Sousas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sousas
  Distrito do Brasil  
Rua em dia calmo em Sousas
Rua em dia calmo em Sousas
Localização
Estado  São Paulo
Município Campinas
História
Criado em 24 de julho de 1896 (125 anos)
Características geográficas
Área total 65,791 km²
População total (2010) 18 152 hab.
Outras informações
Limites Norte: Pedreira
Leste: Joaquim Egídio
Sul: Valinhos
Oeste: Campinas

Sousas é um distrito do município brasileiro de Campinas, sede da Região Metropolitana de Campinas, no interior do estado de São Paulo[1][2].

História[editar | editar código-fonte]

Criado em 24 de julho de 1896, Sousas é o distrito mais antigo de Campinas. No passado era conhecido como Arraial dos Sousas e Sousápolis[3].

Embora integre um município e uma região de expressiva produção industrial, o distrito manteve quase que intactas características de vila rural, cidadezinha que nasceu ou cresceu à sombra dos cafeeiros. O ciclo do café deixou fincadas, em solo campineiro e paulista, as bases, a infraestrutura e as condições para a implantação de indústrias, mas o distrito, no entanto, permaneceu protegido desse processo, quase que esquecido.

Apesar de a industrialização não ter alcançado direta e expressivamente Sousas e Joaquim Egídio, esses núcleos satélites também se beneficiaram do processo, tanto pela oferta de trabalho para seus habitantes no município e na região, como pela arrecadação de recursos financeiros. Esses recursos, uma vez distribuídos, redundaram em infraestrutura, saneamento básico, calçamento, acesso rápido ao Centro de Campinas, iluminação pública e escolas.

O preço da terra, o relevo acidentado e a vocação rural fizeram com que a ocupação do solo e a expansão urbana fossem mais difíceis e lentas. Tudo isso resultou numa espécie de cultura diferenciada do resto do município. Ficaram intactos o modo de vida interiorano, valores esquecidos e sotaques. A população dos distritos é uma mescla de descendentes de imigrantes - sobretudo italianos - alguns descendentes de escravos das antigas fazendas de café e migrantes mineiros e paranaenses.

O nome Sousas é uma homenagem ao brigadeiro Luís António de Sousa Queirós, que foi agraciado pela coroa portuguesa com uma grande sesmaria na região entre os rios Atibaia e Jaguari, no atual distrito de Sousas. Bernardo Sampaio, de Campinas, e Aleixo de Godoy, de Amparo, exploraram o local pela primeira vez desde a fundação de Campinas e batizaram o local em 1830[4].

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

  • Distrito Policial de Arraial dos Sousas criado por Ato de 02/09/1890[5].
  • Distrito criado pela Lei nº 416 de 24/07/1896, com as divisas do distrito policial de Arraial dos Sousas[6][7].
  • O Decreto n° 9.775 de 30/11/1938 altera a denominação para Sousas[8].
  • Pela Lei n° 5.285 de 18/02/1959 perdeu terras para a criação do distrito de Joaquim Egídio[9].

Pedido de emancipação[editar | editar código-fonte]

O distrito tentou emancipar-se e ser transformado em município no ano de 1995, mas o processo encontra-se com a tramitação suspensa na Assembleia Legislativa de São Paulo[10].

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

Rodovia Dom Pedro I, principal acesso ao distrito

Localiza-se na região leste do município, a aproximadamente 10,5 quilômetros do Centro.

População[editar | editar código-fonte]

Pelo Censo 2010 (IBGE) a população total do distrito era de 18 152 habitantes, e a população urbana era de 17 224 habitantes[11].

Área territorial[editar | editar código-fonte]

A área territorial do distrito é de 65,791 km²[12].

Clima[editar | editar código-fonte]

A Serra das Cabras, que se localiza em Sousas, Joaquim Egídio e Morungaba.

Geograficamente, o distrito se assenta nos limites entre o escudo cristalino do Planalto Meridional e o início da depressão periférica de São Paulo, na faixa sudeste do estado. A Serra das Cabras, ponto culminante do município de Campinas, nada mais é que uma porção avançada do Maciço da Mantiqueira. O clima é próprio de montanhas e, no inverno, há uma diferença de temperatura de até 2 graus Celsius a menos em relação à temperatura de Campinas propriamente dita.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Quanto à hidrografia, o distrito é cortado pelo Rio Atibaia, sendo este corpo d'água historicamente propício ao transbordamento e por consequência, o alagamento de área adjacentes, durante períodos de chuvas mais intensas. Na região ao norte do distrito, trecho de fronteira com o município de Pedreira, passa e delimita tal área limítrofe o Rio Jaguari[13].

Bairros[editar | editar código-fonte]

  1. Chácara Bela Vista
  2. Chácara Santo Antônio
  3. Colinas do Atibaia
  4. Colinas do Ermitage
  5. Colinas do Ermitage II
  6. Colinas do Ermitage III
  7. Imperial Parque
  8. Jardim Atibaia
  9. Jardim Belmonte
  10. Jardim Botânico
  11. Jardim Conceição
  12. Jardim Martinelli
  13. Jardim Rosana
  14. Jardim São Francisco
  15. Jardim São Francisco II
  16. Jardim Sorirama
  17. Loteamento Fechado Caminhos de San Conrado
  18. Mirantes da Fazenda
  19. Notre Dame
  20. Nova Sousas
  21. Núcleo Residencial Cristo Rei
  22. Parque das Araucárias
  23. Parque das Hortênsias
  24. Parque Jatibaia
  25. Portal da Mata
  26. Quinta dos Jatobás
  27. Reserva da Floresta
  28. Residencial Arboreto dos Jequitibás
  29. Residencial Cândido Ferreira
  30. Residencial Jaguary
  31. Sitio dos Cambáras
  32. Sousas
  33. Vila Ana Luíza
  34. Vila Bourbon
  35. Vila Janete
  36. Vila José Iório
  37. Vila Laércio Teixeira
  38. Vila Santana
  39. Vila Santana II
  40. Vila Santana III
  41. Vila Santa Rita
  42. Vila Sônia
  43. Vila Sônia II
  44. Ville Sainte Helene

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

No setor de telefonia o distrito era atendido pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que inaugurou a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi vendida para a Telefônica, que em 2012 adotou a marca Vivo para suas operações[14].

Educação[editar | editar código-fonte]

Escolas Públicas
  • E.E Antonio Carlos Couto de Barros
  • E.E. Doutor Thomas Alves
  • E.M. Ângela Cury Zakia
Escolas Particulares
  • Colégio Amarelinha
  • Colégio Illuminare
  • Colégio Notre Dame
  • Colégio San Conrado
  • Colégio San Conrado II
  • Colégio Vertical
  • Escola Comunitária de Campinas
Creches
  • EMEI Profª Zuleika Hellmeister Novaes
Faculdades
  • Anhanguera

Entidades conveniadas[editar | editar código-fonte]

  • APAS - Associação Presbiteriana de Ação Social I
  • APAS - Associação Presbiteriana de Ação Social II
  • Casa da Criança de Sousas
  • CECOIA - Centro Comunitário Irmão André
  • Creche Gustavo Marcondes
  • Casa dos Sonhos

Clubes[editar | editar código-fonte]

  • Clube Concórdia
  • Clube Cultura
  • Clube Grenasa
  • Clube Campineiro de Regatas e Natação
  • Clube Irapuã
  • Centro Esportivo Fanáticos
  • Tênis Clube de Campinas

Bancos[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Como distrito, Sousas está sob a administração do prefeito de Campinas, no entanto possui subprefeitura[15].

Economia[editar | editar código-fonte]

Indústrias[editar | editar código-fonte]

Religião[editar | editar código-fonte]

Igrejas Evangélicas[editar | editar código-fonte]

Atrações turísticas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Sousas

Referências

  1. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  2. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  3. Almanak Laemmert (RJ) - 1891 a 1940. «Almanak Laemmert». Consultado em 18 de abril de 2017 
  4. «A Origem do Distrito de Sousas». Jornal Local. Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  5. «Divisão judiciária e administrativa do Estado de São Paulo em 1937 - publicação: 1938». bibliotecadigital.seade.gov.br. Consultado em 7 de março de 2021 
  6. «Documentos Históricos». www.al.sp.gov.br. Consultado em 7 de março de 2021 
  7. «Lei n° 416, de 24/07/1896». www.al.sp.gov.br. Consultado em 29 de março de 2021 
  8. «Decreto n° 9.775, de 30/11/1938». www.al.sp.gov.br. Consultado em 7 de março de 2021 
  9. «Lei n° 5.285, de 18/02/1959». www.al.sp.gov.br. Consultado em 7 de março de 2021 
  10. «Ofício de 12/12/2011 da CAMM de não arquivamento de diversos processos de emancipação» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  11. «IBGE | Censo 2010 | Sinopse por Setores». censo2010.ibge.gov.br. Consultado em 7 de março de 2021 
  12. «Organização do território | IBGE». www.ibge.gov.br. Consultado em 7 de março de 2021 
  13. Secretaria de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, SEPLAMA (2006). «Mapa Hidrografia e Bacias Geográficas de Campinas». Prefeitura Municipal de Campinas. Consultado em 12 de julho de 2017 
  14. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  15. Coordenadoria das Administrações Regionais, COAR. «Departamento e Coordenadorias». Prefeitura Municipal de Campinas. Consultado em 12 de julho de 2017 
  16. «Igreja Evangélica Assembléia de Deus Campinas». www.adcamp.org.br. Consultado em 29 de março de 2021 
  17. «Campos Eclesiásticos». CONFRADESP. 10 de dezembro de 2018. Consultado em 28 de março de 2021 
  18. «História da Assembleia de Deus». www.adadamantina.com.br. Consultado em 26 de março de 2021 
  19. «Sousas e Joaquim Egídio promovem Festival Gastronômico da Primavera». Prefeitura Municipal de Campinas. 22 de setembro de 2014. Consultado em 21 de julho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]