SpaceX

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
SpaceX
SpaceX-Logo.svg
SpaceX Headquarters, Hawthorne, CA.jpg

A sede da SpaceX, em Hawthorne, na Califórnia.
Razão social Space Exploration Technologies Corporation
Tipo Privada
Indústria Aerospacial
Fundação junho de 2002 (15 anos)
Fundador(es) Elon Musk
Sede Hawthorne, Califórnia, EUA
Pessoas-chave Elon Musk
(CEO e CTO)
Gwynne Shotwell
(Presidente e COO)
Tom Mueller
(CTO de Propulsão)
Empregados aprox. 5,000[1]
(Fevereiro de 2016)
Produtos Falcon 9
Dragon
Website oficial www.spacex.com

Space Exploration Technologies Corp., cujo nome comercial é SpaceX, é uma empresa estadunidense de sistemas aeroespaciais e de serviços de transporte espacial sediada em Hawthorne, Califórnia. Foi fundada em 2002 pelo empresário Elon Musk com o objetivo de reduzir os custos de transporte espacial e permitir a colonização de Marte.[5] A SpaceX desenvolveu desde então a família de veículos de lançamento Falcon e a família de nave espacial Dragon, que atualmente entregam cargas úteis na órbita terrestre.

As conquistas da SpaceX incluem o primeiro foguete de combustível líquido com financiamento privado a chegar à órbita da Terra (Falcon 1 em 2008);[6] a primeira empresa com financiamento privado a lançar, orbitar e recuperar uma nave espacial (Dragon em 2010); a primeira empresa privada a enviar uma nave espacial para a Estação Espacial Internacional (EEI) (Dragon em 2012);[7] o primeiro pouso propulsivo de um foguete orbital (Falcon 9 em 2015); e a primeira reutilização de um foguete orbital (Falcon 9 em 2017). Em março de 2017, a SpaceX já havia transportado dez missões para a EEI sob um contrato de reabastecimento de cargas espaciais.[8] A NASA também concedeu à SpaceX um novo contrato de desenvolvimento em 2011 para demonstrar uma Dragon que seria usada para transportar astronautas para a EEI e devolvê-los com segurança à Terra.[9]

A SpaceX anunciou em 2011 que estava começando um programa de desenvolvimento de tecnologia de lançamento de foguetes reutilizáveis com fundos privados. Em dezembro de 2015, o primeiro estágio de um foguete da empresa pousou de volta em uma plataforma de aterrissagem perto do local de lançamento, onde realizou com sucesso um pouso vertical. Esta foi a primeira vez que um foguete realizou algo do tipo após um voo orbital.[10] Em abril de 2016, com o lançamento da CRS-8, o SpaceX conseguiu, com sucesso, aterrar verticalmente um primeiro estágio em uma plataforma de aterrissagem flutuante.[11] Em maio de 2016, a SpaceX novamente conseguiu aterrissar um primeiro estágio, mas durante uma missão de órbita de transferência geoestacionária significativamente mais energética.[12] Em março de 2017, a SpaceX tornou-se a primeira a relançar e aterrissar com sucesso o primeiro estágio de um foguete orbital.[13]

Em setembro de 2016, o CEO Elon Musk revelou a arquitetura da missão do programa do Sistema de Transporte Interplanetário, uma ambiciosa iniciativa privada para desenvolver tecnologia para uso em voos espaciais interplanetários tripulados e que, se houver demanda, poderia levar a assentamentos humanos sustentáveis ​​em Marte até a longo prazo. Este é o objetivo principal para o qual este sistema foi projetado.[14][15] Em 2017, Elon Musk anunciou que a empresa tinha sido contratada por dois indivíduos particulares para enviá-los em uma nave espacial Dragon em uma trajetória de retorno livre em torno da Lua, o que poderia se tornar a primeira instância do turismo espacial.[16][17][18]

História[editar | editar código-fonte]

Elon Musk no Centro de Controle de Missões da SpaceX.

Em 2001, Elon Musk criou o conceito do Mars Oasis, um projeto para pousar uma estufa experimental em miniatura e cultivar plantas em Marte, no que "seria o mais distante que a vida já tenha viajado",[19] em uma tentativa de recuperar o interesse público pela exploração espacial e aumentar o orçamento da NASA.[20][21][22] Musk tentou comprar foguetes baratos da Rússia, mas voltou com as mãos vazias depois de não encontrarem foguetes por um preço acessível.[23][24]

No voo para casa, Musk percebeu que ele poderia começar uma empresa que poderia construir os foguetes acessíveis que ele precisava.[24] De acordo com o investidor Tesla e da SpaceX, Steve Jurvetson,[25] Musk calculou que as matérias-primas para construir um foguete eram apenas 3% do preço de venda. Ao aplicar a integração vertical,[23] ao produzir cerca de 85% do hardware de lançamento interno[26][27] e com uma abordagem modular da engenharia de software, a SpaceX poderia reduzir o preço de lançamento em dez vezes e ainda se beneficiar com uma margem bruta de 70%.[28] A SpaceX começou com o menor foguete orbital útil, em vez de construir um veículo de lançamento mais complexo e mais arriscado, o que poderia ter fracassado e levado a empresa à falência.[29]

No início de 2002, Musk procurava pessoal capacitado para sua nova empresa espacial, que logo seria chamada SpaceX. Musk se aproximou do engenheiro de foguetes Tom Mueller (agora o CTO de Propulsão da SpaceX) e de Mueller, que concordaram em trabalhar para Musk. Assim nasceu o SpaceX.[30] A empresa teve sua primeira sede em um armazém em El Segundo, na Califórnia. A SpaceX cresceu rapidamente desde que foi fundada em 2002, passando de 160 funcionários em novembro de 2005, 1.100 em 2010,[31][32] 3.800 em outubro de 2013[33] e cerca de 5.000 no final de 2015.[1][34] Em abril de 2017, a empresa já tinha cerca de 6.000 funcionários.[35] Em 2016, Musk deu um discurso no Congresso Internacional de Astronáutica, onde afirmou que a SpaceX só podia contratar estadunidenses devido a funcionários que trabalhavam em "tecnologia de armas avançadas".[36]

No final de ano de 2012, a SpaceX tinha mais de 40 lançamentos contratados, o que representava cerca de 4 bilhões de dólares em receita. Os contratos incluíam clientes comerciais e governamentais (NASA/DOD). Em 2013, a SpaceX tinha um total de 50 lançamentos futuros sob contrato; dois terços deles eram para clientes comerciais.[37][38] No final de 2013, a mídia da indústria espacial começou a comentar o fenômeno que a empresa estava subestimando as principais concorrentes no mercado de lançamento comercial - o Ariane 5 e o Proton-M[39] - visto que a SpaceX já tinha pelo menos 10 voos em órbitas geoestacionárias.[38]

Em setembro de 2017, Elon Musk lançou as primeiras imagens protótias de seus trajes espaciais para serem usadas em futuras missões. O traje está em fase de testes e é projetado para lidar com a pressão de 2 ATM no vácuo.[40]

Espaçonaves[editar | editar código-fonte]

Lançamento da Falcon 9 em uma demonstração de voo, em dezembro de 2010.
Primeiro estágio do Falcon 9 pousa em um plataforma-drone autônoma (ver SpaceX CRS-8).
CRS-8 Dragon acoplado ao Canadarm da ISS.

Família Falcon[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Falcon (família de foguetes)

Falcon 1[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Falcon 1

É um foguete pequeno e parcialmente reutilizável capaz de colocar centenas de quilogramas na baixa órbita terrestre. Também funciona como uma plataforma de testes para desenvolver novos conceitos e componentes para serem utilizados no Falcon 9, que é maior. É o primeiro foguete a ser desenvolvido de forma privada a chegar à órbita da Terra.[41]

Falcon 9[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Falcon 9

Em 8 de setembro de 2005, a SpaceX anunciou o desenvolvimento do foguete Falcon 9, que possuirá nove motores Merlin no seu primeiro estágio. No dia 8 de dezembro de 2010, o foguete Falcon 9 lançou a capsula Dragon que retornou em segurança pousando no Oceano Pacífico no mesmo dia, menos de quatro horas após o seu lançamento. O foguete foi lançado de Cabo Canaveral e foi a primeira vez que uma empresa privada enviou uma nave para a órbita terrestre e depois trouxe de volta para a Terra.[42] Em 22 de maio de 2012 o foguete lançou a cápsula Dragon, após uma tentativa em 19 de maio de 2012.[43] A cápsula foi capturada pelo braço robótico Canadarm2, atingindo com sucesso o objetivo de ser o primeiro voo privado para a Estação Espacial Internacional.[44]

No dia 21 de Dezembro de 2015, após várias tentativas falhadas, o primeiro estágio do foguete conseguiu aterrar com sucesso em terra, provando com sucesso que foguetes reutilizáveis são uma opção viável. O foguete aterrou às 8:50 PM ET no Cabo Canaveral.[45] Em 1 de setembro de 2016, um Falcon 9 Full-Thrust explodiu durante a operação de abastecimento de propelente para o teste de fogo estático, que ocorre antes de todos os lançamentos, em Cape Canaveral Space Launch Complex 40.[46] Em 30 de março de 2017, um Falcon 9 já utilizado foi relançado e recuperado, sendo o primeiro foguete reutilizável da história.[47]

Falcon Heavy[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Falcon Heavy

Dragon[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Dragon SpaceX

A Dragon SpaceX é uma cápsula desenvolvida pela SpaceX com a função de levar carga ou tripulação para a órbita terrestre. Mais especificamente, num primeiro momento, para a Estação Espacial Internacional.[48]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Funcionários da SpaceX na sede da empresa.

SpaceX tem sua sede na em Hawthorne, na Califórnia, onde também produz seus foguetes. A empresa também comprou um campo de testes no Texas, e atualmente opera três plataformas de lançamento, com já outra em desenvolvimento. SpaceX também opera três escritórios regionais nos Texas, Virginia e Washington.[49]

Bases de lançamento[editar | editar código-fonte]

Falcon 9 sendo lançado no Centro Espacial John F. Kennedy com o hangar da SpaceX em destaque.

SpaceX atualmente opera três bases de lançamento, em Cabo Canaveral, na Base da Força Aérea de Vandenberg e no Centro Espacial John F. Kennedy, com planejamento de uma outra em Brownsville, no Texas. O Complexo 40 na Base da Força Aérea, em Cabo Canaveral (SLC-40) é usado para lançamentos de baixa órbita e geoestacionárias. Ela não é capaz de fazer lançamentos em órbitas polares, ou para a Falcon Heavy.

O Complexo de Lançamentos Espaciais 4 (SLC-4) na Base da Força Aérea de Vandenberg é usada para lançamentos em órbitas polares e Satélites, podendo também lançar a Falcon 9 e a Falcon Heavy.[50] Porém, ela não pode fazer lançamentos de baixa inclinação.

O complexo de Lançamentos 39A (LC39A) está sobre desenvolvimento pela SpaceX desde Dezembro de 2013, quando a NASA anunciou que A SpaceX é seu novo parceiro comercial.[51] A empresa assinou o contrato de locação em Abril de 2014, garantindo 20 anos de uso da Plataforma 39A.[52] SpaceX anunciou planos lançar a Falcon 9 e a Falcon Heavy por essa plataforma, e também construir um novo hangar perto dela.[52]Elon Musk declarou que maior partes dos lançamentos da SpaceX será na plataforma LC39A, incluindo cargas comerciais e missões tripuladas para a ISS.[24][53]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b SpaceX’s Redmond effort ‘very speculative’ November 7, 2015, accessed 2016-02-04
  2. «Gwynne Shotwell: Executive Profile & Biography». Business Week. New York: Bloomberg. 1 de dezembro de 2011. Consultado em 1 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 1 de dezembro de 2011 
  3. Hennigan, W.J. (7 de junho de 2013). «How I Made It: SpaceX exec Gwynne Shotwell». Los Angeles Times. Consultado em 10 de junho de 2013 
  4. SpaceX NASA CRS-6 PressKit Site (PDF), 12 de abril de 2015, consultado em 13 de abril de 2015 
  5. Kenneth Chang (27 de setembro de 2016). «Elon Musk's Plan: Get Humans to Mars, and Beyond». New York Times. Consultado em 27 de setembro de 2016 
  6. Stephen Clark (28 de setembro de 2008). «Sweet Success at Last for Falcon 1 Rocket». Spaceflight Now. Consultado em 1 de março de 2017 
  7. Kenneth Chang (25 de maio de 2012). «Space X Capsule Docks at Space Station». New York Times. Consultado em 25 de maio de 2012 
  8. William Graham (13 de abril de 2015). «SpaceX Falcon 9 launches CRS-6 Dragon en route to ISS». NASASpaceFlight. Consultado em 15 de maio de 2015 
  9. Kirstin Brost (19 de abril de 2011). «SpaceX Wins NASA Contract to Complete Development of Successor to the Space Shuttle». SpaceX. Consultado em 8 de dezembro de 2015 
  10. Matthew Weaver (22 de dezembro de 2015). «'Welcome back, baby': Elon Musk celebrates SpaceX rocket launch – and landing». the Guardian. Consultado em 1 de março de 2017 
  11. «SpaceX rocket successfully lands on ocean drone platform for first time». The Guardian. 8 de abril de 2016. Consultado em 1 de março de 2017 
  12. Loren Grush (6 de maio de 2016). «SpaceX successfully lands its Falcon 9 rocket on a floating drone ship again». The Verge. Consultado em 1 de março de 2017 
  13. Amos, Jonathan. «Success for SpaceX 're-usable rocket'». BBC. BBC. Consultado em 30 de março de 2017 
  14. «Liveblog: Elon Musk has revealed the Interplanetary Transport System». Ars Technica. 27 de setembro de 2016. Consultado em 1 de março de 2017 
  15. Sean O'Kane (27 de setembro de 2016). «SpaceX unveils the Interplanetary Transport System, a spaceship and rocket to colonize Mars». The Verge. Consultado em 1 de março de 2017 
  16. Alan Yuhas (28 de fevereiro de 2017). «SpaceX to send two people around the moon who paid for a 2018 private mission». The Guardian. Consultado em 1 de março de 2017 
  17. Emily Shanklin (27 de fevereiro de 2017). «SpaceX to Send Privately Crewed Dragon Spacecraft Beyond the Moon Next Year». Consultado em 1 de março de 2017 
  18. Greg Kumparak (27 de fevereiro de 2017). «SpaceX will send 2 people on a trip around the moon next year». TechCrunch. Consultado em 1 de março de 2017 
  19. Miles O'Brien (1 de junho de 2012). «Elon Musk Unedited». Consultado em 1 de março de 2017 
  20. John Carter McKnight (25 de setembro de 2001). «Elon Musk, Life to Mars Foundation». Space Frontier Foundation. Consultado em 1 de março de 2017 
  21. Elon Musk (30 de maio de 2009). «Risky Business». IEEE Spectrum. Consultado em 1 de março de 2017 
  22. Elon Musk on dodging a nervous breakdown (Notas de mídia). YouTube. 20 de abril de 2015. Consultado em 1 de março de 2017 
  23. a b Andrew Chaikin (Janeiro de 2012). «Is SpaceX Changing the Rocket Equation?». Air & Space Smithsonian. Consultado em 1 de março de 2017 
  24. a b c Ashlee Vance (14 de maio de 2015). «Elon Musk's space dream almost killed Tesla». Bloomberg. Consultado em 1 de março de 2017 
  25. «How Steve Jurvetson Saved Elon Musk – Business Insider». Business Insider. 14 de setembro de 2012. Consultado em 4 de junho de 2015 
  26. «SpaceX». NASA Space Academy at Glenn. Consultado em 4 de junho de 2015 
  27. Elon's SpaceX Tour – Engines (Notas de mídia). YouTube. 11 de novembro de 2010. Consultado em 1 de março de 2017 
  28. SpaceX and Daring to Think Big – Steve Jurvetson (Notas de mídia). YouTube. 28 de janeiro de 2015. Consultado em 4 de junho de 2015 
  29. Elon Musk speaks at the Hyperloop Pod Award Ceremony (Notas de mídia). YouTube. 31 de janeiro de 2016. Consultado em 1 de março de 2017 
  30. Michael Belfiore (1 de setembro de 2009). «Behind the Scenes With the World's Most Ambitious Rocket Makers». Popular Mechanics. Consultado em 1 de março de 2017 
  31. Foust, Jeff (14 de novembro de 2005). «Big plans for SpaceX». The Space Review 
  32. «Diane Murphy joins SpaceX as Vice President of Marketing and Communications» (Nota de imprensa). SpaceX. 10 de julho de 2008. Arquivado do original em 13 de julho de 2010 
  33. Messier, Doug (16 de outubro de 2013). «ISPCS Morning Session: Gwynne Shotwell of SpaceX». Consultado em 7 de dezembro de 2013. Gwynne Shotwell says that SpaceX is now up to about 3,800 employees, counting contractors working for the company. ... 600 more people to hire in next couple months. Finding good software people the hardest skills to fill. 
  34. Gwynne Shotwell (3 de fevereiro de 2016). Gwynne Shotwell comments at Commercial Space Transportation Conference (Notas de mídia). Commercial Spaceflight. Em cena em 2:43:15–3:10:05. Consultado em 4 de fevereiro de 2016 
  35. de Selding, Peter B. (14 de abril de 2017). «Blue Origin's older than SpaceX in more ways than one». Space Intel Report. Consultado em 15 de abril de 2017 
  36. Crosbie, Jackie (28 de setembro de 2016). «Elon Musk Explains Why SpaceX Only Hires Americans» 
  37. James Dean (4 de dezembro de 2013). «SpaceX makes its point with Falcon 9 launch». USA Today. Consultado em 1 de março de 2017 
  38. a b Stephen Clark (3 de dezembro de 2013). «Falcon 9 rocket launches first commercial telecom payload». Spaceflight Now. Consultado em 1 de março de 2017 
  39. Stephen Clark (24 de novembro de 2013). «Sizing up America's place in the global launch industry». Spaceflight Now. Consultado em 25 de novembro de 2013. Arquivado do original em 3 de dezembro de 2013 
  40. «REVEALED: The space suit humans on SpaceX rockets will wear to get to MARS» 
  41. Musk, Ellon (2015). Tesla, SpaceX, and the Quest for a Fantastic Future (em ISBN 978-0-06-230123-9.). Nova York: HarperCollins 
  42. Folha.com, Cápsula de carga privada vai ao espaço e volta à Terra pousando no oceano Pacífico, 8/12/2010 às 18h00.
  43. Primeiro voo privado para Estação Espacial está em órbita
  44. Cápsula não tripulada Dragon da SpaceX chegou à Estação Espacial Internacional
  45. SpaceX faz lançamento e pouso histórico do foguete Falcon 9
  46. «SpaceX on Twitter: Update on this morning's anomaly». Twitter. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  47. «SpaceX faz história ao lançar e recuperar Falcon 9 utilizado anteriormente - IDG Now!». IDG Now!. 31 de março de 2017 
  48. «5 Fun Facts About Private Rocket Company SpaceX». Space.com. 21 de maio de 2012. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  49. spacexcmsadmin (27 de novembro de 2012). «Company». SpaceX (em inglês) 
  50. «SpaceX: Falcon Heavy, Falcon 9 tag team set to share 20 launches a year». NASASpaceFlight.com. 5 de Abril de 2011. Consultado em 3 de abril de 2017 
  51. «SpaceX to begin negotiations for shuttle launch pad». Spaceflight Now. 13 de Dezembro de 2013. Consultado em 3 de Abril de 2017 
  52. a b «"Selection Statement for Lease of Launch Complex 39A"» (PDF). NASA. Consultado em 4 de Abril de 2017 
  53. «Spaceflight Now | Breaking News | GAO decision opens door for commercial lease of pad 39A». spaceflightnow.com. Consultado em 3 de abril de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre SpaceX