Sphenosuchia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomia Sphenosuchia
Ocorrência: Triássico SuperiorJurássico Médio
228–165 Ma
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Crocodylomorpha
Subordem: Sphenosuchia
von Huene, 1942
Gêneros
Veja texto

Sphenosuchia é uma subordem dos crocodilomorfos basal, que apareceu pela primeira vez no Triássico e durou até o Jurássico Médio. A maioria eram pequenos animais grácil com uma postura membro ereto. Eles estão sendo avaliados como ancestral dos crocodyliformes, que incluem todos os crocodilianos atuais.

Faixa de Estratigráfica[editar | editar código-fonte]

Os primeiros membros conhecidos do grupo (Hesperosuchus) são do do início do Noriano, encontrado nos membro Blue Mesa na Formação Chinle. Apenas um sphenosuchiano é conhecido atualmente do Jurássico Médio, Junggarsuchus encontrado na Bacia de Junggar (Formação Shishugou) na China do período Bathoniano ou Calloviano (~ 165 Ma).[1] O mais novo sphenosuchiano é o Macelognathus. O mais antigo é do Jurássico Superior da América do Norte durante o período Kimmeridgiano, (155-150 Ma).

Filogenia[editar | editar código-fonte]

A monofilia do grupo é debatida, apesar de várias sinapomorfias caracterizar o clado, incluindo membros extremamente delgados, um carpo compacto e um processo coracóide alongado.

Em 2002, Clark e Sues encontraram um possível clado sphenosuchiano de Dibothrosuchus, Sphenosuchus e possivelmente, Hesperosuchus e Saltoposuchus, com outros Géneros diversos em posições não resolvidas (Kayentasuchus, Litargosuchus, Pseudhesperosuchus e Terrestrisuchus).[2] Mais recentemente, Clark (2004) defendeu a parafilia do grupo, alegando que os caracteres morfologicos foram secundariamente perdidos em crocodilomorfos mais altamente derivados[1] Uma análise mais aprofundada e estudo é necessário antes de dar como resolvido a monofilia do grupo. Uma análise filogenética perfeita atualmente é impossível, devido a uma escassez de restos fósseis demonstrando caracteres filogeneticos.

Abaixo está um cladograma modificado de Nesbitt (2011).[3] Sphenosuchias são marcados pela faixa em verde.

Crocodylomorpha 

CM 73372




Hesperosuchus 



Dromicosuchus 




Sphenosuchus 




Dibothrosuchus 




Terrestrisuchus 




Litargosuchus 




Kayentasuchus 


 Crocodyliformes 

Orthosuchus



Protosuchus



Alligator










Gêneros[editar | editar código-fonte]

Género Status Idade Local Unidade Notas Imagens
Valid Triássico Superior  Brazil Formação Santa Maria
Valid Jurássico Inferior  China Series Lower Lufeng Dibothrosuchus BW.jpg
Valid Triássico Superior  Estados Unidos Supergrupo Newark
Valid Triássico Superior (Carniano)  Alemanha Formação Schilfsandstein Dyoplax holotype.jpg
Valid Jurássico Superior  Estados Unidos Formação Morrison Possivel sinónimo do Macelognathus Hallopus victor.jpg
Valid Triássico Superior (Carniano)  Estados Unidos Formação Chinle
Valid Jurássico Médio  China Formação Shishugou
Valid Jurássico Inferior (Sinemuriano - Pliensbachiano)  Estados Unidos Formação Kayenta
Valid Jurássico Inferior  África do Sul Formação Elliot
Valid Jurássico Superior  Estados Unidos Formação Morrison Macelognathus.jpg
Nomen dubium Triássico Superior  Estados Unidos Grupo Dockum Um sphenosuchia indeterminado conhecido apenas pelas vértebras.[5]
Valid Jurássico Inferior  África do Sul Formação Elliot Litargosuchus leptorhynchus.jpg
Valid Jurássico Inferior  China Series Lower Lufeng
Valid Triássico Superior (Noriano)  Argentina Formação Los Colorados
Valid Triássico Superior  Estados Unidos Formação Redonda
Valid Triássico Superior (Noriano)  Alemanha

 Suíça
 Reino Unido

Formação Löwenstein

Formação Trossingen
Lossiemouth Sandstone

Saltoposuchus BW.jpg
Valid Jurássico Inferior  África do Sul Formação Elliot
Valid. Triássico Superior  Reino Unido Terrestrisuchus BW.jpg
Valid Triássico Superior  Argentina Formação Ischigualasto Espécimes conhecidos podem representar crocodilomorfos basal e dinossauros[5]

Notas e referências

  1. a b Clark, J.M., et al. (2004).A Middle Jurassic 'sphenosuchian' from China and the origin of the crocodylian skull Nature 430:1021-1024.
  2. Clark, J.M., and Sues, H.-D. (2002). Two new species of basal crocodylomorphs and the status of the Sphenosuchia. Zoological Journal of the Linnean Society 136:77−96.
  3. Nesbitt, S.J. (2011). «The early evolution of archosaurs: relationships and the origin of major clades» (PDF). Bulletin of the American Museum of Natural History. 352: 1–292. doi:10.1206/352.1 
  4. Lucas, S. G.; Wild, R.; and Hunt, A. P. (1998). «Dyoplax O. Fraas, a Triassic sphenosuchian from Germany». Stuttgarter Beiträge zur Naturkunde, B. 263: 1–13 
  5. a b Clark, J. M.; Sues, H.-D.; and Berman, D. S. (2001). «A new specimen of Hesperosuchus agilis from the Upper Triassic of New Mexico and the interrelationships of basal crocodylomorph archosaurs». Journal of Vertebrate Paleontology. 20 (4): 683–704. doi:10.1671/0272-4634(2000)020[0683:ANSOHA]2.0.CO;2 
  6. Harris, Jerald D.; Lucas, Spencer G.; Estep, J. W.; and Jianjun Li (2000). «A new and unusual sphenosuchian (Archosauria: Crocodylomorpha) from the Lower Jurassic Lufeng Formation, People's Republic of China». Neues Jahrbuch für Geologie und Paläontologie, Abhandlungen. 215 (1): 47–68 
Ícone de esboço Este artigo sobre Animal pré-histórico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.