Stefan Grand Prix

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Stefan Grand Prix foi uma equipe sérvia de automobilismo proposta que tentou competir na Fórmula 1, a partir de 2010, liderada por Zoran Stefanović.

História[editar | editar código-fonte]

A Stefan Grand Prix foi uma das quinze equipes que enviaram uma proposta para ingressar na Fórmula 1, a partir da temporada de 2010, porém, seu pedido acabou sendo rejeitado, sendo escolhido a Virgin Racing, Campos Meta, Lotus Racing e US F1 Team. Logo, Stefanović apresentou uma queixa na Comissão Europeia, alegando que teria sido dado preferência para equipes que utilizariam os motores Cosworth, o caso das quatro escolhidas.

Chassis da Toyota[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2009, a Toyota Racing anunciou sua saída da categoria, deixando a equipe a venda. Stefanović anunciou planos de comprar da equipe com a intenção de estar presente na primeira corrida da temporada, no Bahrein. Em janeiro de 2010, anunciou a compra do chassis, motor[1] e as instalações da Toyota em Colônia.[2] O japonês Kazuki Nakajima (dispensado da Williams) e o canadense Jacques Villeneuve (campeão de Fórmula 1 em 1997) seriam os pilotos. Para ser o engenheiro-chefe, foi escolhido Mike Coughlan, conhecido por participar do caso de espionagem envolvendo Ferrari e McLaren em 2007.

Pelo fato das equipes Campos Meta 1 (atual Hispania Racing Team) e USF1 passarem por dificuldades em assegurar meios para competir, Stefanović ficou mais confiante quanto a sua participação na temporada de 2010, a equipe enviou material para o Bahrain[3] e marcou testes no Autódromo Internacional do Algarve entre 25 e 28 de Fevereiro de 2010, entretanto, os testes foram cancelados, segundo Zoran, por falta de pneus apropriados, pois o contrato de exclusividade da Bridgestone com a F1 não permite fornecimento de material para equiopes que não estejam formalmente inscritas na categoria.[4] No dia 3 de março, a FIA anunciou oficialmente que a equipe USF1 não competiria na temporada de 2010, porém, neste mesmo comunicado, a FIA declarou que não haveria substituição da equipe, sendo assim, os planos de Stefanović chegaram ao fim.[5] Zoran pretendia recorrer na justiça novamente, contra a decisão da FIA de não aceitar substituição da equipe desistente. Com a retirada da US F1 Team da lista de inscrições, a Stefan chegou a ser incluída na relação de equipes estreantes na Temporada de Fórmula 1 de 2011, mas, a uma semana do GP da Itália, a FIA anunciou que nenhuma escuderia apresentou os requisitos necessários para estrear, deixando a vaga de décima-segunda equipe da F-1 sem representante[6].

Referências

  1. «Stefan GP probará su coche este mes en Portimao». Consultado em 9 de fevereiro de 2010 
  2. «Toyota podría volver a la fórmula 1 de la mano de la escudería Stefan GP». Consultado em 9 de fevereiro de 2010 
  3. Jonathan, Noble (2 de fevereiro de 2010). «Stefan GP sends equipment to Bahrain». Autosport.com. Haymarket Publications. Consultado em 2 de fevereiro de 2010 
  4. «Sem pneus disponíveis, Stefan cancela teste que seria feito em Portugal». UOL Esportes. 22 de fevereiro de 2010. Consultado em 23 de fevereiro de 2010 
  5. «Press Release - FIA Formula One World Championship». 3 de março de 2010. Consultado em 3 de março de 2010 
  6. «World Motor Sport Council Decisions – 8 September 2010». 8 de setembro de 2010. Consultado em 18 de novembro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Fórmula 1 é um esboço relacionado ao projeto sobre Fórmula 1. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.