tendo como duração 5’24’’ (cinco minutos e vinte e quatro segundos).

A caminhada 2 (dois) foi realizada no dia 28/06/2021 às 16:30h, com a duração de 6’58’’ (seis minutos e cinquenta e oito segundos).

A caminhada 3 (três) foi realizada no dia 05/07/2021, às 17:00h, com a duração de 15’30’’ (quinze minutos e trinta segundos).

Os Sons Coletados no Parque Ecológico[editar | editar código-fonte]

A partir das 12 caminhadas realizadas no Parque entre os meses de Abril a Agosto de 2021 foram coletados trinta tipos diferentes de sons. Esses sons foram classificados segundo Schafer (2001) em Sons naturais, sons da sociedade, sons mecânicos e Sons indicadores. Os sons naturais são divididos em sons da criação como os vento, a água, os pássaros, os animais, os insetos, etc. e os sons humanos como vozes de falas adultas e infantis, gritos, tosse, respiração, gemidos, murmúrios, risadas. Já os sons da sociedade foram música de carros e lanchonete, os sons mecânicos são os sons dos automóveis, considerados como máquinas de combustão, e os sons dos aparelhos utilizados em construções como moto serras, betoneiras, cortadores de pisos, furadeiras entre outros. E por fim, os sons indicadores que são as buzinas e apitos.

A Classificação dos Sons do Parque Ecológico "Claudino Frâncio" Ficaram da seguinte forma a partir da taxonomia de Krause (PIJANOWSKI, 2011)[10]

Fonte: Elaborado por Cilene Leite de Mello (2021) a partir da Taxonomia de Krause (2011)

Bernard L. Krause (nascido em 8 de dezembro de 1938 em Detroit, Michigan) é um músico americano e ecologista de paisagens sonoras. Em 1968, ele fundou o Wild Sanctuary, uma organização dedicada à gravação e arquivamento de paisagens sonoras naturais. Krause é um autor, bioacústico, palestrante e artista de som natural que cunhou os termos geofonia, biofonia e antropofonia.

Os sons da relacionados a taxionomia de Krause (PIJANOWSKI, 2011) são classificados em Geofonia que são os sons produzidos por seres não biológicos como chuva, vento, trovão, Biofonia que são os sons produzidos por seres biológicos, seres humanos, animais, insetos e a Antrofonia que são os sons produzidos por máquinas e equipamentos criados pelo homem.[11]

As Entrevistas[editar | editar código-fonte]

Foram realizadas entrevistas com trinta pessoas, maiores de 21 anos, frequentadores do parque e 80% (oitenta por cento) dos entrevistados tinham mais de 10 anos de moradia na cidade de Sorriso e o frequentam desde a sua fundação. Nas entrevistas houveram relatos que os sons que mais trazem paz e relaxamento são os sons do vento, das aves e do lago. E os sons que mais estressam são os sons de carros, motos, caminhões e ônibus que trafegam ao redor do parque e os sons de música que estão no parque, através da lanchonete, de carros, ou até mesmo de caixinhas de sons levados pelos moradores. Muitos disseram que entendem que o parque é um local de se ouvir a natureza e não músicas. E uma das perguntas foi qual som que os moradores acham que é único no parque, e um percentual grande disseram ser as aves.

Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato[editar | editar código-fonte]

Vista do edifício da Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato, em Sorriso.

Uma Biblioteca Municipal também é um dos lugares do turismo de uma cidade e no município de Sorriso uma das opções de cultura e lazer são encontradas na Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato que fica localizada na Praça da Juventude, Avenida Natalino João Brescansin, 1.220, Centro, CEP 78890-000.[12]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade possui as principais operadores de telefonia, móvel e fixa; provedores de internet banda larga; três emissoras de rádio; 6 canais abertos de televisão.

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2013 
  2. https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/mt/sorriso.html  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 23 de setembro de 2016 
  4. a b «Produto Interno Bruto de Sorriso». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 29 de Janeiro de 2021 
  5. https://www.diariodoestadomt.com.br/noticias/inicio-hist-riadesorriso/550432
  6. IBGE. «IBGE | Biblioteca | Detalhes | Produto interno bruto dos municípios : 2010-2015». biblioteca.ibge.gov.br. Consultado em 21 de julho de 2018 
  7. Park Shopping Sorriso
  8. MT Notícias[ligação inativa]
  9. [1]
  10. Fonte: Elaborado por Cilene Leite de Mello a partir do Google Earth - MELLO, Cilene Leite de. A Paisagem Sonora do Parque Ecológico "Claudino Frâncio" - Sorriso - MT - Região da Amazônia Legal, Dissertação de Mestrado, Programa de Pós Graduaçao em Estudos de Cultura Contemporânea (ECCO) pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).
  11. PIJANOWSKI, Bryan C.; VILLANUEVA-RIVERA, Luis J.; DUMYAHN, Sarah L.; FARINA, Almo; KRAUSE, Bernie L.; NAPOLETANO, Brian M.; CAGE, Stuart H.; PIERETTI, Nadia. Soundscape Ecology: The Science of Sound in the landscape. BioScience 61: 203–216. ISSN 0006-3568, electronic ISSN 1525-3244. © 2011 by American Institute of Biological Sciences. All rights reserved. March, 2011, v. 61, Nº 3.
  12. Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas - Relação de Bibliotecas Públicas no Estado de Mato Grosso Arquivado em 10 de agosto de 2018, no Wayback Machine. - novembro de 2013. SNBP. Acesso feito em 9 de agosto de 2018.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]