Southern Astrophysical Research Telescope

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde setembro de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Southern Astrophysical Research Telescope
Cerro Las Tortolas indistance incenter.jpg
Informações gerais
Tipo de telescópio telescópio óptico Edite no Wikidata
Informações do telescópio
Localização atual Chile Editar isso no Wikidata
Coordenadas 30°14′17″S 70°44′01″O / 30.238°S 70.73372°O / -30.238; -70.73372Coordenadas: 30°14′17″S 70°44′01″O / 30.238°S 70.73372°O / -30.238; -70.73372
Altitude 2,738 m (2,738 m)
Diâmetro 4.1 m (2.4 sm)
Instrumentos

O Southern Astrophysical Research Telescope, ou abreviadamente SOAR, é um telescópio óptico com espelho principal de 4,1 metros de diâmetro[1] que pode captar a luz visível e os raios infra-vermelhos. Localiza-se no Cerro Pachón, no Chile, a 2738 metros acima do nível do mar. Foi construído no ano de 2003 e é operado por cientistas do National Optical Astronomy Observatories, da Universidade da Carolina do Norte, da Universidade Estadual de Michigan, do Observatório Interamericano de Cerro Tololo, além de vários cientistas do Brasil e do Chile.

O SOAR atinge na observação médias de 0,7 a 0,5 segundos de comprimento de arco. Vários instrumentos do telescópio são utilizados para melhorar ao máximo a qualidade de observação do céu. O telescópio SOAR custou cerca de 28 milhões de dólares. A cúpula do telescópio SOAR custou cerca de 2 milhões de dólares, sendo que a cúpula do observatório tem 66 metros de diâmetro, e estrutura resistente com peso superior a 70 toneladas.

Esse telescópio foi desenhado para operar em uma faixa do espectro óptico entre 320 nm (linha do corte atmosférico no azul) e o infravermelho próximo, para obter imagens com excelente qualidade (0.22 segundos de arco), e para ter nove instrumentos montados e prontos para uso.

Seu espelho primário tem apenas 10 cm de espessura e é suportado por 120 atuadores eletro-mecânicos, ajustados para corrigir a curvatura do espelho. O espelho terciário é capaz de corrigir parcialmente a turbulência atmosférica por "tip-tilting" em 50 Hz.

Referências

  1. CASTILHO, Bruno Vaz (julho de 2009). «Você sabia que o brasil tem telescópios de última geração fora do próprio território?». ICH. Ciência Hoje das Crianças. 22 (203): 12-12 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]